História Uma Foto Um Sentimento - Capítulo 15


Escrita por: ~ e ~nyansqui

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags Bangtan Boys, Bts, Jimin, Kpop, Suga, Yoonmin
Visualizações 114
Palavras 4.055
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


explicações nas notas finais!!!!!!
desculpa qualquer erro ae

Espero que goste ^•^

Capítulo 15 - A Minha Pessoa


Fanfic / Fanfiction Uma Foto Um Sentimento - Capítulo 15 - A Minha Pessoa

~ Yoongi ~

— 'Tá, conta o que aconteceu – estava bravo por ter meu momento com o Jimin interrompido novamente, mas MoonByul era uma grande amiga.

— Vocês nunca fizeram nada de impróprio nesse sofá, né? – fez uma careta, ainda em pé.

— Nós íamos... – Jimin riu.

— Senta logo, Noona.

— Ok, ok – sentou-se. – O bar onde eu trabalhava fechou, por motivos que... Eu fui proibida de falar sobre. E eu só tinha onde morar por causa desse emprego, ou seja, irei morar de baixo da ponte se vocês não me aceitarem aqui – sorriu.

— Mas que droga – Jimin suspirou. – Deve ter sido um bom motivo pra esse bar fechar assim. Era tão bom ir lá... E é claro que você pode ficar aqui, né Hyung?

— Morar de baixo da ponte não é tão ruim assim...

— Hyung! – me repreendeu.

— Eu só 'tava brincando... Você pode morar aqui, Noona.

— Obrigada! – praticamente gritou, se jogando em mim e me abraçando. – É só por uns dias, 'tá gente? Se aquele embuste do Junmyeon não tivesse terminado comigo, eu não estaria nessa situação – revirou os olhos.

— Quê?! Quando vocês terminaram? – Jimin perguntou.

— Ontem. Eu sabia que não devia me meter com caras mais novos. Tão imaturo, idiota, insensível, cretino... Tão... Lindo – começou a chorar, cobrindo o rosto com as mãos.

— Não chora, Noona – a abracei.

— Ele não merecia você – Jimin afagou seus cabelos. – O que se deve fazer agora é superar e o esquecer.

— Claro que não. O que se deve fazer agora é queimar a casa dele, amaldiçoar aquele pedaço de merda queimando todos os presentes e objetos relacionados a ele junto com algumas mandingas. Postar umas fotos mostrando o quanto está feliz e que já está com outro cara, obviamente. Podemos até matar ele e-

— Você ficou louco? Não é assim que se faz.

— Claro que é. Se um dia você terminar comigo, é exatamente o que eu irei fazer.

— O Yoongi tem razão... Vamos matar aquele cretino! – Moonbyul enxugou as lágrimas com uma das mãos.

Continuamos ali, pensando em como se vingar do ex-namorado da Noona, até ficarmos sem ideias.

Duas semanas depois

Moonbyul havia dito que iria ficar, no máximo, por uma semana conosco; mas não foi bem assim. Nós estávamos de acordo em deixá-la ficar por um tempo, nós só não sabíamos que ela seria um incômodo.



Durante duas semanas, eu e Jimin tivemos que cuidar da Moonbyul porque ela estava em sofrimento pós término. É totalmente normal uma pessoa sofrer por causa de um término, mas a Noona estava dando trabalho, como se fosse um bebê. Ela queria atenção a cada segundo e não parava de beber depois que chegava do trabalho.

Foram duas semanas de puro sofrimento e nenhuma privacidade. E, como aquele era o apartamento do Jimin, eu estava sempre me desculpando com o mesmo – este que sempre deixava claro que não havia problema algum.

Um pouco recuperada, Moonbyul percebeu que havia se tornado um pedaço de furacão e pediu desculpas – e nós aceitamos, é claro. E, graças a uma amiga, ela conseguiu um lugar para ficar pelo tempo que precisasse. Estava tudo indo bem, até que seu ex-namorado resolveu aparecer. Noona ainda o amava muito, por isso não pensou duas vezes em aceitá-lo de volta. Eu fiquei muito revoltado com isso; porém não podia fazer nada, já que o ser humano fica cego pelo amor.

