História Um Novo Começo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias ASTRO, EXO
Personagens Eunwoo, Jinjin, MJ, Moonbin, Rocky, Sanha
Tags Bullying, Comedia, Drama, Romance, Woosan
Exibições 26
Palavras 2.525
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oiiieee
cheguei meio atrasada por causa de alguns acontecimentos, mas aqui estou eu.
para quem ler essa estoria espero que estejam gostando :)
daqui para frente só irá ficar maravilhoso hehehe beijinhos ^

capitulo ta chato, mas prometo que irei fazer um bom no proximo.

Capítulo 4 - Capitulo 3 - Comportamentos estranhos.


 

- Sanha?

 

Merda. Mil vezes merda.

 

Sabe aquela sensação de reencontrar o ex crush depois de anos? Não me refiro sobre aquelas paqueras que temos na escola, e sim do crush supremo que você passa o tempo inteiro pensando nele? Então, nem eu.

 

 

 Eunwoo estava maior que eu e estava lindo como sempre, mas só que mais ainda. Que merda eu estou falando?

 

 

Contudo, ele me encarava com surpresa por provavelmente eu estar ali na sua frente depois de dois anos. E como minha é que minha cara estava com tudo aquilo acontecendo tão repentinamente? Obviamente sem reação alguma por ele estar ali na minha frente apenas de toalha. Sim ele estava apenas de toalha. Enquanto ele me analisava, vou contar um detalhe que prestei atenção depois de uns minutos paralisado, detalhe é que estávamos muito perto um do outro por causa do reencontro (acho que de minha parte, já que eu congelei ali naquele lugar) que eu não conseguir me afastar para longe.

Quando finalmente volto em si, tento o mais rápido possível me afastar do garoto, ele me puxa para perto o que me faz novamente dar de cara em seu peitoral nu. Estava começando a me sentir baixo na frente de Eunwoo (o que não era o caso) por ficar de cara em seu peitoral sendo que eu nem sou tão baixo assim, mas Eunwoo era, creio eu que uns três ou quatro centímetros maior que eu..?? Não sei, apenas sei que congelei naquele momento. Mas que merda está acontecendo? Por que ele me puxou? Ele de fato é doido.

- O que você estar fazendo aqui? – perguntei baixo depois de me soltar de seu aperto.

 

- Hã... aqui é a casa dos meus tios.. – Tios? Ele sorria. Por que ele está sorrindo? – E você? Por quê está aqui?

 

 

Ele disse tios ou eu estou ouvindo coisas?

 

Se aqui é a casa dos tios dele....Moonbin é primo.....

 

NÃO ACREDITO!

 

- Você é primo do Moonbin? Tipo primo? – eu já não sabia nem o que estava falando que já estava fazendo pergunta sem noção. Não me julguem.

- Sim, o Bin é meu primo... – ele disse meio obvio. Ele iria dizer mais alguma coisa, mas foi interrompido pela entrada do Moon no quarto que por algum acaso entrou gritando pulando, Mas parou para observar a cena em que Eunwoo estava apenas de toalha me olhando enquanto eu.... bom eu estava pasmo. Moonbin analisou o primo dos pés à cabeça e depois olhou pra mim e sorriu. Desgraçado.

 

- Woonie por que diabos você está apenas de toalha? Sei que você é lindo, mas o Sanha é puro e eu também pra ficar vendo esse seu corpinho cheio do pecado – ele dizia dramático. As vezes me pergunto por que eu sou amigo de gente tipo Moonbin, já bastava o MyungJoo. – Vá se vestir! Está me deixando constrangido. Não percebes isso? – mereço.

 

Eunwoo começou a rir e Moonbin também, mas Eunwoo obedeceu ao primo e foi para o banheiro se vestir. Fiquei ali parado olhando tudo e tentando entender o que havia acontecido ali, e, como minha vontade imensa de fazer xixi passou em um segundo. Mas agora o que me intrigava era, por quê reencontrar o Eunwoo agora? Não guardo rancor dele ou nem nada do tipo, mas por quê logo agora que eu queria começar uma nova parte da minha vida aqui na Coreia? Nada contra ele, mas é que pessoas do passado não dá. Tem que ficar no passado. Me recuso. Enquanto eu surtava mentalmente, MoonBin andava de um lado para o outro dentro do quarto procurando algo que eu não fazia ideia do que seja, mas parou de frente para sua cama se virou e me chamou.

