História Um Novo Mundo (Interativa) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Visualizações 88
Palavras 2.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Josei, Kodomo, Lírica, Luta, Magia, Mecha, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Super Power, Super Sentai, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola pessoal.... - Desvio de uma geladeira - Eu sei que eu demorei, mas eu tenho uma boa desculpa, a primeira foi que eu não tinha a menor ideia do que escrever para o proximo capitulo, então fiquei um tempo sem escreve-la e só agora, depois de ler o manga de Tokyo Ghoul: Re, me deu a ideia, então.... - Me ajoelho - ME PERDOEM, GOMENASAI, EU VOU TENTAR ESCREVER CAPITULOS MAIS CEDOS -

Avizando que eu falei "Tentar" -w-

Capítulo 9 - O Ghoul de um olho


NO CAPITULO ANTERIOR

 

- Mestre, a nossa filial em Fiore, a Aliança Balam que agora só continha a Guilda das Trevas, Tartaros como grande Guilda acabou de ser destruída pela Guilda de Magos, Fairy Tail, por causa disso, nos perdemos influencia em Fiore, mas não foi muita – Falou Wollvyr para o homem –

- Não estou surpreso, Fiore é o lugar onde possuía magos poderosíssimos, era só uma questão e tempo até que aparece-se uma guilda forte o bastante para derrotar a Aliança Balam – Falou o homem não demonstrando nenhuma surpresa na voz –

- Mestre, o que nos devemos fazer? – Perguntou Yumi –

- Nos já conseguimos tudo o que queremos em Fiore, vamos deixar esse pais pra lá, por enquanto... Agora eu quero que as duas vão para Barken e Galvadon, e quando chegarem la, me contatem que eu irei passar as ordens – Falou o homem novamente –

- Sim senhor – Falaram ambas ao mesmo tempos –

- Estão dispensados – Falou o homem então chamas completamente brancas aparecem e cobriram o corpo do homem, e depois as chamas desapareceram mostrando que o homem não estava mais ali –

- Até algum dia – Falou Akio para os outros, então Shirou pulou ficando do lado dele e tocando no ombro dele – Teleportation(Teletransporte) – Após Akio falar isso, ele e o meio sumiram no ar –

- Vamos logo, Wollvyr, quero ver a guerra e ver se consigo matar varias pessoas – Falou Yumi pulando do lado da prateada e puxando a mão dela – Até algum dia, Emo e Elfo Negão – Falou Yumi acenando pra Sora e Edril que somente observava elas saindo da caverna –

- Sora, você esta bem? – Perguntou o elfo negro para a única pessoa com qual ele possuía confiança nesse mundo –

- Estou Edril – Disse Sora num tom serio – Estou mais que bem – Disse dando um sorriso psicótico que ia de orelha a orelha -

 

NO CAPITULO ATUAL

 

 

CADMUS – REINO DE LIONES – VILAREJO – POUSADA

 

Após Valdeir, Akemi, Kaylla, Hellena e Mizuki derrotaram Signora, Kaylla os levou até o vilarejo em que ela estava mais cedo, antes de ouvir Izanami lhe chamando (obvio que ela escondeu essa parte deles), após eles chegarem no vilarejo, o grupo se hospedou em um hotel, que já estava quase lotado, por isso todos tiveram que dividir o mesmo quarto. Agora neste momento, as garotas estavam sentadas ou deitadas numa cama enquanto olhavam para Valdeir que estava sentando numa cadeira sem camisa com algumas bandagens enroladas ao redor do tronco dele.

- Então, vamos as apresentações – Falou a Neko Kitsune olhando para o hibrido – O meu nome é Mizuki Ketsueki Megami – Falou fazendo as suas orelhas de gatos e as 6 caudas de raposa aparecerem atrás de si – E como pode ver, eu sou um hibrido de Nekomata e Kitsune –

- Uma Neko Kitsune pra resumir – Falou o mestiço olhando pra Mizuki –

- Neko Kitsune, é até um nome legal – Falou Akemi que estava sentada do lado da Mizuki – Bom, o meu nome é Akemi, só Akemi mesmo, eu sou uma demônia pura – Falou a garota colocando a sua cauda felpuda de demônio pra fora e balançando ela –

- Humph, o meu nome é Helenna Sakurai, e sou uma Lobisomem, só isso que você precisa saber de mim – Falou a ruiva que estava deitada na cama olhando pra mim e depois colocando a cara na almofada –

- Ignora, ela tem esse jeito de adolescente rebelde, mas é gente boa – Falou Akemi olhando pra mim meio envergonhada por causa da ação da ruiva –

- Não se preocupe, eu já estou acostumado com isso – Falou o mestiço erguendo a mão –

Isso o que Valdeir falou era verdade, pois Akikari de vez em quando era uma pessoa meio grossa e fria com ele quando eles se conheceram, demorou alguns meses para que ambos começassem a formarem laços de amizades e até se tornarem bem íntimos.