Já em paz, sem nenhum incômodo, pude voltar a procurar um apartamento e me concentrar na loja, que estava um pouco abandonada.

~ Jimin ~

Eu achava fofo o modo como Yoongi se preocupava em se desculpar comigo por causa da bagunça que foi ter a Moonbyul conosco. Mas eu realmente não me importava com aquilo. É claro que ela incomodava; mas eu achava graça naquela situação.

— Hyung – o cutuquei.

— Hmm? – estava deitado no sofá; jogado no sofá, na verdade. Ele realmente parecia cansado, até porque cuidar de Moonbyul não foi nada fácil.

Sua expressão estava adorável, como sempre ficava quando ele estava cansado e caindo no sono.

— Você não deveria dormir agora, o pessoal está vindo pra cá – sentei no sofá, antes levantando a cabeça de Yoongi e a colocando em minha perna. – Vai tomar um banho pra ver se o sono passa – acariciei seus cabelos.

Namjoon, DaHyun, minha irmã, meus amigos, JongHyun e várias outras pessoas que conhecíamos, viriam para o apartamento; mas cada uma com motivos diferentes. Elas simplesmente deixaram recado na secretária eletrônica dizendo que, coincidentemente, nos visitariam para dar notícias, matar a saudade ou beber cerveja com soju, tudo no mesmo dia. Eu e o Hyung não temos o costume de checar a secretária eletrônica, pelo simples fato de não usarmos o telefone. E não sabemos por que diabos resolveram deixar recado ali sendo que smartphones existem. Enfim, já era tarde demais quando resolvemos ouvir os recados.

— Não. Vou continuar aqui. E você também, fazendo cafuné em mim – sorriu e eu também. Mas eu não podia continuar ali.

A casa estava uma zona, eu estava uma zona, não havia comida, nada. Precisávamos organizar tudo. Então, tive de obrigar Yoongi a ir tomar banho – o convencendo apenas com uma proposta indecente – e me ajudar a arrumar o apê.

Fizemos tudo o mais rápido possível, já que as visitas chegariam em apenas duas horas.

— Povo chato. A gente que tem que convidar... – Yoongi estava sentado no sofá, emburrado.

— Você parece um bebê. É meu yaegiya mesmo – ri, enquanto colocava algumas cervejas na geladeira.

— Jiminnie...

— Sim?

— Vem aqui – fechei a geladeira e o fiz. – Que tal se a gente trancar a porta, quebrar a campainha, desligar as luzes, ir pro quarto e-

— Não.

— Mas-

— Não. Desista – se jogou no sofá, mais emburrado ainda. – Se você ficar aqui, ser legal com todo mundo, eu te prometo uma coisa.

— O quê? – lentamente, deitei sobre Yoongi.

— Já que finalmente estaremos à sós... – selei nossos lábios. – Sem Moonbyul para atrapalhar... – beieji seu pescoço, chupando-o logo depois, e ouvindo um arfar de Yoongi. – A gente pode fazer algo que depois de tanto tempo nunca fizemos – disse com uma expressão maliciosa no rosto.

— Feito – rimos.

Continuei sobre Yoongi, oscilando entre beijar e chupar diversas regiões de sua pele. Eu amava ouvi-lo arfar ou gemer, e era isso que eu queria ouvir depois que aquela visita acabasse. Nunca havíamos transado, por conta de problemas, afastamentos, minha faculdade, mortes... Muita coisa aconteceu e impediu que isso ocorresse. Mas, agora, nada poderia nos impedir e eu estava ansioso por isso; seria a nossa primeira vez.

~ Yoongi ~

Eu estava amando aquele momento com o Jimin, que infelizmente foi curto graças a chegada de pessoas inconvenientes.

— Jiminnie! – sua irmã havia chegado, junto ao seu marido. – Cada vez mais bonito, mas sempre baixinho – riu.

— Como eu te odeio... – a abraçou. – SungJoo-hyung! – o abraçou.

— Yoongi, você também está mais bonito! – agradeci, ainda sem jeito para abraça-la por conta da gravidez. SungJoo também me cumprimentou.

— Por que estão tão arrumados? Só viemos dar uma notícia – SungJoo indagou.

— Muita gente ainda vem pra cá...

— Problemas com a secretária eletrônica que não usamos...

