História Um trauma, uma cura e um amor. - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~KarinaSesshy

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Personagens Originais, Rin, Sesshoumaru
Tags Sesshoumaru Estupro - Rin Psicóloga
Exibições 190
Palavras 3.392
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa noite e boa leitura gente <3

Eu recomendo ler, enquanto vocês ouvem a música, pois cria todo aquele clima e você se joga na leitura.

Capítulo 12 - Capítulo Doze


Fanfic / Fanfiction Um trauma, uma cura e um amor. - Capítulo 12 - Capítulo Doze

Rin on

Fiquei completamente derretida e apaixonada pelas palavras do Sesshoumaru.

Sorrimos um pro outro e demos início a um beijo.

Minha língua entrou em sua boca e ele começou a chupá-la prazerosamente.

Desci minhas mãos até a barra da blusa do Sesshoumaru e rapidamente a tirei, deixando aquele belo corpo a mostra.

Sesshoumaru deitou na cama e permaneci em cima dele, sem cessar o nosso beijo.

Ofegamos em busca de ar e então desci meus beijos para o seu pescoço.

Sesshoumaru on

Fechei os olhos, pois estava completamente arrepiado.

Se eu prometi, tenho que ir até o fim.

Sentia a boca da Rin chupar a pele do meu pescoço, enquanto seus dentes, às vezes, mordiscavam o local, me deixando excitado.

Levei minhas mãos pra dentro da camisola, e as coloquei sobre as nádegas firmes da Rin.

Apertava-as com força, a cada mordida que Rin me dava no pescoço.

Ela não ficou só ali, sua boca seguiu para o meu peito. Podia sentir um rastro quente de saliva, deslizar pelo meu corpo.

 

Crazy in Love (Loucamente Apaixonada - 50 Tons de Cinza) – Beyoncé

Uh oh, uh oh, uh oh, oh, no, no (4x)

 

Rin on

Eu beijei cada centímetro do peito do Sesshoumaru. Cheguei em sua barriga e beijei cada gominho do seu tanquinho.

Nossa! Esse garoto vai me levar a loucura.

Coloquei minha mão no cós de sua calça e olhei pra ele, pedindo permissão.

Ele deixou, então tirei sua calça e sua cueca box.

Fiquei paralisada olhando pra ele.

Porra!! Como ele é gostoso!!!

- Sesshy, eu quero muito te chupar agora. Você deixa?

 

Você me olha, tão louco, meu querido

Eu não sou eu mesma, ultimamente

Sou tola, não faço isso

 

Sesshoumaru on

Engoli a seco e levantei um pouco o tronco.

- M-Me c-chupar? A-Ai? - Perguntei envergonhado e Rin confirmou um “sim”, sorrindo pra mim

- T-Ta.

Deite, novamente, por completo na cama, e suspirei ao sentir sua mão na minha masculinidade.

Fechei os olhos e, ao sentir algo quente naquele local, eu levei a minha mão direita até a boca.

A língua dela passou por toda a glande inchada da minha masculinidade e gemi, mordendo minha mão com um pouco de força.

Era uma sensação tão incrível, que eu me segurava para não gemer alto, por estar com vergonha.

Rin estava me deixando desconcertado.

Céus! O que isso? Vou enlouquecer assim.

 

Estive jogando comigo mesma, baby, não me importo

Baby, o seu amor tem o melhor de mim

Seu amor tem o melhor de mim

 

Rin on

Fiquei tão feliz quando ele aceitou.

Nunca fui muito fã de fazer oral, mas eu quero que o Sesshoumaru experimente tudo o que ele tiver direito.

Eu o chupava sem presa e com sensualidade.

Não sou nenhuma profissional, mas dou pro gasto.

Eu olhei pro Sesshoumaru e o vi de olhos fechados, enquanto se segurava pra não gemer.

- Sesshy. - Parei o que fazia e o olhei

- Pode gemer se quiser. Só não faça isso muito alto, pois temos uma criança dormindo em outro quarto.

Então voltei a chupá-lo, como se fosse o meu doce preferido.

 

Baby, o seu amor tem o melhor de mim

E baby, você está me fazendo de boba

 

Sesshoumaru on

Agarrei o lençol com as mãos e sentir como se fosse entrar em delírio.

Mordi os lábios.

- Hum... - Não consegui evitar e o gemido saiu rouco

Apertei os olhos com mais força e quase cai em um abismo, quando Rin colocou todo o meu pau na boca.

Se ela queria me enlouquecer com isso, ela conseguiu.

