História Um Par de Loucos - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Loucos, Loucura, Romance, Yaoi
Exibições 72
Palavras 4.945
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Gomen nasai to/et pardon-me moi, mon bijoux et/to watashi no koneko-tachi.
Vamos parar com essa mistura de japonês com francês, hai/oui?
Como eu estava sem capítulos salvos na pasta, eu me atrasei um pouco e ainda tive um surto psicótico hoje. Acho que a única coisa que prestou para mim foi o lemon nesse capítulo até porque eu sou muito perfeccionista, mas as opiniões são com vocês. ;3
Este é o penúltimo capítulo de Um Par de Loucos - deliciem-se.
Boas Lonjuras!

~Rockeiro Sem-Noção.

Capítulo 30 - Meu Docinho Quente


 

Leslie e Lance se encontravam numa feira livre de Mandalay, a segunda maior cidade do Myanmar. Lá, eles já tinham comprado uma porção de jóias e artesanatos. Na verdade, era Lance quem queria presentear Leslie toda vez que o seu menino apontava para algum tesouro e sorria todo lindinho e manhosinho.

 

Uma das maiores especialidades da feira de Mandalay era a jade. Os vários vendedores em suas tendas mostravam a qualidade e a preciosidade da jade com uma simples luz de lanterna na pedra verdejante. Eles lapidavam as pedras de jade para fazer anéis, colares e qualquer outro tipo de adorno. Outra especialidade eram os vasos negros que, à primeira vista, pareciam ter sido desenhados com ouro, mas eram folhas de ouro grudadas e derretidas para fazer todos aqueles lindos desenhos brilhantes.

 

A feira estava cheia de energia naquele dia. Lance já tinha comprado quase que três coisas de cada tenda para Leslie e como ele era um bom cavalheiro, deixou que o seu menino carregasse muito – muito – menos coisas do que ele, e eles ainda conseguiam andar de mãos dadas.

 

Num certo momento, eles passaram por uma tenda que vendia colares de jade. Lance parou de andar, fazendo Leslie o olhar de um jeitinho inocente.

 

-Fica aqui.-Lance sussurrou, sorrindo.

 

-Mas eu vou me perder!-Leslie choramingou.

 

-Calma, lindinho.-Lance ri em diversão.-É rapidinho.

 

Foi com muito esforço que Lance conseguiu soltar a mãozinha de Leslie até porque o seu namoradinho era mais grudento do que chiclete no cabelo.

 

Por um tempo extremamente curto, Leslie ficou sozinho em meio à todos aqueles mianmarenses, pensando que esse tempo já era uma eternidade de horror e solidão. Ele observou Lance ir até uma tenda e pegar por alguma coisa. Quando ele voltou, deixou as sacolas de compras no chão e ergueu nas mãos um lindo coração de pingente de jade. E o pingente era uma linda e pequena escultura de Guan Yin, a deusa da compaixão´do Budismo.

 

-Guan Shi Yin!-Leslie sorriu lindamente.

 

-Isso. Aquela que ouve os gritos do mundo.-Lance dá um sorriso amoroso.-Deixa eu colocar em você, neném.

 

O marmanjo colocou o colar ao redor do pescoço do garoto. Ele o olhou. É como se a jade do colar tivesse combinado perfeitamente com os seus olhos tão verdes como esmeraldas brilhantes. Leslie ficou ainda mais lindo, se contasse com a resina da thanaka que ele usava em seu rosto, uma madeira conhecida no Myanmar por proteger a pele dos raios de Sol e de qualquer imperfeição física. Até Lance estava usando isso e foi o seu namoradinho que se dedicou em raspar a thanaka numa pedra molhada de água até criar a resina. Eles fizeram bigodes de gatinho em seus rostos, usando escovas de dente.

 

Lance segurou Leslie com os dedos em seu queixo e o encarou bem. Em nenhum momento de sua vida, ele jamais tinha cruzado com um menino tão lindo como aquele. Ele até parecia um anjinho sensual querendo tirar a roupa toda.

 

-Você está lindo...-Lance diz num sorriso bobo e apaixonado.-Ou melhor, você é lindo...

 

Em retribuição, Leslie corou e sorriu timidamente.

