História Uma garota má. - Capítulo 1


Escrita por: ~, ~Phami e ~Catnip-Potter

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Fred Weasley, Hermione Granger, Jorge Weasley
Tags Amor, Caso, Fantasia, Fred Weasley, Gêmeos, George Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Pedido, Revelaçoes, Romance, Sexo, Surpresa
Exibições 619
Palavras 2.300
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá olá olá pessoal, tudo bem?
Eu fui a sortuda que tive o prazer de ter um grupo com as mentes mais maravilhosas já conhecidas, isso aqui é apenas o resultado de uma amizade linda que eu ganhei.

Obrigada as minhas duas musas lindas: Cat e Phami, cês são demais 💙

Esperamos que gostem!

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Ao abrir os olhos Hermione se deparou com duas grandes orbes azuis repletas de malícia. E embora um sorriso tenha se alastrado por seu rosto, a confusão que se abateu sobre ela varreu para longe qualquer sinal dele. 

 Ela arfou e sentou-se na cama em um rompante, trazendo para cima de si todo o lençol em total desespero, lançou um olhar surpreso para baixo percebendo que estava nua. Ao seu lado uma risada aveludada repicou, vinda do dono dos olhos azuis. Hermione sentiu suas bochechas esquentarem e um frio percorrer sua espinha, sem a lembrança de como aquilo tinha acontecido.

"O que? Como?" Balbuciou a garota, confusa com seu estado. Ao jogar a cabeça para o alto em desespero percebeu pela primeira vez o enorme espelho que tomava quase totalmente o teto. "Por Merlim! Um motel! E com você!?" Chiou entre dentes. Deixando sua atenção cair sobre sua companhia gemeu angustiada. "Ah, Flor, não foram esses gemidos que você me deu durante toda a noite".

 Os olhos da castanha se arregalaram, ela abriu a boca diversas vezes para falar mas acabou não dizendo nada. Soltando um suspiro o rapaz ao seu lado se sentou, arrastando-se para perto de Hermione. Ela paralisou quando ele tocou seu ombro com os labios em um beijo suave. "Merlin, não vai me dizer que esqueceu da melhor noite de nossas vidas!" choramingou em uma voz lenta e rouca.

Hermione afastou-se abruptamente, como se o menor toque fosse capaz de queimar sua pele. Embora tivesse quase certeza que não havia muito mais espaço em sua pele para marcar. Seus olhos castanhos cintilaram em direção à porta no canto do quarto, quando a voz de Fred soou. "Já acordou, pequena?"

A porta se abriu e Fred entrou usando apenas uma cueca, um sorriso travesso brincando em seus lábios. Hermione, assustada, se acuou na parede, entre a cama e a porta. Suas orbes castanhas viajando de um gêmeo a outro, sem conseguir se concentrar por muito tempo. "O que esta acontecendo aqui?" sua voz soou baixa e tremula. George se remexeu e jogou as pernas para fora da cama. "Relaxa, mi amor" disse. 

"Não queriamos assusta-la", emendou Fred. 

"Queríamos apenas proporcionar um imenso prazer a nossa garota favorita", concluiu George dando um sorriso maroto.

"E diga-se de passagem, conseguimos." Emendou o gêmeo dando passos sorrateiros até Hermione. Enquanto George observava as feições nervosas da garota, que se remexia ainda mais diante a aproximação de Fred com um sorriso idêntico ao de seu irmão. Vencendo todo o caminho até a cama Fred tomou os cabelos da nuca de Hermione em uma das mãos e com a outra soltou as pequenas mãos que seguravam o lençou, desnudando os pequenos seios. 

Era como se ao toca-la tivesse a petrificado. Hermione mal sentia sua pernas, havia perdido o dom de falar alguns minutos atrás. O sorriso no rosto do gêmeo a sua frente se ampliou em satisfação. Ele abaixou seu rosto até o pescoço dela, roçando o nariz logo abaixo do lóbulo de sua orelha. Hermione estremeceu. "Ela continua tão cheirosa quanto ontem, George", falou para o irmão, seus labios roçando perigosamente sobre o pescoço dela.