— Bom, vamos ao que interessa! – sentamos no sofá. – Depois que o bebê nascer... Vamos morar por um mês no Canadá!

— Não é uma notícia muito feliz, mas a sua irmã está realmente animada com isso.

— Claro que é feliz – ela franziu o cenho.

— Mas... Por que diabos isso?

— Por causa do trabalho do SungJoo. Não é demais?

— Não... Eu queria passar o máximo possível de tempo com meu sobrinho – Jimin estava sério.

— Mas é só por um mês, Jimin. E eu não vou viajar um dia depois do nascimento, você ainda terá uma semana com ele.

— Uma semana é muito pouco!

Então, começaram a discutir sobre o assunto. Jimin estava realmente triste e chateado com a notícia. Desde que YeRim deu a notícia de sua gravidez, ele esteve ansioso pelo dia do nascimento do bebê. Já eu estava feliz pela notícia. Jimin ficaria carente, então poderia mimar ele o quanto quisesse, e eu também não gosto muito de crianças. Para falar a verdade, eu gosto de crianças; porém elas gamam em mim de um jeito que... Aish... Se elas não ficassem tão apegadas a mim, talvez eu gostasse mais desses pirralhos.

Nada interessados naquela discussão, eu e SungJoo fomos até a cozinha beber algumas cervejas – já que agora eu podia beber pelo menos controladamente – e conversar. Eu adorava conversar com SungJoo. Ele sempre tinha um assunto e não deixava a conversa morrer facilmente.

Mesmo conversando, vez ou outra prestávamos atenção na discussão daqueles dois, que pareciam mais crianças brigando.

— Eu não sou mais seu irmão! – Jimin se levantou do sofá.

— JIMIN VOCÊ NÃO PODE GRITAR COM UMA GRÁVIDA!

— Mas eu não gritei, eu levantei a voz. Você que está gritando, SUA DESNATURADA!

— Gente. Chega – interrompi. – Minnie, meu amor, você tem que compreender esse fato. É o trabalho do SungJoo e eles vão morar lá só por um mês.

— É muita coisa! Você tem ideia do que é ficar longe do seu bebê por um mês?

— Não é. Você não tem um bebê. Agora para com isso, aceita logo e fique feliz por sua irmã! – levantei o tom de voz. Ele assentiu, emburrado. Enquanto isso, SungJoo se divertia com a situação.

Jimin fez o que eu pedi – ou mandei. Ele ainda estava triste pela notícia, mas resolveu aceitar e ficar de bem com a sua irmã. Pude ver no fundo de seus olhos a raiva que sentia por SungJoo. Finalmente conciliados, pudemos nos conversar e nos divertir por algum tempo – já que o casal tinha um compromisso para aquela tarde. E o assunto principal foi, obviamente, o sobrinho do Jimin.

O bebê estava previsto para nascer em alguns meses, assim como o da DaHyun. Jimin não via a hora do nascimento dos dois bebês; com certeza seria um daqueles tios que mimam bastante os sobrinhos, até com direito àquelas apertadas nas bochechas.

Foi sinceramente agradável passar um tempo com SungJoo e YeRim. Sempre que nos encontramos com eles é assim: conversas de todos os tipos, risos, brigas e até apostas.


Outra visita: JongHyun. A única que eu estava ansioso. Fazia praticamente um ano desde a última vez que nos encontramos pessoalmente. Estava realmente com saudades.

— Hyunnie! – o abracei. – Eu estava tão ansioso pela sua chegada! Finalmente você está aqui.

— Hyung – prolomgou o som. – Também estava ansioso – riu e retribuiu o abraço. – Faz muito tempo, hum? – assenti. – Jimin! – o abraçou.

— Desde quando são tão próximos assim? – estava com ciúmes em ver aquela interação, tanto que acabei pensando alto demais.

— A gente continuou se comunicando também, Hyung – Jimin explicou. – Você está ótimo, JongHyun! Espera. Tem mais gente na porta... E realmente tinha.

As últimas visitas, vulgo NamJoon, DaHyun e amigos do Jimin, haviam chegado. Eu não ia dar atenção alguma para eles, já que eu queria matar as saudades do Hyunnie.