 

-Estou com uma vontade louca de beijar essa boquinha rosa...-Lance sussurrou carinhosamente.

 

-E por quê não beija logo?-Leslie riu, sapeca.

 

Foi o suficiente. O marmanjão puxou o garotinho para os seus braços longos e fortes, e tascou o maior beijo em sua boca. Leslie chegou à gemer com o beijo tão intenso e apaixonado. Ele só tinha que agradecer por ser tão delicinha para Lance o beijar e o comer todos os dias. Seu namorado o beijou fogosamente, mordeu seus lábios, lambeu sua língua e o beijou um pouco mais.

 

Quando Lance finalmente soltou Leslie, ele não deixou de sorrir com o estado deplorável que deixou o seu menino. Seu rostinho estava vermelho e sua boquinha estava toda inchada e babada. E, com certeza, devia ter alguma coisa acontecendo entre as perninhas dele porque estavam meio bambas.

 

-Ainda consegue andar, ou quer que eu te carregue?-Lance brincou, rindo.

 

-Cala a boca, seu pervertido.-Leslie estrilou.

 

-Por quê pervertido?-Lance riu de novo.-Eu sou tão inocente quanto um garotinho de 12 anos que acaba de entrar em um site pornô.

 

-Isso já não aconteceu?-Leslie arqueou uma sobrancelha.

 

-Tinha gemidos escandalosos e paus enormes para todos os lados.-Lance está dizendo.-Eu passei por uma fase barra pesada.

 

-Nhom, você ficava se masturbando três vezes por dia querendo um rabinho pra comer?-Leslie diz com uma voz manhosa e carinhosa.

 

-Isso mesmo. Eu era um garotinho muito fogoso.-Lance assentiu.-Eu quase já peguei os garotos do vestiário masculino da escola. Você teve muita sorte de ganhar um macho como eu logo na adolescência.

 

-Cara, na primeira transa, parecia que você estava descarregando em cima de mim anos de testosterona guardada no pau!-Leslie exclamou, rindo.-Eu me senti atropelado por um touro loirão, ou por um cavalo dotadão.

 

Lance começou a rir e saiu dando um monte de beijinhos no rostinho lindo de Leslie.

 

-E quem mandou você me provocar tirando a roupinha na minha frente?-Lance diz carinhosamente.

 

-Eu estava com calor!-Leslie faz um beiço manhoso.

 

-O quê? Você estava tão excitado assim que sentiu calor num inverno de -20° em janeiro?-Lance questionou.

 

O rosto de Leslie ficou todo vermelho em um segundo. Ele olhou para o lado.

 

-Eu...-Leslie diz, todo sem jeito.-Vou ver se eles vendem folhas de ouro grandes o bastante... pra tapar essa boca de gamela!

 

Mas quando Leslie ia correr dali, Lance o puxou pela mão e o beijou.

 

Ele era uma delicinha sem limites.

 

:

 

Agora que estavam no Myanmar, Leslie queria ver tudo e saía arrastando Lance para todos os lados do país em praticamente um dia. Depois que voltaram para Yangon para deixar suas sacolas de compras no Hotel, descansar um pouco e dar comida para Sir Marshmallow, eles logo partiram para Bagan que, outrora, era conhecida como Pagan, o reino responsável pela unificação de todo o país há séculos atrás.

 

O dia já estava indo embora e os últimos raios de Sol brilhavam por trás dos 3 mil templos budistas de Bagan. O pôr do Sol em Bagan era uma beleza muito procurada por turistas e, principalmente, fotógrafos.

 

Havia um templo em Bagan chamado de Shwesandaw, o Templo do Pôr do Sol. Era lá que várias pessoas de vários cantos do mundo se empoleiravam em sua arquitetura de pedra antiga para mirar suas câmeras de alta resolução para o Sol que se punha por trás dos templos budistas cobertos pelas sombras de uma nova noite.

 

Todos os três mil templos eram banhados de um lado pela derradeira luz do Sol e cobertos por sombras do outro. Todos eles foram construídos por reis para demonstrar poder e agradar ao Buda, mas apenas mil deles são legítimos, pois os outros tiveram de ser reconstruídos por causa de terremotos. As pessoas que se agrupavam no Shwesandaw estavam maravilhadas com aquela paisagem de fim do dia e todas arranjavam um meio de imortalizar aquele momento belo seja com câmeras de smartphones, ou com filmadoras.

