História Um sequestro milioná...Ops! - HIATUS - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Clarke Griffin, Lexa
Tags Clexa
Visualizações 138
Palavras 862
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite ....

Capítulo 8 - Dia 3


Clarke PVO

 

Abro meus olhos e me expreguisso; olho para o lado e vejo a "sequestradora" que agora eu sabia que se chamava Lexa, dormindo. Fico à observando e pensando qual o motivo que levou a ela pensar que poderia sequestrar alguém; eu estava aqui por livre e espontânea vontade. Se eu quiser ir embora só preciso pular a janela e descer pelas escadas de emergência. Mas prefiro esperar a poeira abaixar e depois sair daqui e ligar para minha familia avisando que estou em uma praia paradisíaca e só volto...não, não volto. Meu pai acabaria comigo. Até consigo ouvir suas lamentações de como fui uma filha irresponsável e traidora; isso porque ele nem sonha que minha vó, sua mãe, que me ajudou a fugir. Fico meditando em minha fuga quando sinto Lexa se mexer assutada. A encara e a vejo se afastar tão assustada de mim que acaba caindo no chão.

 

– Ai , aí...— fala se levantando com as mãos nas costas. Eu a encaro confusa mais logo começo a rir. Ela me encara com os olhos cerrados e nega com a cabeça; se alonga numa tentativa de amenizar a dor.

 

– Machucou? — pergunto entre as gargalhadas. 

 

– Ha-ha-ha, que engraçado. Estou rolando de rir! — fala mal humorada. Paro de dar risada e me levanto da cama indo em sua direção; faço menção de olhar suas costas mais ela se afasta. – Esta tudo bem, só me assustei com você aí na minha cama e...

 

– Eu não sou tão feia assim Lexa! — afirmo. Ela me encara piscando várias vezes; parecia estar analisando meu rosto.

 

– Não foi nesse sentido! Você não é feia e eu ...— ela arregala os olhos ao se dar conta que me chamou de bonita indiretamente.  A encaro e cruzo os braços esperando ela terminar de falar; Lexa bufa e sai em direção a porta.

 

– Eu também te acho bonita Lexa! — falo alto. Ela sai do quarto batendo a porta enquanto eu fico no mesmo e me joga na cama. Fico algum tempo ali e organizo a cama indo para a cozinha. Ela tinha voltado a se fechar, havia algumas coisas na mesa e eu comi. Lexa não dera uma palavra, saia de vez enquando mais logo retornava. Estava desinquieta e ansiosa, o cigarro não saia de sua mão e isso me incomodava completamento. Durante a tarde brinquei um pouco com Rex que estava tristonho; Lexa não estava lhe dando atenção; parecia estar no mundo da lua.

Fui para o quarto e tirei um cochilo acordando de tardezinha; me levanto e tomo um banho pegando uma roupa da minha sequestradora novamente. Vou até a sala e vejo Lexa sentada na pequena poltrona de sua sala fumando. Respiro fundo e vou em direção a ela, tomo o cigarro da sua boca e o jogo no chão pisando por cima em seguida. Ela me olha espantada e incrédula da minha ação. 

 

– Qual o seu problema? — pergunta se levantando e me olhando irritada, muito irritada. 

 

– Você! Você é a droga do meu problema. Você me mantém aqui quando na verdade não consegue manter nem a si mesma. Passa a maior parte do tempo emburrada e fumando essa coisa como se fosse te libertar se sei lá o que você está passando. Não ri, não chora, você não vive Lexa!!! Sei que você está pouco se importando comigo, mas olha pra você, está se acabando. Não está dando atenção nem para o Rex!!! Você está se matando, se fechando... não vou ficar de braços cruzados vendo uma pessoa jovem e bonita como você acabar com sua vida, não enquanto eu estiver aqui! E... se eu estiver certa, ainda me resta quatro dias pra isso! — digo e viro as costas para sair da sala quando ela me puxa de volta. 

 

– Você tá achando que pode falar o que quiser e virar as costas!? Deixa eu te avisar uma coisa loira, você não pode. Você não sabe nem o que tem a frente do seu nariz; cresceu em berço de ouro, não sabe nada sobre a dureza da vida. — fala olhando em meus olhos. Ela estava irritada e segurando forte meus braços; e eu não estava me sentindo intimidada. Me cansei de vê-la daquela forma, tinha apenas três dias e esse jeito dela estava tornando esses dias uma eternidade. 

 

– Eu posso ter crescido em berço se ouro como você diz....mas isso não me impediu de reconhecer quando alguém precisa de ajuda, quando alguém está perdido. E você Lexa, me parece ser essa pessoa! — afirmo. Ela engole em seco e trinca o maxilar.

 

– Pare de falar o que você...

 

– Se não precisasse não teria me sequestrado, você precisa de ajuda...

 

– Pare Clarke! — ela diz mais alto e me trazendo mais junto de seu corpo. Nós olhavamos com raiva, Lexa estava ofegante, irritada. 

 

– Não, você precisa acordar e deixar que alguém te....— não termino minha frase. Sou surpreendida por Lexa selando nossos labios. Dou alguns passos para trás enquanto ela permanece com seus labios sobre os meus; fecho os olhos sentindo aquele encostar de labios. Ela se separa e me fita com os labios entreabertos. – O-o que foi isso?  — sussurro a fitando.

 

– Você não calava a boca! — fala baixinho.


Notas Finais


Deixem suas "opineixons" e até mais .. :-D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...