Estava curioso apenas em saber o que diabos Namjoon e DaHyun queriam com essa visita. Sobre a querida namorada do Nam, eu não sinto tanto ódio por ela como antes. É como se essa gravidez tivesse mudado um pouco a personalidade de naja que ela sempre teve. E Namjoon está amando ser pai; não para de mimar a Naja, digo, DaHyun.

Vai ser bastante engraçado ver o Nam como pai. Só não podemos deixá-lo com a criança por muito tempo porque, do jeito que ele é desastrado, é capaz de derrubar o bebê. Mas com certeza ele será um ótimo pai e eu não vejo a hora de presenciar esses momentos.

~ Jimin ~

Fui até a porta receber as outras visitas.

— Oi, Jimin – Namjoon adentrou o apartamento, junto à DaHyun.

— Oi! O Hyung está na sala. Pelo visto, meus amigos já chegaram também.

— Quer que a gente venha em outra hora? – DaHyun perguntou.

— Não, não. É que... A gente só foi saber que várias pessoas viriam ontem – ri, sem graça. Os dois assentiram e seguiram para a sala.

Meus amigos, como de costume, entraram no apê sem nem me cumprimentar. Provavelmente esqueceram que Namjoon e DaHyun tinham acabado de entrar, mas logo trataram de se comportar.

— Vocês não deviam deixar recado na secretária eletrônica. Quem usa telefone fixo para marcar encontros em pleno 2017?! Veio todo mundo pra cá hoje... Se comportem!

— 'Tá. Mas quando vamos começar a beber? – Jooheon disse, na cara de pau. Tratei de lançar um olhar assassino para ele, que entendeu de imediato.

Como Yoongi não iria sair de perto do JongHyun, fui dar atenção ao Namjoon-hyung. Enquanto isso, deixei que meus amigos ficassem na cozinha bebendo. Ainda não sei como fui arranjar amigos como aqueles, que só pesam em se divertir 24 horas por dia. O único maduro do grupo sou eu. Tenho o dever de pôr um pouco de juízo na cabeça daqueles loucos que só me dão trabalho.

A notícia que os dois vieram dar é a de que iriam se casar depois que o bebê nascesse. E, como foi uma notícia muito importante, obriguei Yoongi a deixar JongHyun com meus amigos e saber da novidade.

— MEU DEUS – os olhos de Yoongi pareciam sair de seu rosto. – Eu não... Não posso acreditar nisso... Namjoon precisamos conversar seriamente.

— Hyung, larga de drama e fique feliz pelo Nam-hyung.

— Mas eu estou! Só quero dizer que... EU VOU SER O PADRINHO, EU MEREÇO ISSO! – levantou do sofá. – Olha aqui, Namjoon... Se você escolher outra pessoa... Pode esquecer da minha existência. Será o fim da nossa amizade.

Aquela reação foi bastante estranha. Nem eu, DaHyun ou Namjoon estávamos conseguindo acreditar no que Yoongi havia dito. Esperávamos até mesmo lágrimas, já que ele nunca apoiou a relação daqueles dois. Mas aquilo me deixou feliz, aquilo significou a esperada aceitação do Hyung de que DaHyun é uma ótima pessoa para o Namjoon.

— Jimin, vem aqui! – Chan me chamou.

— O que foi?

— Por que nunca nos falou do JongHyun? Eu com certeza trocaria você por ele – riu. Como sempre, Chan demonstrava bastante afeto pela minha pessoa.

JongHyun tinha realmente se dado bem com os meus amigos, tanto que passou o resto da tarde com eles. Ele era mesmo uma pessoa incrível. Assim como fazia comigo e com o Hyung, contou a eles diversas histórias de sua vida, deixando-os super encantados . E as histórias do JongHyun são mesmo de se encantar; vão de engraçadas à emocionantes e conseguem nos prender facilmente.

Os recém noivos foram embora, logo depois de acalmar o Hyung, assegurando-o de que será o padrinho. Yoongi ficou muito feliz com isso e eu adorava vê-lo daquele jeito, tão sorridente. Com a saída dos dois, chamamos os outros para que se juntassem a nós na sala, e assim fizeram.