 

Por outro lado, Leslie parecia estar num estado profundo de êxtase. Era a primeira vez em toda a sua vida que ele pisava em Bagan. Lance o olhou e sorriu enquanto tirava algumas fotos com sua câmera Nikon. Seu namoradinho parecia que ia desmaiar à qualquer momento por ver tanta beleza na sua frente.

 

-Está satisfeito por estar aqui?-Lance perguntou, passando o braço ao redor de Leslie e o trazendo para mais perto de si.

 

-Hmm... nem tanto.-Leslie responde.

 

-O quê?-Lance o olhou rapidamente.-Por quê?

 

-Eu ainda tenho que voar num balão de ar quente por Bagan em pleno amanhecer.-Leslie dá um sorriso sapeca.

 

-Ah, não tem problema.-Lance não deixa de rir.-Quando a gente voltar para o hotel...

 

-A gente pode dormir aqui mesmo?-Leslie quis saber.

 

O loirão franziu o cenho. E o moreninho ficou sorrindo daquele jeitinho irresistível.

 

-Você sabe que não pode simplesmente passar a noite num templo antigo, não sabe?-Lance perguntou.

 

-Mas eu não quero sair daqui, Lance!-Leslie faz um beiço manhoso.-Eu não quero voltar para Yangon e nem para San Francisco. Eu quero ficar aqui com você por toda a eternidade!

 

-Oh, meu lindinho, você sabe que eu fico do seu ladinho até no meio de um monte de ervas-daninha.-Lance diz, rindo.-Mas a gente precisa de uma cama quentinha e macia para ter uma boa noite de sono.

 

-Sono, é?-Leslie zombou.

 

O marmanjo sorriu. Ele sabia que o garoto não estava querendo dormir naquela noite. Então, discretamente, Lance começou a apertar a cinturinha de Leslie e a beijar o seu pescocinho algumas vezes. Seu namoradinho corou e soltou um gemidinho manhoso bem devagar.

 

-Oh, Leslie?-Lance sussurrou ao pé de sua orelhinha.-O que você acha de um rocambole de carne quente ao molho branco para o jantar?

 

-É típico da gastronomia do Myanmar?-Leslie sorriu de um jeitinho provocante.

 

-Bom, se está em terras do Myanmar...-Lance sorri maliciosamente.-Digamos que sim.

 

A viagem de volta para Yangon seria longa – o que, com certeza, seria tempo o suficiente para o incêndio se alastrar.

 

***

 

Ao abrir a porta do seu quarto de hotel, Lance abriu espaço para que Leslie entrasse tranquilamente como se nada estivesse acontecendo. Ele fechou a porta e a trancou bem com todas as trancas disponíveis.

 

O garotinho foi andando até a sala de estar, onde o seu gatinho angorá turco o esperava ansiosamente. Por um momento, o marmanjão observou o seu namoradinho pegar Sir Marshmallow nos braços e levá-lo até a mesa de jantar ao lado. Sentando o gatinho peludo ali, Leslie abriu uma mochila sentada numa das cadeiras e pegou um pratinho e uma lata de ração felina.

 

Leslie abriu a lata e deixou que toda a ração caísse bem cremosa e gostosa sobre o pratinho. Sir Marshmallow logo avançou sobre o seu saboroso jantar e comeu tudo animadamente.

 

Enquanto isso, Leslie despiu-se do seu casaco de moletom e tirou suas botas dos pés. Ele já estava prestes a fazer uma trilha de roupas até o quarto quando se virou e viu Lance vestindo apenas a sua cueca boxer vermelha. Suas roupas estavam largadas pelo chão e sua cueca demonstrava pouca resistência contra a monstruosidade peniana que parecia estar inchando cada vez mais ali dentro.

 

-Você é rápido no gatilho, não?-Leslie sorriu, largando seu casaco no chão.

 

-Desde que eu te vi pela primeira vez...-Lance sorriu também.