 

- Ei

 

- O que foi? – perguntei.

 

- Me responde uma duvida aqui... Você conhece o Eunwoo não é? – Ele me olhava sério. Se alguém escutasse essa pergunta iria dizer que Moonbin sabe que eu conheço o primo dele de algum lugar, é como se não fosse coincidência. Credo olha o que se passa na minha cabeça.

 

- Digamos que sim.  – disse sorrindo pegando meu celular do bolso que acabara de receber uma mensagem da operadora que parecia muito interessante no momento. O quarto ficou em silêncio por longos minutos, mas naqueles longos minutos pude sentir Moonbin me encarar. Ok, aquilo estava ficando estranho então me virei e o encarei de volta. –  O que foi? Ta me olhando como um louco sabia? Aconteceu algo? – Perguntei por que aquilo estava me incomodando.

 

 

Ele então sorriu e disse:  - Não é nada Sanha... Estava pensando em algo der repente.  – ele disse voltando à procurar  algo no quarto novamente. Eunwoo saiu do banheiro já vestido e secando os cabelos na toalha.

 

 

Como alguém pode ficar mais bonito com o passar dos anos? Ele usava um suéter azul marinho e uma calça preta colada. Digamos que essa é a definição de morte, da minha para ser mais exato.

 

 

 

 

                              [....]

 

 

 

 

Estavamos na sala esperando a mãe de Moonbin terminar de fazer a janta, mas enquanto isso ficamos passando o tempo jogando vídeo game. Durante o tempo que ficamos jogando na sala, Eunwoo me encarava já havia alguns minutos, mas aqueles minutos estavam me incomodando. Ninguém gostar de sentir sendo observado, né? Teve um momento em que eu até virei e olhei para ver se ele parava mas quem disse que ele parou? Quando eu ia levantar para perguntar por quê ele estava me encarando a mãe de Moonbin chega na sala avisando que a janta estava pronta.

 

- Yoo Sanha, certo? –  Sra. Moon se pronunciou assim que entramos na sala de jantar. Ela era linda, agora eu vejo de onde o Moonbin herdou a beleza que tem, mas não vamos dizer isso para ele. – É um prazer finalmente lhe conhecer. Moonbin falou tanto de você e nunca lhe trazia aqui em casa que achei que fosse alguém imaginário. – ela dizia enquanto fazia sinal para que eu me sentasse.

 

                Quando notei a mesa, acho que foi como quando o Myungjoo me deu de presente tanta barra de chocolate que cheguei a chorar de tanta emoção por ver tanto chocolate na minha frente. Quase chorei de ver tanta comida deliciosa na minha frente. Quase. Enquanto estava perdido na minha felicidade pela comida, Moonbin estava boquiaberto com a mãe. Ele a olhava como se ela tivesse feito o maior pecado do mundo inteiro, sendo que ela só fez a melhor coisa do mundo. Mas naquele momento eu sabia o porquê de Moonbin esta tão chocado. Ela havia feito a mesma coisa que minha havia feito para o Moonbin com os biscoitos, agora Moonbin sabe a minha dor. Hehehe.

               

                - Mãe por quê tudo isso? – O garoto perguntou indignado - Vem o batalhão do exercito comer aqui em casa e eu não to sabendo? – Incrivel como nossas mães adoram impressionar e agradar as visitas não é? Minha mãe era exatamente assim com o Myungjoo, mas depois parou e ele apenas ia na geladeira e comia o que queria, até porque o aquela peste já era como se fosse da família. 

 

                Sra. Moon olhou para o filho e disse; - Cala a boca. Só se o batalhão for você, já que sozinho você pode comer isso tudo. – ela dizia enquanto arrumava os pratos na mesa – Senta essa bunda na cadeira e coma. Faça apenas isso.

 

 

Morri.

 

Mãe do Moonbin eu já te amo e nem lhe conheço direito. Pode até me adotar se quiser, eu deixo.

 

 

Desculpa mãe. To brincando.

