História Um plano quase perfeito - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Barbara Palvin, Casamento, Justin Bieber, Vingança
Exibições 133
Palavras 1.925
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oin ^^

Tudo bom gente?
Espero que sim :)

Não tenho muito o que falar hoje...

Desculpem qualquer erro e boa leitura.

Capítulo 4 - Convivência desarmoniosa


Fanfic / Fanfiction Um plano quase perfeito - Capítulo 4 - Convivência desarmoniosa

O loiro conversava animadamente com uma das assistentes da vinícola. Flertando com ela obviamente, ele não se deu conta da presença de uma morena chegada à montaria.

Apenas quando ela lhe deu uma chicotada na coxa, coisa que ardeu pra caralho, ele notou sua presença.

--- Ai! – Ele resmungou.

--- Como vai você meu garanhão? – Katharine questionou enquanto passava o chicote pela face de Justin.

--- Bem, apesar da chibatada. – Massageou o local atingido fazendo uma careta.

--- Isso é para você obedecer. – Sorriu largo batendo outra vez na perna dele.

--- Ai caralho! – Alisou o novo local atingido. --- Eu vou te bater mulher! Juro que vou te bater. – Rosnou.

--- Isso. Bate. – Ele estalou os olhos.

--- Eu posso ser demitido por sua causa.

--- Você é dono disso aqui.

--- Meu pai que é. Nada aqui é meu.

--- Ainda.

--- Não podemos fazer mais isso.

--- O cavalinho não gostou de brincar? – Falou manhosamente.

--- Não é isso, eu até gostei, mas... – Outra chicotada. --- Ai. – Grunhiu baixinho. --- Vadia. – Rosnou e ela riu.

--- Justin! – Jeremy o chamou. --- Venha até meu escritório. – O loiro assentiu e seguiu seu pai.

Os dois entraram na sala e Jeremy fechou a porta. Apontou a cadeira e Justin se sentou enquanto o mais velho permanecia em pé.

--- Acaso tem acompanhado o movimento do mercado de vinho?

--- Sim.

--- O mercado tem subido constantemente. Temos concorrência, obviamente, mas também temos muitas oportunidades.

--- Sim.

--- Eu só queria dizer que... Nosso vinho passou para a próxima etapa. – Sorriu. --- Meus parabéns. Os responsáveis querem apenas mais algumas informações para... Porque está tão quieto? – Questionou ao estranhar a atitude do filho. Era para ele estar soltando fogos com aquela notícia, mas não era o que estava acontecendo.

--- É o nervosismo. – Ele respondeu. --- É uma excelente notícia.

--- Espero que tenha consciência de que neste momento, não há nada mais importante do que isso que está acontecendo. Você sabe o quanto isso significa profissionalmente para você.

--- Sim, eu sei pai. Minha concentração está apenas nisso. – E na loira hospedada em minha casa, completou em pensamento.

--- Algum problema com Katharine?

--- Não, ela só estava me falando sobre uns... Cavalos... – Jeremy suspirou, exausto da mesma história.

--- Serei direto, filho. Se eu pegar você em uma situação comprometedora com qualquer mulher que seja aqui dentro, eu irei demitir você. – Justin o encarava sem palavras. Engoliu seco e assentiu.

.....

Melissa estudava algo pelo notebook. Sua concentração estava totalmente voltada para o que estava fazendo, mas um barulho na porta principal fez com que se distraísse. Olhou para a porta e viu Justin entrar enquanto retirava a gravata azul marinho e caminhava.

Estacou no lugar levando um pequeno susto quando se deparou com um cachorro dentro da sua casa.

--- Oi. – Ela disse enquanto sorria.

--- O que é isso? – Apontou para o animal deitado no chão.

--- Eu não sei o nome dele... Eu o encontrei na rua tadinho. Foi abandonado e quase ia ser atropelado. Eu fiquei com tanta pena, Justin. Aí eu o trouxe para casa.

--- Ele fez xixi.

--- É... Ele ainda não foi treinado. – Sorriu amarelo enquanto o loiro a encarava estupefato. --- Eu dou um jeito nisso.

--- Não precisa. Eu treino ele. – Sorriu.

--- Jura?

