História Um Motivo Para Ficar - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Daniel Alves, Francisco "Isco" Suárez, Gareth Bale, James Rodríguez, Karim Benzema, Luka Modric, Marcelo Vieira, Marco Asensio, Paulo Dybala, Phoebe Tonkin, Sergio Ramos, Toni Kroos
Personagens Cristiano Ronaldo, Daniel Alves, Francisco Román Alarcón Suárez, Gareth Bale, James Rodríguez, Karim Benzema, Luka Modric, Marcelo Vieira, Marco Asensio, Paulo Dybala, Phoebe Tonkin, Sergio Ramos, Toni Kroos
Tags Ana Beatriz Andrade, Anisco, Dyatriz, Fisioterapia, Isco Alarcón, Juventus, Paulo Dybala, Real Madrid
Visualizações 311
Palavras 3.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Demorei mas voltei.

Capítulo 33 - Uma Certeza


Fanfic / Fanfiction Um Motivo Para Ficar - Capítulo 33 - Uma Certeza

Ana Beatriz Rossetti. POV // 06:25 am. Madrid, Espanha.

Mais uma vez meu corpo era alvo de uma noite quente, realmente muito quente. Depois do dia anterior, o próprio tinha de ser fechado com chave de ouro, então meu noivo, soube muito bem fazer isso.

Meu noivo.

Eu realmente estou amando isso.

— Bom dia...Minha noiva — Isco disse coçando os olhos, já que tinha acabado de acordar.

— Bom dia, meu noivo gostoso — Eu disse rindo e alisando a lateral de sua barriga.

— Que eu saiba você não curte muito esse clichê — Ele disse rindo se sentando na cama e me puxando pela cintura me fazendo sentar em seu colo.

— É um momento fofo, pelo menos um — Eu disse rindo enquanto envolvia meus braços em seu pescoço.

— Você tá feliz? — Ele me perguntou sério.

— Nunca estive tão feliz — Eu abri um grande sorriso — E você?

— Tô muito feliz, me sentindo realizado — Ele disse acariciando minha bochecha.

— Então é isso que importa — Eu disse sorrindo enquanto o puxava mais pra perto.

Me levantei de seu colo e da cama, fui até o closet e coloquei um roupão qualquer.

— Isco, levanta — Eu disse alto após ver Isco deitado novamente.

— Por quê? — Ele perguntou manhoso.

— Francisco, vai se arrumar, hoje tem treino — Eu disse e ele se levantou rapidamente.

— Mentira — Ele disse disse semi-cerrando os olhos.

— É sério, a Champions é daqui a dois dias, querido —Eu disse e ele deu um tapa em sua testa.

Puta madre — Ele disse correndo até o banheiro do meu quarto.

A casa ainda estava cheia. Juliana, Carolina, Daniel e Nathan ainda estão, assim como minha mãe, meu pai, meus irmãos, meus sobrinhos e minha cunhada. É uma bagunça enorme porém é maravilhoso.

Meu celular tocou alto, me fazendo despertar dos meus devaneios.

“Rashford”

— Oi Marcus — Atendi a ligação.

— E aí, você vem?  — Ele perguntou afobado.

— Ainda não sei, Marcus. Tenho que resolver minha vida aqui — Eu disse — Como ele está?

— Ele já acordou, de saúde está instável mas emocionalmente, está apavorado — Ele disse e me deu um aperto no coração. Como já disse, só guardo as coisas boas que vieram do meu relacionamento com Jesse, até porquê a maioria foram coisas boas. E apesar do que ele fez comigo, não deixa de ser um ser humano incrível. As pessoas incríveis também erram.

— Farei o possível para ir até aí. Daqui a dois dias eu tenho que trabalhar na final da Champions, então não sei se irão me liberar — Eu expliquei para Marcus.

— Está tudo bem, Bea. Espero que consiga vir — Ele disse.

— Eu também. Mais tarde te ligo para dizer se vou ou não.

— Ok — Ele disse e encerrou a ligação.

— Para onde a senhorita vai? — Quase morri de susto ao perceber Isco na minha frente.

— Que susto, Francisco. Merda — Eu disse com a mão no peito.

— Não desconversa — Ele disse me olhando desconfiado. Não sabia se olhava em seus olhos ou para o seu corpo, ele só estava com uma pequena toalha tampando as regiões.

— Não estou desconversando — Eu disse e ele fez uma careta — Depois do treino a gente conversa.

