História Um toca discos lapidado em falhas


Escrita por: ~


Sinopse:
Uma súplica por um canto de notas agudas, por mais que fosse meio rouco, e a vontade de ser arranhado de novo e novo pelo toca discos.

[Yoonseok] [Hopega]
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga
Tags Hopega, Sobi, Sope, Umas Coisas Nada A Ver, Yoonseok
Exibições 58
Comentários 3
Palavras 500
Terminada Sim

Fanfic / Fanfiction Um toca discos lapidado em falhas
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shonen-Ai, Slash
Avisos: Álcool, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1.
Assine o termo de contrato vitalício
3
58
500

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por ~Sobrecomum
Capítulo 1 - Assine o termo de contrato vitalício
Usuário: ~Sobrecomum
Usuário
MEU DEUS
Jac, isso tá tão lindo!! Aaaaa como eu amo as suas coisas.

Queria ser capaz de explicar tudo que me veio quando eu li. Mas me falta um tato, que tão facilmente vejo no seu modo de escrever a si e que me assola antes que eu possa reagir. É que seus sentidos me evocam um monte de pedacinhos de sentir que eu – involuntariamente – arrasto pra um canto longe das vistas. E, obrigada, mesmo, por me obrigar a olhar pra tudo isso. Por escrever tão completo que me faça deixar de respirar sem nem notar que o estou fazendo.

Parece muito que vou lendo e puxando um cordão infinito de um universo totalmente seu, e que me tem totalmente para si. Por favor, me aceita nesse universo que você chama de escrita, quero ficar por aqui.

É bem provável que esse Yoongi seja você, e, se quer saber, eu juro que o abracei. Abracei todo seu jeito meio torto de lidar com as coisas e sua mente um tanto caótica que vai de tinta a óleo a chuvas torrenciais em um parágrafo, sem nem ao menos se perder no caminho. Parece rotineiro para ele caminhar sobre os destroços de si, sem medo de perder a coerência ou a si mesmo. Vai se equilibrando no meio-fio das próprias calçadas rachadas, acostumado à própria desorientação.
A menos que na rota disso tudo esteja um Hoseok.

O que mais me veio à cabeça enquanto lia é que Yoongi tem sim um bocado de sensação e sentimento, todos guardados de uma forma, quem sabe, escancarada. Mas parece que nada disso serviria se fosse dito em voz alta, nada disso serviria se ele se escutasse prometendo um universo de vazio a Hobi, quando, finalmente, as coisas parecessem reais. É um medo e um meio desgosto de si tão, tão válido, mas tão, tão triste. Me diz, pra quê?
Eu fiquei mesmo toda quebrada ao ver que eu tenho esses mesmos desencaixes. Tanto que nem sei mais se eu me joguei no texto ou se joguei o texto em mim.

Em cada extremo, é bonita demais essa capacidade de desmontar as pessoas com umas palavras tão incríveis quanto sonhar com a glória dos derrotados. Me deixa dizer pro Yoongi que o jeito é viver cultivando essas esperanças, que a gente precisa de algumas pra não ficar de todo saturada.

E que, talvez, mais difícil que amar em voz alta seja deixar livre esse menino de olhos profundos. Acho, sim, que Min o ama, mesmo que tenha essas negações um tanto desesperadas.
Mal sabe que esses limites são capazes de tornar o seu amar numa coisa tão única e repleta.

Antes que eu fale mais um monte de coisa sem nexo, me deixa terminar dizendo que você escreve tão bem que me tem sem querer, sem ver. E isso é fatalmente inacreditável.
Toda parte disso.

cof cof te amo cof cof
coraçãozinho azul