História Uma Coxinha - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Chanbaek, Era Pra Ser Comedia, Kaisoo, Sulay, Xiuchen
Visualizações 336
Palavras 2.454
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~vush~

Já passei

E só pra avisar

Já iludi geral ~desculpa~

Não me matem... E Plz don't be sad (nem amo essa música).

É isso, boa leitura, annyeong~

Capítulo 6 - Tô bem afim de... Não, não tô não.


Fanfic / Fanfiction Uma Coxinha - Capítulo 6 - Tô bem afim de... Não, não tô não.


Estávamos quase lá, Chanyeol ainda buscava morder toda a pele do meu pescoço, e eu gostava de mexer nos fios meio rosados que estavam molhados pelo suor...

E aí a luz acendeu.

Caralho. Fodeu. Mais do que já tá fodido. Jongade vai te fazer ficar sem andar também, mas vai ser de tanto te bater.

- O-oi, Dae...


***


Ah, sim... Essa merda toda aconteceu por um simples e único motivo com um nome mais divo que o meu: Tiffany. 

É o seguinte, se a vida te dá uma melhor amiga, use a boa vontade dela o quanto quiser. E eu, nessa vida, só tinha uma melhor amiga com uma coisa diferente da minha entre as pernas, e ela também era minha única amiga-não-virgem pra qual eu podia correr toda hora.

E claro, antes de toda minha história do sexting e tudo mas, eu tinha ido direto pra ela.

Mas olha, eu aguento muita coisa na vida, eu aguento as crises do projeto de ativo, a lerdeza do Lay, e até mesmo a glicose anal do Chanyeol. Mas se tinha uma coisa que eu não era obrigado, era lidar com a tpm da Tiffany. Por favor, né?

- Byun, eu sou a pior pessoa do mundo! - Ela se jogou no meu colo.

- Qual foi a merda da vez?

- Você não tá entendendo, Byun, eu sou horrível! 

- Nossa, amiga, calma! Respira e me conta a treta.

- Eu me apaixonei.

- É, realmente, tá fodida. Por quem?

- Esse é o problema, meu amor! Eu me apaixonei pela pior pessoa da Terra!

- Olha, se não for a Taeyeon, então não é a pior pessoa da Terra. - Eu ri.

Ela riu.

Nós rimos.

- Foi ela mesmo. 

- Como assim se apaixonou pela Taeyeon?! Tá louca, Tiffany?! Aquela cobra vai trocar a pele oleosa dela com a sua brilhante em dois tempos!

- Ela não vai me usar, Baek. Eu acho que ela pode mudar, sabe...

- Se você me vier com o papo "ela vai mudar por minha causa" e borro seu esmalte novo.

- Você não se atreveria. 

- Ah, me atreveria sim.

- Porra, Baekhyun, achei que era amizade!

- Por isso mesmo! Não quero minha quase irmã de envolvendo com aquela cobra!

- Se eu provar que ela pode mudar você me deixa em paz?

- Deixo. Mas é bom que prove mesmo.

- Te amo, Byun.

- Também sinto afeto por você, Titi.

- Ah, para. Admiti que eu sou a única mulher que você ama.

- Como irmã. 

- Mas é óbvio. 

- Então tá. Te amo sim. Agora, é minha vez de te encher de problemas.

- Claro. - Expliquei pra Tiffany toda minha ideia inicial do sexting e o caralho à quatro, e ela já me mandou aquele sorriso de quem tava pensando bosta.

- Quem diria, Byun Baekhyun também é ousadia! Olha, ByunByun, sabe o que você pode fazer? Tipo, depois dessa parada toda aí, você pode arrastar ele pra sua casa com uma desculpa qualquer.

- Pra?

- Você sabe pra que. E eu posso te dar umas dicas.

- Sou todo ouvidos. 

- Ótimo. Primeiramente, pelo amor da minha Gucci novinha, não deixa ele te penetrar à seco. Vou te bater se fizer isso. -Comecei a prestar atenção, por que conselho de diva é assim, ou você segue, ou se fode.

Vai se foder de um jeito ou de outro, Baekhyun. Mas eu prefiro o jeito que envolve o Chanyeol. 