 

O loirão foi andando sensualmente em direção ao moreninho que, só para brincar, começou a recuar até que fosse encurralado pelo seu namorado na parede da sala de estar. Lance colocou uma das mãos na parede e se abaixou até a altura de Leslie tão logo enfiou sua mão dentro da blusinha dele e começou a alisar sua cinturinha deliciosa.

 

-Sabe o que você parece?-Lance ronronou eroticamente.

 

-O quê?-Leslie mordeu o lábio em puro tesão.

 

-Você parece um docinho quente feito por encomenda.-Lance diz, lambendo os lábios.-E você está todo embrulhadinho com lacinhos e prontinho para ser comido.

 

-Você vai me comer?-Leslie esboça um sorriso de canto.

 

-Se você permitir...-Lance sorriu, todo safadinho.

 

O ar entre eles ficou mais quente.

 

-Você não precisa da minha permissão.-Leslie sussurrou e sorriu com amor.

 

:

 

Na cama, o amor já havia transbordando e cascateado dela há muito tempo.

 

Os amantes se beijavam apaixonadamente sobre uma cama que não tinha nem mais lençol, devido ao desespero dos corpos desnudos e suados se chocando fogosamente. Leslie e Lance se agarravam com força. Suas mãos passeavam por suas peles e faziam carinho nelas, deixando-as cada vez mais excitadas e quentes.

 

Seus lábios ocultavam um louco confronto entre línguas e dentes que se lubrificavam cada vez mais com uma saliva quente e pegajosa. Suas respirações estavam quentes e se misturavam no ar ainda mais quente. Leslie se mantinha debaixo do corpão musculoso e forte de Lance, que o protegia das trevas do mundo com todo o carinho e amor que os seus músculos podiam oferecer ao seu menino.

 

Leslie agarrava os músculos do seu namorado com força – ele apertava aqueles músculos definidos e suados com força, fazendo com que o seu macho gemesse e pedisse por mais. Em retribuição, Lance apertava sem dó as coxas carnudas e roliças do seu menino, ele deslizava suas unhas por aquela carne macia e quente que se arrepiava deliciosamente com cada toque carinhoso e atrevido.

 

Lance desgrudou sua boca dos lábios carnudos e inchados de Leslie. Ele o olhou em seus olhos verdes e os viu escurecidos por desejo, amor e luxúria. Seus próprios olhos azuis estavam tão escurecidos quanto os deles. O marmanjo beijou a boca do garoto mais uma vez antes de sair atacando o seu pescocinho. Seu namoradinho gemeu e gritou escandalosamente com o chupão gostoso que ganhou no pescoço. Sua pele era lambida, mordida e sugada com tanto amor e desejo que ele sentia que iria explodir à qualquer momento.

 

O loirão continuou chupando aquele pescocinho até que uma marca roxa se formasse ali. Ele, então, se dirigiu ao peito magro e desnudo do moreninho, onde plantou vários beijos doces, quentes e babados. Seu namoradinho continuava suspirando de olhos bem fechados e a boca salivando de tesão. A língua dele foi rastejando por cada centímetro de pele branca e macia até passar por cima de um mamilo bicuro e rosado.

 

O garotinho gritou de prazer no mesmo instante. Dava para sentir perfeitamente aquela língua lambendo seu mamilo num ritmo frenético. A língua lambeu toda a aréola rechonchuda do mamilo, fazendo-o se endurecer e se eriçar em questão de segundos. O marmanjão mordiscou o mamilo com seus dentes e o puxou para esticá-lo. É como se o mamilo fosse feito de borracha e era até divertido fazer isso. Ele sugou o mamilo com a força de seus lábios babados e o soltou. Fez isso várias e várias vezes – e depois passou para o outro mamilo.

 

As perninhas de Leslie só conseguiam se escancarar cada vez mais de um jeito que nem um compasso seria capaz de fazer. Aproveitando toda aquela área exposta, Lance saiu deslizando suas unhas por todo o corpinho magro e sensual de Leslie enquanto ainda chupava o outro mamilo. Sua mão safada pegou no pau durinho dele e apertou o membro com força. Seu namoradinho gritou chorosamente e deixou algumas lágrimas de prazer escorrerem de seus olhinhos fechados.