--- Claro. Eu já tive vários cachorros, dou conta. – Olhou para o cachorrinho. --- Ei garoto. – Abaixou-se para pegá-lo. --- Ele comeu muito. – Disse ao sentir o peso do canino. --- Vamos treinar esses maus hábitos hm? – Contornou a poça de xixi. --- Você é tão fofo.

Abriu a porta e Melissa pegou o papel onde fazia anotações antes de ser interrompida. Assim que escutou um grunhido do cachorro ela se virou num ímpeto. Correu até a porta pulando sobre a poça de xixi e saiu de casa vendo o cachorrinho no meio da rua enquanto o loiro limpava seu terno.

Mel entrou em casa e totalmente irritada, disparou:

--- Você é um monstro! Um bruto! É assim que treina cachorros? – Bufou indignada.

--- Aquela coisa vai ficar uns cinco dias sem fazer xixi. Ele me encheu de pelos. – Resmungou.

--- Você o machucou.

--- Você o machucou. – Afinou a voz para imitar Melissa.

Justin então se deparou com sua sala. Os móveis estavam todos em lugares diferentes.

--- O que merda você fez?

--- Na sala? Arrumei de um jeito bem melhor. – Sorriu amplamente.

--- Arrumou? Com o caralho da permissão de quem?

--- Ih, você está de mau humor?

--- Não muda de assunto porra! Essa é minha área. Meu espaço.

--- Seu ingrato. Eu vou é continuar meu trabalho que eu ganho mais. – Virou-se para ir até a mesa e então Justin reparou que ela usava uma camisa dele.

--- Isso são trajes mocinha?

--- Minhas roupas estão sendo lavadas, então peguei uma camisa sua, espero que não se incomode.

--- Incômodo algum. Só que eu estou aqui, praticamente vivendo igual a um monge e essa visão deliciosa não ajuda.

--- Então me aproveita. Se não fez nada comigo foi porque não quis. – Deu de ombros enquanto o queixo do loiro ia para o chão.

--- Tá né... – Sussurrou.

Justin caminhou até Melissa enquanto a mesma limpava a poça de xixi. Ele apertou o bumbum dela que deu um sobressalto.

--- Ei! Qual é o teu problema?

--- Você não disse que era para aproveitar você?

--- E em algum momento eu disse que você podia meter a mão na minha bunda?

--- Hm. Acho que me enganei. – Sorriu safado. --- E era para fazer o que?

--- Aproveitar minha companhia, minha presença. Seu tarado! – Ele riu debochado.

--- Você está falando sério?

--- Claro. Não precisa de contato sexual para ficar com alguém.

--- Jura?

--- É sim. Dá pra conversar, conhecer. Não precisa ir para a cama com todo o mundo.

--- Qual é o nome do planeta de onde você veio mesmo? – Ela respirou fundo e bufou fazendo sua franja subir e descer em seguida.

O loiro achou a cena adorável e engraçada, mas manteve o pensamento para si mesmo.

--- Idiota. – Ela resmungou.

.....

Mel abriu o closet do loiro, que era o ultimo lugar que faltava limpar, e arregalou os olhos ao ver tamanha organização. Os ternos pendurados por ordem de cores e as camisa da mesma forma do outro lado. Os sapatos muito bem enfileirados e limpos. Havia uma prateleira baixa onde continha várias medalhas e diplomas de competições e dos anos de estudo. Ela passou o indicador sobre a prateleira e constatou o que ela já suspeitava quando abriu aquelas portas: Estava limpo.

Deu de ombros e se retirou de lá deixando certo loiro sonolento e confuso. Ele estava fofo daquele jeito, ela pensou.

--- Essa mulher é maluca. – Sussurrou para si mesmo. --- Quem que deu essa liberdade de mexer no meu armário?

Melissa entrou do outro lado do closet e abriu a primeira gaveta achando a “agenda telefônica” de Justin. Fez uma careta vendo tantas calcinhas e pegou duas delas olhando os números e nome gravados. Olhou o tamanho, a cor e até o tecido ainda mantendo a careta de nojinho.

Ela saiu do closet com as duas peças em mãos e parou em frente ao loiro.

--- O que é isso?

--- Minha agenda.

--- Nossa, que criativo.

--- É mais fácil relacionar rostos a calcinhas do que nomes a agendas. – Deu de ombros.

--- Espetinho.

