História Um Psicopata Obsessivo - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Akatsuki, Obsessivo, Psicopata, Sequestro, Traição
Exibições 190
Palavras 2.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Plano B


Pov. Lu
Ai meu deus e agora? 
-Deixa eu beber um pouco mais- disse desviando do rosto dele.
-Eu sou tão ruim assim?- perguntou ele indignado por não ter lascado um beijo.
-Eu que sou a ruim.
-Não, você não é.
-Eu sei que não, não estou falando nesse sentido.
-E que sentido você está falando?
-Ah esquece- fui sair de perto dele mas ele me puxou pelo braço o que fez nossos corpos se juntarem e sim, começamos a nos beijar.
A partir de agora eu não sei de mais nada, não sei onde me meti, não sei se vale a pena, não sei se estou com medo ou tesão. Enfim.
Ficamos um bom tempo se beijando ali no meio da festa mesmo e só paramos porque alguém deu um empurrão na gente tipo sem querer sabe.
-Eu nem perguntei seu nome- disse assim que paramos de nos beijar, ele ficou um tanto quanto receoso de falar, chegou a hesitar mas logo soltou.
-Harry- disse ele e eu fingi que isso não me lembrava a nada- e o seu?
-Luiza- ele abriu um sorriso e voltou a me beijar mas logo eu parei o beijo e me afastei.
Ele me olhou com cara de quem não estava entendendo nada e eu apenas disse que ia tomar um ar.
Assim que sai da casa eu sai correndo da festa em direção a minha república. Meu deus eu estou surtando, não sei o que está acontecendo comigo.
Sorte minha que a república era duas quadras da festa então cheguei rápido, entrei e subi para o meu quarto para pegar a chave do carro.
A casa estava toda escura e eu não sei onde esta a bagaça de acender a luz, se eu não estivesse tão bebada como estou eu ficaria com medo, to sentindo que a bebida ta batendo aqui.
Entrei no meu quarto e deitei no chão, as coisas estão girando, se eu dirigir eu vou me matar, mas to com uma puta vontade de dirigir e fugir e sumir e morrer e fim.
-Você está bem?- olhei assustada para a porta e tinha uma pessoa, na verdade um homem, parada nela que começou a vir pra perto de mim.
-Estou- estou com medo isso sim- quem é?
Como as luzes estavam apagadas eu não enxergava nada além de sombras e borrões.
-Sua memória é péssima mesmo- Harry, ai deus do céu, não sério, por que eu vim pra casa sozinha? Eu pedi pra morrer né?!!
-Como você entrou aqui, quer dizer, por que você está aqui?
-Primeiramente você deixou a porta aberta lá embaixo, na verdade escancarada, eu vi que você estava meio bebada e decidi te seguir pra você não fazer bosta.
-Eu não faço bosta.
-Deixar a porta da casa aberta pra qualquer louco entrar e te estuprar não é bosta ne?
-Por que você está falando isso?
-Sorte sua que sou eu, pense se fosse um louco.
-Você é um louco...- merda por que diabos eu falei isso??? Lu não estraga o plano porra.
-Oi?
-É, veio me seguir.
-Só fiquei preocupado.
Ele sentou do meu lado e logo depois deitou, tipo se toca você acabou de me "conhecer" que abusado né.
Ai serio to passando mal.
Olhei para ele que estava com os olhos vidrados em mim e com um sorriso bobo no rosto.
-Mal me pegou e já se apaixonou?- não podia perder essa.
-Sai fora garota, só to te olhando.
-Ai que estupido, volta pra festa- disse sentando no chão com certa dificuldade.
-Você não ta legal ne- disse ele sentando também.
-Ai acho que vou gorfar- sai correndo para o banheiro da república já que no meu quarto não tem banheiro.
Gorfei muito, e acho que nem é por conta da bebida e sim uma mistura de medo com ansiedade e bebida.
Aos poucos fui apagando ali do lado da privada e só lembro do Harry segurando o meu cabelo, EU NÃO POSSO DESMAIAR COM ELE DO MEU LADO E SEM O ZAYN PRA ME PROTEGER!!! Porque eu voltei pra casa?!!!
(...)