A respiração quente em seu pescoço arrepiou cada pelo de seu corpo arrancando uma risada baixa de Fred. A garganta seca não a permitiria falar mesmo que pudesse encontrar as palavras. Antes que Hermione pudesse realmente respirar, o roçar de lábios ganhou como companheiro a ponta gelada do nariz de George. "Tem razão, irmão. Será que está tão pronta para nós como estava ontem?" Perguntou com a ponta de seus dedos descendo perigosamente entre o vale dos seios da mulher. 

George suspirou, passando as mãos pelos seios pequenos da castanha, seus dedos rodeando seus mamilos, deliciando-se com a corrente elétrica que irradiava do corpo de Hermione. Fred mordiscou sua orelha, fazendo-na estremecer. Um gemido entrecortado escapou da boca de Hermione, sobressaltando-a. Ela se remexeu, passando por entre os gêmeos e se postando do outro lado do quarto, sem saber como reagir. Como aquilo fora acontecer? perguntava-se.
"Não fuja, pequena" disse Fred.

Somente então, com o olhar pedrador de ambos sobre seu corpo é que Hermione percebeu que não havia levado o lençol consigo. Tentando inutilmente esconder o corpo com as mãos, Hermione avaliava suas opções; voltar a cama estava descartado. A porta aberta do banheiro era convidativa. Justamente quando ponderava suas chances de chegar a ela antes dos gêmeos foi que notou seu erro ao se distrair. Fred estava parado a sua frente com um sorriso cafajeste que lhe deu uma fisgada no ventre, absurdamente próximo. Um passo vacilante para trás foi o suficiente para sentir o grande corpo de George colado ao seu. Nú. 

A respiração ficou presa na garganta, fechou os olhos tentando contar até 10, precisava de um plano de fuga. No três sentiu as mãos de George a prensarem contra o corpo esculpido pelo Quadribol. No cinco sentiu a boca de Fred passar por entre o vale dos seios, deixando um caminho de fogo por onde passava. No oito a ereção de George estava na curva do seu traseiro e a boca na sua nunca. Malditos gêmeos, onde ela parou na contagem?

Os lábios e mãos estavam em todo lugar, seu cérebro gritava que era errado, mas seu coração e seu corpo só sabiam lhe dizer o quão certo era as quatro mãos que lhe levariam à loucura.

Disso não tinha dúvida.

George riu baixo em seu ouvido, tomando o lóbulo entre os dentes, arrepios que percorriam a espinha dela; a sua frente os olhos arregalaram-se, Fred estava de joelhos a sua frente, nos olhos dele podia ver o fogo que queimava, que refletia a alma suplicante de Hermione.

"Por favor." A voz era um sussurro.

"Por favor o que pequena? O que você quer?" Era a voz de George lhe instigando, a provocando. Os olhos não deixavam Fred nenhum minuto.

Já não tinha escapatória.

Porém, antes que pudesse encontrar as palavras e formular uma frase coerente, Fred se posicionou entre suas pernas, segurando em sua coxas e percorreu sua lingua quente por entre a abertura molhada de Hermione. Ela soltou um gemido misturado a prazer e surpresa, deixando ambos extasiados. George puxou o rosto de Hermione e tomou sua boca com voracidade, mordendo-lhe o labio inferior enquanto passava seu pênis na abertura de sua bunda. "Geme, pequena", George ronronou em seus lábios. 

E Hermione gemeu. Lânguida, inebriada e para satisfação dos gêmeos total e irrevogavelmente entregue. "Tão doce", Fred soltou, a voz abafada e os lábios molhados pelo prazer da castanha. Voltando a mergulhar a língua na fenda dela, as mãos possessivas na cintura, dividindo espaço com as de George que puxavam seu quadril para cima a fim de encaixar seu membro no corpo esguio entre eles. Torturando-a. "Fred, Hermione é uma garota má. Ela não se lembra, será que devemos refrescar a sua memória?"

