História Um mundo invertido - Capítulo 7


Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Aline Penhallow, Amatis Graymark, Clary Fairchild (Clary Fray), Imogen Herondale, Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jocelyn Fairchild, Jonathan Christopher Morgenstern, Luke Graymark, Magnus Bane, Maryse Lightwood, Ragnor Fell, Robert Lightwood, Stephen Herondale, Tessa Gray, Valentim Morgenstern
Tags Alec Lightwood, Clace, Clary Fairchild, Isabelle Lightwood, Jace Herondale, Magnus Bane, Malec, Sebastian Morgenstern
Visualizações 180
Palavras 1.880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 7 - Sétimo capítulo


Fanfic / Fanfiction Um mundo invertido - Capítulo 7 - Sétimo capítulo

  - Foi tudo tão rápido que quando percebi, já tinha acabado.- Alec falava enquanto eles andavam em direção à sala de aula para terem aula de história com o feiticeiro Ragnor Fell. 
  - Eu ouvi dizer por aí que Isabelle Lightwood detonou Jon Cartwright em menos de cinco minutos. Confere?- Aline perguntou enquanto se aproximava deles e ficava na ponta dos pés para passar os braços ao redor do pescoço de Izzy e Clarissa.
  - Confere!- Clary e Isabelle se olharam sorrindo. As amigas frequentemente falavam a mesma coisa juntas, mas elas ainda achavam engraçado quando acontecia.
  - Acabei de falar que quando percebi já tinha acabado.- Alec completou e os amigos passaram por uma das garotas da escória que estava no corredor. Clary e Isabelle olharam para a garota com olhar de reprovação e Jace torceu o nariz mas a garota passou e logo os amigos voltaram a conversar normalmente. 
  - Isabelle é Isabelle, né... Jon ainda a subestimou. Acho que hesitou por causa da beleza dela, sei lá, não queria correr o rico de machucar esse rostinho bonito.- Jace falou e apertou a bochecha de Isabelle, que bateu na mão do garoto.- Mas falando em beleza, você está encantadoramente bela, Aline. Eu achava que não tinha como você ficar mais bonita, porém você acaba de me provar o contrário.- Jace disse e abriu aquele sorriso que Clary já tinha visto ele dar para várias garotas e que sempre as levava à loucura. 
  - Ah, obrigada!- Aline olhou para baixo, vermelha, e deu um sorriso tímido. 
  - Argh, vocês me dão nojo. Venham meninos e Iz, vamos deixar esses dois a sós porque daqui a pouco vou vomitar ou pegar uma diabete.- Clary falou e arrastou a amiga pelo corredor, sendo seguida por Alec e Sebastian que falavam algo como Jace não perder tempo. Clarissa revirou os olhos.
  Eles entraram na sala e foram se sentar ao fundo. Jace e Aline entraram logo depois, os dois sorrindo e com as cabeças inclinadas em direção ao outro. Aline, ao contrário do que Clary imaginava, foi se sentar na frente, perto de uma garota loira enquanto Jace veio se sentar com eles. Depois de alguns minutos, Ragnor Fell entrou na sala com toda sua elegância verde e Clary lembrou de Tessa dizendo algo sobre um amigo verde que ela tinha. Já tinham ouvido o nome do professor ser mencionado no salão das refeições no primeiro dia, no entanto ninguém disse nada sobre ele ser verde, então a garota não deu muita importância ao assunto, mas agora que o tinha visto, a lembrança voltou com força total. 
  - Gente, acho que esse é o amigo da Tessa. Sabe, o que ela disse que era verde.- Clary interrompeu a conversa e sussurrou para os amigos. 
  - Agora que você disse também acho.- Sebastian concordou com a irmã.- Tenho quase certeza de Tessa dizendo que o nome dele era Ragnor.
  - Posso saber sobre o que vocês estão conversando? Talvez queiram dividir com o resto da turma.- os amigos pararam de conversar ao ouvir a voz do professor. 
  - Estávamos falando sobre o senhor na verdade. Achamos, quer dizer, temos quase certeza que nós conhecemos uma pessoa em comum.- Jace disse do modo Jace de sempre.- Sou Jonathan Herondale, a propósito. 
  - Ah, então vocês são as crianças de Tessa. Ela disse que encontraria vocês por aqui.- os olhos do feiticeiro brilharam.- Admito que esperava mais.
  - Mais? Você nem nos conhece para dizer alguma coisa.- Sebastian disse rapidamente e com uma pitada de irritação na voz. 
  - Não preciso conhecer. Sinto a arrogância de vocês daqui e sim, esperava mais, muito mais. Ainda mais de pessoas que, como vocês, amam incondicionalmente um membro do submundo. Esperava, sei lá, pessoas melhores. Ela sempre me fala muito bem de vocês, mas tenho que admitir que não sei onde ela vê tantas qualidades. 
  - Isso é...- Jace tentou dizer mas Ragnor logo o interrompeu. 
  - Ah sim, vocês dariam a vida por ela, não? Fariam qualquer coisa por ela. Mas sinto que esse amor pelo submundo só se estende unicamente a ela. Deixariam o resto de nós morrer sem perder uma noite de sono por isso. Estou errado?- os cinco estavam tão chocados que nem conseguiam responder, só ficaram lá olhando para o feiticeiro com a boca aberta.- Pois é, foi o que pensei então sinto muito, mas esperava mais. Mentira, não sinto. Pelo jeito que ela falava, parecia que vocês eram Caçadores de Sombras completamente diferentes, melhores, mas agora vejo que é apenas mais um caso de "o amor é cego". O que ela faria, o que pensaria, se visse vocês agora? 
  - Você não a conhece...- Jace rosnou.
  - Conheço o suficiente para saber que ela nunca aprovaria esse comportamento, o jeito como tratam seus colegas mundanos. Sim, eu vi aquela cena do corredor, ou os pensamentos que dirigem aos outros submundanos. Você disse que conhecemos uma pessoa em comum e é verdade, nós seis a conhecemos então creio que vocês sabem que estou certo ao dizer que ela ficaria decepcionada.- Ragnor mal terminou de falar e Jace já havia se levantado, saindo da sala. Sebastian, Izzy, Alec e Clary ficaram olhando para a porta por alguns segundos antes de se levantarem e correrem atrás do amigo. 


