História Um Pesadelo Encarnado - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Resident Evil
Personagens Chris Redfield, Jill Valentine, Personagens Originais
Tags Biohazard, Resident Evil, Survival Horror
Exibições 17
Palavras 714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção Científica, Policial, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Canibalismo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Salve, galera! \o/
Então, minhas férias chegaram, agora vai dar pra postar mais capítulos. Só não postei mais antes porque estava com umas coisas tensas pra resolver. Na verdade ainda tenho, então vou fazer o meu melhor nessas férias pra postar bastante.

Capítulo 11 - Uma Ameaça Invisível


Fanfic / Fanfiction Um Pesadelo Encarnado - Capítulo 11 - Uma Ameaça Invisível

A dupla então entrava em mata fechada. Com as lanternas ligadas, eles caminhavam lentamente tentando prosseguir. A trilha era irregular, poderiam haver armadilhas lá, além de que eles podiam cair em uma pedra ou coisa do tipo e se machucarem, com isso precisavam de cautela. Chris ia na frente, enquanto Valentine ia atrás, um dando cobertura ao outro. 

- Chris, você tem alguma ideia do que possa ser isso? - Jill indagava, em um tom baixo de voz, num tom o suficiente para que só Chris a ouvisse.

- Não sei, Jill. A gente tem que levar em consideração o que a Ellie falou, mas mesmo assim ainda temos poucas provas. - Respondia o capitão, no mesmo tom de voz, apreensivo lá dentro. 

- É isso que me deixa mais paranoica, sabe? Não temos muitas informações de nada, é difícil ter que lidar com algo assim, Chris... Chris, Chris! Eu vi alguma coisa! 

- O que você viu, Jill? 

- E-eu não sei! Foi pra aquela direção! 

Valentine apontava para frente, na direção que Chris estava. Assim, ambos iam juntos pra frente, caminhando de maneira lenta, com uma mão na pistola e outra na lanterna, gesto esse que era repetido por Valentine. A dupla havia chegado aonde Jill apontou, porém nada encontraram. 

- Jill, tem certeza que viu alguma coisa? - Redfield indagava, desconfiado.

- Sim, Chris, eu vi... Mas não sei pra onde foi... - Jill respondia, em um tom desanimado. Não queria que Chris desconfiasse dela. Ela temia que Chris pensasse que ela estivesse paranoica, afinal, foram muitos anos de tratamento e aquilo poderia render algumas sequelas. Valentine permanecia atenta, pronta pra tentar ver ou ouvir algo suspeito que pudesse levar ao que possivelmente ouviu outrora. Até que, do nada, algo pegava Chris pelo pescoço, Jill sequer podia ver o que havia pegado o capitão, pois estava tudo escuro. 

- Jill! Me ajuda! - Gritava o capitão, meio desesperado. 

- Chris! O que está havendo? - Jill respondia, não podendo ver nada que pudesse ter pego Chris.

- Argh! - Chris era sufocado, porém nem ele mesmo poderia ver. Era um monstro invisível. Pra sorte do capitão, ele era um homem forte. Assim sendo, ele conseguia tirar algo de seu pescoço, parecia ser uma língua. 

- Jill, cuidado! É um tipo de... Licker! - Chris se desvencilhava da investida do inimigo, recuando um pouco. Deu ali alguns poucos disparos, sem nem saber se os tiros acertaram o alvo ou não. Aquele tipo de inimigo era incomum. Eles já haviam visto os hunters invisíveis (conhecidos como "Farfarello". Agora com inimigos do tipo licker eles nunca haviam presenciado tal mutação. Seria algum efeito do novo vírus? Não dava pra fazer maiores suposições. O que poderiam fazer era Chris tomar a frente e Jill, com o Gênesis, procurar o bicho e passar a localização dele para o capitão. Assim, ficou mais fácil de encontrá-lo. Jill, com leves toques de "mais pra cima", "mais pra baixo", "pra direita", entre outras coisas. Isso facilitava o trabalho de Chris, que conseguia acertar com mais frequência os disparos. O problema era que, os disparos retardavam o bicho, mas não o abatiam, parecia haver em cima de seus músculos uma outra pele, bem resistente, mais ou menos como acontecia com os infectados pelo Uroboros. Isso deixava Jill um pouco tensa, precisava escanear ainda mais pra poder ter os dados completos dela. Até que, durante o embate de Chris e o licker, ela viu, pelo Gênesis, que ele havia uma pequena abertura em seu peito, que era desprotegido. 

- Chris, mire em seu peito! É o lugar menos protegido dele! 

Redfield seguiu o conselho de Valentine, e assim ele conseguiu finalmente abater o monstro com uma certa facilidade, depois de descobrirem o seu ponto fraco. 

- Valeu, Jill. Você me salvou a vida com isso. 

- Não foi nada, Chris. É assim que se trabalha em equipe, né? 

- Pois é. Se não fosse pelo Scanner, sequer teríamos conseguido eliminar aquela coisa. Fico me perguntando o porquê deles estarem querendo fazer armas biológicas tão fortes assim...

- Eu me pergunto o mesmo, Chris.

E assim a dupla prosseguiu pela floresta, tentando achar mais pistas sobre tudo aquilo. Porém dessa vez eles estavam com as atenções dobradas, já que tudo podia acontecer. 

 


Notas Finais


Bom, gente, espero que tenham gostado do novo episódio. No próximo eles vão continuar no mesmo ritmo, na parte da ação, tentando descobrir alguma coisa. O próximo EP eu vou me esforçar pra que saia no máximo até terça. Agradeço demais pela leitura e fiquem com Deus ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...