História Uma Herança de Amor - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Madara Uchiha, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Exibições 190
Palavras 2.220
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá Pessoas, olha eu aqui!

Primeiramente queria desculpar-me pela demora na atualização do capitulo, mas, como tinha explicado na minha outra fic estava de molho devido a maldita chikungunya, então, pense nas piores dores que já sentiram e multipliquem por 10 e vcs saberão o que senti. Escrever está sendo um tormento pq minhas articulações doem demais e pelo que meu médico disse vou continuar assim por pelo menos mais dois meses. Oh sofrimento, mas, vamos ao que interessa o capitulo.

Espero que gostem desse capitulo, pois, ele marca uma tomada de decisão importante para a fic, ok?

Kissus e nos vemos nos comentários.

Capítulo 11 - Confronto - Parte 1


Fanfic / Fanfiction Uma Herança de Amor - Capítulo 11 - Confronto - Parte 1

Capitulo 10 –

 

Sasuke............

Já faz uma semana que não consigo ver meu filho, uma semana sem conseguir me aproximar do Daisuke, uma semana que estou mais irritado do que nunca ao ter que escutar os conselhos do Suigetsu e não forçar minha presença na vida do meu filho ou na vida do Naruto.

- Que mal humor é esse em Sasuke? – me indagou o insuportável do meu advogado entrando na minha sala – Não é justo que fique importunando a pobre da Karin-chan com esse humor do capeta, o que está acontecendo em?

- E você ainda pergunta? – devolvi irritado – Eu quero ver meu filho Suigetsu e estou quase mandando seus conselhos para o inferno e saindo por essa porta.

- Já conversamos sobre isso – alertou – Acabamos de dar entrada no processo de guarda, daqui a pouco o Naruto estará recebendo uma intimação da justiça e as coisas podem ficar serias se vocês se encontrarem. Você por acaso está querendo que as coisas se compliquem para nosso lado?

- A única coisa que eu quero é ter meu filho ao meu lado, entendeu? – perguntei me levantando da minha mesa – Eu quero resolver isso de uma vez, eu quero ter minha família comigo.

- E como você acha que tirar seu filho do pai dele vai fazer você ter uma família, em? – indagou irritado – Você sabe que não concordo nem um pouco com o que está fazendo, mas, mesmo assim estou te ajudando porque sou seu amigo, droga. Então, tente não estragar isso, ok?

- Você não entende – aleguei – Essa é a minha grande chance de resolver meus erros do passado e recuperar o que me pertence.

- O Naruto já deixou te pertencer a muito tempo – respondeu com sarcasmo – Só falta você perceber isso de uma vez por todas.

- NÃO, eu não vou aceitar isso – disse irritado – Nunca vou aceitar isso.

- Você é a pessoa mais egoísta que eu conheço, Uchiha Sasuke – respondeu indo em direção a saída da minha sala – Só não esqueça que outras pessoas estão envolvidas, tente não feri-las ou ferisse nesse processo.

- Isso eu não posso prometer – sussurrei, vendo-o sair.

- Senhor Uchiha – falou Karin, minha assistente – Sua mãe está aqui fora aguardando para falar com o senhor, posso deixa-la entrar?

- Droga, era só o que me faltava – sussurrei sentindo minha cabeça latejar – Pode Karin, mande-a entrar por favor.

- Pensei que me deixaria aguardando por mais tempo, Sasuke – disse dona Mikoto entrando em minha sala, vindo em minha direção com ar de irritação.

- Olá para a senhora também dona Mikoto – respondi sorrindo em sua direção – A que devo a honra de sua visita? – perguntei beijando sua mão.

- Não se faça de tonto menino – alertou, puxando sua mão de forma brusca – Sou sua mãe, te carreguei durante nove meses na minha barriga, te alimentei, te limpei e cuidei de ti até que pudesse se virar sozinho e mesmo assim você acha que não mereço a consideração de saber que tenho um neto? – indagou seriamente.

Se existe uma coisa que realmente me faz sorrir é ver minha mãe irritada, pois, chega a ser engraçado ver alguém tão pequena e delicada emanando uma aura assassina como ela está no momento.

- Pelo visto o Itachi já foi fazer fofoca, não é mesmo? E eu que sempre achei que esse tipo de coisa não era do feitio dele.

- Não me provoque garoto – respondeu – O que eu quero saber é quando pretendia me contar se é que contaria, não é?

- É claro que iria contar mãe – afirmei me sentando – Só não pretendia contar agora. As coisas ainda estão sendo resolvidas.

- Então é verdade que o Naruto escondeu essa criança? – perguntou se sentando a minha frente – Se bem que até entendo o lado dele, mas, o que você pretende fazer?

- Recuperar o tempo perdido com meu filho e ter minha família ao meu lado – respondi calmamente.

- Não faça nenhuma besteira Sasuke, por favor – pediu – Eu te conheço e tenho certeza que está tramando algo, mas, não cometa o mesmo erro novamente. Não machuque o Naruto outra vez.

- Não pretendo machuca-lo mamãe – informei – Eu só quero meu filho ao meu lado. Será que é pedir demais?