- Eu sou a Kaylla – Falou a loira olhando para o mestiço – E eu sou uma anja – Falou soltando um pequeno sorriso –

- O meu nome é Valdeir Silva, eu sou um hibrido de humano e demônio, e eu sou um Dragon Slayer das chamas azuis – Falou o mestiço pra elas –

- “Um Dragon Slayer. Então ele não tem nada a ver com aquele desgraçado” – Pensou Mizuki olhando para o mestiço –

- O que você estava fazendo naquela floresta? – Perguntou a Lobisomem olhando para o mestiço estreitando os olhos desconfiada –

- Eu estava em uma jornada e acabei me perdendo naquela floresta – Explicou o mestiço não ligando para a desconfiança dela –

- Certo – Falou a Lobisomem ainda desconfiada –

- Estou vendo que você não gosta de mim – Falou o mestiço olhando para a Lobisomem –

- Não é que eu não goste de você, eu só estou desconfiada mesmo, pois você aparecer no exato momento em que nós estávamos sendo atacadas foi muita coincidência – Falou a Lobisomem –

- Na verdade, eu teria passado direto se uma flecha de bronze não tivesse acertado uma arvore bem na minha frente – Falou o mestiço cocando a parte de trás da cabeça –

- Então foi a minha flecha que atraiu você até a gente – Falou a Lobisomem –

- Não só isso, mas também o cheiro de sangue – Falou o mestiço –

- Como você sentiu cheiro de sangue, já que ninguém estava machucado quando você chegou? – Perguntou Akemi –

- Na verdade, eu também sentir um cheiro de sangue e ainda estou sentindo – Falou a Lobisomem –

- Eu também estou sentindo – Falou o mestiço –

- O meu nariz esta meio entupido, então não estou sentindo nada – Falou a Demônia –

- E-Eu.... A-Acho que eu sei o que é. – Falou Mizuki meio corada olhando para baixo entre as suas pernas – Kaylla – Chamou a anja que se aproximou dela e então Mizuki cochichou alguma coisa no ouvido dela –

- Claro, eu posso comprar - Falou a anja sorrindo pra Neko Kitsune que sorriu de volta –

- Obrigada – Agradeceu – Agora eu tenho que ir ao banheiro – Falou correndo rapidamente para o banheiro e se trancando nele –

- Eu to indo comprar um negocio pra Mizuki e volto logo – Falou a anja saindo do quarto –

- Ah, entendi, então era dali que vinha o cheiro do sangue– Falou o mestiço entendendo a situação –

Helenna e Akemi olham pra si e depois para Valdeir e suspiram pesadas.

- “Garotos” – Pensaram ao mesmo tempo –

 

 

CADMUS – REINO DE FIORE – CROCUS – MANSÃO DE UM NOBRE

 

Na parte nobre da cidade numa grande mansão, se encontrava uma mulher obesa com cabelo louro-moreno, vestindo roupas luxuosas e jóias excessivas. Ela usava maquiagem pesada, óculos escuros e cintas. Ela andava pelos corredores da mansão calmamente enquanto observava a chuva que caia fortemente la fora acompanhada de raios e trovões.

- Esta uma trovoada la fora – Falou a mulher olhando para fora pela janela vendo a chuva caindo – É uma boa hora para brincar – Falou a mulher lambendo os lábios e depois soltando um sorriso que ia de orelha a orelha mostrando as joias douradas incrustadas em seus dentes –

A mulher começou a andar calmamente pelo corredor até encontrar uma pequena porta feita de madeira em forma de U invertido sem maçaneta ou fechadura e com umas escrituras parecidas com runas ao redor dela. A mulher foi até a porta e colocou a palma da mão sobre ela e um barulho de fechadura destrancando pode ser escutada e logo depois a porta se abriu dando passagem para a mulher que entrou num quarto escuro e logo depois a porta se fechou lentamente, mas sem a mulher perceber uma figura entrou rapidamente no quarto antes da porta se fechar e se escondeu dentro do quarto escuro.

- Vamos começar a diversão – Falou a mulher estalando os dedos –

Logo varias lacrimas que se encontravam flutuando no teto do quarto se ascenderam mostrando um quarto cheio de coisas de torturas como chicotes, correntes, pedaços de ferros, alicates e varias outras coisas, mas o que mais chamava a atenção har era o pequeno garotinho de cabelos brancos e vestindo somente uma calça surrada e furada que estava encolhido num canto do quarto.

- Rei-Chan. – Falou a mulher fazendo o garotinho olhar para a mulher –

- Mãe? Hora da Punição? – Perguntou o pequeno garotinho completamente inocente –

- Sim, filha, esta na hora da punição – Falou pegando um alicate e andando na direção do garoto – Agora seja um bom menino – Falou com um sorriso psicótico estampado nos lábios –

Quando a mulher ia se aproximar do garoto, dois tentáculos negros pegam os braços do garoto e o puxam para longe fazendo a mulher olhar na direção de onde vieram os tentáculos.

- Quem é você?! – Perguntou a mulher rangendo os dentes irritada –

Ela olhava para uma figura que vestia um capuz completamente preto, uma calça escura e tênis pretos e o rosto dele era coberto por uma mascara preta de corvo e atrás dele se encontravam oito tentáculos escuros tão finos quanto correntes com dois carregando o pequeno garoto que olhava aquilo confuso.