- Segundo, meu amor, corta esse cabelo que ninguém merece.

- Ele cresceu muito em pouco tempo.

- É, e tá horrível. Terceiro, contenha sua voz. Ninguém é obrigado a te ouvir gemer que nem uma gazela.

- Espera... Por que você acha que meu gemido parece uma gazela?

- Lembrando apenas que eu sou sua melhor amiga. Já dormi na sua casa. Já passei uma manhã na sua casa. Sei o que você fez naquele banheiro.

- Ah...

- Quarto, Byun, sério, nunca te pedi nada, só faça o favor pra você mesmo e pro Chanyeol de ir comprar no mínimo dois potes de lubrificante.

- Incrível como você fala com tanta facilidade.

- Normal. Mas sério. Faz o que eu falei e zera a vida. Eu preciso ir correr atrás da minha presa agora, mas lembra, Byun, amo você como amo minha Gucci. E você sabe.

- Você ama sua Gucci. Eu sei. - A criatura foi embora saltitando e sorrindo.

Preciso ser bem sincero, não havia uma mulher no mundo melhor que a Tiffany. Eu tenho esse costume de ignorar as mulheres, já que eu só tô lá pra lacrar com geral, mas a Titi... Ela era diferente, ela era mais masculina que a maioria das mulheres, e ao mesmo tempo, as unhas e o cabelo daquela rainha deixavam qualquer afetada no chão. 

Claro que eu virei amigo dela. Se não pode com eles, junte-se à eles. Simples assim. E as coisas só ficaram mais incríveis com aquela mulher no grupo.

Convenhamos, era uma Madonna coreana, uma rainha lacradora, um projeto de ativo exalando masculinidade, e o corpinho de pecado do Lay. Ou seja, éramos praticamente um sonho que andava e respirava.

É a vida, lidem com ela. Ou só taquem o foda-se pra ela e dêem um tapinha na banda esquerda da bunda dela. É mais gostoso.

E só pra deixar claro, eu sou a Madonna coreana.

Enfim, depois de seguir à risca todos os conselhos da Tiffany, do sexting e do Chanyeol indo na minha casa, fomos pro meu quarto, onde ele trancou minha porta, e antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, ele me segurou pelo pulso e me deitou barra jogou na cama, me prendendo completamente lá, enquanto eu encarava aqueles olhos que queriam me comer vivo - e olha que nesse caso eu até aceitaria - e tentava respirar. Eu tinha feito tudo o que a Titi mandou, até cortado o cabelo, e lá estava Park Chanyeol à dois centímetros de arrancar minhas roupas.

Ai minha virgindade...

- Eu te avisei, Baek. Que eu não ia me segurar.

- E quem disse que eu quero que você se segure, Channie? - Assim que eu soltei o apelido, os olhos dele brilharam, até por que ninguém resiste à minha voz quando eu faço manha, nem mesmo Chanyeol e sua pose de macho alfa/ativo declarado/dono dos ânus alheios (ou só do meu mesmo no caso).

Eu não precisei falar mais nada pra que ele segurasse em cada lado da pobre camisa branca no meu corpo e puxasse até rasgar.

É, rasgar. Socorro.

Os olhos castanhos do poste pareciam querer tirar minhas roupas com a mente, e eu tentava fazer de tudo pra retribuir o olhar, mas foi impossível quando os lábios do elfo chegaram nos botões rosados, e eu tive que fechar os olhos.

Puta que pariu esse homem. Minha sanidade não passa de hoje.

Chanyeol, uma vez ou outra, já tinha comentado que era mais virgem que eu, o que no momento me parecia mentira, por que, porra, ele deveria ser considerado profissional no negócio de provocar. Claro, eu ainda teria que ser o chefe dele, sou um provocador nato, mas ele tem futuro.

Seus lábios se desprenderam do meu corpo pra voltar a atacar minha língua dentro da boca, sugando com força quando achava que era preciso, mordendo meus lábios, chegando até onde era possível pra que nenhum dos dois engasgasse.

Eu podia ter certeza que tremi na base quando o quadril do Chanyeol esbarrou no meu e eu pude realmente sentir sua ereção contra a minha.

