História Um sonho - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe
Tags Nalu
Exibições 21
Palavras 2.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Luta, Magia
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii, tenham uma boa leitura.

Capítulo 2 - O plano.


  Lucy P.V.O

  Hoje eu vou por o meu plano em ação, aí vocês perguntam mas que plano? Lembra que ontem eu falei que eu ia ajudar o Gajeel? Então hoje eu vou dar uma ajudinha pra aqueles dois lerdos, eu acabei de acordar e já faz dez minutos que estou aqui na cama mó preguiça de levantar... Ai meu deus! Eu estou atrasada! Fiquei boiando aqui nos pensamentos e me atrasei. Eu me arrumei correndo, coloquei o uniforme da escola que é uma saia que vai até o meio da coxa e uma blusinha com o logo da escola, peguei meu material e fui correndo pra sala, eu esbarrava em tudo que é pessoa, até virar o correndo e caí no chão adivinha por quê? Esbarrei em outra pessoa e adivinha quem foi? Se voce disse o Natsu você está completamente certo.

  - Me desculpe. - eu disse esperando ele dizer algo mas quando eu olhei nem lá ele estava mais. - Que carinha mal educado hein. - eu disse em um sussuro pra mim mesma.

  Segui até o quuarto de Levy mas eu duvido que ela ainda esteja lá, aí vocês perguntam por que que eu to indo então também não sei.

   - Levy? Você está aí? - eu perguntei batendo na sua porta.
   - Estou sim. - disse ela abrindo a porta. - Vamos? - ela perguntou.
   - Vamos. - eu disse e nós fomos pelo corredor até chegarem umas crianças.
   - Oii tia será que podemos ser sua filha de mentirinha? - uma das crianças perguntou pra Levy.
   - Eu também quero ser sua filha! - a outra criança disse.
   - Por mim tudo bem. - a Levy disse contente vendo aquelas crianças irem embora.
   - Estou indignada. - eu disse fazendo drama.
   - Por quê? - ela perguntou.
   - Você já tem duas filhas e eu não tenho nenhuma filha. - disse quase chorando, sim sou muito dramática.
   - Calma Lucy, você ainda vai ter uma filha. - Levy disse me consolando.
   - Tudo bem vamos pra aula. - eu disse normalmente.
   - Nem um pouco bipolar...  - sussurou Levy.
   - Disse alguma coisa? - eu perguntei.
   - Nadinha. - ela disse e seguimos pra aula.
  
   Chegando lá eu e Levy nos sentamos em nossos lugares e claro que eu fui perturbar as outras meninas.

   - Oi meninas. - eu disse.
   - Oi Lucy. - disseram todas juntas.
   - E aí estão bem? - perguntei.
   - Sim e você? - disseram todas juntas.
   - Caraca daqui a pouco vão virar coral de igreja vocês só falam em uníssono.
   - Pois é. - disse a Erza.
   - Vocês estão falando sobre o quê? - eu perguntei.
   - Estamos tentando descobrir o porquê da mão da Cana estar doendo. - disse Mira.
   - E o que vocês acham que são?
   - Juvia acha que é porque ela bebe muito. - disse Juvia.
   - Eu acho que é porque ela dormiu de mal jeito. - disse Levy.
   - Eu acho que é porque ela bateu a mão em algum lugar e não percebeu. - disse Erza.
   - Eu acho que é porque ela deve ter pegado uma doença. - disse Mira.
   - Eu acho o mesmo que a Mira-san. - disse Wendy.
   - Sabe o que eu acho? - eu perguntei.
   - O quê? - perguntou Cana.
   - Que sua mão está doendo de tanto você bater punheta. - disse fazendo gestos com a mão como se eu tivesse batendo punheta fazendo as meninas rirem.
   - Meu deus Lucy. - disse Levy.
   - A única que tá certa aqui é a Levy. - disse Cana.
   - Haha eu sou hardcore. - disse Levy.
   - Mas a Lucy também não estava mentindo. - disse Cana
   - Silêncio. - disse o professor entrando na sala. - Boa tarde.
   - Boa tarde. - respondeu a sala.
   - Vou passar um trabalho em dupla. - disse fazendo alguns alunos levantaram a mão. - Não, não podem ser em trio e quem vai escolher as duplas sou eu. - disse o professor.
   - Aff que professor veado. - eu disse sem querer em voz alta fazendo o professor ouvir.
   - Disse alguma coisa senhorita Heartfilia? - perguntou o professor bravo.
   - Hã? Eu? Não disse nada não professor do meu coração. - disse fazendo um coração com minhas as mãos.
   - Acho bom mesmo. - disse ele virando de costas e logo dei língua pra aquele veado. - As duplas serão Wendy e Mira, Juvia e Gray, Erza e Cana, Gajeel e Levy... - E foi falando as duplas até chegar em mim. - Lucy e Natsu... - PERA... O QUÊ?
   - COMO ASSIM PROFESSOR? - eu disse gritando.
   - Isso mesmo que ouviu, algum problema? - Grr odeio esse professor.
   - Nenhum. - eu disse.
   - Vocês receberam um tema e terão que falar sobre ele e é pra entragar mês que vem. - disse o veado ops o professor.