 

Lance ficou masturbando o pau bem devagar e, de vez em quando, ele abaixava o pau todo com a mão e o largava para fazê-lo pular ainda mais inchado de tesão. Leslie amava isso e ficava cada vez mais louco de prazer. Com seus longos cabelos loiros fazendo cócegas no peito e nos mamilos do seu namoradinho, o marmanjo lambeu aquele mamilo inchado e babado, e foi contemplar os lindos olhos esmeraldinos logo acima dele.

 

Os amantes se olharam por um tempo.

 

-Eu te amo...-Lance murmurou, esboçando um sorriso sensual e carinhoso.

 

-Eu te amo...-Leslie sorriu todo acanhado e vermelhinho.

 

-Shhh...-Lance riu.

 

Ele beijou aquela boquinha carnuda e babada brevemente.

 

-Cala essa boquinha linda...-Lance ronronou apaixonadamente.-Eu te amo mais...

 

-Não, eu te amo mais...-Leslie riu.

 

-Mas eu amo te amar.-Lance rebateu, sorrindo.-Quer ver como eu amo te amar?

 

-Me mostra, machão.-Leslie ordenou com um sorrisinho sapeca.

 

Rapidamente, o loirão saiu beijando todo o abdômen liso e magro do moreninho. Seus beijos variavam entre chupões e lambidas bem quentes e babados. Assim eu chegou à pélvis do seu namoradinho, ele pegou no talo do pau dele e já foi logo enfiando tudo na boca.

 

Leslie soltou um grito tão escandaloso e fogoso que mais parecia um gato no cio. Lance começou a chupar o pau bem devagar ao passo que sua saliva já lubrificava o membro inteirinho. Só que o seu menino era fogoso demais para ser lento, então ele simplesmente o agarrou pelos cabelos loiros e começou a meter em sua boca. Ele quase engasgou por sentir aquele pau todo vir à sua garganta num instante, mas não deixou de gostar disso.

 

O moreninho fez o seu namorado chupar o seu pau bem rápido. Ele o encarava com um sorriso safado e apaixonado, e não deixava de olhar para o próprio pau lambuzado em saliva que aparecia e desaparecia dentro de uma boca tão gostosa. O loirão teve que roçar o dedo médio no ânus rosadinho do seu namoradinho para enfraquecê-lo um pouco. Deu para ouvir seus gemidinhos e sentir a desaceleração dos movimentos.

 

Seu dedo penetrou com facilidade o ânus e nem precisou de muito tempo para encontrar a próstata e cutucá-la. Leslie gritou e jogou a cabeça para trás. Ele amava e odiava quando Lance fazia isso com ele. Amava porque era gostoso e odiava porque saía do controle completamente. Seu namorado voltou à chupá-lo em um ritmo constante agora que suas mãozinhas só agarravam os seus cabelos loiros. O dedo dele continuou cutucando a próstata, enviando rajadas intensas de prazer que percorriam todo o seu corpinho delicioso como silvos ensurdecedores e enlouquecedores.

 

A língua do marmanjo lambeu todo o comprimento grosso e duro do pau enquanto os seus lábios se esfregaram contra a glande rosada e rechonchuda que babava de tesão sem parar. O garoto continuou se contorcendo na cama como se fosse fazer um nó com o próprio corpo. Seu namorado beijou cada centímetro do seu pau doce e delicioso, e depois sugou seus testículos tão redondinhos e delicados.

 

-Lance...-Leslie sussurrou com os olhos fechados e o rosto vermelho no colchão da cama.-Hmmm... Lance... isso é muito gostoso... faz assim...

 

Seu namorado lambeu todo o seu pau e deu um último chupão nele antes de cobrir todo o seu corpinho magro e delicado com o seu corpão forte e musculoso. Eles voltaram à se beijar novamente, mesmo com um dedo cutucando uma próstata sem parar. Eles rolaram pela cama totalmente desnuda e inverteram suas posições.

 

Leslie parou de beijar Lance e saiu distribuindo uma porção de beijos por todo o seu rosto belo e másculo. Ele sorriu como um moleque safado que quer o amor do seu menininho. E o seu menininho lhe deu todo o seu amor com cada beijo, lambida e mordida. O moreninho saiu beijando aquele pescoço forte até chegar ao maravilhoso peito musculoso que parecia até ser blindado. Primeiramente, ele deu um tapa forte naquele peitão duro e seu namorado gemeu e sorriu. O garoto apertou aquele peito tonificado e gostoso, e caiu de boca em seus mamilos bicudos e duros. O loirão gemeu de prazer.