— Já vi que eu não vou gostar dessa conversa. Final do treino para não estragar o dia — Ele disse revirando os olhos — Fala logo — Ele disse enquanto vestia suas roupas que estavam aqui em casa.

— Não é nada demais — Eu disse enquanto observava a aliança em meu dedo anelar.

— Ana Beatriz Andrade Rossetti — Ele disse igualzinho meu pai quando está bravo.

— Tudo bem, Francisco — Eu bufei — Eu vou para a Inglaterra.

— Fazer o quê? — Ele perguntou enquanto calçava seu tênis.

— Visitar o Lingard — Eu disse normal. Afinal ele não sabia de nada.

— Você tá de brincadeira, né? — Ele perguntou aparentemente bravo me surpreendendo.

— Pera aí...

— Sim! Seu pai me contou a história toda — Ele disse ficando em minha frente — Como você ainda tem coragem de ir visitar aquele corno?

— Você não usou um adjetivo muito qualificado. A corna na história fui eu — Eu esclareci meio envergonhada.

— Me desculpa — Ele disse olhando em meus olhos — Mas mesmo assim! Não tem lógica! Aquele filho da puta não merece nem um pouco da sua compaixão.

— Isco...

— Beatriz, você não vai ver aquele cara — Ele disse como se decidisse por mim.

— Ei, você não toma as decisões por mim, tá bem!? — Eu disse irritada — É por isso que não queria falar agora. Era pra ser um dia feliz e sem brigas. A gente acabou de noivar.

— Mas parece que você já tá querendo ferrar com tudo — Ele disse bastante irritado, saindo do meu quarto.

— ISCO — O gritei saindo do meu quarto — Deixa de ser criança — Eu disse enquanto o seguia pela escada.

— Criança, eu? Você que é idiota — Ele disse se virando.

— Não me chama de id... — Fui interrompida por uma forte pontada na barriga, que me fez gritar e quase cair, se não fosse por Isco, neste momento eu estaria rolando a escada a baixo.

— Ei, o quê aconteceu? — Isco perguntou assustado e preocupado enquanto me ajudava a sentar em um dos degraus.

— Eu não sei — Eu disse com os olhos fechados e com a mão na barriga.

— Como assim não sabe? — Ele perguntou espantado.

— Não foi nada, eu estou bem — Eu disse me levantando lentamente, sentindo algumas dores que mais pareciam cólicas. Deveria ser o período menstrual chegando.

— É melhor eu ficar aqui com você — Ele disse me pegando no colo e eu revirei os olhos.

— Isco, vai logo para o treino — Eu disse e depois de alguns segundos ele me colocou na minha cama — Daqui a meia hora eu tenho que estar no CT também.

— Você não vai sair de casa hoje — Ele disse e me deu um beijo — Quando eu chegar a gente conversa.

— Anda logo — Chutei sua bunda e ele saiu do quarto.

[...]

Francisco “Isco” Alarcón. POV // 07:19 am. Madrid, Espanha - Real Madrid CT. Valdebebas.

Os últimos dias foram incríveis. Mal dá para acreditar que está tudo nos eixos. Antes dela, as coisas estavam complicadas...Victoria não parava de me encher, eu não podia fazer a coisa que eu mais amo na vida que é jogar futebol, eu estava me sentindo inválido. Ela chegar e aos poucos (ou talvez não) foi pondo tudo em seu devido lugar. Me ajudou em tudo em que eu tinha dificuldade. Me afastou de todos os males e estava me fazendo feliz como nenhuma outra mulher já fez.

Hoje ela, assim como meu filho, minha família e amigos, são minha luz. E essa última semana foi um divisor de águas na minha vida, eu soube qual é realmente o meu destino, e tenho a total certeza que é do lado de quem me faz feliz como homem. Ana Beatriz Andrade Rossetti, que mulher! A dona do meu coração e eu não podia estar mais feliz em pensar que essa mulher é minha noiva e daqui a pouco tempo será minha esposa. 

Estava tudo ótimo até ela ter a ousadia de pensar em ir visitar aquele merda do ex dela. Desejo uma ótima recuperação à ele, e que ele melhore logo mas bem longe da minha mulher.

Apesar da minha irritação, ainda tem uma brecha no meio da história para eu me apaixonar ainda mais pela Bia. Depois de tudo que aquele safado fez com ela, ela ainda se preocupa com ele e ainda pensa em vê-lo. Ela tem um coração maravilhoso, ela é maravilhosa. Mas mesmo assim eu não quero ela perto dele, é meu dever protegê-la e a manter longe de tudo que a faça mal.