 

 

- Então Sanha, gostou da comida? – ela me perguntou e minha boca estava cheia de carne de porco. Sra Moon começou a rir. Fiquei da cor da pimenta – Desculpa, mas você ficou tão feliz quando viu a comida que não resistir perguntar, Muito fofo.

 

Por que eu tenho que ser esfomiado? Não posso ver comida na minha frente que eu já quero. Senhor do céu eu estava quase me enfiando de baixo daquela mesa, já que o olhar dos três estavam na minha direção enquanto eu a9inda mastigava a comida. Moonbin estava segurando a risada e eu morrendo alui quase engasgado quando Eunwoo se pronunciou. Nunxca gostei tanto de Eunwoo quanto naquele momento.

 

- Tia a sua comida está deliciosa como sempre! Sentir saudades dela. – Ele dizia enquanto coloca uma colher de arroz na boca. Ele olhou para mim que já estava terminando de digerir a comida e que também o olhava agradecido e piscou. Corei porque santo seja não dá pra ficar no mesmo lugar que esse menino se não meu sangue não vai mais sair da minha cara. Sorri em agradecimento e voltei a comer.

 

                Durante a janta ficamos conversando sobre todo tipo de assunto, como era na escola, como foi a viagem do Eunwoo, qual era o problema do Moonbin com a menina do segundo ano que sua mãe comentou (não sabia nada sobre esse assunto. Ainda) e etc. Sra. Moon perguntou como foi morar no EUA e por qual razão eu havia ido morar em Nova York. Respondi a primeira pergunta normalmente, mas quando fui responder a segunda pensei “É melhor não falar o motivo”, fiquei alguns segundos sem responder nada e apenas olhando para o prato. Levantei a cabeça e todos me olhavam não entendendo nada, menos Eunwoo, é claro. Sorri e disse que foi por causa de problemas de família e não tocamos mais no assunto porque ela pareceu compreender que eu não queria falar sobre. Depois da janta ofereci ajuda para ajudar a arrumar tudo, no inicio a mulher não aceitou, mas depois de eu insistir ela acabou cedendo. Ajudei em tudo, lavei as louças, ajudei a arrumar a mesa e varrer o chão. Terminando ela disse que eu podia ir para a sala ficar com os meninos que ela tinha que fazer algumas coisas, mas antes que eu pudesse sair da cozinha ela disse; “Você é um bom menino, muito fofo. Gostei bastante de conhece-lo hoje, Sanha. Nunca deixe ninguém machucar você, você é maravilhoso saiba disso.  Sua mãe deve ter muito orgulho de você”. Estranhei. Ela disse de uma forma de como se conhecesse minha vida, minha família. Credo. Apenas ignorei e sorri para ela dizendo um breve “ok” e sair da cozinha.

 

                Fui para sala e encontrei um Moonbin raivoso olhando para o primo que sussurrava algo para tentar acalmar o garoto, quando o mais novo me viu mudou a expressão de raiva para uma contente e veio até mim me puxando para sentar no sofá. Ele começou a reclamar do quanto o primo era um chato e não o entendia nada sobre gostar de alguémli. Moonbin estava gostando de alguém mas não mencionou quem era e nem perguntei, porque já até sabia de quem se tratava. Eunwoo mexia no celular enquanto o primo surtava querendo que o garoto que ele estava gostando o notasse. Eu apenas escutava tudo esperando ele se acalmar para tentara ajudar, mas meu celular começou a tocar. Era o Myungjoo ligando. Foi estranho, já que o fuso horário é muito diferente e nessa hora ele estaria dormindo.

 

 

 

                                                              

                                                               LIGAÇÃO ON

 

- SANHA INFERNO!!!TE LIGUEI UMAS VINTE VEZES E VOCÊ NÃO ATENDE ESSA MERDA DE CELULAR. 

 

 

Chequei as chamadas e havia mesmo vinte chamadas perdidas. Ai

 

 

- Desculpaaaaaa! Juro que não ouvir tocar. Me perdoa hyung.

 

 

-  Tudo bem, te perdoo. Agora me diz,  onde você ta? Eu não vim de Nova York, comprei pizza e muito chocolate pra ficar catando você pelas ruas de Seul ou pelos cantos da sua casa.

 

 

 

O quê? Myungjoo na Coreia? Já estou ouvindo coisas.

