História Um sentimento estranho - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance Gay
Visualizações 43
Palavras 1.280
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Cap: 6


Quando Pedro entrou na sala ele olhou para todas as bancas uma por uma 3 vezes até ter certeza de que Felipe não estava lá. quando tentou sair foi barrado pelo professor que logo o mandou sentar com a voz firme, enfurecido mas silencioso o garoto se sentou e na mesma posição ficou.

PORRA ESSA AULA NÃO ACABA?, - pensava não conseguindo parar sua perna que já se encontrava formigando de tanto atrito com o chão.- PORRA ONDE ELE ESTÁ ?  VAI GAZEAR A AULA TODA??? SERÁ QUE ELE SABE QUE ESSA MATÉRIA É IMPORTANTE??? SERÁ QUE É TÃO BURRO ASSIM???- pensa olhando pro professor e reconheceu que era o de português  - e se ele voltou a chorar? e se ele estiver chorando agora?- o coração do menino entra em desespero- oque deu nele para acabar daquele  jeito? talvez algo de família, infância?..

- LICENÇA!!! posso ir ao banheiro? - fala já se levantando com o braço estendido tentando chamar atenção.

- Não -  fala o professor o olhando.

- Eu não to aguentando sério, preciso ir no banheiro agora - colocou a mão na barriga e se contorceu fazendo uma cara de dor.

- Vai logo Pedro - diz voltando a escrever no quadro.

O garoto saiu correndo em quanto todos riam..

Não tendo noção  de onde o menor  possa ter ido, Pedro vagou sem rumo por todos os lugares que achou que ele poderia estar. A cada passo que ele dava mais seu coração se apertava, ele avia beijado um garoto e agora estava procurando por ele. Varias coisas passaram por sua mente na quele momento mas Pedro só conseguia focar em achar Felipe, aquela tinha se tornado sua prioridade, não conseguiria pensar sobre si mesmo quando está preocupado com um nanico escondido em algum lugar do prédio, possivelmente chorando ou confuso, por mais que Felipe não fosse tímido, Pedro sabia que o mesmo era frágil e solitário.

Já era a segunda vez que Pedro subia para o terceiro andar, mas dessa vez ele escutou ruídos, e os seguiu até começar a ouvir uma melodia, franzindo  o senho ao ouvir alguém cantando, uma vós masculina ressoava por todo o corredor, a letra entrava pelos seus ouvidos como cheiro de chuva de verão, o acalmando, arrepiando cada extremidade do seu corpo. Pedro mal conseguiu segurar o sorriso ao ver Felipe no centro da sala de dança, deixando que sua voz explodisse tudo em sua volta, ele não conseguia acreditar que algo tão lindo passará por seus ouvidos, o mesmo não percebeu Pedro entrar e continuou sentindo a música falar por si.

Você é lindo de tantas formas... como não vou me apaixonar quando todos os dias você me mostra um lado diferente que me encanta cada vez mais..

 1, 2, 3 1, 2, 3 drink

 

 1, 2, 3 1, 2, 3 drink 

 

1, 2, 3 1, 2, 3 drink

 

 Throw em back till I lose count 

 

 I'm gonna swing from the chandelier, from the chandelier 

 

I'm gonna live like tomorrow doesn't exist Like it doesn't exist

 

 I'm gonna fly like a bird through the night 

 

Feel my tears as they dry 

 

I'm gonna swing from the chandelier, from the chandelier 

 

 And I'm holding on for dear life

 

 Won't look down, won't open my eyes

 

{ link dele cantando lá em baixo *-* }

Quando Felipe viu Pedro lá, parado, com um sorriso majestoso em seus lábios, procurou uma saída, queria correr, sair de lá o mais rápido possível, ele nunca havia cantado pra ninguém, e deixar a pessoa que ele pode estar extremamente apaixonado o ouvir cantar assim, tão abertamente, tão exposto, ouvindo cada parte de si, era arrebatador, suas bochechas brilhavam ao rosado forte.