"Acho que devemos reavivar as memórias perdidas, George." Disse Fred com a voz abafada, segurou entre os dentes o pequeno clitoris dela, arrancando um choro baixo de prazer dela. George provocava, posicionado atras da bunda de Hermione, instigando-a arquear o corpo para trás, o corpo dela a sua mercê.

"Quero ouvir ela pedir, Fred, ela tem sido uma garota muito má." As mãos dele subiram pelo corpo dela, tocando-lhe os seios, prensando os mamilos com as pontas dos dedos, a boca marcando a pele do pescoço. Fred subia a boca, mordiscando a barriga de Hermione, passando pelos quadris, falando entre os beijos. "Diga, pequena, o que devemos fazer com você?"

Hermione mordeu seu lábio inferior completamente embriagada com as bocas que passeavam por seu corpo. Fred parou em pé, colando seu corpo ao dela, inclinou-se lhe dando um casto beijo na boca. Em seguida passou o rosto para seu pescoço, sussurrando em sua orelha. "Você terá que pedir, pequena". George a inclinou para frente, deixando sua bunda impinada para ele. Reclinou-se sobre o corpo dela deixando um rastro de beijos por suas costas, sua ereção roçando sua vagina. "Assim como fez tantas vezes ontem", sussurrou George. 

"E-eu fiz?" sua voz saiu fina, baixa, deliciosa. Fred tocou seu labio superior com a ponta da lingua enquanto levava as mãos de Hermione para seus quadris. 

"Praticamente implorou", disse Fred.

Hermione apoiada em seus quadris, olhando fixamente sua ereção, estava com o estômago dando voltas interminaveis. Ela queria senti-los. Dentro de si.

Ainda com o gosto do próprio prazer nos lábios, Hermione aproximou-os da ereção de Fred. "Será que também tem um gosto doce?" Sem perceber sussurrava, o halito fresco batendo na glande fez com que o ruivo agarrasse seus cabelos emaranhados. "Somente para saber o gosto", gemeu pausadamente a garota, antes de descer a ponta da língua da cabeça a base. 

"George, eu... não... vou... pedir". Hermione disse entre as lambidas, e assumiu a postura altiva que era característica, mesmo na posição que estava. Aproveitando-se dela, rebolou para o garoto atrás de si, provocando um gemido sincronizado com o irmão. Que empurrou todo seu comprimento na boca da castanha. 

 
Fred arfou, a sensação da boca dela em torno de si o levando ao limite, mordeu o lábio inferior para se controlar. George soltou um grunhido rouco, segurava na cintura da castanha com uma mão, marcando a pele ali, com a outra mão passava seu membro pela entrada da castanha, deslizando pela fenda e voltando a colocar só a cabeça dentro dela, sentia a mesma tremer, estava quase ficando louco em uma provocação que instigava os dois. "Tem certeza, pequena? Sabe que sou muito bom em te fazer pedir." Sussurrou aquela voz rouca.

A cabeça de Hermione estava a mil, era tantas as sensações que tinha medo de acabar gozando sem nem mesmo ter sentido ele dentro de si. Fred segurava o cabelo dela, puxando de forma carinhosa, a incentivando, ela gostou do gostinho que ele tinha. Rebolava de forma lenta e provocativa, queria fazer George pedir, ele sempre fora mais difícil. Fred respirava fundo, olhos presos ao rosto dela, aquela cena toda o estimulando, as vibrações da voz dela o provocando, quando ela levou uma das mãos as bolas dele, achou que fosse morrer de prazer.

Ela era boa no que fazia.

Hermione estava em seu limite, o maldito sabia o que fazer, ela sabia que ele não iria entregar os pontos e ela precisava o sentir, precisava se sentir completa. "George, por favor." Disse ela aliviando Fred de sua boca, distribuindo beijos até a base de sua ereção.

"Diga amor, diga e eu te darei o que quiser." Ele enfiou a cabeça dentro dela, não consiga mais, precisava dela. Tão apertada.