Ainda não estava acostumado a ver Yoongi bebendo. Ele ficou por um longo tempo tratando seus vícios, vi o quanto ele sofreu até conseguir vencê-los e tenho medo de que, em uma reunião como essa, vá tudo por água abaixo. Mas eu confio no Hyung e sei que ele tem tudo isso em mente.


Mais uma vez, a campainha tocou, e eu já sabia quem era.

— Soo! – abracei Kyungsoo o mais forte que pude. Fazia muito tempo que não nos víamos.

Kyungsoo foi morar fora muito cedo para estudar. Voltou para Coréia somente duas vezes, a última há dois anos. Temos uma amizade que vem desde o colegial e a mantivemos até hoje. Ele é um dos meus amigos mais importantes, assim como TaeHyung.

— Quem é vivo sempre aparece, né?! – retribuiu o abraço. – E eu apareci pra ficar.

— Quê? – desfiz o abraço, surpreso.

— Isso mesmo, meu filho. Kyungsoo está de volta. A Coréia toda já deve estar comemorando.

Aquela notícia me deixou muito feliz. Finalmente poderia ver Kyungsoo quando quisesse e em pessoa, ao contrário do que passávamos durante esses anos. E não apenas essa notícia, como todas daquele dia – mesmo que a de YeRim tenha me deixado um pouco chateado.


Os meninos beberam bastante, como sempre fazem quando se reúnem. Eu quase nunca bebo por isso, tenho que cuidar de todos quando saímos para beber.

~ Yoongi ~

JongHyun e o mais novo casal de noivos haviam me deixado bastante feliz. Pude matar a saudade que sentia por Hyun e receber uma ótima notícia do meu melhor amigo. Os amigos do Jimin também haviam contribuído para deixar aquela tarde mais divertida.

Já anoitecendo, todos que ainda permaneciam no apartamento foram embora, deixando uma enorme bagunça – latas de cerveja e garrafas de soju para todo lado. É claro que não iríamos arrumar a bagunça; então apenas nos jogamos no sofá e conversamos sobre aquela tarde. Mas estávamos animados demais para continuarmos apenas conversando.

— Lembra da sua proposta? – o fitei.

— Não. Que proposta?

— Você disse que... – sentei em seu colo. – Depois que todos saíssem, íamos nos divertir – sorri, maliciosamente.

— Ah, sim... – riu. – Então... Acho que devo cumprir essa proposta, não é? – apertou minha cintura.

Com a mão em minha nuca, Jimin deu início a um beijo quente e profundo; adentrando minha boca com a sua língua, explorando cada canto. Aquele simples contato já me fazia sentir arrepios em minha espinha. Eu queria aquilo há muito tempo, e finalmente o faríamos. Queria mais do que nunca ir além daqueles amassos.

Após minutos, nos separamos, em busca de oxigênio. Não demorou muito para que ele voltasse a me beijar e descesse o beijo para o pescoço, deixando a região marcada. Enquanto uma das mãos continuava em minha nuca, a outra descia para uma de minhas coxas, apertando-a.

Excitado, passei a rebolar em seu membro.

— H-Hyung... – arfou. Logo pude sentir a ereção de seu membro abaixo de mim.

Continuei com o movimento, ouvindo-o arfar e gemer mais e mais, enquanto distribuía beijos e mordidas por seu pescoço.

— Hyung... A-Ah... Agora para... – apertou minha cintura. Fiz o que ele pediu.

Voltou a me beijar, de forma mais desesperada e urgente, interrompendo o beijo apenas para tirar a minha camisa. Feito isso, continuamos o beijo. E os arrepios em minha espinha apenas continuavam, que pareciam mais cargas elétricas. Estava excitado demais; desejava ir muito além daqueles toques com Jimin.

Inesperadamente, Jimin se levantou, me segurando; prendi minhas pernas ao redor de sua cintura. Assim, fomos para o quarto, onde ele me colocou na cama, tirando a sua camisa e deitando sobre mim em seguida. Agradeci mentalmente por aquilo; ansiava por sentir sua pele quente contra a minha. Ainda com as vestes de baixo, Jimin começou a esfregar seu membro, já duro, contra o meu. Aquilo era muito bom, eu só conseguia pedir por mais e mais.

— Eu acho que...

— Agora não... – parou com os movimentos, voltando a me beijar. – Eu te amo muito, Hyung.