Pov. Harry
Nem acredito que ela não se lembra de nada, se eu ganhei o meu dia? Obvio.
A minha chance de se aproximar dela aumentou em mil por cento, tipo a garota nem se lembra que eu sequestrei ela e muito menos que eu transei com ela. Se eu continuar fingindo ser um bom cara eu consigo comer ela rapidinho e sem ter o risco de parar na polícia.
Eu guardo muito rancor da Lu, ela me largou naquela floresta quando fui baleado e sumiu do mapa, sabe quanto tempo eu perdi pra achar essa vadia? Muito, mas sorte que tenho meus contatos que facilitaram muito essa busca.
Mas sabe ela é uma boa garota, diga se de passagem.
A merda é que ela esta em uma república de um cara que está atrás de mim faz um tempo. Se eu for pego nessa casa é fudição certeira.
Assim que ela se apagou do lado da privada eu a peguei no colo e coloquei na cama, tirei sua roupa que estava cheia de vômito e foi a maior tentação não comer ela. PUTA QUE PARIU.
Peguei o celular dela e com a digital da mesma desbloqueei ele, tirei uma fotinho minha com ela deitada de fundo, salvei o meu número como "Harry da festa" e deixei um alarme pro meio dia com a seguinte mensagem "me liga ptzera".
Espero ela entender e não se lembrar de porra nenhuma sobre eu.
Sai da casa e me dirigi para a festa, afinal é muito bom criar laços com algumas pessoas que moram na casa dela e que assolam essa faculdade.
Quanto mais no exército maior a chance de vencer a guerra.
Eu estou pensando em uma boa estratégia de como me aproximar dela, se ela não me ligar amanhã vou começar a apedrejar a amiga dela, que assim eu começo a ter mais contato com ela, mas esse seria o caminho mais longo.
O ideal é, ela me ligar e começarmos do zero, literalmente. 

Pov. Lu
Mal acordei e fui para o banheiro gorfar, definitivamente esse papo de nunca mais vou beber não funciona comigo direito.
Aproveitei que estava no banheiro e tomei um banho, peguei uma toalha aleatória e me enrolei para não ir pelada até o meu quarto, porque não tinha me programado de tomar banho.
O mais esquisito é que eu tava de calcinha e sutiã, ah dava no mesmo eu andar pelada e assim.
Entrei no meu quarto e coloquei uma roupa quente, odeio frio.
Peguei meu celular que estava sem bateria só para variar e coloquei para carregar.
Meu quarto esta fedendo álcool, capaz de eu ficar bebada só com o cheiro.
Abri as janelas e deixei um ar frio e limpo assolar o meu quarto.
Sentei no chão e fiquei encarando a bagunça que se encontrava o meu quarto, roupa suja em um monte no canto perto do guarda-roupa, maquiagem toda jogada na minha penteadeira, milhares de fio de cabelo no chão, ai que agonia.
Eu odeio limpar, mas ficar nessa condição está foda.
Esperei meu celular carregar e coloquei uma música para me animar a arrumar esse ninho de rato.
Peguei as roupas sujas e coloquei em um saco, vou na lavanderia porque não tenho saco de lavar, pendurar, depois pegar no varal, até porque aqui tem secadora mas está quebrada, beeeem inútil.
Vou aproveitar e tomar um café.
Peguei meu celular e o saco de roupas e desci para a cozinha, tenho um total de 30 reais que eu tenho que aguentar mais três dias, não dará pra eu tomar café da manhã na padaria novamente.
Eu preciso arranjar um emprego, antes eu tinha um, antes de ser sequestrada, mas depois tudo aconteceu tão rápido que eu nem tive tempo de me organizar para arrumar outro.
Cara não tem ninguém acordado ainda na casa, credo.
Peguei um pão fatiado e fiz um misto quente.
Sentei na mesa e comecei a comer.
Meu celular começou a tocar alarme, que merda é essa?
Olhei para a tela e estava escrito "me liga ptzera", oi?
Caralho já é meio dia e ninguém acordou ainda.
Entrei na lista dos contatos e tinha a porra do número daquele imbecil salvo.
Meu cu que eu vou ligar para ele, eu sei que tenho que seguir com o plano mas isso não está dando sabe, minha vida ta em risco e eu não consigo simplesmente fechar os olhos e ignorar isso, eu não sei se ele mudou e ta legal de verdade ou se eu estou caindo no jogo dele de acreditar nisso.
Eu não vou ligar.