 

O menininho mamou os mamilos bicudos do machão como se quisesse leite deles. Seus lábios babados e carnudos sugaram o mamilo inchado com força ao mesmo tempo em que sua língua o raspava furiosamente. Seus dentes o morderam e o puxaram com força. Era igual à borracha como os seus. Ele cuspiu no mamilo e o chupou com força até que ficasse todo inchado, vermelho e coberto de saliva. Leslie passou para o outro mamilo e simplesmente o mordeu. Lance sorriu prazerosamente e colocou os braços musculosos atrás da cabeça para se deliciar com aquela boquinha quente e babada.

 

Ele sentiu a mãozinha do seu namoradinho passear por todo o seu abdômen poderosamente definido até chegar ao seu pau poderosamente duro. Aquela mãozinha quente e macia apertou o enorme pedaço de carne dura e quente, e isso provocou pulsação e muitos gemidos. Leslie mordeu o mamilo todo e o chupou gulosamente até que já houvesse saliva escorrendo por aquele peito musculoso e suado. Ele saiu beijando todo o abdômen definido de Lance. Teve a capacidade de se dedicar à chupar cada um dos gominhos tonificados do abdômen até chegar àquela pélvis bronzeada e linda.

 

Lá estava o maior pau do mundo.

 

Leslie lambeu os lábios e abriu sua boca. Lance nunca vira tanta saliva assim. É como se tivessem estourado um cano lá dentro. Leslie estava com muita fome de pau.

 

O garoto abocanhou o pau todo. O marmanjo gritou com toda a sua virilidade.

 

Leslie começou a mamar o pau com muita fome. É como se estivesse comendo o pau todo com aquela boca gulosa. Lance gemeu apaixonadamente e sorriu todo bobinho e safadinho. Seu pau fora engolido por uma garganta carnuda, molhada e quente. Logo mais, a boca fora lubrificando o pau inteiro como se fosse algum tipo de máquina para lubrificação peniana. Sua boquinha mamou o pau com uma força gulosa e esmagadora que parecia que ia engolir o membro dotado em um segundo.

 

Lance não podia acreditar nisso. Ele começou a gritar como se alguém estivesse o matando, se bem que tinha realmente alguém o matando – mas com prazer. Num instante, Lance agarrou Leslie pelos cabelos longos e castanhos, e segurou sua cabeça para socar o pau na boquinha dele. Ao fazer isso, uma quantidade assustadora de saliva cascateou por todo o comprimento grosso e duro do seu pau. Leslie podia sentir aquele monstro peniano se atolando no fundo da sua garganta numa velocidade alucinante.

 

-Ohhhhhhh!-Lance gritou e jogou a cabeça para trás.-PORRA, LESLIE!

 

Ele parou de socar o pau e deixou seus quadris despencarem no colchão. Seu namoradinho voltou à mamar em seu pau com muita fome. Ele mamava cada pedacinho do pau de modo que o membro todo tivesse toda a sua atenção molhada e quente. O loirão colocou os braços longos e fortes atrás da cabeça novamente e ficou assistindo o moreninho mamar seu pau. Era incrível como ele conseguia engolir 33 cm de pau grande e inchado até que o seu narizinho afilado tocasse os pêlos pubianos loiros bem aparadinhos na pélvis.

 

Leslie lambeu todo o comprimento do pau e o masturbou bem rápido tão logo raspou sua linda glande rosada e mais rechonchuda do que um cogumelo. Tinha um gosto salgado de vida deliciosa. O membro todo pulsou com força e suas veias pareciam ainda mais grossas pelo acúmulo poderoso de tesão.

 

-Hmmm, Lance, você tem um pauzão tão gostoso...-Leslie elogiou com um sorriso manhoso.

 

-É pra você mamar bem gostosinho, meu neném...-Lance dá um sorriso debilmente apaixonado.

 

-E ele é tão grandão.-Leslie riu.