   Finalmente a aula desse coroa acabou agora é aula de artes e como aqui no internato é sala ambiente (onde os alunos trocam de sala) fomos andando até a sala dele, sabe aquelas mesas normais de alunos? Aqui os professores pegam as mesas e juntam formando a mesa deles ai quando a Levy chegou na sala dele pegou uma mesa (tinha três caderas juntas) e lógico que eu peguei a mesa do professor e o otário nem percebeu só depois de alguns minutos.
 
   - Quem foi que pegou a minha mesa? - disse o professor sério mas ninguém respondeu. - Vou repitir mais uma vez, quem pegou a minha mesa? - Mano eu tava me segurandopra não rir a cara dele tava zoada demais. - Ótimo ninguém vai sair daqui até não me contarem. - disse e logo ouviram as reclamações.
   - Fui eu. - eu disse me levantando mas ouvi uma voz falando junto comigo e logo vi que era o Natsu.
   - Qual dos dois? - disse o professor.
   - Eu. - eu e o Natsu falamos juntos.
   - Ótimo, os dois pra fora. - disse o professor e eu e o Natsu saímos e quando eu ia sair da porta disse.
   - Toma cuidado professor que daqui a pouco vão roubar seu cabelo... ae você não tem. - disse mandando beijinho fazendo ele ficar furioso.
   - Saia daqui já. - disse ele bravo.
  
   Natsu P.V.O

    Aquilo que a loira fez foi realmente engraçado, ela é bem engraçada, mas eu realmente não sei o porquê de eu ter falado que fui eu, por que será que eu falei? Afinal eu não tenho sentimentos eu fui tirado dos meus pensamentos quando ela perguntou.

   - Por que fez isso? Ela perguntou.
   - Isso o quê? - eu perguntei
   - Por que falou que foi você que roubou a mesa? - ela perguntou curiosa.
   - Eu queria sair da sala. - eu disse.
  
Lucy P.V.O

   Eu queria realmente saber o porquê do Natsu ter falado que foi ele, será que ele quer ser meu amigo? Eu nunca tive um amigo garoto então deve ser legal então logo perguntei.
 
   - Por que falou que foi você que roubou a mesa? - eu perguntei curiosa já que queria mesmo saber vai que ele quer ser meu amigo.
   - Eu queria sair da sala. - ele simplesmente disse como se fosse nada, mas a Lucy aqui nunca desiste e por que eu estou falando em terceira pessoa? Eu sei lá.
   - Nós podemos ser amigos? - eu perguntei a ele.
   - Eu não sinto nenhum sentimento. - ele disse.
   - Tá, mas podemos ser amigos? - eu disse praticamente ignorando o que ele disse.
   - Não ouviu o que eu disse? Se eu nao sinto sentimento algum não posso ser seu amigo. - ele disse, eu segurei o braço dele fazendo ele parar, eu fui a frente dele e segurei seus ombros.
   - Deixa eu te ajudar, eu posso te ajudar a ter sentimentos novamente. - eu disse olhando profundamente nos olhos deles.

   Natsu P.V.O

   - Deixa eu te ajudar, eu posso te ajudar a ter sentimentos novamente. - eu disse olhando profundamente nos olhos deles.

   Quando ela disse isso eu senti uma coisa que nao sentia a muito tempo, maseu nãoposso ter sentimentos novamente, eles só me atrapalham e me destroem.

   - Entenda garota, não quero ser seu amigo. - disse a empurrando fazendo a mesma cair no chão, realmente eu nãoqueria fazer isso mas é a única forma dela não sofrer, eu não olhei pra trás e e fui treinar um pouco ja que logo seria o intervalo.

    Lucy P.V.O

   - Entenda garota, não quero ser seu amigo. - ele disse me empurrando o que me fez cair.

