História Um Novo Começo - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Gaaino, Naruhina, Nejiten, Romance, Sasusaku, Shikatema
Exibições 391
Palavras 1.090
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Hentai, Luta, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bom, gente, esse é o ultimo capitulo desta fanfic, não ficou como eu esperava, mas eu gostei, e espero que gostem também. Agradeço a todos os que acompanharam esta fanfic.
Amo muito vocês.
Deem uma olhadinha nas minhas outras fanfics, que eu agradeço.
Até a próxima, eu acho.
Boa Leitura :3

Capítulo 29 - Epilogo


4 Anos depois

Era a mulher mais feliz do mundo, disso ela tinha certeza.

 Ao olhar pela janela e deparar-se com ele correndo atrás das crianças, como se nunca se cansasse.

 As gargalhadas infantis atraiam alguns olhares para o amplo jardim e ela se sentiu irritada pelos os olhares que as vizinhas lançavam ao seu marido.

 Saiu, carregando a bandeja com copos de vidro, preenchidos pelo o liquido laranja. A colocou sobre a mesa coberta que havia ali e ele se aproximou.

 Olhou no fundo de seus olhos, com o mesmo olhar intenso de antes, parecia que nada havia mudado, não quando se tratava de seus sentimentos.

 Ainda possuíam a chama que todos disseram que em breve sumiria, ainda se olhavam como adolescentes apaixonados e ainda sorriam, sempre que seus olhos se encontravam. Era instantâneo. 

 Ele lhe tomou os lábios, em um rápido beijo, afastando ao sentir as mãos pequenas em sua perna. 

 Abaixou-se, pegando a pequena em seus colos, novamente ela gargalhou. 

 Sarada era muito próxima de Sasuke, vivia atrás dele, sempre querendo brincar, mas Sakura compreendia. Sasuke fazia de tudo por Sarada, não que Daisuke não obtivesse o mesmo tratamento do pai, mas Sarada sempre seria a menina dos olhos de Sasuke.

 Sakura se abaixou o suficiente para beijar a bochecha do primogênito que sorriu. Ambos permaneciam com os mesmos traços marcantes, as semelhanças com o pai se desenvolviam cada dia mais, entretanto, Sasuke se contentava em ver, que a cada dia que passava, mas a personalidade de Sarada lembrava a mãe, assim como o sorriso.

 Sakura avistou o carro de Naruto e sorriu, observando a pequena cópia de Naruto sair correndo, deixando Hinata afobada.

 Sarada imediatamente reclamou do colo de seu pai, querendo ir para o chão, deixando Sasuke emburrado. 

 Ela correu na direção do loiro, que a abraçou, forçando Sakura a segurar o braço de Sasuke. 

 - Oi, teme. Que cara é essa? – Naruto perguntou.

 - Mantém o seu filho, longe da Sara. 

 Naruto fez careta. E depois riu, conhecendo o ciúme dele pela a filha.

 - Querido, são só crianças, você é o único que vê maldade nisso. 

 - Você não pode me julgar, morre de ciúmes do Daisuke. – ele provocou sua esposa, vendo ela emburrar.

 - Isso não é verdade, só não quero que ele siga os passos do pai e do tio. 

 - Então, vou fingir que acredito que é só isso.

 O carro vermelho sangue estacionou e Ino desceu, abrindo a porta de trás para Inoiji, cada dia mais parecida com Ino. 

 Sasuke sorriu, e então, viu Inoiji e Daisuke trocarem sorrisos e eles correrem para o jardim de trás da casa.

 Sakura fez careta e praguejou baixinho, ouvindo Sasuke gargalhar.

 Logo os outros chegariam, já que o almoço no domingo era obrigatório, e havia acabado que se tornando uma tradição.

 Sakura caminhou para dentro de casa, sabendo que Sasuke estava certo sobre seu ciúme.

 Entrou na cozinha, terminando de mexer na comida, mesmo que Sasuke tivesse conseguido lhe convencer de ter uma chef, ela só trabalhava no meio de semana, os fins de semana, eram da família.

