História Um Par de Loucos - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Loucos, Loucura, Romance, Yaoi
Exibições 115
Palavras 1.861
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ogenki desu ka? Vocês estão de boas? Eu nem chego à perguntar, fico reclamando e tagarelando baboseiras alternativas o dia todo - mas vou passar a perguntar isso para vocês, hai? Eu espero que vocês estejam bem melhor do que eu, senão menos pior porque eu passo tanto ódio com aquele primata reptiliano venenoso que sinto uma vontade louca de colocar a cabeça dele num mastro.
Boas Lonjuras!

~Rockeiro Sem-Noção.

Capítulo 9 - A Lua


 

As labaredas da fogueira brilhavam bruxuleantes em um canto qualquer da Baker Beach. San Francisco já dava início à sua vida noturna de cinemas, bares, cafés, boates e restaurantes, onde semáforos, letreiros e faróis de carros brilham como estrelas no céu de trevas.

 

Uma brisa fresca soprava ao longe e as ondas do mar se arrebentavam nas areias da praia com os murmúrios do vasto e misterioso Oceano Pacífico. E no céu, uma linda Lua cheia emanava sua aura branca-azulada como se fosse um milhão de fadas dançando na escuridão da floresta encantada e emanando o seu brilho místico.

 

Perto da fogueira quentinha e radiante, Leslie e Lance estavam sentados juntos lado a lado sobre a toalha de piquenique. As cestas foram esvaziadas completamente e tudo que restara do piquenique na praia fora meia garrafa de suco coreano que o casal dividia consigo. Lance bebia um tanto da garrafa e depois entregava-a para Leslie beber, e assim por diante – mas parecia que tinha alguma coisa no suco coreano porque os dois sorriam feito uns débeis mentais.

 

Leslie bebeu da garrafa de vidro com as uvas brancas indo e vindo, junto com a bebida e entregou-a para Lance que a bebeu também. Os dois loucos não paravam de sorrir em nenhum momento e, de quando em quando, riam juntos. Seus olhos encaravam a Lua com certo fascínio.

 

-Você já olhou para o céu e pensou ter visto a Lua se transformando no sorriso de um gato que te olha lá de cima?-Leslie perguntou curiosamente.

 

-Já sim.-Lance assentiu, rindo com o seu namoradinho.-E você já pensou que pode encontrar o palácio de Heng-O?

 

-Mas é claro, gatão.-Leslie sorriu e o olhou.-Ela bebeu algumas gotas do Elixir da Imortalidade, mas só conseguiu alcançar a Lua, não é?

 

-Exato.-Lance respondeu.-Isso, na época em que Yi estava atirando flechas nos dez sóis da Terra.

 

-A Terra é estranha...-Leslie comentou pensativamente.-Uma hora, ela é quadrada. Um dia, ela redonda. Um ano, ela é... ovoide... oval. Por isso que seria muito melhor morar lá na Lua. Ouvi dizer que tem coelhos lá.

 

-Olha, a gente pode ir até lá pegando uma carona com uma vaca.-Lance sugeriu, dando um sorriso carinhoso.-Ouvi dizer que elas costumam pular por cima da Lua, de vez em quando.

 

-É!-Leslie sorriu lindamente.-A gente tem que ir para uma dessas fazendas do interior do país para montar em cima de uma vaca e sair voando para a Lua!

 

O marmanjo bebeu da garrafa de suco coreano e olhou para o garoto, que parecia bem entusiasmado com a sua idéia maluca e maravilhosa. Ele sorriu docemente para o seu namoradinho e passou o braço ao redor dele para trazê-lo para mais perto de si. Lance beijou a testa de Leslie, que sorriu todo sapeca e manhosinho, e ele se aninhou mais ao seu lado.

 

-Bom, qualquer dia desses, eu arrumo um lindo balão azul.-Lance está dizendo.-E aí eu levo nós dois para o Mundo da Lua.

 

-Hmmm, Mundo da Lua?-Leslie riu como uma criança maluca.-E o que nós vamos fazer lá?

 

-Vamos nos amar, vamos ser felizes, vamos voar...-Lance diz carinhosamente.-Vamos comer... dormi... transar...

 

Naquele momento, o marmanjão mordiscou a orelha do garotinho que gemeu todo manhoso. No mesmo instante, Lance puxou Leslie para o seu colo e o envolveu com os seus braços longos e fortes. Ele começou a beijar sua bochechinha macia freneticamente, fazendo-o rir de um jeito tão lindo que poderia iluminar todos os lados do mundo inteiro.

