História Um passado que retorna com a verdade! - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yu Yu Hakusho
Personagens Botan, Koenma, Kurama Youko, Personagens Originais
Visualizações 31
Palavras 1.160
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Tenha uma ótima leitura!

Capítulo 7 - A Reconciliação!


Logo após uma breve conversa que o casal teve, o silêncio tomou conta do recinto. Youko apenas cruzou os braços e fixou seu olhar curioso para a moça de madeixas azuladas, que não percebeu os olhares observadores dele. Botan fechou os olhos e encostou-se na parede perto da pia e colocou as mãos no rosto, pois custava a acreditar que seu amado ainda continuasse tão frio e calculista, sabia que ele a amava, mas nunca pensou que Kurama se aproveitasse daquela situação tão delicada para ambos, para se aproximar daquela forma dela. Admitia que seu amante não tinha perdido seu jeito insaciável de fazer amor, mesmo na forma humana. De repente o momento de reflexão foi interrompido pela voz atraente de seu companheiro.

– O que pensa? – Perguntou curioso e se aproximou da mãe de seu filho.

– Em nós! O que você pretende fazer agora que sabe de toda a verdade? – Inquiriu preocupada.

– O primeiro passo já dei e pretendo repetir várias vezes, não vai pensando que fiz isso somente para se vingar de você, eu lhe amo, quero que saiba disso – O imprevisível ladrão de makai inesperadamente puxou a guia espiritual para um longo e terno beijo, que a surpreendeu.

– Como pretende conquistar a confiança do nosso filho? – Questionou temerosa.

– Logo você verá como conseguirei, estou pensando em algo, aguarde! – Sorriu travesso, quando viu a curiosidade estampada no semblante de sua amada.

– É melhor voltarmos, o pessoal deve estar sentindo falta da gente – A youkai raposa comentou séria e se dirigiu até a saída do local, sendo seguida pelo seu amado.

Ao destrancar a porta Botan puxou rapidamente a maçaneta para que essa abrisse logo, mas ao fazer isso Yusuke e Kuwabara caíram para dentro do banheiro, impedindo a passagem do jovem casal, que arregalou os olhos totalmente surpresos pela ousadia de seus amigos, que provavelmente ouviram tudo o que aconteceu entre eles.

------------------Flash Back------------------

– Nossa que história! Estou impressionado. Comprei até pipoca para assistir essa briga – Kuwabara cochichou para o detetive espiritual.

– Quem diria, o Kurama já é pai de um adolescente – Urameshi retrucou.

– Parem! Isso não interessa a vocês – A guia espiritual começou a chorar e correu na direção de um banheiro feminino, que ficava no interior do ginásio. Sendo perseguida pelo ruivo de olhos verdes.

– Acho melhor vocês dois irem atrás, senão os pombinhos vão se matar – Hiei falou friamente.

– Creio que não vai acontecer nada – Kazuma suspirou.

– Talvez o baixinho tenha razão, o Kurama estava muito esquisito quando saiu daqui. O que estamos esperando vamos seguir eles, ainda dá ver para onde eles foram – Urameshi gritou alterado e saiu correndo em direção ao interior do estádio.

– Me espere! - O rapaz de cabelos avermelhados seguiu seu amigo, depois de dois minutos meio perdido, ele conseguiu achar o detetive espiritual encostado na porta do banheiro feminino.

– O que você está fazendo aí Yusuke? – Sussurrou se aproximando – Não me diga que resolveu agora assumir que é tarado e espionar as mulheres no banheiro? Não se esqueceu que temos que achar a Botan e o Suichi? – Bufou indignado.

– Cala a boca! Seu imbecil! Os dois acabaram de entrar aqui no banheiro, faça silêncio, quero ouvir o que eles estão falando – Murmurou impaciente – Venha ouvir!

– Certo! – Os dois encostaram-se na entrada do toalete e começaram a ouvir a discussão, como também o que aconteceu logo em seguida disso.

– Como esse Youko é tarado, que aproveitador – Urameshi sorriu maliciosamente ao ouvir gemidos e gritos de prazer.

