História Uma Futura Produtora Em Apuros - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arrow, Legends of Tomorrow, Supergirl, The Flash, The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Dr. Martin Stein, Leonard Snart (Capitão Frio), Mick Rory (Onda Térmica), Personagens Originais, Ray Palmer, Richard "Rip" Hunter
Tags Ameliah, Legends, Produtora, Tommorrow
Exibições 32
Palavras 1.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 33 - O acidente e a surpresa


Fanfic / Fanfiction Uma Futura Produtora Em Apuros - Capítulo 33 - O acidente e a surpresa

Ao abrir os olhos, uma dor de cabeça terrível tomava conta de mim, minha visão estava embaçada e ao ficar nítida, notei muitas luzes brancas, eu estava deitada com um roupão azul, traduzindo, roupa de hospital.

 

Mas depois de sair do estúdio e entrar no carro deixando o idiota do Matt falando sozinho, eu não me lembro de mais nada. A enfermeira se aproximou e disse:

 

- Não se mexa moça, vou chamar o médico.

 

Me virei e senti minha cabeça maior do que o normal, passei a mão e senti a faixa. Virei minha cabeça, um pouco e vi Caity dormindo sentada, numa cadeira horrível.

 

Ela abriu os olhos, sorriu ao me ver acordada e perguntou:

 

- Oi, como você está? – E eu respondi:

 

- Bem, eu acho. Minha cabeça dói muito. E minha barriga também, mais do que doía no carro. O que aconteceu?

 

Ela me olhava pensativa, como que medindo o que iria dizer. Então ela deu um suspiro bem pesado e disse:

 

- Você comentou sobre a dor na barriga, quando estávamos no telefone, eu te pedi pra estacionar, mas, você disse que já estava chegando e começou a gaguejar. Pelo o que disseram, você capotou o carro. Só conseguiram dar entrada na emergência, porque sua bolsa estava com você.

 

Eu tentava me lembrar, mas minha cabeça doía demais. Notava que algo estava errado, então eu perguntei:

 

- Eu não estou de bem com meu marido, não é?

Ela assentiu e disse:

 

- Antes de você passar mal, quando estávamos no telefone, vocês discutiram e ele disse que não queria..

 

Ela nem precisou terminar, porque tudo veio a mente como um tiro, então eu a cortei, dizendo:

 

- Ele não queria me ver, não é?

 

Ela assentiu outra vez e eu não tinha muito o que fazer daquela cama. Meu celular tocou e Caity atendeu, era ele, meu ruivo, que estava de mal comigo, por algo que já não tinha mais a ver comigo.

 

Ele perguntou como eu estou e quando ela se virou, esperando uma resposta, eu virei meu rosto, ignorando ela, então ela se limitou a dizer que eu estava dormindo.

 

Então o médico apareceu. Um senhor normal, bem apessoado, mas já aparentava muita idade. Ele se aproximou e disse:

 

- Como a senhora está se sentindo, Sra darvill?

 

- Normal eu acho. Minha cabeça dói e minha barriga também, mas vai passar não é?

 

Ele então se aproxima mais e diz:

 

- A dor de cabeça, sim. Já a da barriga, não posso garantir cem por cento de alívio, ela está mais sensível e também tem...

 

- Tem o que doutor? Não me assusta! – E pra maior surpresa da minha vida, na maior calma do mundo, ele diz:

 

- Tem o início de uma nova vida, Sra!

 

Minha cabeça não estava das melhores, mas raciocinei, naquelas né. Eu perguntei, só pra ter certeza:

 

- O senhor da dizendo que eu tô grávida?

 

Ele assentiu e disse que eu tenho que me cuidar, pra que tudo ocorra bem. Ele pediu licença e saiu.

Eu ainda estava tentando processar tudo que havia acontecido e Caity disse:

 

- Espero que seja uma menininha ruiva com seus olhinhos castanhos. Vai ser linda!

 

Dei um sorriso falso, tentando me conformar com o fato de que agora tem alguém, um ser humaninho haha, crescendo dentro de mim.

 

Ela disse que ia ligar pro Normal do corredor pra mim poder descansar, ela apagou as luzes e saiu. Eu apaguei em poucos minutos, meu corpo devia estar cansado mesmo.

 

Algumas horas depois, eu acordei com um mega cheiro de hambúrguer e Normal, a pedido da Caity, me trouxe um Mega Cheddar McMeld, uma porção de batata com cheddar e bacon, e um copão de refri.

 

Ela me advertiu a comer o mais rápido possível, pois o médico não queria que eu me alimentasse daquele jeito no hospital. Mas o lanche e a batata estavam tão bons, que a sensação era de não ter comido uns 3 dias.

 

Terminei meu lanche e vejo alguém abrindo a porta. É meu marido, Arthur Darvill, com uma cara de quem não tinha dormido por três dias. Ele se aproximou da cama, pegou minha mão e disse:

 

- Como você está?

 

- Bem, eu acho. – Ele puxou uma cadeira pra se sentar e disse:

- Caity me disse que o médico falou algo importante pra nós dois.

 

Eu respirei fundo e disse:

 

- Nós vamos ter um bebê Arthur, eu tô esperando um filho seu, ou uma filha.

 

Por uns dois segundos ele ficou catatônico, depois se levantou sorrindo, pulou de um lado pro outro, em silêncio, dizendo bem baixinho:

 

- Eu vou sei pai, vou ser pai..

 

Eu sorri com aquela cena, mas a sensação de assunto pendente, misturado com angústia não me deixava, então eu disse:

 

- Estamos bem?

 

Ele me olhou e seu sorriso se tornou uma linha reta, naquele rosto que eu tanto amo. Ele se sentou novamente, respirou fundo e disse:

 

- Me perdoa? – E eu respondi:

 

- Pelo que? – Ele então continuou:

 

- Por ser um idiota ciumento, logo depois da nossa discussão saiu na TV o rosto da tal menina, tudo não passou de um mal entendido, por causa do meu ciúme, eu nem meço o que aconteceu ou o que pode ou não acontecer. Eu simplesmente explodo e acabo te afastando de mim.

 

Eu suspirei, fazendo carinho naquele cabelo ruivo , enquanto ele chora, enchendo minha mão de beijo. Ele então levanta a cabeça, se limpando as lágrimas e pergunta de novo:

 

- Você me perdoa?

Eu assinto e digo:

 

- Você é MEU marido, MEU ruivo, MEU amigo, MEU namorado, MEU idiota, já falei MEU? Só que agora que tenho um bebê aqui, essas brigas só vão acabar comigo.

 

- Não terão mais brigas, eu prometo. - Ele diz e se levanta, se aproximando pra me beijar.

 

Ele roça sua boca na minha, fazendo um charme – barra – suspense e eu digo em português:

 

- Beija logo, porra!

 

Ele sorri e parece que entende, porque assim que eu acabo de dizer, ele ataca minha boca, que se não nos beijássemos há anos. Um beijo super suculento, quente, ele então começou a tirar o cobertor de cima de mim, passando as mãos pelas minhas coxas. E na hora que eu estava abrindo as pernas, Caity entra de rompante e diz:

 

- Aqui não né casal! Liah o médico já te deu alta, se troca e borá!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...