   Eu sei mal o conheço mas o que ele me fez me fez ficar muito triste eu ja disse que eu sou dramática né? Eu tava quase chorando ali, mas aí eu lembrei que eu nunca desisto né? Logo pude ouvir o sinal para o intervalo e é agora que eu vou por o meu plano em prática aí vocês perguntam "Mas que plano?" Simples o plano M.G (missão GaLe) vou juntar aqueles dois, eu procurei as filhas da Levy e logo expliquei tudo pra elas.

   Levy P.V.O

   Minhas filhas aparaceram e estavam me levando pra nãosei aonde falando que tinha encontrado o pai delas e quando chegamos era um jardim lindo e o Gajeel estava lá.

   - Oi Gajeel. - eu disse.
   - Oi Levy. - ele disse.
   - Minhas filhas que te trouxeram aqui? - eu perguntei.
   - Sim, elas disseram que eu sou o pai delas. - ele disse rindo.
   - Voce é o nosso pai mesmo? - disse uma das minhas filhas.
   - Err.. sou. - PERA O QUÊ?
   - Aeeeee! - todas as minhas filhas estavam gritando e pulando.
   - Mamãe beija ele! - disse uma das minha filhas.
   - Não filha. - eu disse.
   - Beija por favorzinho! - disseram elas.
   - Err eu nao po... - fui interrompida com um beijo de Gajeel, naquele momento meu mundo parou aquele momento foi mágico logo nós fomos nos
       - Err eu nao po... - fui interrompida com um beijo de Gajeel, naquele momento meu mundo parou aquele momento foi mágico logo nós fomos nos separando e lógico que eu estava super vermelha e as crianças estavam gritando que nem loucas.
    - Desculpa. - Gajeel falou mas logo foi surpreendido quando eu beijei ele.

   Lucy P.V.O
 
   Haha meu plano deu certo, sim estou vendo tudo de longe mas agora infelizmente o sinal do intervalo bateu indicando que agora voltou o inferno, nós tivemos mais três aulas e é claro que em todas eu zuei por que eu nao sou eu qiando eu nao fico zoando Levy me chamou pra se despedir das filhas delas e eu nem trnho uma.

   - Tchau filha. - disse Levy.
   - Tchau mamãe. - disse a filha dela
   - Tchau filhinha. - disse Levy pra outra filha dela e finalmente a última a Levy já deve ter dado tchau pra quantas crianças?
   - Tchau mamãe. - disse a Levy.
   - Essa é sua madrinha. - disse apontando pra mim.
   - Hã? Eu? - eu disse confusa mas logo senti a filha dela me abraçando.
   - Tchau madrinha. - ela disse e logo foi embora e eu fiquei lá com cara de boba.
   - EU TENHO UMA AFILHADA! - eu disse chorando de emoção, eu me joguei no chão e fiquei me rolando até eu olhar pra cima e ver alguém - Oi.
    - Oi boa noite. - ele disse e logo eu me levantei vendo que era o senpai da Levy.
   - Vou deixar os dois pombinhos em paz. - eu disse indo embora vendo a Lecy ficar vermelha.

   Eu fui andando pelos corredores até encontrar o Natsu.

   - Natsuuuu. - disse chamando a atenção dele mas quando ele viu que era eu continuou a andar como se nao tivesse me visto. - Vamos ser amigos por favor? - Eu disse e fui completamente ignorada.

Grr. Essa tarde passou rápido eu fiquei fazendo altos nadas e provavelmente a Levy deve ter dado uns pegas no Gajeel aquela safada e agora eu estou indo pra janta e pela sorte que eu tenho eu encontrei o Natsu.

   - Vamos ser amigos? - eu perguntei.
   - Não. - ele disse.
   - Por favorzinho. - eu disse fazendo carinha de gato de botas.
   - Não. - ele disse.
   - Aaaaaa vai. - eu disse.
   - Eu ja disse que não. - ele disse e foi embora e eu segui ele e o otário nem percebeu e logo vi ele comendo uma albina, quer dizer que comer as garotas ele pode mas agora ser meu amigo não pode mas que cachorro, deoois dele comer aquela prostituta ele foi comer comida comestível e eu me sentei na mesma mesa que ele.

   - Vamos ser amigos? - eu perguntei.
   - O que está fazendo aqui? - ele perguntou.
   - Estou comendo junto com o meu amigo. - eu disse.
   - Nós não somos amigos. - ele disse.
   - Somos sim. - eu disse.
   - Não somos não. - ele disse.
 
   E assim foi o resto do dia eu passei insistindo e ele não deixou mas eu nao vou desistir ele ainda vai ser o meu amigo.

   

 


Notas Finais


Obrigada por terem lido ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...