- Garoto, se esconda – Falou a pessoa com a voz que mostrava ser a de um homem –

- Tá bom – Falou o garotinho descendo no chão e se escondendo num canto do quarto –

O Homem olha para a mulher mostrando através dos buracos da mascara, o olho direito que estava com a esclera negra e a pupila vermelha.

- Um Ghoul de um olho? – Perguntou a mulher chocada e surpresa, mas logo soltou um sorriso macabro – Que raridade, você deve valer uma fortuna no mercado negro – Falou a mulher fazendo uma grossa cauda com a ponta afiada aparecer na região do cóccix –

- Uma Bikaku? Acho que isso será interessante – Falou o homem apontado as suas kagunes para a mulher – Os seus dias de tortura acabaram, Big Madam –

- Sonhe pirralho – Falou Big Madam avançando na direção dele –

O homem avança na direção dela e quando os dois se encontram, começam a fazer uma batalha de Kagunes, com o homem utilizando os seus oitos tentáculos Rinkakus e a Big Madam utilizando a sua grossa cauda Bikaku. Eles continuaram assim, até que o homem consegue enfiar um tentáculo no ombro da Big Madam, a prendendo contra a parede.

- Moleque miserável!! – Gritou Big Madam irritada pegando o tentáculo e arrancando do ombro dela mostrando o buraco causado pelo tentáculo que se curou rapidamente – Eu vou te empalar!! –

- Vamos acabar logo com isso – Falou o homem se posicionando - Energy Burning(Queima de Energia) – Falou fazendo uma aura branca parecida com chamas aparecer ao redor dele e o arrodear completamente -

A mulher avançou ferozmente contra o homem que também correu contra ela e então ambos começaram a se atacarem ferozmente com a Big Madam utilizando a sua Bikaku, enquanto o homem utilizava as suas Rinkakus para defender e os seus punhos para atacar a Big Madam.

- Por que a sua Kagune não se parte?!! – Perguntou Big Madam furiosa tentando cortar as Rinkakus dele com a sua Bikaku enquanto defendia com dificuldade dos socos do homem que lhe causavam um bom dano –

- Isso não importa para os mortos – Falou o homem desviando dos golpes dela e conseguindo enfiar quatro Rinkakus nos braços e pernas dela e a empurrando contra a parede –

- Miseravel!! – Gritou a Big Madam tentando fugir dos tentáculos, mas eles estavam muito enfiados na parede a impedindo de andar –

O homem começou a andar na direção da Big Madam calmamente enquanto olhava pra ela com os olhos frios e sérios, então ele enrolou três Rinkakus em uma, formando uma Rinkaku maior e apontou para o rosto da Big Madam.

- Ultimas palavras? – Perguntou –

- Queime no ...... –

Ela não pode completar a frase, pois o homem ultrapassou o rosto dela com a Rinkaku destruindo completamente o cérebro dela a matando, então ele fez a desativou a Energy Burning e fez a sua Kagune sumir, então se virou e viu o garotinho olhando pra ele.

- Você esta bem garoto? – Perguntou o homem andando na direção do garoto –

- Sim – Falou o garoto olhando para o homem e depois para o corpo da Big Madam calmamente como se aquilo fosse uma visão normal –

- Qual é o seu nome? –

- Rei Suzuya – Falou o garoto chamado Rei –

- Certo, Re.... – Falou o homem, mas foi interrompido pelo barulho de passos correndo rapidamente na direção dali e o cheiro de varias pessoas – “O conselho” – Pensou o homem – Você ficara seguro agora – Falou o homem olhando para Rei - Comprehensive Heels(Salto Abrangente dos Céus) – Falou o homem sumindo no ar -

 

CADMUS – REINO DE FIORE – CROCUS – ANTEIKU

 

O homem apareceu na frente da cafeteria que estava fechada, então ele pegou um chave do seu bolso e colocou na fechadura e abriu a porta, então ele entrou na cafeteria vendo que estava tudo desligado e fechou a porta calmamente sem fazer barulho.

- Como foi com a Big Madam? – Perguntou uma voz de um homem atrás dele –

- Foi muito fácil, senhor Yoshimura – Falou o homem olhando para o velho –

Yoshimura tinha os cabelos brancos e seus olhos eram fechados. Ele era um homem alto e vestia um uniforme formal do empregado de mesa. E ele também emitia uma pequena, mas poderosa aura .

- Ótimo, mas quer um conselho? Quando for fazer uma missão sempre se lembre de matar o alvo rapidamente – Falou Yoshimura olhando para o homem enquanto ia até o balcão e pegava uma xicara de café – Agora vai dormir, a sua cama já esta arrumada –

- Certo, obrigado, senhor Yoshimura – Falou o homem tirando a mascara e andando até uma porta que tinha ali –

- De nada, Allen Sangria – Falou Yoshimura bebendo um gole de café – Idêntico ao pai -



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...