- Rin... P-Parece que vou explodir... Melhor parar... - Mordi os lábios, depois da minha confissão, quase os ferindo

 

Você me tem apaixonada e eu não me importo com quem vê

Porque, baby, você me pegou, você me pegou

Você me pegou, você me pegou

 

Rin on

Ah, mas eu não vou parar. Não agora que a brincadeira ta ficando boa.

Intensifiquei meus movimentos, até que o Sesshoumaru gozasse na minha boca. Eu engoli tudo e olhei pra ele.

Caramba, como eu tenho sorte em tê-lo comigo.

Sesshoumaru on

Me senti vibrar e algo diferente, pela primeira vez, saiu de mim. Eu havia gozado. Nunca havia me sentido assim, em êxtase.

Com a face quente de vergonha, eu suspirei forte, tentando controlar meu coração.

Rin me olhou nos olhos, sorrindo, e veio até mim, beijar meus lábios.

Senti, então, meu gosto em sua boca. Era estranho, mas Rin estava me mostrando coisas novas, então compartilhei aquilo sem hesitar.

- Eu... Não sei como fazer... Mas quero fazer o mesmo com você, Rin. Você me ensina? - Perguntei corado

 

Eu olho tão profundamente em seus olhos

Eu toco em você mais e mais a cada vez

 

Rin on

- Claro que ensino.

Agarrei o Sesshoumaru e virei os nossos corpos.

Ele estava por cima de mim, todo corado, e com os olhos arregalados.

- Não precisa ter vergonha, Sesshy. Faça comigo aquilo que você tiver vontade de fazer. Não se preocupe se vou gostar ou não, pois eu sei que vou adorar.

O puxei pra outro beijo.

- Solte-se, Sesshy. Eu sei que você consegue.

Sesshoumaru on

- O-Ok. Vou tentar...

Levei meus lábios para o seu pescoço e senti suas unhas grudarem nas minhas costas, o que me fez gemer contra sua pele. Com isso, só fiquei instigado a continuar.

Minhas mãos, aos poucos, ficaram atrevidas e entraram por de baixo do tecido fino da camisola. Fui a levantando, até que Rin ficou sem ela, me dando o privilégio de ver seu corpo, semi nu; somente com o sutiã e a calcinha vermelha de redinha.

Suspirei.

Tão linda.

Tão gostosa.

Tão mulher pra mim.

Rin me puxou pela nuca e devorou os meus lábios. Não fiquei pra trás e, como instinto, me soltei.

Abri o sutiã e, sem tirá-lo, passei a beijar o ombro da Rin, com selinhos castos, até deixar seus seios à mostra.

Me arrepiei, ao ver aquele lindo par de seios, grandes, sobre minha visão.

- P-Posso tocar neles? - Perguntei acanhado

 

Quando você sai, eu imploro para não ir

Chamo o seu nome duas ou três vezes seguidas

 

Rin on

- Já disse que pode fazer o que você quiser.

Sesshoumaru engoliu a seco e, um pouco tímido, levou as mãos até os meus seios.

Só com esse toque, eu já fiquei arrepiada. Imagina quando ele chegar na minha intimidade. Acho que vou ter um ataque. Estou a anos sem sexo e agora estou sensível aos toques do Sesshoumaru. Além do mais, o fato dele ser inexperiente só me excita mais.

Ah querido, vou te ensinar tudo o que sei. E o que eu não sei, nós aprenderemos juntos.

 

É algo tão engraçado pra mim tentar explicar

Como eu estou me sentindo

E meu orgulho é o único culpado

 

Sesshoumaru on

Um tanto tímido, massageando seus seios, levei minha boca para o seio direito.

Rin gemeu, ao sentir minha boca chupar o local, e eu vibrei com aquilo.

Chupei com mais gosto, e minha outra mão passou a apertar o outro seio. Lambuzei todo o seio direito dela e, não me sentindo satisfeito, fiz o mesmo com o esquerdo.  Chupei tanto os bicos ouriçados, que eles pareceram dobrar de tamanho, por ficarem inchados.

Passei a beijar o corpo da Rin, deixando-o cheio de saliva.

Brinquei um pouco com seu umbigo, mas logo segui para a sua calcinha.

Por cima da peça, levei o nariz para a sua feminilidade e Rin gemeu sôfrega.

Entendendo que aquele era o seu ponto mais sensível, me retirei dali, deixando-a confusa.

Segui para as suas pernas e, devagar, passei a tirar as meias.

Já com as pernas nuas, comecei a desferir meus beijos, do começo do seu pé até chegar novamente a sua calcinha; a qual tirei com os dentes.

