História Um Toque de Sangue (Jungkook) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Vampire, Vampiro
Exibições 128
Palavras 1.341
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Hentai, Luta, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Min Yoongi


Fanfic / Fanfiction Um Toque de Sangue (Jungkook) - Capítulo 5 - Min Yoongi

O cara era muito mais branco do que os outros. Parecia ser de açúcar e que se molhasse ele derreteria todo. Lembrei do que Jimin o havia chamado. “Suga”. Que ironia...

O cara não conseguia tirar os olhos de mim, mas ele me olhava como se já me conhecesse de algum lugar. O pior é que eu tava certa.

Yoongi – Você... – ele me olhava muito profundamente. Eu tava começando a sentir medo. Era como olhar pra uma estátua de mármore olhando pra mim.

Eu – De onde você me conhece? – pra quê eu fui perguntar...

Yoongi – Eu vi o que você fez no ano passado... – eu congelei.

Eu – Eu pensei... Que não tivesse mais ninguém lá... – eu comecei a tremer, minhas mãos suaram frio, e todas as lembranças do incidente do ano passado vieram à tona na minha mente. Minha visão ficou turva, e eu tive que me encostar na parede pra não cair. Me sentei encostada, não enxergava nada a minha frente, e apaguei.

Acordei deitada numa cama, muito bonita por sinal. Quando me sento, vejo todas aquelas estátuas frias e magníficas ao redor da cama. Jungkook de repente levanta a cabeça e olha pra mim abrindo um sorriso de alívio, muito lindo. Se levantou de sua cadeira e veio em minha direção, sentando no lado da cama, pegou minhas mãos e as beijou.

Jungkook – Pensei que tivesse acontecido o pior... – ele olhava fundo nos meus olhos.

Eu – Tá tudo bem... Só umas lembranças vieram a tona... – lembrei do responsável e logo o vi de pé encostado, bem de frente da cama, me olhando friamente – Então você sabe...

Jimin – Do quê ele sabe?

Eu – Do que aconteceu comigo no último acampamento... – eu abaixei a cabeça e fui relembrando de tudo aquilo. Fechei os olhos, respirei fundo, e soltei – Foi no ano passado... que eu matei pela primeira vez...

Nesse mundo dos vampiros, as pessoas não se transformam em vampiros numa mordida ou bebendo o sangue deles, como sugerem a saga Crepúsculo ou O Guardião... Só se é vampiro se você nasce assim. Mas como fica a parte do “Imortal”? Bom, a pessoa cresce e envelhece, com a única característica da sede que os vampiros têm. Essa sede pode levar até o mais forte a cair no erro de matar alguém. Assim que a pessoa prova de sangue humano sem ser o seu pela primeira vez, seus sentidos se aguçam, sua força aumenta, e a sede também. E, além disso, o envelhecimento é completamente congelado. A pessoa para de envelhecer instantaneamente, se torna um vampiro completo.

Jungkook olhou pra mim atentamente, sem mudar ou desviar nem por um instante.

Eu – Era umas pessoas e eu vindo pra mansão, como sempre tem um grupo vindo pra cá...

Yoongi – Aí, justo nesse dia, eu tava de mau humor... – eu olhei pra ele, entendi tudo.

Jimin – E quando você não tá de mau humor, Suga?... – Yoongi desviou o olhar pra Jimin, que se encolheu um pouco no lugar dele. Yoongi realmente era assustador.

Eu – Então... – eu espreitei os olhos pra ele – Foi você a causa daquela matança... Alguma coisa aconteceu, de repente quando eu vi, já haviam corpos pra todo lado... Foi quando eu conheci o Peter, e ele soube do meu segredo... – eu respirei fundo e voltei a olhar pro Kook – Tinha sobrado só uma garota que eu tinha acabado de conhecer, Peter e eu. Peter foi pro acampamento pra procurar alguma ajuda. Mas a garota tava ferida, o sangue jorrando por todo lado... – eu fechei os olhos de novo, mas dessa vez porque eu já os sentia se transformando. Mas não precisava mais esconder isso, afinal já estava em meio a uma família de vampiros, então abri meus olhos de novo e libertei minhas presas – Eu não suportei sentir aquele cheiro, e não consegui me segurar... Então a matei...

Senti Jungkook apertar mais forte minha mão.

Hoseok – Então por que você resolveu voltar pra cá?