— Posso saber o por quê da demora, Francisco? — Zidane disse assim que eu cheguei no gramado do campo 2, já devidamente vestido com o uniforme de treino.

— Oi Professor — Eu disse ofegante e forçando um sorriso.

— Eu sei que ontem a festa foi intensa e a pós-festa também deve ter sido, aliás parabéns pelo noivado. Mas você não pode se atrasar, Francisco! É o penúltimo treino antes da final — Ele disse pouco irritado mas ainda sim fizemos um toque.

— Obrigada Zizou — Eu disse pela parte em que ele me felicitava — Sim a pós-festa foi intensa mas não foi por isso... Quando eu tava saindo a Bia sentiu umas pontadas na barriga e quase caiu da escada. Então, eu fiquei um pouquinho com ela, até a dor passar. Por isso me atrasei.

— Ah sim — Ele disse reduzindo a bronca — A última vez que minha mulher sentiu essas pontadas, era o Elyaz dando um “oi” — Ele disse rindo e se referindo ao seu filho mais novo e eu o olhei assustado.

— O quê? — Eu perguntei assustado e ele gargalhou.

— Eu tô brincando — Ele disse cessando a risada — Mas é sério, Veronique estava grávida quando sentiu essas pontadas.

— Zidane, não fica colocando coisa na minha cabeça — Eu disse abrindo um sorriso nervoso enquanto balançava minha cabeça em sinal de negação.

— Tá bom — Ele disse sério — Vai treinar logo, papai do ano — Ele disse voltando a rir.

— Você é chato — Eu disse me rendendo as risadas.

Mas será que ela estaria grávida? Pontadas na barriga devem ser normais nas mulheres. Não vou criar expectativas. Mas pensando bem, antes da festa ela não estava se sentindo muito bem... É melhor eu ir treinar.

— Olha aí o novo domesticado — Marcelo praticamente gritou quando me viu.

— Coleirinha daqui a um tempo, em — Asensio disse rindo quando eu cheguei no rodízio com bola.

— Tô lidando bem com isso — Eu disse rindo enquanto chutava a bola para Cristiano.

— Parceiro, com uma mulher daquela, até eu queria estar na coleira — Disse Mayoral rindo.

— Ou, não fala assim da minha mulher — Eu disse sorrindo com uma extrema paciência mas é claro que não deixei barato, tive que dominar a bola e a chutar em direção ao seu órgão genital.

— Ui, todo possessivo — Casemiro brincou.

— Tem que cuidar né, bro — Eu disse rindo.

— Vocês já estão sabendo que o Isco vai se... — Zidane chegou dizendo enquanto prendia o riso.

— Casar, né Zizou, vou me casar — Eu disse espantado enquanto observava a expressão do treinador.

— Todos sabemos, todos vimos o pedido lá na festa, inclusive você — Toni disse como se fosse óbvio.

— Mas não era isso — Zidane disse e eu o repreedi com o olhar.

— Mas se não for — Eu questionei Zidane que aposto, só estava me enchendo porquê eu me atrasei.

— Uma hora vai — Ele disse e eu revirei os olhos.

— Será que dá para vocês pararem de falar em códigos?! — Benzema questionou o questionamento de todos.

— Ah claro — Zidane sorriu — Quinze voltas no campo, agora — Zidane apitou alto enquanto ouvia-se protestos.

Ana Beatriz Rossetti. POV //  08:30 am. Madrid, Espanha - La Finca.

— Sofia é um bom nome — Carolina me olhou sorrindo.

— Prefiro Stella — Juliana disse.

— Só se for Stella Artois — Eu disse fazendo elas rirem — Não era isso que vocês queriam? Toma, negativo — Eu disse jogando os dois testes de gravidez no colo de Juliana e Carolina. Depois de ter contado das pontadas e depois de ter vomitado duas vezes, elas foram na farmácia, compraram o teste e me obrigaram a fazer.

— Mas...

— Meninas, eu não estou grávida — Eu disse terminando de arrumar minha bolsa para ir trabalhar.

— Mas por quê tanto vômito, tanta tontura, pontadas — Carolina tentou acha algum argumento.

— Infecção — Eu disse pegando a chave do meu mais novo carro que tinha ganhado de Enzo.