— Sei disso. Também te amo, Jimin.

Meu coração estava acelerado; não apenas por conta da excitação, mas por conta do amor que eu sentia por Jimin. Naquele momento, era somente eu e ele. Não conseguia pensar em mais nada além do quanto o amava. Esqueci dos problemas, memórias tristes, tudo. E, mais que isso, me sentia como em minha primeira vez. Eu estava nervoso. Mesmo que já tivéssemos feito diversas coisas do tipo, aquela seria a nossa primeira vez. Mas, ainda assim, eu estava totalmente entregue a Jimin e queria que aquele momento durasse para sempre.



°°°



— Hyung – senti os lábios de Jimin contra os meus, ao mesmo tempo sentindo todo o seu corpo sob o meu. – Acorda, yaegiya. 

— Não, por favor – cocei os olhos, usando as mãos.

— Você foi maravilhoso ontem... Por que você é tão perfeito, hum? – voltou a me beijar.

Ya...

— Está cansado? – riu. – Não foi culpa minha...

— Idiota – ri. – Vai falar disso todo dia, né? – ele assentiu, ainda rindo.

Sabia que Jimin iria jogar na minha cara o fato de que fui eu quem pediu para fazermos mais vezes. Fui um pouco ousado, já que era a nossa primeira vez. Mas eu havia realmente gostado... E ele também queria, queria e muito.

— Nem foi tão surpreendente assim...

— Hyung foram três vezes. Isso foi mais do que surpreendente. Mas... Foi realmente ótimo, você foi ótimo – deu um eye smile, me beijando logo em seguida.

Sim. Três vezes. Diferentes posições. Eu não esperava que a minha primeira vez com um cara fosse assim, e ainda mais a nossa primeira vez. E Jimin estava certo, havia sido realmente ótimo.

É óbvio que tenho total certeza do meu amor por Jimin; mas, depois daquela noite, é como se eu tivesse confirmado esse sentimento de vez. Por mais que eu tente, é impossível ignorar o que eu sinto por ele; é impossível parar de amá-lo. Quero que esse sentimento dure o máximo de tempo possível, que mais nada atrapalhe o nosso amor. E, caso mais alguma coisa aconteça, eu vou fazer de tudo para que o nosso relaciomento continue firme. Ainda é um pouco estranho pensar assim, estar apaixonado por alguém; mas eu gosto e quero continuar desse jeito. E, assim, nunca mais magoar ou decepcionar o Jimin – algo que já fiz diversas vezes no passado.

~ Jimin ~

Não esperava que Yoongi fosse querer repetir, e foram três vezes. Fiquei bastante surpreso, mas eu não iria recusar. Afinal, já era hora de fazermos aquilo. Foi algo adiado por muito tempo, finalmente pudemos fazê-lo. Me senti feliz, senti prazer e senti amor; senti amor por Yoongi e amor vindo do mesmo. Foi totalmente especial, mesmo que tenha rendido algumas risadas pelo motivo de não termos sido interrompidos por alguém momento algum.

Estava certo de que Yoongi era realmente a pessoa certa, a pessoa com quem iria passar os próximos anos da minha vida; e sabia que ele também se sentia assim – pelo menos era o que eu sentia. Yoongi não demonstrava, então eu nunca sabia ao certo se ele queria mesmo um relacionamento um pouco mais sério do que já era. Por isso me sentia inseguro. É certo que deveria conversar com ele sobre esse assunto, mas eu tinha medo de sua resposta. Yoongi já havia dito que queria ficar comigo, mas ele nunca foi totalmente claro. Precisava dessa resposta, e fui em busca da mesma o quanto antes.

°°°

— Procurando apartamento? – adentrei a loja, indo de encontro a Yoongi, que estava atrás do balcão.

— Sim... – suspirou.

Ainda não havia conversado com Yoongi sobre a nossa relação, sobre o nosso futuro. E era o que eu iria fazer naquele dia. Queria deixar claro que ele não precisava procurar um apartamento, que poderíamos muito bem morar juntos oficialmente. Mas eu não tinha certeza. Min Yoongi era a pessoa mais imprevisível que eu conhecia, por isso ainda tinha dúvidas sobre morarmos juntos ou até mesmo formarmos uma família. Então, já era hora de tocar no assunto.