Eu – Porque eu queria saber quem tinha feito aquilo... Eu sabia que tinha sido um vampiro... – eu voltei a encarar Yoongi com frieza, e ele me olhava como se aquela fosse uma conversa qualquer, com indiferença, o que tava me deixando com mais raiva – Eu queria matar o responsável por toda aquela matança, e por me tornar o que eu sou agora...

Taehyung – Como você se alimenta? – finalmente ele abriu o bica, depois de tanto silêncio.

Eu – Minha mãe, já pensando no caso desse dia acontecer, se tornou enfermeira... Uma bolsa de O+ some daquele hospital a cada dois ou três meses, dependendo do meu estado emocional...

Jimin – Então, não queria interromper essa conversa tão interessante, mas precisamos continuar. Nosso pai chega em doze horas, não temos tanto tempo sobrando... – ele desencostava da parede em que estava e ia caminhando pra porta do quarto, enquanto Jungkook o olhava com fúria por ter me interrompido, Tae começava a se mexer para seguir Jimin, Hoseok só analizava a situação toda, e Yoongi só me encarava. Depois de algum tempo sendo encarada, eu já não sabia o que seu rosto expressava. Eu comecei a me levantar, e Kook olhou pra mim.

Jungkook – O que você pensa que tá fazendo? – ele segurou minha mão pra me impedir de me mover.

Eu – Jimin tá certo, a gente tá perdendo tempo, Kookie... – ele de repente começou a desfazer o descontentamento e começou a mostrar um sorriso disfarçado.

Jungkook – “Kookie”? – ele mordeu a boca. Aposto que pra me provocar.

Eu – Não seja bobo... – eu tentei olhar pra qualquer coisa que não fosse ele feliz por tê-lo posto um apelido fofinho – Isso é resultado da ligação... – dei um soquinho no ombro, e ele segurou meu punho fechado logo após, olhando pra mim, feliz. Nunca me arrepiei tanto por conta da felicidade de alguém.

Nós saímos do quarto, num clima tenso. E isso era óbvio, eu queria matar Yoongi, Hoseok queria me matar apesar de ter pedido desculpas, Jungkook queria matá-lo por isso, e Jimin queria sua revanche. E era o tempo todo assim, só Taehyung se salvava dos olhares frios de seus irmãos e eu.

Aquela mansão era maior do que se via por fora. Talvez eles tivessem contratado um feiticeiro pra por um feitiço que desse essa ilusão, mas eu não tava a fim de perguntar. Meia hora depois de andar, chegamos a uma cozinha, onde eu me surpreendi muito. Aquela cozinha era altamente moderna, com balcões incríveis, umas máquinas que eu realmente não entendia o que era. Quando eu olho pro lado, pela primeira vez, vejo Tae e Jimin gargalhando, olhando pra minha cara de quem não tava entendendo o motivo deles.

Hoseok – Você come o quê? – o olhei surpresa – Eu quis dizer comida humana... Jin gosta de ter comida humana, e eu já sei que híbridos também comem isso... – ele se virou de costas pra mim e abriu as portas de um armário, onde eu vi varias coisas realmente comestíveis. Eu me aproximei e fiquei ao lado dele, e comecei a analisar o que tinha alí. Eu ouvi então uma batida de um coração, uma batida rápida e nervosa, ou ansiosa. Quando eu olhei pra Hoseok, vi ele com o rosto completamente vermelho, olhando pra mim. Tudo o que eu consegui pensar em fazer naquele momento era sorrir abertamente pra ele, e disfarçar voltando meu rosto pro armário, e ele não conseguiu segurar uma risada rápida, desviando olhar pra qualquer outra coisa.

Escolhi um pacote de biscoitos e o abri, mas fiz barulho demais e acabei chamando a atenção de alguém. Eu notei alguém se movendo extremamente rápido, que percebeu nossa presença na cozinha, e começou a vir em nossa direção, se movimentando com agilidade pela casa.

Yoongi – Lá vem a mamãe... – eu o olhei confusa. Minha confusão se desfez ao ver uma criatura que brotou do nada na porta, encarando todos, sem sequer perceber que eu estava alí.

Jin – Quem é o filho de uma puta que tá mexendo na minha cozinha? – ele procurava um responsável com fúria.

Eu só gelei. Pensava que Yoongi era assustador, mas aquele cara era lindamente amedrontador.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...