História Um Príncipe Em Minha Vida - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Luna Valente, Matteo, Nina
Tags Londres, Luna, Matteo, Principe, Realeza
Exibições 49
Palavras 1.078
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi!
*Esta estória já foi escrita por mim há anos, porém excluí, estou REESCREVENDO ela novamente, porém a ideia continua a mesma de antes e tudo mais, não mudarei praticamente NADA.
O que escrevi é desnecessário? Talvez, mas precisava dizer.

Bem, boa leitura gente♥

Capítulo 1 - Nova Missão


Um Príncipe Em Minha Vida!

 

“Nem tudo é um conto de fadas, mas dá para adaptar! ”

 

 

Nova Missão

 

Ponto de Vista: Luna Valente

 

A janela enorme no centro da parede de cor clara iluminava naturalmente o escritório, com grandes cortinas escuras que iam até o chão. Arrumava alguns arquivos para a sala de evidências, enquanto suspirava. Quanto papel! Dá vontade de tacar fogo! Colocava tudo no lugar, até que um Reinaldo nervoso entrou como um furacão na sala.

- Você vai para Londres esta noite. – Disse sério. Não estava entendendo nada, tinha acabado de chegar de um caso, e agora eu finalmente iria descansar, mas eu acho que isso não irá acontecer tão cedo. Ah! Droga! Encurvei meus ombros cansada e sentei-me na mesa.

- Qual é o caso dessa vez? – Perguntei preguiçosa. Rey nunca tinha chegado tão rápido à minha sala, muito menos desesperado para meu gosto, mas mesmo assim, eu queria dormir pelo menos, um dia inteiro.

- Estão roubando a coroa da Inglaterra – Colocou os arquivos em cima de minha mesa – A segurança real disse que estão ameaçando a vida do príncipe, disseram que os valores de dinheiro, cada vez aumentam mais. – Peguei as folhas que continham as informações, e pelo que vi, era muito dinheiro mesmo.

- Desse jeito poderão perder seus bens. Mas quem faria uma coisa dessas, sendo que a coroa não se intromete mais em assuntos políticos? Não há coerência!  – Perguntei, ainda encabulada.

- Não sabemos, disseram que não há nenhuma prova, nenhum agente ou guarda encontrou pista alguma em Londres. Ninguém sabe.

- Essa pessoa é boa. – Digo olhando os papeis. Ele arqueou a sobrancelha. – É boa em ser mau.

- Muito. E com certeza, esse caso é seu Valente. – Me deu mais alguns papeis.

- Tudo bem, quando? – Perguntei. Estava arrumando minha bolsa.

- Hoje às 19:30h. Talvez você chegue lá às 01:30 da manhã, ou até mais. – Disse e o olhei perplexa.

- Rey acabei de chegar de um caso... – Choraminguei.

- Se quiser mando para o...

- DEIXA COMIGO! – O interrompi, esse era o caso da minha vida! Ele sorriu satisfeito. - Vou para meu apartamento, de lá vou para o aeroporto. A passagem? – Me entregou a passagem que estava marcada no horário em que me dissera.

- Te vejo no aeroporto. – Estava saindo da minha sala, e acenei para ele.

 

[…]

 

 

Ponto de Vista: Matteo Balsano                             

 

- Sua Alteza, o Rei lhe aguarda no seu escritório. – Disse um guarda. Assenti e fez reverência para ir embora.

De forma preguiçosa, levantei-me da cadeira à frente da escrivaninha, e arrumei-me para então seguir para o escritório, onde encontraria meu pai, o rei Miguel que provavelmente me falaria sobre o Desfile Real de Londres que acontece anualmente.

Bato em sua porta, e logo entro com sua afirmação.

- Matteo, há certas coisas que devem acontecer para que tudo ocorra bem na realeza. – Parou um pouco. – Pois bem, você sabe que sua hora está chegando, e sua coroa requer... – Limpou a garganta – Requer um noivado. - Suspirei pesadamente, com a palavra noivado. – Amanhã, a filha do Duque Benson, e sua família irão chegar, então seja um verdadeiro cavalheiro, sabe muito bem que ela será sua noiva em poucos dias. Trate de ser um príncipe, e viva a realidade!