- Se fosse só ter seu filho não houveria problema nenhum, mas, você pretende fazer alguma coisa que vai acabar machucando alguém Sasuke, tenho certeza disso.

- Você me dá muito pouco crédito mãe – disse me levantando, me aproximando dela – Eu sei o que estou fazendo, por favor tenha um pouco mais de confiança em mim – pedi segurando sua mão.

- Ah Sasuke, eu tendo meu filho – respondeu com frustação – Eu juro que eu tento, mas, você sempre seguiu a ferro e fogo as doutrinas Uchihas que seu pai pregou a vida toda. E isso me faz ter medo, porque eu sei que para você conseguir o que quer é capaz de passar por cima de tudo até mesmo seus sentimentos. Afinal você foi capaz de fazer aquela barbaridade com o Naruto no passado.

- Eu quero concertar exatamente isso mamãe, mas, para isso eu vou precisar do seu apoio, confia em mim dessa vez – pedi olhando em seus olhos.

- Só não cometa o mesmo erro, sim? E faça o favor de me apresentar meu neto o quanto antes – exigiu se levantando – Eu já sou avó, não dá nem para acreditar – disse sorrindo – Ligue para seu pai, vocês tem muito o que conversar, entendeu?

- Ok, dona Mikoto – respondi beijando o topo de sua cabeça.

- Só faça a coisa certa meu filho – alertou – Busque a sua felicidade, mas, lembre-se você tem alguém mais importante que tudo agora.

- Eu lembrarei mamãe e obrigado – agradeci vendo-a indo em direção a saída.

- Juízo e não me faça te quer que vim a Tóquio novamente para puxar suas orelhas, entendeu? – perguntou saindo da minha sala, me causando u sorriso no rosto.

 

Naruto ..........

 

Hoje realmente não é o meu dia – pensei suspirando mais uma vez nessa manhã, ao perceber que tinha esquecido os relatórios que o Neji tanto me cobra. A minha cabeça está realmente uma grande bagunça, eu só consigo pensar no clima péssimo lá em casa.

Já faz uma semana que o Daisuke mal fala comigo e uma semana que ele me acusa de separa-lo do maldito do Sasuke e se não bastasse tudo isso ainda tenho que aguentar as ladainhas do meu padrinho, dizendo que tudo isso se resolveria se eu deixasse de teimosia.

Será que ele não intende que eu estou apavorado, com medo que aquele bastardo consiga tirar meu filho de mim? Eu não estou nem conseguindo dormir direito, com os pensamentos a mil. Porque conhecendo o Sasuke como eu conheço, com certeza ele vai querer se vingar de mim de alguma forma por ter escondido a paternidade do Daisuke dele.

- Naruto? – ouvi me chamarem, me fazendo sair dos meus pensamentos – Eu já estou te chamando a um tempão, não escutou? – perguntou Neji se aproximando.

- Oi Neji, me desculpe não estava te ouvindo – informei – Mas, o que quer comigo? Se forem os relatórios eu te promete que envio para você assim que eu chegar em casa, ok? – informei constrangido.

- Não, não são os relatórios eu só queria saber como você está – disse me seguindo em direção a saída da universidade – Ah Hinata te mandou um abraço.

- Estou bem, pelo menos na medida do possível – respondi forçando um sorriso – As coisas ainda andam bem complicadas com meu filho, mas, daqui a pouco nos resolvemos – disse esperançoso – Ah manda um beijo para Hinata, por favor, ela disse quando volta de Amsterdã? Eu já estou morrendo de saudades dela.

- Não, ela ainda não disse – respondeu – Mas, com certeza deve ser em breve já que o curso dela está preste a ser finalizado. Você está indo para casa? Não quer ir almoçar comigo?

- Estou indo para casa sim – respondi – Desculpa hoje não vai dar para aceitar seu convite, fica para próxima eu realmente tenho que ir. Nós vemos depois – me apressei em me despedir indo em direção ao ponto de ônibus mais próximo.

Durante todo caminho para casa minha mente voltava a tentar desvendar o  que Sasuke estaria tramando, não sei porque mais a sensação de que a qualquer momento ele fará algo para me tirar meu filho está cada vez maior.

E tão absorto nesses pensamentos quase perdi o ponto de descida do ônibus, tendo que me levantar as pressas para não passar do meu ponto de descida. E foi só chegar em casa que o Erro-sannin me recebeu com uma cara preocupada.

- Naruto, esse senhor está lhe aguardando – disse apontando para um homem bem vestido sentando em nossa sala.

- Pois não? Em que eu posso ajudá-lo? – perguntei o encarando desconfiado.

- Senhor Naruto, meu nome é Senju Himato, sou oficial do tribunal judiciário de Tóquio – respondeu – Vim lhe entregar uma intimação de comparecimento ao Juizado da vara da infância.

- O que? – perguntei incrédulo – Não estou lhe entendendo.

- Por gentileza leia a intimação e confirme o recebimento – disse me entregando uma espécie de carta com registro do tribunal de Tóquio.

Assim que eu peguei a documentação e comecei a ler, tudo parece que travou naquele momento. Os meus pressentimentos se confirmaram finalmente.