Rin on

Eu disse que ele me levaria a loucura. Olha só o que ele está fazendo comigo. Estou tão ansiosa pelo o que está por vir.

Com uma lentidão que quase me fez perder a cabeça, Sesshoumaru retirou minha calcinha.

Ele me olhou com expectativa, querendo ajuda sobre o que era pra fazer.

Abri minhas pernas e ele arregalou os olhos.

- Basta fazer comigo o mesmo que fiz em você. É só me chupar usando sua língua.

 

Sim, eu ainda não entendo

Como o seu amor pode fazer o que ninguém mais pode

 

Sesshoumaru on

Confirmei com a cabeça e, aos poucos, fui me ajeitando pra fazer o que ela desejava.

Com os dedos indicadores de cada mão, separei aqueles pedaços de carne, onde me deram a visão de um pontinho vermelho, completamente inchado.

Desci a boca e toquei com a minha língua ali. Parei olhando pra cima, ao ver que aquilo fez a Rin sentir algo.

Senti sua mão direita nos meus cabelos e, com a voz rouca, me pediu para ir em frente.

Querendo atender o seu pedido, coloquei suas pernas por cima dos meus ombros e fiz o que ela tanto ansiava. Cai de boca naquele pontinho rosa e inchado.

Ouvi Rin gemer e não parava de pedi por mais daquilo.

Não parei então, só fiz com que minha língua descesse e subisse, às vezes circulasse, freneticamente naquela região, chupando às vezes a pontinha e a mordiscando, fazendo Rin se contorcer na minha boca.

- T-Ta gostando, Rin? Tá bom assim? - Perguntei ofegante

 

Você está me deixando tão louca agora, seu amor

Está me deixando tão louca agora

 

Rin on

Ele já deve ter feito isso antes. É impossível ele ser tão bom no oral, sem prática nenhuma.

- Ta muito bom, Sesshoumaru. Por favor, continua.

E ele continuou, até que eu gozei em sua boca.

Sesshoumaru lambeu tudo e depois voltou a me beijar na boca. E sentir meu gosto em sua boca, me fez delirar.

- Sesshy, eu quero você. Eu quero muito mesmo. Me faça sua, amor.

 

Você está me deixando tão louca agora, o seu toque

Está me deixando tão louca agora (seu amor)

 

Sesshoumaru on

Deitei a cabeça na curva do seu pescoço, tentando controlar a respiração.

- Eu não sei como. Nunca fiz isso, Rin. Não sei por onde começar. - Falei ofegante

- Tenho medo de errar em algo.

Rin on

- Apenas relaxe, Sesshy. Você não vai errar em nada.

Circulei minhas pernas em sua cintura e acariciei seus cabelos.

- Eu confio em você.

 

Me deixou esperando para que você me salve agora, seu beijo

Me deixou esperando para que você me salve agora (seu amor)

 

Sesshoumaru on

- T-Ta.

Respirei fundo e olhando no fundo dos olhos da Rin, me posicionei melhor sobre sua feminilidade.

Gemi com o atrito que nossas pélvis causaram uma na outra.

Segurei em sua cintura com um das mãos e, com a outra, segurei no meu membro, que já pulsava novamente, completamente ereto.

Engoli a seco e Rin, com o olhar, me incentivou.

Coloquei então, aos poucos, meu membro dentro dela.

Rin mordeu os lábios e eu senti um grande frio na barriga, junto de um choque, percorrer todo o meu corpo.

- Isso é tão bom, Rin. - Disse ao entrar todo dentro dela

Era apertado, quente e às vezes sufocante. Por sentir a sua cavidade me apertar, senti uma pequena dor, mas era gostosa.

Senti Rin contrair e aquilo me fez entrar em delírio.

 

Loucamente apaixonada

Você me deixou, me deixou loucamente apaixonada
 

Você está me deixando tão louca agora, seu amor

Está me deixando tão louca agora

 

Rin on

Preciso me segurar muito pra não gozar agora. Estou tão sensível e carente que só em sentir o Sesshoumaru dentro de mim, fez com que eu enlouquecesse.

- Sesshy, comece a se movimentar devagar.

Sesshoumaru on

- O-Ok. - Disse com a voz baixa

Comecei os movimentos bem lentos, como Rin me pediu.

- Hum... Rin... - Gemi baixo, ao pé do seu ouvido

Chupei seu lóbulo e aquela excitação só dominava, cada vez mais, o meu corpo.

Minha pele transpirava aquela testosterona, com intensidade. Parecia que aquilo estava acumulado dentro de mim, durante anos.

Levei minha boca para o seio esquerdo da Rin e passei a chupá-lo, enquanto fazia, com lentidão, os movimentos suaves de amor.