--- Foi por isso que casou com o gostoso aqui. – Ela revirou os olhos. --- Não bagunça que tá em ordem alfabética! – Gritou quando ela já estava dentro do closet outra vez.

.....

A loira se encontrava rodeada de livros outra vez. Pesquisava diferentes localizações para novos locais de combate à pesca exacerbada, mas para sua frustração, novamente foi interrompida, mas dessa vez era o som do carro do loiro ligado no ultimo volume.

Ela bufou resmungando.

--- Tão bom que estava o silêncio e a paz...

Do lado de fora da casa, Justin gargalhava de alguma piada que a mulher ao seu lado lhe contara. Mais uma vez ele estava bêbado e isso de certa forma frustrou Melissa. Ela sabia que aquele barulho ensurdecedor significava que ele não estava sóbrio.

Mas foi então que ela escutou as gargalhadas e percebeu que ele não estava sozinho.

Mel abriu um sorriso diabólico.

Saltou da bancada e foi até a pia da cozinha abrindo as persianas para ver os dois. Trincou os dentes ao ver uma loira falsa e siliconada.

Abriu a porta do armário ao seu lado e retirou um balde de limpeza. Depositou-o dentro da pia e passou a encher com água após ligar a torneira.

O balde estava cheio de água e Melissa abriu a porta vendo os dois chegarem, agarrados. Justin abriu um sorriso cínico quando a viu.

--- Não acha que é meio tarde para chegar em casa? – Ela perguntou e Justin e a loira oxigenada começaram a gargalhar. --- E você? Não tem vergonha de sair com homem casado? – Dessa vez Melissa que sorriu cínica enquanto os dois se calavam.

--- Você é casado? – A estranha siliconada perguntou.

Justin olhou para Mel e depois para a loira que ele nem sabia o nome, depois para Melissa outra vez e logo em seguida para a loira.

--- Mas é claro que não. – Eles se encararam.

--- Você vai negar? – Melissa perguntou de maneira indignada, mas tentando prender o riso e isso não passou despercebido por Justin que a fuzilava.

--- Você é um imbecil. – A loira esbofeteou o rosto de Justin e se pôs a andar para longe dali.

O loiro massageou o local do tapa.

--- Caralho, isso é complô. Três tapas em menos de dois dias. – Rosnou irritado. --- É mentira dela mulher! Volta aqui. Ela é minha prima! – Gritou para a loira, mas era inútil. --- Você ficou maluca Melissa, só pode. – Rosnou se virando e levou um banho de água gelada.

Melissa jogou com gosto o liquido que havia dentro do balde.

--- Qual o teu problema caralho? A casa é minha e eu trago quem eu quiser para cá. – Abraçou o próprio corpo enquanto se debatia com frio.

--- Dá para aguentar umas semanas. Você não é nenhum animal no cio!

--- Eu não vou aguentar caralho nenhum. A gente tem um trato Melissa!

--- E o que queria que eu fizesse? Dormisse na sala enquanto você fodia aquela siliconada?

--- Se está incomodada, pode ir embora que o caralho da porta tá aberta!

--- Eu não vou sair daqui!

--- Aaaaah! – O loiro gritou.

Girou o corpo e deu alguns passos enquanto gritava mais um pouco para descontar sua raiva já que não iria encostar um dedo sequer na mulher em sua casa, mesmo estando com uma vontade infeliz de dar umas palmadas nela. Chutou algumas latas de lixo que encontrou no caminho enquanto ainda gritava e Melissa fazia caretas, incomodada com os gritos raivosos e histéricos do loiro. Justin parou de gritar e juntou as mãos como fazia quando estava meditando. Repetiu o mesmo mantra consecutivas vezes:

Só mais duas semanas.

Só mais duas semanas.

Só mais duas semanas.

--- Será que eu posso entrar? – Perguntou rente ao ouvido de Melissa que arrepiou ao sentir o hálito de menta misturado com álcool.

--- A casa é sua. – Ele sorriu falsamente.

--- Eu vou ficar resfriado.

--- Nada mais do que você merece.

--- Oh poderoso castigador, eu não aguento esse tormento!

Ele entrou e Melissa finalmente soltou a gargalhada, baixinho.


Notas Finais


Até próximo capítulo

xoxo rainhas ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...