— Nós vamos ao médico — Juliana disse se levantando.

— Tia, sua filha vai ter um bebê — Carolina disparou quando minha mãe entrou na sala.

— O quê? — Minha mãe perguntou assustada.

— Mãe, tonturas, pontadas e enjôo não pode ser infecção? — Eu perguntei esperando ela afirmar. Minha mãe chegou a fazer faculdade de medicina.

— Sim, pode. Porém esses sintomas evidenciam uma gravidez... Você está grávida? — Ela perguntou abrindo um sorriso.

— Não — Eu disse e estendi os dois testes à ela.

— É...Você não está grávida. Os testes dessa marca são extremamente seguros — Minha mãe disse fazendo uma feição triste.

— Tá vendo — Eu disse abrindo um sorriso vitorioso — Até mais.

Eu disse e saí de casa, entrando no carro e coloquei minha bolsa no banco ao lado. Antes de partir, com meu celular na mão, aproveitei e postei duas fotos no Instagram.

A primeira era com Isco. Um momento fofo dele colocando a aliança de noivado no meu dedo.

@Beatriz.rossetti La noche anterior fue perfecta a sua lado, mi amor. Te quiero mucho #Minovio

E a segunda era um álbum com várias fotos, com vários de meus amigos na festa.

[...]

— Eu não acredito — Cristiano disse irritado enquanto estava deitado na maca, rodeado por todos os jogadores, departamento médico, comissão técnica, técnico, até o presidente estava alí. 

Todo esse tumulto porquê Cristiano Ronaldo...Sentiu a coxa.

— Realmente você não vai jogar a final — Eu disse finalmente dando esperada resposta do seu diagnóstico.

— Que merda — Cristiano disse realmente muito irritado.

— O que aconteceu? — Florentino perguntou preocupado.

— Ele rompeu o ligamento cruzado do joelho — Eu disse segurando a mão de Cristiano para que ele se acalma-se.

— Bia, eu consigo jogar, tá bom? Eu nem estou sentindo tanta dor — Cristiano assentiu ganhando confiança de que podia jogar.

— Cristiano, eu estou dizendo que você não vai jogar — Eu disse olhando em seus olhos e ele me olhou bravo.

— Zidane, Florentino — Cristiano convocou seus superiores.

— É ela quem manda — Zidane disse e Cristiano bufou e se levantou rapidamente da maca, mas nessa hora acabou voltando a deitar na maca, mas dessa vez reclamando de dor, muita dor.

— Cristiano, eu disse pra não se mexer — Eu disse já irritada — Eu preciso que todos vocês saiam da daqui — Eu disse e eles concordaram — Agora gente, anda — Eu disse abrindo a porta da grande sala com meus equipamentos. Em questão de segundos todos estavam fora da sala, ficamos somente eu e meu paciente.

— É uma final de Champions, eu preciso estar no time — Cristiano disse como o arrogante que conheci meses atrás.

— Cristiano Ronaldo pare com isso agora — Eu praticamente gritei, é na verdade eu gritei — Você se lesionou e não vai poder jogar, se você jogar, esse rompimento vai virar uma lesão grave pra caramba e nem o melhor fisioterapeuta no mundo vai conseguir curar em menos de um ano — Ele me olhou assustado — Navas consegue, Carjaval consegue, Sergio e Varene conseguem, Marcelo consegue, Toni, Modrić e Casemiro conseguem fácil demais. Benzema, Asensio e Isco com toda certeza dão conta do recado.

— Bia.

— Real Madrid é o melhor clube do mundo e consequentemente tem o melhor elenco do mundo. Você não é o único melhor do mundo aqui — Eu disse envolvendo seu joelho com uma faixa que tinha um dos cremes de fisioterapia — Então vê se aceita que você está com o joelho totalmente fodido e dê forças para seus amigos. Seja o capitão fora de campo e eles vão ganhar mais esse título por você.

— Eles já tem Zidane — Cristiano disse emburrado.

— Cristiano, vou pedir para Marcelo te levar pra casa — Eu disse anotando todos medicamentos que ele tinha que tomar e a bateria de exercícios que ele teria de fazer em minha ausência, nada muito pesado — MARCELO! — Gritei o cabeludo da minha sala mesmo pôs sabia que estavam todos alí fora.

— Diga — Marcelo entrou preocupado na minha sala.