 

 

Pela presente intimação, fica o Senhor (a) Uzumaki Naruto, residente À Rua: Flor de Laranjeira, prédio Monte Hokage, apartamento 103, neste município e comarca de Tóquio, INTIMADO a comparecer ao 12º Tribunal de Justiça, no dia 30/11/2016 às 09h30mim, referente ao pedido de guarda exclusiva do menor Uzumaki Daisuke solicitado pelo pai (progenitor) Uchiha Sasuke.

1ª INTIMAÇÃO

 

HIRUZEN SARUTOBI

Juiz da 12ª Vara do Tribunal de Justiça de Tóquio

 

 

SEJU HIMATO

Escrivão da 12ª Vara do Tribunal de Justiça de Tóqui

 

CIENTE EM ____/_____/2016

AVISO: O não comparecimento, sem motivo justificado, será depois de novamente intimado, conduzido, mediante Mandado da Autoridade Policial e incorrerá em crime de desobediência (Artigo Penal).

 

- Maldito – sussurrei com lágrimas nos olhos.

- Naruto, o que tem nessa intimação? – indagou meu padrinho preocupado.

- O Sa...su...ke quer tirar a guarda do meu filho – respondi gaguejando – Ele entrou na justiça pela guarda exclusiva do Daisuke – respondi atordoado – Eu....eu....preciso sair – disse pegando minha bolsa no sofá e indo em direção a saída do apartamento.

- Naruto?! Volta aqui garoto – ouvi meu padrinho chamar assim que entrei no elevador – Aonde você vai?

                Eu estava tão desesperado que ignorei seus chamados e fui em direção ao ponto de Táxi mais próximo, ligando para o único que poderia me ajudar nesse momento.

                - Itachi? – perguntei assim que ouvi sua voz – Eu preciso saber onde o seu irmão está agora – disse de forma apressada – Eu não tenho tempo para suas desculpas, não agora. Só me diz onde o Sasuke está, por favor – pedi nervoso – Sim, eu sei onde fica. Obrigado – agradeci desligando o telefone.

                - Moço por gentileza preciso que me leve à construtora Uchiha, no centro da cidade – informei ao entrar no taxi. Durante todo o caminho a minha mente só conseguia pensar em mil e uma formas de matar aquele bastardo de uma figa.

                - Respira Naruto, respira – sussurrei comigo mesmo. Assim que o carro parou em frente a um grande prédio empresário entreguei o valor da corrida ao motorista e fui em direção ao prédio.

                Uns seguranças ainda tentaram me barrar a entrada, mas, assim que eu ameacei fazer um escanda-lo resolveram me encaminhar para conversar com a secretaria do bastardo.

                - Em que posso ajuda-lo senhor? – perguntou uma ruiva de óculos chamada Karin.

                - Eu quero falar com Uchiha Sasuke – respondi mal humorado.

                - Senhor eu lamento, mas, o presidente Uchiha só poderá atender com horário marcado – informou com falso pesar.

                - Olhe minha querida – disse com sarcasmo – Avise ao senhor presidente que Uzumaki Naruto quer vê-lo e não vai sair daqui até falar com ele, e é bom ele não demorar muito, pois minha paciência está no limite – alertei.

                - Senhor eu lamento, mas, eu realmente não posso permitir que incomode o senhor Uchiha – respondeu ajeitando os óculos de grau.

                - Quer saber, não preciso da sua ajuda – respondi seguindo para entrada da sala, invadindo com tudo a sala do bastardo. Ouvindo os protestos da secretária atrás de mim.

                - Senhor Uchiha eu lamento, eu tentei impedir, mas, ele foi mais rápido – disse nervosa.

                - Tudo bem Karin, por gentileza saia da sala – pediu encarando-me – Ao que devo a honra da sua visita Naruto? – indagou com um sorriso no rosto.

                - Eu vim lhe dizer algo – respondi tranquilamente, me aproximando de sua mesa.

                - Sou todo ouvido – disse me olhando de forma curiosa.

                - NÃO PENSE QUE VAI ME TIRAR MEU FILHO – afirmei o estapeando no rosto -  NÃO VOU PERMIRTIR.

                - Você me bateu?! – perguntou em choque – VOCÊ ENLOUQUECEU NARUTO? – gritou perdendo o sorriso do rosto ao acariciar a bochecha vermelha.

                - ENLOUQUECI – devolvi – PELO MEU FILHO, SOU CAPAZ DE ENLOUQUECER SE FOR NECESSÁRIO.

                - Olha aqui Naruto – disse me segurando pelo ombro – Eu já estou perdendo a paciência contigo, entendeu? Eu estou morrendo de von...ta...de de te....

                - Bater? – perguntei petulante - Pois saiba que eu não tenho medo de você.

                - Te bater? Acha mesmo que eu te bateria, em? – perguntou irritado ainda me segurando – RESPONDE DROGA – gritou me olhando nos olhos.

 

Continua .............


Notas Finais


E então o que acharam? Quero ler muitas opiniões, ok?

Kissus e até próximo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...