"Me fode."

George gemeu de prazer. Ela não precisava pedir duas vezes. "Pode deixar pequena. Vou te foder bem gostoso", ao dizer dessas palavras George a penetrou com força e precisão, fazendo-na vacilar um passo para frente. Hermione umideceu seus lábios, fora de si. Ela queria mais. "Ah, George ..." suspirou. George movimentou-se dentro dela, deixando seu pênis pulsar em sua vagina apertada. Fred se abaixou um pouco - de forma que Hermione se apoiou em seus ombros, arrando-o com suas unhas - e abocanhou um de seus seios, sugando-o e mordiscando alucinadamente. "Oh, Fred ..." ela gemeu.

Fred prendeu seu mamilo entre os dentes, e deixou com as mãos um rastro de fogo por seu corpo, caminho à sua intimidade, tomando seus lábios em um beijo lascivo. As estocadas profundas de George a jogavam para frente. Ela precisava de mais. A garota perdeu as forças nas pernas quando a mão firme de Fred tocou seu clitóris com demasiada lentidão. Fazendo um contraste terrível com o ritmo quase selvagem de George. "Oohhh, Merlin!" O corpo de Hermione contraiu. "Merlin não,  garota, seus meninos".

Teria rido se não estivesse tão ocupada gemendo, o que eles faziam com ela deveria ser proibido. Com certeza ela atravessaria aquela linha entre o certo e o pecado; seus meninos. Fred beijava o vale entre os seios dela, o dedo acariciando de forma lenta seu clitoris, a fazendo querer gritar. George a impulsionava cada vez mais, sentia-se completa, sedenta por mais. "Mais forte, George."

Ele apertou a cintura dela em resposta, mantendo o corpo dela em pé, seu próprio orgasmo sendo construído. Hermione mordeu o lábio, os olhos de Fred sobre si a hipnotizavam, olhos sedentos por ela, como ela era por ele. Era uma brincadeira de gato e rato, e ela sabia como jogar. Soltou o ombro de Fred, descendo as mãos pelo corpo dele, inclinando o próprio, a bunda empinada, fazendo George soltar um grunhido rouco, vê-lá assim era tortura. Ela voltou a abocanhar Fred, fazendo questão de usar a combinação de língua e sucção o que deixaria de perna bamba. "Hermione!" Ele suspirou, a boca quente dela o consumindo, não aguentaria muito tempo.

George pressionou o pequeno ponto pulsante no corpo da pequena a sua mercê, a velocidade igualada a cada estocada que dava, pressionou ele entre seus dedos. Hermione gritou, a voz abafada pelo membro de Fred, as vibrações o levando além do limite, acabando por vir na boca dela de forma intensa.

George veio junto com ela, vê-lá daquele jeito o deixou maluco, mais duas estocadas e acabou por gozar dentro dela, chamando pelo nome da pequena em um gemido. Hermione sentindo o corpo tremer, orgasmo veio forte, intenso e desnorteante, não sabia aonde estava mais, estava no paraíso.

Hermione estava deitava entre ambos os gêmeos com seus braços passando por seus ombros desenhando padrões com as unhas na pele branca repleta de sardas de seus corpos. Sentiu ambos levantarem a cabeça de seu colo, onde antes descansavam, quando seu corpo inteiro tremeu pela gargalhada que escapou. "O que é tão engraçado, nossa flor?"

Ainda em meio as risadas a Castanha respondeu. "Não creio que realmente acreditaram que eu esqueci." Mais risadas explodiram. "Realmente, uma garota má."


Notas Finais


O clima esquentou aí?

Porque aqui tá quente demais Hahahahha,
Resultado de uma parceria linda, esperamos que tenham gostado.

Deem uma olhada nos nossos outros trabalho.

Reverse II - https://spiritfanfics.com/historia/reverse--ii-temp-6384066

Queen - https://spiritfanfics.com/historia/queen-5247437

Destino - https://spiritfanfics.com/historia/destino-6275341


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...