— Leva ele pra casa, no caminho compra esses analgésicos e anti-inflamatórios — Eu disse entregando o papel para Marcelo.

— Tudo bem — Marcelo pediu e ajudou Cristiano a se levantar da maca.

Fui rapidamente até um dos armários da sala e peguei um dos pares de muletas que tinham alí.

— Toma — Entreguei as muletas à Cristiano — Se eu ver você com esse pé no chão, você está muito ferrado — Eu disse séria e ele assentiu — Não me olha assim, é tudo para o seu bem — Eu disse e beijei sua testa.

— Eu sei — Ele disse e logo saiu da sala, acompanhado de Marcelo.

Que dia meus amigos, que dia! Perdi a conta de quantas vezes Rashford tinha me ligado e mandado mensagens. Percebi que estava me preocupando com quem realmente não deveria. Jesse está em boas mãos, Manchester United tem um ótimo departamento médico, ele está em boas mãos. Eu estava disposta a ajudá-lo mas se isso for prejudicar minha relação com o Isco, eu prefiro tentar esquecer que Jesse Lingard quase morreu.

— Está tudo bem? — Isco entrou na minha sala enquanto eu estava deitada em uma maca.

— Não, eu tô com muito sono — Eu disse resmungando enquanto senti Isco acariciar minha bochecha.

— Amor, será que você está gráv... — Isco ia dizendo mas eu fiz questão de o interromper.

— Ah não Isco! Até você? — Eu perguntei me sentando na cama.

— Por que? Alguém mais está achando isso? — Ele perguntou sério.

— Carolina e Juliana cismaram hoje de manhã. Elas me fizeram fazer dois teste — Eu disse e a expressão de Isco se suavizou — Não, não faz essa cara.

— Que cara? — Ele perguntou rápido.

— Eu definitivamente não estou grávida — Eu disse e pude ver um pouco de decepção em sua reação — Eu estou com certeza com alguma infecção.

— Você quer ir ao médico? — Isco perguntou preocupado.

— Não, eu tô bem — Eu disse respirando fundo assim que a cólica passou.

— Tem certeza? 

— Absoluta — Eu disse me levantando da maca.

Arrumei minhas coisas, já que meu turno tinha acabado e iria até a casa de Isco buscar Isquinho e lavá-lo para ver sua mãe.

— Você quer ter filhos comigo? — A pergunta de Isco me pegou de surpresa.

— O quê? — Eu perguntei assustada com sua pergunta.

— Você entendeu bem. Pareceu bastante aliviada ao falar que não estava grávida — Isco analisou e eu assenti.

— Eu realmente fiquei — Eu disse enquanto respondia as mensagens de Marcus.

— Por quê? — Isco perguntou curioso.

— Ser mãe não está mais nos meus planos. Nunca mais — Eu disse olhando em seus olhos e ele me olhou surpreso e bastante chateado.

— Eu quero mais — Ele disse.

— Você já tem um, é o suficiente — Eu sorri o puxando pra perto.

— Eu quero mais disso, Beatriz! Muito mais — Ele disse afastando meus braços dele.

— Eu não consigo — Eu disse abaixando a cabeça.

— Como não consegue? Você pode ter filhos — Isco disse irritado.

— Eu não posso arriscar perder outro filho, não posso — Eu disse prendendo a lágrimas em meus olhos. 

— Você estava com a costela quebrada, Ana Beatriz! Não vai ser igual da primeira vez — Francisco disse segurando meu rosto com as duas mãos.

— Eu não posso, não consigo — Eu disse olhando em seus olhos que me passavam um semblante triste. 

— Não faz assim — Isco colou sua testa na minha.

— Me desculpa, mas eu sou incapaz de te dar outro filho — Eu disse decidida — Em breve eu farei uma laqueadura — Eu disse e Isco me olhou espantado.

— Se você fizer isso, acabou tudo — Ele me olhou com raiva e saiu da sala.

Será que ele não podia ficar do meu lado e respeitar a minha decisão? Só Deus sabe o quanto foi doloroso perder a minha menina, que eu não cheguei a ver nascer, não a peguei no colo, não a dei de mamar, não pude acompanhar seu crescimento. Eu não seria capaz de passar de novo por isso, eu não aguentaria perder outro filho. Então o melhor a se fazer, é não ter nenhum.

 

 

 


Notas Finais


Mas um dilema para nosso pareja resolver.
Champions chegando...
Final da T1 com mucha emoção também.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...