- Não estou falando nada. – Minha face fecha duramente, odiava ter que saber que eu não iria me casar por amor, e sim por negócios. – Só não gostaria de casar com alguém que não conheço!

- Você sabe muito bem, que esse é o seu dever, sabe disso desde que se conhece por príncipe. – Indagou.

- Dever?! Por que me casar por amor é um problema para você?! – Exclamo.

- Não levante a voz para mim Matteo. Sabes muito bem, que já não suporto mais suas tolices! Trate de honrar seu país, e seja homem para aceitar o que lhe é dito! – Falou duramente. A pior coisa que eu poderia escutar dele, era isso: Aceitar o que lhe é dito! Para quê aceitar, se você pode ter sua própria opinião? Infelizmente, príncipes não tem opinião. Nem vida.

- Olá meus amores! – Chegou Monica, minha mãe, calma e sorridente, mas ao ver o clima de tensão no ar, suspirou. – O que aconteceu?

- Retornarei aos meus aposentos. – Indaguei e ele assentiu.

- O horário o desfile estará no seu quarto. As costureiras irão lhe medir daqui a pouco. – Terminou.

Ao passar por mamãe, lhe dei um beijo na bochecha, e ela me olhou com seus lindos olhos. Talvez fosse ela a única razão por eu não ter fugido ainda.

Voltei para onde eu não deveria ter saído. Cai na cama exausto, esse tipo de conversa era simplesmente horrível. Talvez eu não quisesse mais ser o príncipe. Talvez renunciasse. Talvez fosse tudo o que eu queria. Não ter que me casar por negócios de meu pai, ou até mesmo para fazer alianças. Vestir essas roupas engomadinhas, usar gel no meu cabelo toda vez que eu for sair desse quarto, e principalmente, entre todas as coisas: ter que concordar sempre com o rei.

Me sentia um adolescente rebelde, e mesmo que tivesse 21 anos, às vezes eu era um.

 

[…]

 

Ponto de Vista: Luna Valente

 

- Luna, quando chegar lá, vá neste endereço – Rey me entregou um cartão – Você é assistente de uma Estilista, que é uma agente de Londres, já avisei a ela sobre você. E pegue isto, irá precisar. – Disse me entregando dois arquivos – Agora você se chama Solaria Smith.

- Solaria? – Perguntei. – Vocês têm uma criatividade e tanto para os nomes, parabéns!

- Obrigado. – Riu fraco – Em um dos arquivos, vai estar sua identidade, e suas informações, que precisará ter. Boa Sorte. – Sorriu.

- Obrigada. – O abracei – Por algum motivo irei sentir saudades. – Rimos.

- Também irei sentir. – Então uma voz soou pelo aeroporto:

Senhores passageiros, o Voo 486 com destino à Londres-Inglaterra os espera. Dirijam-se ao portão 17, e tenham uma Boa Viagem.

- Tchau. Se cuida criança! – Acenou sorrindo.

- Irei! – Sorri de lado.

Rapidamente entro no avião, me acomodando em uma poltrona, e por sorte, a do lado ficou vazia. Então, pude me acomodar mais.

Fazia muito tempo que ele não me chamava de criança. Ser uma agente nessa idade te faz abrir mão de algumas coisas, como ser uma adolescente. Olhei para os meus fones, tudo vai dá certo. Coloquei-os e deixei permitir que o sono me levasse durante a viagem.

É, vamos para mais uma missão.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Não sei quando sai o próximo capítulo, pois essa semana eu irei estudar para a prova da minha vida - IF - e precisarei me concentrar bastante nessa ultima semana, mas assim que voltar, postarei capítulos mais rápidos prometo!

DIZENDO:

Esta será uma SHORT-FIC!

Até!♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...