 

Leslie virou seu rostinho lindo para Lance – o que faz com que seus lábios se ataquem num beijo gostoso e apaixonado. A garrafa de suco coreano ficou sendo equilibrada no ar com algumas uvas brancas no fundo pela mão de Lance, que não parou de beijar Leslie nem por um segundo.

 

Seus lábios se desgrudaram um tempo depois e apenas as suas línguas ficaram se lambendo desesperadamente. Se beijaram bem babado mais uma vez e depois tocaram suas testas para se olhar com carinho e amor. Seus sorrisos eram doces e bobos.

 

-Nós somos dois lunáticos, não somos?-Leslie sussurrou para o seu namorado.

 

-De boas.-Lance ri um pouco.-Nós somos felizes assim mesmo: sendo lunáticos e aloprados.

 

-Acha que a gente devia estar no hospício agora?-Leslie quis saber.

 

-Talvez...-Lance dá de ombros.-Mas acho que a gente devia estar dançando lá na Lua.

 

O casal olhou para a luminosa Lua cheia por um momento antes de voltarem à rir de novo.

 

:

 

Lance digitou no teclado do notebook por mais algum tempo até dar por terminado mais um capítulo de Lábios de Caramelo. Faltava pouco para Lance terminar aquele livro e publicá-lo na City Lights Publishers, e depois ser mais famoso do que já é. Ele já podia imaginar os seus leitores vorazes comprando vários exemplares de seu livro nas livrarias. Era bem possível que o seu novo romance fosse o best-seller nº1 do The New York Times mais uma vez, devido ao seu perfeccionismo e dedicação colocados em toneladas nas páginas daquele lindo.

 

Bebendo de seu copo de chá de jasmim, Lance fechou o notebook e o deixou sobre a mesa de centro. Já era tarde da noite e na TV passava-se o episódio Chloe e Urso Polar de Urso Sem Curso até porque Lance gostava daquele desenho animado que se passava na sua cidade natal.

 

Sir Marshmallow estava todo enroladinho sobre uma almofada lilás num canto do sofá. Lance se aproximou do gatinho angorá turco e fez carinho na cabecinha peluda dele. Em retribuição ao carinho, Sir Marshmallow começou a lamber os dedos de seu dono com aquela sua linguinha rosadinha, quentinha e áspera.

 

Lance riu e beijou uma das orelhinhas do gatinho antes de se levantar do sofá e ir para a cozinha – ele estava com saudade de se deliciar com a carne fresca de menino de Leslie.

 

Ao chegar lá, o machão encontrou o seu menininho diante do fogão com uma panela de água frevente e uma tigela cheia de ovos da fazenda – o que era estranho porque, geralmente, era Lance quem cozinhava na casa. Ele só vestia uma camisa enorme que pertencia à Lance, juntamente de uma cuequinha bem minúscula. Era um costume o garoto vestir as camisas do marmanjo enquanto ele só podia vestir as suas próprias calças de moletom.

 

Lance agarrou Leslie por trás com os seus braços longos e fortes. Ele enfiou suas mãos grandes e másculas por debaixo da camisa extremamente larga para aquele corpinho magrinho e sensual, e tocou sua pele macia e sedosa. Lance gemeu de prazer ao passear as mãos por aquela barriguinha magra e deliciosa. Suas mãos apertaram aquela cinturinha fina e curva e foram subindo até o seu peito magro e delicado. Lá, ele apertou seus mamilos bicudos e rosados com seus dedos e os torceu com muito carinho e lentidão. Lance passou as mãos pelos ombros pequenos e macios de Leslie e começou a beijar suas costas lindas. E, naquela altura do campeonato, ele já tinha levantado quase toda a camisa que Leslie vestia.

 

O marmanjo beijou e beijou as costas do garoto até que não se aguentou e tirou a camisa dele tão logo largou-a no chão da cozinha. Seus braços musculosos e poderosos envolveram o corpinho de menino gostoso e o apertaram com força.

 

-Meu menininho totosinho...-Lance murmurou ao pé da orelha de Leslie, e mordiscou seu lóbulo delicioso.