Pov. Harry
O alarme estava programado para tocar meio dia, já são quatro da tarde. Que merda heim. Terei que seguir com o plano b.
Queria tanto que ela facilitasse a nossa aproximação, não quero forçar a nada por enquanto, mas se ela ficar empacando será foda.
Passei um perfume importado e fui de encontro com a galera da minha 
república. 
-Mudança de planos- disse entrando na sala, onde estava o Louis e uns parceiros.
-O que aconteceu?- perguntou o Louis já se levantando do sofá.
-Terei que me aproximar daquela amiga dela- disse sentando no sofá .
-E?
-E eu não sei, que merda! Quero sequestrar de volta essa vadia pra ver se ela me dá atenção.
-Você não disse que ela te beijou ontem?
-Exatamente, só beijou, mais nada.
-Calma Harry, nosso protegido vai dar um jeito de trazer ela pra você.
-Acontece que ele é um tapado que pelo visto não se aproximou dela ainda. Mande ele agilizar essa merda.
-Falarei com ele- disse o Louis.
-Agora eu vou dar uma esbarrada na amiga dela lá.
Sai da casa e fui em busca da Maju.
Andei pelo campus e não encontrei essa vadia.
Já está escurecendo.
Vou pro bar que eu ganho mais.
Fui para o bar da faculdade que sempre bomba quando não tem nenhuma festa. Hoje é um dia desses, em que a galera enche a cara e paga um fortuna.
Sentei na cadeira que dava direto pro balcão e pedi uma cerveja gelada para a garçonete que com seu decote cavado chegou a me hipnotizar.
-Não custa nada disfarçar- olhei para onde vinha a voz e dei de cara com a procurada!! Esse bar me traz sorte.
-Acho que se ela colocou aquilo é para ser visto e apreciado- disse com um sorriso de canto, meu plano é encantar essa menina e com isso me aproximar da Lu.
-Concordo com você, o que deus deu de bonito tem que ser visto- disse ela se apoiando com os braços no balcão, deixando a mostra o seu decote similar com o da garçonete.
-Por isso você está colocando tudo isso em jogo?- disse fitando seus seios. 
Ela se aproximou do meu ouvido, colocou a sua mão no zíper da minha calça e disse pausadamente:
-Eu estou sem calcinha.
Ela acariciou o meu pau por cima da calça e mordeu o labio.
To vendo que será muito divertido me aproximar dela. Na verdade estou chocado de não ter conhecido ela antes.
Sorri e ela retribuiu o sorriso.
-Na minha casa ou na sua?- diz que será na dela por favor!!!
-Vamos na minha- disse ela.
Eu amo ela a partir de agora, me colocará no território do inimigo e nem vai dar merda para o meu lado.
Nem esperei a garçonete trazer a minha cerveja e fui correndo para a república dela e da Lu.
Eu to morrendo de tzao com essa menina.

Pov. Lu
Aff meu, eu deveria ter ligado para ele, pode parecer loucura mas ele estava tão legal comigo ontem, nem parece que ele é aquele mala escroto.
Será que eu ligo? Se o Niall descobri que eu perdi essa chance de me aproximar dele ele vai me matar.
Que merda heim.
Falando em merda, a Maju dorme no quarto ao lado do meu, e tipo da eco. E agora to escutando ela gemendo pra caralho, como se tivesse na melhor transa da vida dela.
Não mereço isso. Escutar gemido só se for o meu ou dos vídeos porno quando estou me sentindo muito solitária, mas ao vivo e em cores é péssimo.
Apesar que parece que tá tão foda que eu vou lar perguntar se posso entrar junto nessa brincadeira. Só que não.
Peguei meu celular e tentei ligar para o Harry que não me atende.
Que merda heim, hoje não é meu dia de sorte.


Notas Finais


Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...