História Um romance proibido - Capítulo 84


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Personagens Originais
Tags Barbara Palvin, Justin Bieber
Exibições 235
Palavras 952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente.
Eu não consegui postar ontem , desculpa.
Hoje saiu um capítulo que bastante esperavam.
Boa leitura
Beijos

Capítulo 84 - Morte


Gabriella:

 Estava acordada a horas, não conseguia pregar os olhos que o pesadelo voltava a atormentar minha cabeça. Justin dormia como um anjo, sorte a dele. Decido ir ver minha irmã, já nos estabelecemos um pouco, todos já sabem que estou em Los Angeles. O que significa que a morte da Lúcia vai ser hoje ou amanhã. Vou pro meu banheiro e pego uma seringa.

Abro a porta do seu quarto, o segurança me olha e abaixa a cabeça. Vou pra perto da cama.

-Gabriella...- ela sussurra, provavelmente sonolenta.

-Boa noite. 

Aplico a seringa no seu pescoço, logo ela desmaia.

-Leva ela para a sala de tortura. Amarra ela em uma cadeira.

Ele assente, pegando ela no colo e saindo da sala.

Volto pra sala, indo para a cozinha. Pego um copo de água com açúcar, a gravidez nem começou e eu já tô assim. Abro a geladeira, atrás de uma coisa para comer. Nenhum doce nessa casa?

-Também tá atrás de doce?

Me viro e vejo a Caitlin.

-Sim, não tem um doce em casa?

-Não, os meninos comeram tudo.

-E as grávidas somos nós.

Subo em cima da cadeira, abro um armário e vejo uma bolacha doce.

-Tem bolacha doce.

-Pode ser, eu quero glicose no sangue.

Ri, jogo a bolacha para ela.

Desço da cadeira e a coloco no lugar que estava. Caitlin abre a bolacha, pegando uma.

-Me dá.

Ela me entrega o pacote, ficamos comendo as bolachas, conversando até ela voltar para o quarto. Arrumo a cozinha e resolvo subir, entro no quarto e vejo Justin dormindo. Fico o olhando.

-Você tá me observando.

-Fiz isso por várias horas.

-O que aconteceu?

-Nada.

-Vem cá.

Volto pra cama, ele me abraça abrindo os olhos.

-Me conta.

-Não é nada.

-É sim.

-Hoje nós vamos ter que matar a Lúcia. 

-Legal.- ele fica me olhando.- agora me conta a verdade.

Justin:

Ela não quer me contar, aposto que é sobre o pesadelo. 

-Me conta. Confia em mim.

Ela respira fundo e me conta todo o pesadelo. No fim da história, estou de boca aberta.

-Anjo! Eu nunca faria isso!

-Eu sei.

-Quem é Cleber?

-Um ex meu.

-Já não gosto dele.

Ela ri, o sol ja estava invadindo o quarto.

-Vocês tem que fazer compras, eu preciso de doce.

-Já vai começar com isso de desejos?

-Não, só quero doces.

Ela me abraça.

-Sabe o que eu quero agora?

-Humm?

-Sexo.

Ela me olha.

-Mas eu não quero.

-Gah...

Ela me beija, puxo a nuca dela, a fazendo se aproximar.

-Te amo, mas agora não.

Ela se levanta saindo do quarto. Mulher difícil.

Me levanto e vou me arrumar.

Gabriella:

As meninas já estavam acordadas.

-Eu escutei gritos mais cedo, vindo da sala de tortura. O que era?

-Deve ser a Lúcia, ela vai morrer hoje, mas não sabe. Mandei colocar ela lá.

-Finalmente vai matar a demônio.

Rimos, vou, vou matar ela e vai ser daqui a pouco.

Tomamos café da manhã, todos juntos, depois os meninos foram fazer compras, eu e a Cait mandamos.

-Vamos meninas.

-Vamos pra onde?

-Por um fim na Lúcia. 

Elas me acompanham até a sala de tortura. 

-Gah, você está no segundo comando daqui, conseguimos formar aliados, comprar boates, conseguir fornecedores é comoradores, se matar a sua irmã, você manda em Los Angeles.

-Ok.

Abro a porta, o guarda estava lá, e a minha irmã também, amarrada.

-Me solta Gabriella.

-Não, eu vim para Los Angeles com um objetivo, e eu vou cumprir ele. Não importa essa sua história dramática, eu não caio.

As meninas pegam uma tesoura.

-Abre a boca.

Ela nega.

Ashley da um soco na barriga da mesma, o que faz ela abrir a boca.

Julie segura a língua dela enquanto Caitlin a pergunta com a tesoura, vou até a mesa, escutando os gritos dela. Lego um alicate, perfeito.

Volto pra onde elas estavam. Pego uma mão dela e arranco seu dedo fora. Ela grita, arranco suas unhas, uma por uma. Arranco seus seios, corto seu cabelo. As meninas me ajudam, no estado atual dela, está toda rasgada, sua boca está cheia de sangue. Seu corpo está roxo pelos socos que eu dei.

-O que fazer agora?

Julie volta com álcool na mão e um fósforo.

-Que tal?

-Perfeito.

Jogo álcool em cima dela.

-Por favor não, eu imploro. Não faz isso.

Ela fica implorando, já está me irritando.

-CALA A BOCA!

Pego uma faca e faço um rasgo na barriga dela, a mesma grita.

-Coloca fogo.

Julie pega o fósforo e joga nela, logo uma chama intensa surge, junto com os gritos.

Ela vai morrendo, aos poucos, assim como eu "morri" alguns anos atrás, lentamente e dolorosamente. Como um fogo, que não cesa até destruir tudo por inteiro. 

-Adeus maninha.

-Pois é, menos um da família Bruke.

Rimos, pra você ver, quase toda minha família quer me matar.

Saio da sala de tortura quando tive certeza que ela estava morta, arrancamos a cabeça dela, vamos deixar em uma praça, Los Angeles tem uma nova dona.

-Terminaram lá baixo?

-Sim, Kevin pendura isso em algum lugar.

Caitlin entrega a cabeça dela para ele, que pega com certo nojo.

-Credo, compramos os seus doces, agora que ela está morta, você é dona de Angeles, o que vamos fazer agora? 

-Vamos voltar para Atlanta, consegui que uma pessoa de confiança ficasse aqui e cuidasse do meu império, ninguém vai querer me atacar agora. 

-Sim, quando vamos voltar para Atlanta?

-Amanhã. Vocês demoraram, saíram de manhã bem cedo e só voltaram agora, quase no fim do dia, o que foram fazer de verdade?

-Mais uma cidade dominada, agora San Diego pertence ao Bieber.

-Dominou outra cidade sem me contar?

-Foi mal anjo, você estava ocupada dominando Los Angeles. Agora Los Angeles, Atlanta, Las Vegas, San Diego nos pertence. 

-Pensando por esse lado, foi até fácil demais dominar Los Angeles.

-San Diego foi um pouco mais difícil, mas tranquilo. Qual o próximo passo.

-O próximo passo vai ser eu dominar San Francisco e você dominar San José, Califórnia é quase nossa por inteira, vamos dominar agora um estado.

Ele sorri, antes eu só dominava Vegas, agora praticamente vou dominar um estado.

-Fechado, Califórnia vai ser nossa. Ainda falta bastante.

-É só atacar o núcleo, tomar algumas cidades e pronto.

Todos comemoram. 

Califórnia.






Notas Finais


Finalmente Lúcia morreu.
O que acharam da ideia de Califórnia pertencer a Bruke?
Boa né?
Eu também achei.
Kkkk
Beijos #california


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...