 

Só agora que Lance percebeu o que Leslie estava fazendo. O garoto estava praticamente pegando os ovos da cesta e os quebrando dentro da água fervente da panela, fazendo-os se transformar em alguma gosma branca de sabe-se lá o quê. O marmanjo riu disso.

 

-Do que você está rindo, palhaço?-Leslie exigiu saber.

 

-De você, seu lindo.-Lance riu, beijando o pescocinho do seu menino.

 

-E como ousa rir do garoto que dá o rabo pra você todos os dias?-Leslie o olhou por cima do ombro com uma linda carinha raivosa.

 

-Neném, eu amo quando você dá esse rabinho apertadinho pra eu comer...-Lance diz carinhosamente.-E amo ainda mais quando você geme todo manhosinho pra mim quando eu encho o seu rabinho com esperma... mas você me faz rir quando cozinha os ovos desse jeito.

 

-E de que outro jeito eu poderia cozinhar ovos, seu imbecil?!-Leslie diz ao se virar para o seu macho.

 

Lance apenas sorriu todo apaixonado para Leslie. Em seguida, ele desligou o fogo e pegou a panela cheia de “omelete cozida”. Abriu o ralo da pia e despejou tudo lá dentro com a ajuda de uma colher de pau. Então, Lance encheu a panela com água e colocou-a de volta no fogo que ligou mais uma vez. Colocou um ovo inteiro dentro da água que já fervia e, enfim, olhou para Leslie.

 

-É assim que se cozinha um ovo.-Lance diz tão logo acariciou o rostinho lindo do seu namoradinho.

 

-Mas que estupidez!-Leslie rebateu.-Quem é o gênio que vai cozinhar um ovo inteiro?

 

-Ah, seu  gostosinho!-Lance agarrou Leslie num instante e saiu o carregando.

 

Enquanto o casal se dirigia ao seu quarto, o ovo na panela deve ter se transformado em alguma coisa nova.

 

:

 

Sir Marshmallow subiu até a cama por uma escadaria toda feita de livros – ele pisou nos lençóis da cama com o máximo de silêncio das almofadas de suas patinhas e se enrolou todo sobre o colchão de lençóis bagunçados.

 

Lá, Leslie e Lance estavam deitados de conchinha. A única luz acesa em todo o apartamento era a do corredor que iluminava parte do quarto. Já a outra parte era iluminada pela luz azul da Lua cheia. Leslie sorriu para o seu lindo gatinho branco e peludinho, e começou a fazer carinho numa de suas patinhas gorduchas. Em resposta, Sir Marshmallow começou a lamber seus dedos com sua linguinha rosada e quente.

 

Então, uma idéia louca veio à mente de Leslie.

 

-Lance?-Leslie sussurrou para ele.

 

-O quê?-Lance murmurou enquanto cheirava o aroma doce de sabonete no pescoço do seu namoradinho.

 

-Você está aí?-Leslie quis saber.

 

-Acho que sim.-Lance respondeu, dando um sorriso divertido.-Eu estou sentindo a minha prisão carnal, então presumo que ainda esteja nesse plano. Por quê?

 

-Ah, é que explodiu uma idéia maluca na minha cabeça...-Leslie comentou.

 

-Que idéia?-Lance perguntou, beijando o ombro do seu menino.

 

-Ah...-Leslie dá um sorriso bobo.-Fazer o seu pau de linguição para cachorro-quente.

 

Por um momento, o casal se entreolhou e logo os dois começaram a rir daquela loucura.

 

-Quer fazer o meu pau de cachorro-quente, garoto?-Lance diz, rindo, ao beijar o pescoço de Leslie.

 

-Ah, Lance, você é bem linguiçudo.-Leslie riu em diversão.-Eu bem que iria gostar que você servisse o seu linguição dentro de um pau de cachorro-quente com mostarda, ketchup e todos os outros acompanhamentos.

 

-Será possível que eu nunca mais vou encarar o cachorro-quente como um lanche normal?-Lance mordeu o lábio.

 

-A pessoa tinha que ser muito inocente, ou muito tapada para não perceber que aquele linguição parece um pauzão!-Leslie exclamou, indignado.

 

Então, o marmanjo sorriu e puxou o garoto para mais perto de si. Leslie o olhou por cima do ombro com aquela deslavada carinha inocente e Lance não resistiu em beijá-lo apaixonadamente.

 

Leslie podia não bater bem da cabeça – mas Lance o amava assim mesmo até porque ele também não batia bem da cabeça.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...