 

-É pra te comer melhor.-Lance brincou, rindo.

 

Por um tempo, o garoto ficou sacudindo o pauzão duro nas mãozinhas. Ficou batendo aquele pedaço de carne grossa e lambuzada na palma da mão e no próprio rosto. O marmanjo só ficou sorrindo apaixonadamente como se estivesse assistindo um menininho inocente de 8 aninhos brincando com o seu pauzão monstruoso pela primeira vez e querendo saber o que acontece se ele explodir.

 

Leslie lambeu o pau todo e cuspiu nele antes de masturbá-lo mais uma vez. Ele subiu em cima de Lance e tascou o maior beijo em sua boca. De repente, o seu machão o agarrou com a força dos seus braços longos e fortes, e reverteu as posições. Num instante, o menininho teve os quadris erguidos do colchão e as pernas carnudas e sensuais deitadas por cima dele.

 

Lance meteu a língua no ânus rosado de Leslie. Seu namoradinho gritou chorosamente e ainda foi capaz de rasgar um pouco do colchão da cama com suas unhas. A língua dele ficou penetrando o ânus quentinho que já se abria todo para convidar o maior pau do mundo para se aconchegar dentro dele. Seus lábios chuparam o ânus todo. É como se ele estivesse comendo o rabinho de Leslie com aquela boca gostosa e faminta.

 

-Awn! Lance!-Leslie gemeu e começou a socar o colchão, só de raiva.

 

Ele chupou o ânus todo e quando afastou a boca apenas um fio grosso de saliva conectava os seus lábios com o lindo anelzinho rosado do ânus.

 

-Leslie...-Lance mordeu o lábio de um jeito emocionado.-Você é muito lindo!

 

-Me arrebenta, gatão!-Leslie gritou.

 

-Eu vou te arrebentar agora mesmo, meu docinho quente!-Lance vociferou furiosamente.

 

Num instante, o marmanjão se ajoelhou no colchão e segurou o seu pau monstruoso, duro e lambuzado de saliva bem pertinho do ânus rosadinho e apertadinho. O garotinho gritou com todas as suas forças, com o monstro peniano que o penetrou. Seu namorado também gritou e como se fosse um tigre rugindo na floresta atrás de sua presa indefesa.

 

De um lado, Lance sentia um túnel de carne quente, macia e escorregadia apertando seu pau com uma força violenta e poderosa. Do outro, Leslie sentia uma coisa dura, enorme e pulsante achatar a sua próstata com um peso e tamanho absurdamente astronômicos.

 

Houve um momento de paz e silêncio.

 

E depois veio o momento de prazer e gritaria.

 

Lance começou socando o pau com uma força bruta e arrebatadora. Leslie já começara a gemer e gritar num misto de prazer e tesão. Seu namorado metia com força, ele amava quando o sexo era bruto e ao mesmo tempo cheio de amor. Dava para sentir um par de testículos enormes e redondos se chocando contra a sua bundinha branca e carnuda.

 

O marmanjo afundou os punhos cerrados no colchão para manter as perninhas do garoto bem abertas e deitadas sobre ele. A cama toda estalava e urrava com os movimentos fortes e selvagens de Lance sobre Leslie e eles estavam se fodendo pela possibilidade da cama de um hotel se quebrar embaixo deles.

 

Um pau de 33 cm de comprimento entrava e saía de um ânus carnudo e quente. O esfíncter o apertava com sua carne macia e escorregadia, provocando um prazer tão imenso que logo não teria mais tamanho. O pau escorregava freneticamente dentro do ânus que de tão guloso e esfomeado conseguia engolir cada pedacinho daquele membro dotado como se não tivesse fundo. Lance ergueu a cabeça no alto e sorriu de olhos fechados e com o rosto todo ruborizado. Era tão gostoso foder Leslie que ele não conseguia parar de meter com tanta força. Seu namoradinho nem conseguia encontrar forças para nada à não ser gemer. Do jeito que a sua próstata era esculachada com total brutalidade, seu corpo todo já se encontrava anestesiado de prazer.