— Será que... Podemos conversar?

— Claro. É algo sério? Eu posso fechar a loja se quiser – saiu de trás do balcão.

— Não é tão sério. Eu acho... Mas é melhor fechar a loja – ele assentiu. Sentamos no sofá. – Hyung, eu quero apenas ter certeza sobre nós dois, sobre o que temos agora e o que podemos ter – franziu o cenho. – Eu quero ficar ao seu lado... Quero que você faça parte do meu futuro.

— Eu também quero isso, Jimin. Mas o que você quer dizer com isso?

— É que você não deixa isso muito claro. Lembra quando eu falei sobre ter filhos e tudo mais? Você não mostrou muito interesse e até hoje procura apartamento. Penso que você não tem interesse em um futuro comigo, entende?

— Ah... Me desculpe por isso, Minnie. Eu realmente não percebo essas coisa e... Não achei que você realmente estivesse falando sério sobre filhos ou casamento e tudo mais. Eu só não estou acostumado... Desculpa...

— Tudo bem, Hyung. Só quero que seja sincero comigo, que esclareça.

— E-Eu... Eu quero o mesmo que você. Isso é estranho... – riu.

— O quê?

— O modo como estou completamente apaixonado por você, Jimin. Nunca passou pela minha mente ter um relacionamento sério com alguém, me apaixonar de verdade. Sempre tive certeza de meus sentimentos por você e sempre deixei claro, mas só agora percebi como amo você incondicionalmente. Toda vez que te vejo, é como se o meu coração fosse explodir; é a mesma sensação de quando comecei a aceitar que você despertava algo em mim. Não importa quanto tempo passe, meu coração sempre vai acelerar quando eu te ver, quando acordar e ter você ao meu lado na cama... Eu quero que isso continue para sempre, Jimin – sorriu. – Eu te amo muito.

— Hyung... – eu estava realmente feliz após ouvir tudo aquilo, só queria o abraçar o mais forte possível; e assim fiz. – Eu também te amo muito. Eu também estou completamente apaixonado por você.

— Então... Não se preocupe, ok? Você não é apenas um simples namorado para mim. Você é a pessoa que eu mais amo no mundo, a pessoa com quem quero estar no futuro. Você é a minha pessoa – me abraçou mais forte.





Notas Finais


CABOOOOO GENTE
É O FIIIIIMMMMM

Se alguém percebeu a referência de "Você é a minha pessoa" amém
Mas ngm deve ter percebido então disfarça tá gente DISFARÇA

Quem é vivo sempre aparece né
Então...
Desculpa.
Desde fevereiro eu tenho prometido capítulo novo oakwked Oq aconteceu? MUITA COISA ACONTECEU: coisas pessoais (ATÉ O TALO), escola, sem roteador, sem notebook, preguiça, sem lemon, bloqueio criativo, ESCOLA MT ESCOLA. Enfim, peço desculpas ;-;

Pois é, não teve lemon. E foi pequeno. Pq? Pq o lemon n vai mais existir e eu precisava att isso aqui né... Pq n teve lemon? PQ EU N SEI FZR LEMON. Eu tentei fzr, tipo pedi ajuda e tals. Mas coisas ocorreram e ngm liga e é isso aí

Bom esse foi o último capítulo sim. É, eu sou uma pessoa horrível por fzr isso, mas pense por um lado bom: eu não matei o Yoongi ou o Jimin, coisa que já tava programada pro final :)

» Ah e você não deve lembrar, mas a Byul tinha dois empregos (caso vc tenha pensado "ué mas ela n disse q o bar fechou?") «

Também quero confessar que eu já não tava mais com saco pra att isso aqui. Eu não gosto dessa fic pq n faz sentido algum. Eu mudei muita coisa ao longo dos capítulos, coisas que não eram pra acontecer, não teve um foco... Ficou aleatória. Ou seja, né, eu odeio ela. Então, mt obg se vc gostou da fanfic (com certeza odiou o final mas é isso aí).

Obrigada pelos fav, pelos comentários e por ter esperado meses por uma att (isso se esperou né pq...)

Bom é isso
Desculpa dnv, de verdade
E obg se vc ainda tá lendo isso aqui ♡~ :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...