  Pedro continua parado, não consegue reagir ao que tinha acabado de ouvir..

Lindo, engraçado, extrovertido, fofo e ainda canta - pensou bufando com um sorriso idiota - como o mundo é injusto

- Qual a graça? - perguntou ressentido 

- Eu te odeio - falou com um sorriso, e o menor não conseguiu segurar um, e expôs os seus dentes perfeitos numa linha perfeitamente desenhada pelos seus lábios grossos. 

Fdp -  pensou Pedro se aproximando da quelas bolas azuis brilhando com o reflexo da luz do sol.

Pedro segurou seus braços e o puxou contra si, o fazendo se chocar contra seu corpo. Felipe não podia disfarçar o desconforto de não saber como reagir aquilo, seu amigo, o cara por quem estava apaixonado, tão de repente mostrando sinais de que oque ele sentia não era platônico ... não tinha ideia se entregava-se, ou se contia... não queria que sua relação com o maior mudasse, e se depois de um tempo o maior se tocasse que não era quilo que ele queria.. com quem ele queria.. com outro homem.. Felipe não poderia se arriscar, puxou seus braços de volta, se afastando dos olhos castanhos em seguida.

- Você gosta dela Pedro, não de mim. - disse de cabeça baixa

- Do que você está falando?

- Julia. Não precisa ser observador pra notar como você olha pra ela... perguntei a Ana, e ela me disse oque se passou entre vocês dois. Se envolver com um cara não vai te fazer esquece-la. Não é isso que você quer pra sua vida, você não é.. você não é assim, então pare de pensar que eu possa aliviar a sua dor, Quando não é oque você está buscando.

Pedro o olha completamente perplexo.

É isso que ele acha de mimi, que eu estou o usando?

- Você não sabe de nada Felipe

Foi a única coisa que pode dizer antes de avançar nos lábios macios do menor, segurando o rosto do mesmo com as duas mãos, pedindo para que ele cedesse e se entregasse a ele, e foi oque Felipe fez, não podia negar que estava apaixonado, e que não precisava de muito para se entregar a Pedro, isso era ruim, mas o menor não se importava. Vendo que o menor avia cedido, Pedro invade sua boca e consegue se perder entre a língua do menor. Aquilo era surreal, os dois brigavam por controle, por mais, mas Felipe sempre cedia aos encantos e caricias de Pedro. Quando Pedro sentiu a mão do menor segurar a barra da sua camisa, a puxando levemente pra cima, o outro braço do menor rodeando a sua cintura, o puxando pra mais perto, fazendo seus abdomens se tocarem, uma onda de calor tomou o corpo do mesmo fazendo o beijo ficar mais agressivo e selvagem, sua luxuria transbordando de excitação o fazia ficar descontrolado. Já deitado o menor sobre o chão, Pedro percebeu as mãos de Felipe puxando a manga da sua camisa para baixo, sua  boca estava entre aberta suplicando para ser possuída, o mar de seus olhos lê pedia por mais, Pedro sorriu ao notar a ereção do menor tocando sua coxa e se assustou ao perceber que também estava excitado, dolorosamente excitado, ficando frustado por estar assim por outro homem. Pedro olhou para o menor que suava pelo calor e o peso do corpo de Pedro sobre si, e viu que poderia estar cometendo um erro, não era dessa forma que ele imaginava os seus sentimentos pelo menor, Felipe era seu amigo, por mais que seu coração falasse que quisesse mais, seus pensamentos o repreendiam o martirizavam a cada segundo.

Ele é outro homem, oque você está fazendo? oque falaram de você? é isso que quer ser.. assim que quer ser visto? oque seus pais vão dizer de um filho gay?

- Acho que é melhor.. a gente se acalmar um pouco - falou, vendo Felipe tomar sua compostura de uma forma desajeitada

- É..  - disse extremamente frustado.

 

 

 


Notas Finais


https://youtu.be/73YTz8RC2Fo

*-* ♡ aproveitando o vídeo, esse é ele mesmo tá.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...