É, Baekhyun, pelo menos uma semana sem se sentar e mais uma semana mancando. Boa sorte aí.

Saudades consciência quando preciso dela.

Em um ato atrevido e bem like a virgin, desci minhas mãos pelo abdômem alheio e apertei com a força que podia seu membro escondido pelos panos, e Chanyeol arqueeou as costas, gemendo com aquela voz rouca que ainda vai me matar do coração. 

Se você não morrer por outra coisa antes, né...

- Baek, você não vai começar a me provocar agora, né? - Eu ri. E muito. E com toda a força que me restava, rolamos na cama até que eu ficasse no colo dele e pudesse chegar bem perto de seu rosto.

- Eu só comecei, Channie. - Mordi seu lábio, passando a língua em volta enquanto sorria.

E não. Eu nunca tinha feito isso antes. O brilho é natural mesmo.

As mãos do poste foram mais forte contra a minha cintura, ditando um ritmo em que eu robolava em seu quadril e ia a loucura. 

Porra, eu tinha prometido pro Dae. Mas... Tá difícil aqui. Tenha um Chanyeol na sua cama e saiba do que eu estou falando.

Rolamos na cama mais uma vez e eu quase bati a cabeça, mas nessas horas a gente releva, ele foi meio afobado até a barra da minha calça - calça essa que eu decidi usar mais larga por motivos de... Né - e a abaixou devagar, e porra, acho que descobri o significado da frase "morrer de vergonha".

Quer dizer, meu namorado tava lá, ostentando aquele corpo gostoso e eu aqui com... Esse corpo magro. A gente sobrevive.

Ainda que eu não estivesse em minha melhor forma, isso não impediu a pessoa por cima de mim de marcar cada parte possível do meu corpo, me deixando sozinho com sua língua rodeando cada marca que ele deixava com os dentes, trilhando um caminho para baixo, até que chegou na última peça de roupa que ainda jazia no meu corpo e passou a língua por cima.

Eu tive que me contentar em morder o travesseiro pra não fazer barulho, e Chanyeol riu do meu desespero. Porra, ele não quer colaborar, também, assim fica difícil. 

- C-channie, eu não posso... Ah... Gemer alto...

- Uma pena, Baekkie, por que eu pretendo te fazer gritar até chamarem a polícia. - Fodeu. Apenas isso.

- Ah... Chanyeol, porra... - Por todo amor ao meu ânus, segura a voz, Baekhyun, ou não é só o Chanyeol quem vai te foder.

Não sei bem dizer quando foi que ele tirou aquela boxer incômoda, mas em alguns segundos, eu já não estava mais com ela, e sim com seus lábios inchados no lugar.

Eu não conseguia concentrar minha mente em nada que não fossem os movimentos lentos de vai e vem que com certeza tinham a função de me enlouquecer.

Desci minhas mãos até os fiozinhos rosas que eu gostava de chamar de algodão doce e os apertei entre meus dedos, tentando - e falhando - ditar um ritmo mais rápido, mas Chanyeol era bem mais forte que eu, então só continuou com aquela tortura lenta porém prazerosa, e eu continuei contendo meus gemidos, até que aquela sensação quentinha se desfez e a respiração de Chanyeol se chocou com a minha.

- Baek. Eu quero ouvir você gemer. - Porra. Não colabora, mas não precisa piorar minha situação. 

- Channie, ah... Eu... Ahn, merda, Chanyeol, aah... - Se eu não consigo nem pensar direito vou conseguir segurar meus gemidos? Desculpa, Dae, não vai dar não. 

Muito menos se algo estiver roçando minha entrada. Até piscou, socorro. 

Subi meus dedos até seus cabelos mais uma vez.

Estávamos quase lá, Chanyeol ainda buscava morder toda a pele do meu pescoço, e eu gostava de mexer nos fios meio rosados que estavam molhados pelo suor...

E aí a luz acendeu.

Caralho. Fodeu. Mais do que já tá fodido. Jongade vai te fazer ficar sem andar também, mas vai ser de tanto te bater.