  Depois de alguns minutos procurando, os amigos acharam o jovem Herondale sentado nos degraus de fora da Academia, com os cotovelos apoiados nos joelhos e a cabeça enterrada nas mãos.
  - Jace?- Clary falou suavemente enquanto se aproximavam.
  - Você acha que ele está certo? Que somos tão terríveis assim?- o loiro perguntou sem tirar as mãos do rosto, fazendo a voz sair abafada.- Você acha que Tessa ficaria desapontada com a gente? Desapontada comigo?- Jace levantou o rosto e Clary percebeu que seus olhos estavam cheios de lágrimas e que ele tentava segura-las.
  - Eu... eu não sei.- Clary respondeu e desviou o olhar.
  - Eu não sei quanto a vocês, mas eu concordo, eu acredito em uma coisa que ele falou: eu daria minha vida por ela. Eu faria qualquer coisa pela Tessa. Tirando meus pais e vocês quatro, ela é a pessoa mais importante da minha vida e talvez ele tenha razão quanto a dizer que eu sou terrível porque ao mesmo tempo que amo incondicionalmente Tessa, eu mataria sem pensar duas vezes qualquer um da sua espécie.- ninguém ousou dizer nada, estavam muito absortos em seus próprios pensamentos  e conclusões, além de saber que fariam a mesma coisa que o amigo.
  - Talvez... talvez a gente tenha pegado pesado demais. Talvez a gente tenha passado um pouco dos limites e talvez a gente não seja as melhores pessoas do mundo mas a culpa não é completamente nossa. Nós fomos criados assim, Jace, e é difícil virar as costas para tudo aquilo que aprendemos durante a vida.- Clary falou finalmente.
  - Sim, eu sei disso. Obrigado por tentarem me animar, gente. De verdade. Mas acho que agora vou pro meu quarto. Alec, Sebastian, eu sei que o quarto também é de vocês, mas se vocês não se incomodarem, gostaria de ficar um tempinho sozinho.
  - Não, cara, tá tudo bem. Nós vamos ficar por aqui ou vamos para o quarto das meninas, não se preocupe com a gente.- Sebastian respondeu e Alec balançou a cabeça, concordando.
  - Obrigado novamente. Vejo vocês mais tarde! 