– Essa raposa não tem jeito, aproveitou que a Botanzinha estava sensibilizada e mandou ver – Sacudiu a cabeça em desaprovação.

----------------Final do Flash Back----------------

– O que vocês estão fazendo aqui! – A guia espiritual perguntou mais vermelha que um pimentão – (Que vergonha e agora o que vão pensar de mim?).

– Nós seguimos vocês – O detetive confessou.

– Pensamos que vocês iriam se matar, mas acho que estávamos enganados – O apaixonado por Yukina complementou.

– Você é malandro né Kurama? Nunca pensei que você iria fazer isso, você é um gênio – O namorado de Keiko cutucou o ruivo de olhos verdes.

– Que vergonhoso! Ficar ouvindo atrás da porta, eu estou decepcionado com vocês – Youko olhou furiosamente para os amigos.

– Desculpa cara, foi mais forte que eu – O detetive colocou as mãos atrás do pescoço.

– Eu mato vocês se espalharem isso para os outros – Berrou indignada a subordinada de Koema.

– Calma, Botan, eles não vão comentar isso com ninguém, senão eu me encarrego pessoalmente deles – Abraçou sua amada, tentando acalmá-la.

– As lutas de hoje já terminaram, vamos voltar para o hotel, estou muito cansado – Kuwabara sugeriu.

E assim, todos ali presentes concordaram em irem para o hotel, porque também se sentiam muito cansados, por tudo que tinham passado naquele dia.

Enquanto isso, na ala norte do estádio, o Rei Boteloki conversava com seu neto, que parecia muito atordoado com toda aquela revelação.

– Vovô, por que você me escondeu a verdade sobre o meu pai? – Rosnou furioso.

– Kotank, me escute, isso tudo que fiz foi para o seu bem! Talvez eu tenha errado, porém era a melhor coisa a fazer – Explicou preocupado, temendo ser rejeitado pelo seu herdeiro.

– Desculpe, não quero parecer ingrato, estou muito confuso. Não sei o que fazer.

– Siga o seu coração se achar que deve perdoar a sua mãe, faça isso, ela foi tão vítima de seu pai como você – Abraçou o príncipe do reino.

– Preciso pensar, no momento não quero falar com nenhum dos dois, foi muito egoísta da parte deles, terem feito isso comigo! – Sentou-se no sofá e fechou os olhos.

– Não vou insistir, lembre-se de que viemos aqui para lutar e não para reconciliações familiares, deixe isso para depois do torneio.

– Você está certo, espero lutar com meu pai, fiquei sabendo há anos atrás por muitos que ele era bem forte e habilidoso.

– Sim, lutaremos com o time deles, porém primeiro nós teremos que passar pelos irmãos Toguro.

– Tudo bem, eu farei ao máximo para passar por eles!

Nesse mesmo momento, no hotel onde o time Urameshi estava hospedado, uma moça de cabelos esverdeados foi levar a lista dos times que iriam lutar no próximo dia, todos leram curiosos, até a guia espiritual estava um pouco animada, o sorriso que estampava no rosto sumiu e lágrimas começaram a brotar de seus olhos.

– Não, não! – Berrou desesperada.

– O que aconteceu? O que foi? – O detetive se aproximou de sua amiga.

– Droga! – Urrou Kurama, ao ver o motivo do desespero de sua companheira, como ela também estava com um mau pressentimento a respeito daquilo.

– Os irmãos Toguro vão lutar contra o time do meu filho! – Soluçou entre lágrimas a dama da morte.

– Calma, Botan, não vai acontecer nada de ruim com nosso filho.

– Nem mesmo você que é sempre controlado está calmo, imagine eu!

– Amanhã conversarei com Kotank, pedirei que ele desista de lutar – Abraçou sua amante fortemente.

– E se nosso filho for orgulhoso igual a você? Ele não aceitará.

– Não seja pessimista, eu conseguirei! – (Pior que ela tem razão, não vai ser fácil).

-

Continua

-


Notas Finais


Muito obrigada por ler mais esse capítulo!

Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...