 

Você está me deixando tão louca agora, o seu toque

Está me deixando tão louca agora

 

Rin on

Se antes já estava difícil de segurar o meu orgasmo, agora está mais ainda.

Que delícia!

Ser a primeira do Sesshoumaru está me deixando muito feliz. Serei a única a provar dos seus beijos, dos seus toques e a única a sentir esse contato tão íntimo.

Mordi os lábios com força e abafei um gemido, quando o Sesshoumaru mordiscou o meu seio direito.

- Aaah Sesshy! Você está me levando a loucura, desse jeito.

Ele realmente está. Nunca senti nada parecido, quando estava com o Kohaku. Com o Sesshoumaru é tudo mais intenso e mais gostoso.

- Sesshy, amor, eu quero mais rápido.

Sesshoumaru on

Com o corpo já pingando de suor, assim como o da Rin estava, o que já fazia nossos corpos grudarem um no outro; fiz o que ela me pediu.

Acelerei um pouco meus movimentos, onde nossas intimidades batiam com força uma na outra, causando barulhos constrangedores.

- Rin... - Gemi o nome dela com manha

É incrível estar sendo dela. Incrível estar sendo homem em seus braços.

Rin girou os corpos e me deixei ser dominado por ela.

Aquela visão era de mais pra mim. Aquela mulher por cima de mim, subindo e descendo, me dando a visão daqueles incríveis seios, que não cabiam na minha mão, de tão grandes e suculentos; me fizeram gemer.

- Amor... Eu... Acho que vou gozar de novo. - Fechei os olhos

Aquela excitação de prazer, que dominava meus poros, era demais pra mim. Era tanto prazer, que pensei que iria desfalecer naquela cama.

Segurei na bunda da Rin e a ajudei com os movimentos, ditando e mostrando como eu queria que ela fizesse.

Estou indo a loucura.

 

Me deixou esperando para que você me salve agora, seu beijo

Me deixou esperando para que você me salve agora

 

Revirei os olhos.

- Rin... - Gemi, mas minha voz, já rouca, não saia por completo

Senti minhas bolas se contraírem. Se eu não me segurasse, gozaria desesperadamente.

Revirei os olhos e os fechei com força, enquanto mordia os lábios.

- Vou gozar, amor...

 

Loucamente apaixonada

Você me deixou, me deixou loucamente apaixonada

 

Rin on

É magnífico estar fazendo amor com o Sesshoumaru. O meu corpo e o dele parecem ter sido feitos um pro outro.

- Vamos juntos, Sesshy.

Girei nossos corpos novamente, e o deixei dominar a velocidade e a profundidade.

Sesshoumaru entrava e saía de mim, com habilidade. Minhas pernas já estavam trêmulas e me preparei pro que vinha a seguir.

Bom, todo o meu preparo não valeu de nada, pois o que o Sesshoumaru fez me levou aos céus.

Ele saiu por completo e depois entrou de uma vez, até o fundo.

- Sesshy! - Gemi em seu ouvido, quando o orgasmo me atingiu

Sesshoumaru não ficou atrás e gozou logo em seguida.

 

Uh oh, uh oh, uh oh, oh, no, no (4x)

 

Sesshoumaru on

Relaxei por cima da Rin e suspirei em seu pescoço.

Tinha feito amor pela primeira vez e com a mulher que amo.

- Te amo, Rin. Foi incrível fazer amor com você. - Falei em um sussurro

Senti as mãos de Rin em minhas costas, fazendo um carinho ali.

Estávamos completamente suados.

Rin on

- Também te amo, Sesshy. Você foi incrível. Na verdade, "incrível" não é o suficiente pra descrever como foi.

Sesshoumaru on

Rin levantou minha franja bagunçada, por meus cabelos estarem um pouco grandes, e beijou a minha testa suada.

Depois vou pedir pra Izayoi cortá-los.

Rin me chamou para o banho e levantamos.

Abracei Rin por trás, enquanto caminhávamos para o boxe e passei a beijar seu pescoço, que continha o meu cheiro mesclado com o seu.

Sorri ao imaginar que essa mulher, minha Rin, será somente minha.

Entramos de baixo da água morna e ficamos abraçados por um tempo.

Mas depois passamos a nos ensaboar e, às vezes, rolava algumas mãozinhas bobas, entre risadas e alguns beijos intensos.

Rin on

Sesshoumaru e eu tomamos banho e depois voltamos para o quarto. Eu vesti a blusa dele e ele vestiu apenas a boxe.

Deitamos novamente e me aninhei em seus braços.