  Já tinham se passado duas horas desde que o mais novo dos Herondale tinha se isolado em seu quarto. Alec, Sebastian, Clary e Isabelle resolveram entrar e agora estavam jogados nos sofás de algum cômodo daquela enorme Academia.
  - Estou começando a ficar preocupado com Jace. Ele realmente ficou muito mal com toda essa história- Alec falou enquanto brincava com a blusa e esticava as pernas em algum dos sofás.
  - Sim... Jace odeia decepcionar as pessoas que ele ama. Pensar na possibilidade de estar decepcionando Tessa o destruiu.- Sebastian disse enquanto brincava com os cabelos da irmã.
  - Eu também tô meio mal, gente. Tessa é tão legal, tão carinhosa, sempre nos amou, nos tratou bem e agora nós estamos fazendo isso... ela cresceu entre mundanos, achando que era um deles. Ela ficaria tão chateada conosco.- Clarissa falou enquanto deixava o irmão acariciar sua cabeça, já que a mesma estava apoiada nas pernas do garoto.
  - Sim... se nós estamos assim, imagine Jace. Acha que deveríamos ir atrás dele? Sei lá, tentar conversar.- Isabelle perguntou da poltrona em que estava.
  - Ele quer ficar sozinho, não irá abrir a porta para nenhum de nós. Quer dizer, para nenhum de nós três- a ruiva apontou para ela mesmo e para os Lightwood.- mas talvez ele abra para você, Sebastian. Vocês dois são praticamente parabatai então se alguém conseguir falar com ele, esse alguém é você.
  - Eu... eu posso tentar mas não prometo nada.


  - Jace? Eu sei que você quer ficar sozinho, mas eu também quero ficar sozinho, então achei que poderíamos ficar sozinhos juntos. Que tal? Por favor, cara...- o loiro platinado ouviu passos e logo a porta foi aberta.
  - Entra aí.- Jace fechou a porta e se jogou na cama, olhando para o outro.- Anda, me diz logo o que você veio fazer aqui.
  - Eu vim ficar sozinho, oras.- o recém chegado se jogou na cama ao lado.
  - Eu sei quando está mentindo, Sebastian, então só diz logo.- Jace falou e o outro soltou um suspiro.
  - Eu... eu só quero que converse comigo, cara. Pode me contar as coisas, sabe? Eu vou entender.
  - Eu sei, Bash. Sei que parece que estou fazendo drama por nada, mas você sabe o quanto a Tessa significa para mim.- Jace suspirou e passou a mão pelos cabelos.
  - Cara, não é completamente nossa culpa. Como Clary falou, nós fomos criados assim e é difícil virar as costas para nossa criação.
  - Eu sei. Pelo Anjo, como eu sei! Eu ainda acho que sou melhor que todos esses mundanos, ainda acho que os submundanos são inferiores a nós e que eles nos devem respeito, mas eu quero ser melhor. Por ela! Você ouviu o que Ragnor disse que Tessa contava para ele? Ela falava que nós éramos diferentes, que éramos Caçadores de Sombras melhores, mas não sei como isso pode ser verdade. Caçadores de Sombras melhores não fazem o que nós estamos fazendo. Eu quero mudar, Sebastian!- Jace desabafou.- Eu quero mudar e não tenho a menor ideia de como fazer isso porque eu sei, assim como sei latim e como sei matar demônios, sei que sou melhor que os alunos mundanos. Eu tenho sangue do Anjo em minhas veias, como poderia não ser superior? Não ser superior aos simples mundanos ou não ser superior aos membros do submundo que são o que são por causa de doenças demoníacas? Eu quero me tornar uma pessoa melhor... mas como?- Sebastian encarou o amigo por um instante silencioso, então pegou a mão de Jace e olhou para ele com determinação.
  - Eu não sei como, irmão. Na verdade, concordo com o que você falou e também acho que somos superiores, mas se você quer mudar, se quer descobrir como mudar, vamos descobrir como e mudar juntos.
  - Mas... por quê?- Jace perguntou confuso.
  - Porque é isso que parabatais fazem! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...