 

Lance olhou para Leslie e sentiu que nunca tinha visto coisa tão linda e perfeita como aquela. Seu rostinho estava vermelho, sua boquinha estava inchada e babada, e seus olhinhos verdinhos brilhavam. Era um diferente brilho que inspirava amor e luxúria ao mesmo tempo. Lance não conseguira ser macho o suficiente para resistir àquele menininho lindo e o beijou. Leslie chegou à gemer e suspirar de prazer com o beijo.

 

Só com o choque dos lábios inchados de babados, o casal de amantes sentira um milhão de silvos de prazer percorrerem os seus corpos desde os primeiros fios de cabelo na cabeça até os últimos dedos dos pés. Foi como se tivessem tomado um choque que fez seu tesão aumentar mais do que o prazer – o que os levou à transar ainda mais. O marmanjo soltou as pernas do garoto e o envolveu com os seus braços musculosos. Seu namoradinho acabou retribuindo o abraço com um que ele deu com braços e pernas em sua cintura e pescoço.

 

Eram músculos definidos se esfregando contra pele lisinha e ambos estavam lambuzados pelo suor quente e salgado que os banhavam naquela noite louca de amor. Suas bocas se beijavam com uma gula desesperada e a saliva parecia ser algum tipo de afrodisíaco biológico que os deixavam cada vez mais loucos. Leslie agarrou os músculos fortes das costas largas de Lance que retribuiu com apertões fortes e gostosos em suas coxas e nádegas bem carnudinhas.

 

Com uma das mãos, Lance conseguiu enfiá-la entre o seu abdômen definido e a barriguinha magra de Leslie para pegar no pau duro dele e masturbá-lo. Seu namoradinho gritou loucamente ao separar o beijo. Agora o prazer de ambos era igual. Eles eram iguais. Eles eram um só. Eles podiam contar até na calculadora que daria sempre um. Eles eram uma unidade real de amor doce e infinito.

 

Ao masturbar aquele lindo pau rosa, Lance olhou para Leslie e não deixou de rir ao vê-lo sorrindo feito um débil mental apaixonado. Ele era a coisinha mais linda do mundo. Só para brincar, Lance meteu o pau com mais força em Leslie, fazendo ele soltar um grito choroso e escandaloso de puro prazer extremo. O pau foi se atolando cada vez mais dentro do ânus e era socado com uma força totalmente arrebatadora que causava um prazer de velocidade fenomenal.

 

Lance continuou masturbando Leslie no mesmo ritmo do sexo anal, fazendo com que o seu namoradinho se agarrasse mais à ele de um jeitinho bem carente e desesperado. O moreninho beijou o loirão e ele se derreteu todo de amor, devolvendo o beijo com uma doce ternura ainda maior.

 

Num certo momento, o sexo foi ficando mais intenso e louco. Eles já se aproximavam do auge de seu prazer.

 

O machão socou o seu pau grande um pouco mais no menininho até que o atolou fundo e todo o seu esperma explodiu para fora do ânus. O casal de amantes gritou no mesmo instante. Lance berrou por sentir seu pau ejaculando o que pareciam ser litros de esperma quente e cremoso dentro do calor apertado do seu namoradinho. Já Leslie gritava por sentir-se quente por dentro e também porque fora capaz de jorrar rios caldalosos de esperma quentinho e salgado.

 

O casal ficou soltando gemidos pausados por um tempo até que finalmente suspirassem de prazer. Lance puxou o seu pau enorme e lambuzado de esperma para fora do ânus de Leslie. Tinha esperma para todos os lados. Ele tombou ao lado do seu namoradinho. O garoto rolou para o lado do marmanjo com a bunda toda lavada de esperma e ainda ganhou um abraço musculoso e quente do seu machão.

 

Lance beijou a testa de Leslie – depois o seu narizinho afilado e logo em seguida a sua boquinha carnuda.

 

-Eu te amo, Leslie Sanders...-Lance sussurrou num sorriso carinhoso.

 

-Eu te amo, Lance Scott...-Leslie sorriu e corou.

 

E não levou muito tempo para eles adormecerem e se encontrarem perdidos e vivos em seu próprio mundo perfeito.

 


Notas Finais


Sinceramente, acho que fiz esse lemon em três tempos e acho que foi o meu melhor... eu acho.
Que tal?
Oyasumi nasai!
;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...