- O-oi, Dae... - É. Essa foi a trágica história de como Byun Baekhyun quase, repito, quase perdeu sua preciosa virgindade, se não fosse por um elfo e um projeto de ativo mal comido que interromperam meu momento. 

- Eu... Não vou nem comentar. Dou cinco minutos pros dois descerem. Eu realmente pedi pra não fazerem barulho. A Tiffany veio te ver, Baek. Se vistam. Agora. - Aquele agora foi tão ameaçador que eu quase quis me jogar da cama. Jongdae só fechou a porta e nos deixou a sós. Minha vontade de tacar o foda-se e continuar era grande, mas não aconteceu por dois motivos: 1) Minha quase irmã tava me esperando em uma provável crise existencial e 2) Chanyeol morreu de vergonha e se trancou no meu banheiro. 

Mas que belo dia pra você decidir fazer essa merda também, hein, Baekhyun. 

Tenho que concordar.

- Channie? Tudo bem? - Bati de leve na porta, enquanto tentava passar uma camiseta qualquer pela cabeça. 

- S-sim... - Ele saiu do banheiro devidamente vestido, com aquelas bochechas fofas coradas e... A gente não podia continuar, não? Para de pensar merda, Byun. Jongdae já vai te deixar um bom tempo sem andar e talvez ouvir também, não precisa de mais um motivo pra ficar de cadeira de rodas.

É. Como sempre, eu estou certo. 

- Desculpa por isso, Channie. Eu avisei que eu não podia gemer alto.

- Devia ter me explicado melhor. Eu achei que você só tava me provocando. 

- Na verdade, tava, mas... Tinha seus fundos de verdade. - Sabe quando fica um silêncio estranho e você só quer quebrar o clima e ficar de boa? Então. É pra isso que serve a Tiffany. 

- Byun Baekhyun, mas que caralho de demora é essa, veado da porra, se você não descer essas escadas agora eu mesma vou aí e arranco à força a merda da sua virgindade. Desce! - Não tinha como ignorar essas ordens.

Arrastei o poste até a sala, onde a princesa talhada na riqueza ainda gritava, mas calou a boca e empalideceu assim que me viu descer com meu olhar número trinta e três: "Vou te matar por interromper minha foda. Obrigado".

- Oi, Titi. O que foi?

- B-byun, é que... Ah, merda, eu atrapalhei, não foi?

- Acho que eu teria me fodido de várias maneiras diferentes, mesmo se você não viesse aqui, então, tanto faz. O que aconteceu? 

- É que... Você sabe, sobre o que a gente tava conversando antes e tudo mais... Então... Ah, caralho, Byun, agora eu fiquei tímida... A gente se fala outra hora, ok? Desculpa por ter atrapalhado. - Ela deu um beijinho em cada uma das minhas bochechas e correu pra fora.

Certa ela, se não eu expulsava.

- Conversa? Não, espera, quem é ela?

- Ela? A Tiffany é uma amiga minha. Americana, longa data, enfim. E a gente tava conversando sobre... A paixonite dela. Nunca vi alguém pra ter tanto mal gosto. 

- Vou nem perguntar mais nada. Olha, Baek, eu acho melhor eu ir agora. - E me deixar aqui pra apanhar sozinho?! Que trairagem! - Eu te vejo no dia do baile. - Chanyeol me deu um beijo bem dado (pelo menos isso) e foi embora.

- Então, Baekhyun, precisamos conversar. - Sabe aqueles momentos em filmes de terror em que o principal vira a cabeça devagar quando ouve um barulho estranho e dá de cara com a assombração? Foi assim que eu me senti.

Mas a minha assombração era loira oxigenada, mais alta que eu, e não parecia nem um pouco feliz. 

Eu avisei... Mas ainda assim, preciso dizer. Se fodeu.
















Notas Finais


Não matem o Chen por ter acabado com o climinha do lemon. Não matem a Tiffany por ser trouxa.

Sei lá. Enfim, espero que tenham gostado do cap, por que, pela mulher que me pariu, eu devo ter reescrito esse cap umas dez vezes entre ontem e hoje, por que eu não conseguia ficar satisfeita, mas BANG, saiu isso.

Beijinhos de porpurina com excesso de veadagem, annyeong~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...