 Sentiu os braços dele lhe rodearem e ele cheirou seu pescoço, inspirando o cheiro viciante de sua esposa. 

 - São só crianças. 

 - Tínhamos a idade deles. – Sasuke se encostou na bancada e sorriu ao ouvi-la. Era verdade, provavelmente naquela época, já era completamente apaixonado por ela, mesmo que ainda desconhecesse tal sentimento.

   - Verdade, e olha só para a gente. – ela fez bico, mas sorriu, enquanto ele a abraçava. – Se for para o Daisuke e a Inoiji ter o que nós temos um dia, devemos ficar felizes.

 - E a Sara?

 - Eu sei que sou ciumento, mas ela é a minha menina, mas não vivo na ilusão de que tentar impedir os namoros dela, dará certo. No máximo, matarei os que partirem o coração da nossa filha.

 Ela sorriu e o beijou, mordeu os lábios ao se afastar.

 - Sasuke?

 - Oi?

 - Nós vamos ser pai de novo.

 Ele paralisou por uns instantes, analisando as palavras da mulher e então, a girou, ouvindo-a discutir por estarem na cozinha.

 - Está gravida?

 - Podemos dizer que meu marido não é lá muito cuidadoso. Ele não se preocupa de me engravidar.

 Ele sorriu.

 - Sabe, eu nunca havia imaginado que terminaríamos juntos, sempre nos desencontramos.

 Achei que no máximo, namoraríamos, mas não daria certo e então, acabaria. No entanto, hoje eu sei que você é a mulher da minha vida. Sou abençoado por tê-la como minha. 

 - Eu amo você, Uchiha.

 - Eu amo você, pequena. 

 Ele a beijou e então, saiu, a deixando sozinha, com os pensamentos de sua felicidade. Sasuke estava certo, não era bem o que tinha imaginado, mas era tudo o que queria. 

 

 ---------------------------------

 

 Sasuke chegou lá fora, vendo que todos já haviam chegado, pegou uma garrafa de cerveja e a abriu, bebendo do liquido gelado. 

 Sakura passou por ele, lhe dando um beijo na bochecha e indo até Mikoto, falou alguma coisa, fazendo-a sorrir.

- S-Senhor Uchiha? – ele baixou o olhar, analisando o que chamava de mini versão de Naruto. 

 Arqueou a sobrancelha ao ver as bochechas vermelhas do menino e então, suspirou. Notando o silêncio e a atenção dada aquele momento.

 - Achei que você me chamava de tio.

 - É que... – ele puxou o ar com força. – Quero pedir sua permissão para me casar com a sua filha.

 Sasuke engasgou.

 - Corra, filho. Fuja para o mais longe possível, eu te encontrarei antes dele. – Naruto gritou.

 Quando Sasuke finalmente se recuperou, olhou o menino assustado a sua frente.

 Abaixou, ficando próximo ao tamanho dele. E sorriu.

 - Admiro sua coragem, mas minha filha é uma criança ainda, assim como você, mas daqui a alguns anos, se Sarada amar você, deixo que namorem, e talvez, um dia se casem.

 - S-Sério? – os olhos azuis estavam esbugalhados de surpresa como todos ali. – Por quê?

 - Porque você foi corajoso, se cuidar bem de minha filha e me provar que a merece, conversamos daqui a alguns anos. Mas se você magoa-la, recomendo que ouça seu pai.

 Ele engoliu em seco e sorriu, se afastando.

 O silêncio prevalecia, até Daisuke quebra-lo. 

 - Senhor No Sabaku?

 - Vai, se o Sasuke que é o Sasuke deixou. Mas faço dele as minhas palavras. Mato você.

 - Está bom, sogrinho. – Gaara arregalou os olhos e ficou vermelho de raiva, começando a correr atrás de Daisuke.

 Sasuke sorriu, e levantou a garrafa na direção de Sakura que apenas moveu os lábios. 

 “Amo você. ”

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Até a próxima, pessoal.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...