- Boa noite, Sesshy. Eu te amo!

Sesshoumaru on

Com Rin em meus braços, nos cobri com lençol e beijei seus lábios em um selinho casto.

- Boa noite, amor. Também te amo muito.

Rin fazia um carinho em meu peito e, quando ela parou, percebi que ela já havia pegado no sono.

Sorri bobo para o nada e suspirei antes de fechar os olhos.

Não poderia estar mais feliz ao lado da mulher que amo. Dormi em seus braços, com nossos corpos grudados. Nossas pernas entrelaçadas, se uniam com perfeição.

Me entreguei então ao sono.

Rin on

Eu estava dormindo tranquilamente, até que senti movimento brusco na cama.

Sesshoumaru e eu acordamos assustados e vimos que a Sayuri tinha pulado em cima da cama.

Sayuri: Bom dia, mamãe! Bom dia papai Sesshy!

Seus olhos focaram em algum ponto no meu pescoço e depois, com seus olhinhos curiosos, ela também olhou pro Sesshoumaru.

Sayuri: Por que o pescoço de vocês está roxo? Vocês caíram e se machucaram?

Como eu adoro a inocência da minha filha. Morro de vergonha, mas adoro.

Sesshoumaru on

Corei violentamente.

Rin e eu nos entre olhamos envergonhados.

- Eh... - Eu não sabia o que dizer

- Que tal se fossemos preparar um café da manhã para a sua mãe? E trazermos aqui na cama pra ela, hein? - Disse tentando mudar de assunto

- Vamos, sim, pai Sesshy. - Disse empolgada

- Espera o pai lá fora? Eu já vou ta bom?

- Ta. - Saiu de cima da cama e seguiu para fora do quarto

- Não sai daí. Hoje é você quem manda.

Rin sorriu pra mim e eu beijei seus lábios.

Sai da cama e procurei por minhas roupas. Vesti minha calça e a blusa que peguei na minha mochila. Com um último selinho na minha mulher, segui com a Sayuri para a cozinha.

Rin on

Meu dia será maravilhoso tendo, ao meu lado, o homem que amo e a minha filha.

Eles saíram e fui até o banheiro, fiz todas as minhas higienes e depois tirei a camisa do Sesshoumaru, colocando um short e uma regata. Deitei novamente na cama e fiquei esperando.

O Sesshoumaru me pediu pra não sair daqui, então não vou sair.

Sesshoumaru on

- O que a sua mãe mais gosta de comer? - Estávamos na cozinha

Sentei a Sayuri na mesa.

- Acho que ela gosta de morangos.

- Então vou fazer uma salada de frutas. Ela gosta de panquecas?

- Muito! - Falou com os olhinhos brilhando

- Vejo que não só ela, mas você também. - Passei o dedo indicador sobre o nariz dela

- Gosto, sim, pai Sesshy. - Sorriu corada pra mim

- Ok.

Comecei a preparar tudo, com a ajuda da Sayuri que me dizia onde estavam as coisas.

Depois de tudo pronto, levei em uma bandeja para a Rin, com uma pequena rosa, que Sayuri correu e colheu no jardim.

Sayuri abriu a porta pra mim e entramos no quarto.

Rin estava sentada e, ao nos ver, sorriu.

Rin on

A imagem que vi, foi a mais linda da minha vida. As duas pessoas que mais amo estavam me mimando.

 Sayuri sentou de um lado e Sesshoumaru sentou no outro, colocando a bandeja a nossa frente.

Nós três, então, demos início ao nosso café da manhã em família.

Sesshoumaru on

Comíamos entre risos, até que ouvíamos a campainha tocar.

Rin fez sinal de que iria sair da cama.

- Ei, eu vou. Você manda hoje. - Dei um selinho nela

Descalço mesmo, segui até a porta.

Quando atendi, tive uma surpresa.

Era aquele ex da Rin, e ele me lançou um olhar não muito legal.

- O que faz na casa da minha mulher e filha? - Falou alto

- E-Eu... Bom...

Corei e não soube responder.

- Anda fala!! O que faz aqui??? - Se aproximou e eu dei um passo pra trás


Notas Finais


Crazy in love (Versão 50 tons de cinza): https://www.youtube.com/watch?v=Y-o5XByCplw

AVISO: Essa fic está na sua reta final.

Obrigada pela presença de todos. Bjs e até o próximo *Sem previsão*

Novas fics em parceria com a @Siljin:
O filho do reverendo: https://spiritfanfics.com/historia/o-filho-do-reverendo-7132202

Meu ginecologista: https://spiritfanfics.com/historia/meu-ginecologista-7027919


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...