História Um novo Sonserino - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Aberforth Dumbledore, Draco Malfoy, Fred Weasley, Gina Weasley, Hermione Granger, Jorge Weasley, Neville Longbottom, Ronald Weasley
Tags Harrypotter Romance Drama
Exibições 19
Palavras 1.010
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Magia, Romance e Novela, Saga

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - O retrato



- Pode falar. 

- Não aqui no corredor. Queria conversar um pouco. Vamos lá fora. - Donatela seguiu o menino e os dois foram pra trás da casa. O único lugar mais sossegado, e mesmo assim era possível aparecer alguém a qualquer momento. 

Ambos estavam encostados na parede encarando o céu que estava absurdamente estrelado. Donatela amava como dava pra ver as estrelas quando estava longe daa luzes da cidade. Se perdeu olhando pra imensidão de pontinhos brancos e imaginando qual deles seriam sua mãe e seu pai, e qual seria Fred; até que outra figura branca tampou sua visão: Malfoy se pôs na sua frente.

- No que está pensando? 

- Nada demais.

- hmm... Sacostin, e-eu só queria te agradecer, sabe? Por tudo o que tem feito. 

- Imagina, Malfoy! - tentava olhar para qualquer outra coisa que não fosse aqueles olhos cinzas que lhe penetravam. 

- Nunca ninguém mostrou tanta confiança em mim. - Malfoy abaixou a cabeça lembrando da família que tinha e de como era humilhado quando discordava de algo que eles impunham. 

- Ei, não precisa ficar assim, né? Agora você ta seguro e acho que vai ser ótimo descobrir mais sobre esse seu lado bom. - sorriu acariciando o ombro dele. 

- Eu já tô começando a me acostumar. Passei 3 horas perto de Potter sem lhe zoar. 

- Um grande progresso realmente. - começaram a rir e se encararam por alguns segundos.

- Então, ta frio né? Não quer entrar? - Donatela ia andando quando o braço do garoto lhe impediu a passagem.

- Espera. - seus corações aceleravam a cada passo de aproximação do garoto. Malfoy encostou suas mãos no rosto de Donatela, fazendo-a arrepiar com a pele gelada dele. Pousou lentamente sua cabeça na dela e eles fecharam os olhos apenas sentindo a respiração descompaçada um do outro.

- Draco, eu não...

- Olha: Você finalmente me chamou pelo primeiro nome. - sorriu. - Assim que seus lábios finalmente pousaram nos dela, Donatela sentiu como se seus pés tivessem saído do chão. Mas a sensação durou menos de 2 segundos. 

- Donni? - Ouviram o chamado de Jorge que vinha da frente da casa. Draco se afastou soltando um palavrão mentalmente, enquanto a menina ainda o encarava confusa e assustada. 

- Vai! - sussurou - Depois eu entro. - Ela assentiu e correu.

----------------------------------------------

- Oi, Jorge. Me chamou? - sorriu tentando parecer o mais calma possível, apesar de seu coração ainda estar entalado na garganta. 

- Onde você tava? - olhou para lateral da casa, de onde a menina surgira. - Cadê Malfoy? As meninas disseram que você tava com ele. 

- A gente tava discutindo de novo sobre o livro - mentiu. 

- Ah sim... - disse com desconfiança - Mamãe pediu pra te procurar. Ela quer falar com você.

- Okay, vamos entrar.

---------------------------------------------------

- Querida, sente-se aqui - Sra. Weasley apontou para o lugar ao seu lado na mesa da cozinha. - Então, eu estava juntando os pertences de Fred e achei esse retrato ao lado da cama dele. Achei que gostaria de ficar.

- Merlin! Nem lembrava dessa foto. - Donatela pegou o objeto e relembrou. Na foto estava Fred e ela abraçados. Os dois rodaram uma vez e em seguida Fred a conduzira em passos completamente opostos aos demais casais. Ambos gargalhavam. - Eu lembro disso. Foi no baile tribruxo. Era uma música lenta e todos estavam dançando certinho, menos nós. Depois você se juntou a nós, Jorge, se lembra? 

- Uhum! - os dois sorriram nostalgicos. 

- Vocês eram um casal perfeito. Na verdade um trio, porque Jorge não desgrudava. - riu Sra. Weasley. - Já sinto falta de suas travessuras. 

- Não se preocupe, mulher, eu ainda estou por aqui - Jorge piscou e a mãe bagunçou seus cabelos acobreados. 

- Todos sentimos... Bom, vou dormir. Amanhã tenho que comprar algumas roupas porque perdi grande parte das que tinha. 

- Vou subir também, Donni. Tenho que acordar cedo pra voltar pra loja. Vera deve estar sobrecarregada. 

- Ah, então eu vou com você ao beco diagonal. Assim compro tudo o que preciso. Boa noite Sra. Weasley - depositou um beijo na cabeça da senhora e subiu as escadas acompanhada por Jorge.

- Boa noite, mamãe!

- Boa noite, durmam bem.

- Cadê Draco? Ainda está lá fora? - Perguntou ele, fazendo a menina lembrar do que aconteceu. 

- Não sei. Não o vi entrar. - respondeu.

- Buu! - Donatela ouviu um sussuro atrás da orelha e deu um leve pulo de susto. 

- Aí está a princesa da neve! Deixe ela dormir, Malfoy, vamos entrar. - resmungou Jorge. 

- Boa noite pra vocês. -  disse ela, entrando no quarto das meninas. 

- Boa noite, Sacostin - sorriu. 

- Boa noite, Donni - Jorge beijou sua bochecha e entrou no quarto. Malfoy fechou a cara revirando os olhos e o seguiu. 

Donatela seguiu para sua cama e colocou o retrato no pequeno criado mudo ao lado. As outras meninas já dormiam. Ela ficou olhando a foto até o sono chegar. 

---------------------------------------------------

Assim que Malfoy entrou e deitou na cama que antes era de Fred, percebeu que o retrato que havia ao lado fora retirado dali. Ele tinha dado uma olhada rápida mais cedo, e viu Donatela dançando com Fred algum tipo de maluquice.

 Ficou encarando o teto e imaginando como nunca havia notado Donatela. Não eram um casal discreto, apesar de que boa parte disso se dava a Fred que sempre gostou de chamar atenção. Malfoy sabia que Fred namorava alguém mas era como se ele não enxergasse a menina antes. Agora lembrou o quase-beijo dos dois. Não entendeu porquê fez aquilo. Simplesmente necessitou sentir o gosto de Donatela, que aliás é tão doce quanto suas atitudes. Ela não é nenhuma veela ou algo do tipo, mas seu sorriso faz as pernas de Malfoy banbearem, seus cabelos eram lindos e seu olhar explicava porque ela era da lufa-lufa: havia bondade neles. Ele não sabia que sentimento era aquele e muito menos se gostava ou não. Mas não pôde negar que desejou nunca ter sido interrompido por Jorge naquela hora. 





Notas Finais


O que acharam desse capítulo? Fiquem a vontade pra comentar. Beijinhos ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...