 

 

- O que você disse? – Falei alto o suficiente para os dois no sofá me olharem assustados. Moonbin sussurrava um “O que aconteceu?”, fiz sinal para ele esperar –Como assim você esta aqui? Você esta tipo agora na minha casa? KIM MYUNGJOO jura pelo seu amor por Kageyama Tobio que você não esta brincando comigo.

 

 

- Pesado.... Envolver meu mozão na jogada é serio? Ok. Juro pra você que não estou brincando, ou seja, onde quer que você esteja venha logo para casa que estou esperando AAAAAAAAAAA VOU TE MATAR.

 

 

E desligou.

 

 

 

                                          LIGAÇÃO OFF

 

 

 

Não estou acreditando que ele estar mesmo aqui na Coreia. Eu estava tão contente que Moonbin deu um grito também, mas me pergunto o porquê de ele estar gritando. Tenho duas alternativas. Um. É pelo MJ que ele tanto queria conhecer (sim, falei muito do hyung) Dois. Chocolate.

 

- Vai me dar chocolate né? - Moonbin me olhou todo contente.

 

Não disse que era uma das alterntiovas? Conheço essa peça de ser humano, e olha que nem tem muito tempo.

 

- Não prometo nada –disse e o garoto me olhou com uma cara de quem ia passar com o carro poor cima de mim apenas para ficar todos os chocolates. Voltei atrás com o que eu disse é claro – Mas se você for lá em casa, eu até te dou alguns. Moonbin não pareceu curtir muito o fato de ter que sair de casa, mas aceitou porque estávamos falando de chocolate. Moonbin voltou a fazer o que fazia de melhor que era importunar o primo que me olhava pedindo socorro e eu apenas sussurrei “Se vira. Carrega tua cruz”. Olhando Eunwoo e Moonbin eles não pareciam primos, e sim melhores amigos.

 

                - Gente, vou indo – disse e deixei um beijo na cabeça de Moonbin e acenei me despedindo de Eunwoo. Saindo do cômodo fui direto para a porta, mas antes que eu pudesse abrir ouvi uma voz me chamando, me virei e era Eunwoo.

 

- Eu posso levar você em casa... - ele falou meio sem jeito me olhando com um sorriso fraco – Já que é quase dez horas da noite. É muito perigoso andar por ai sozinho tão tarde. Não acha?

 

Ele parecia estar com uma vergonha enorme de me oferecer carona. Eu não iria aceitar, mas eu estava com tanta preguiça de pegar algum ônibus, ou taxi ou se quer ir andando que aceitei. Não é todo dia que te as pessoas são gentis, então vamos apenas aceitar e colaborar.

 

- Ok, aceito sua carona.

 

 

 

                                                                              [...]

                                                              

 

 

 

Depois de dar todas as instruções do caminho até minha casa que era perto, mas não perto ao mesmo tempo, ficamos em um silêncio muito confortável para mim. Mentira. Aquele silencio todo estava me incomodando e pelo visto também estava incomodando Eunwoo já que o mesmo não conseguia ficar quieto, mexia mão, perna, dedo, cabeça tudo pra tentar sei lá o que. Até que finalmente ele quebrou aquele maldito silêncio.

 

- Como ... você tem estado Sanha? – Quem se importa como eu tenho estado? Ele que não é. Ele me olhava sorrindo, mas desviou porque tinha que prestar atenção na direção. Respondi um “Bem” e não disse mais nada. Que tedio. Mas ele voltou a quebrar o silencio – Posso perguntar algo?  

O   encarei e respondi um “ Sim”. Não estava sendo grosso  nem nada, apenas estava com preguiça de responder. Esse sou eu, fazer o que.

 

Eunwoo estacionou o carro e virou para mim me analisando e fazendo a pergunta que eu já imaginava que alguma hora ou outra ele iria fazer

 

 

 

- Você guarda rancor de mim?

 

 

 


Notas Finais


capitulo meio chato ou completamente chato? Não sei, mas vim atualizar e esse capitulo n deveria terminar nessa parte, mas cortei essa parte para o incio do proximo hehehe sorry. Até a proxima.

obs: vi que saiu alguns edites em negrito que eu havia colocado, mas n arrumei pq não deu então desculpa e por cada erro também.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...