História Uma Herança de Amor - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Madara Uchiha, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Exibições 253
Palavras 2.140
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi pessoas!

Olha eu de novo, minha gente como eu achei o prologo muito curtinho resolvi postar logo o primeiro capitulo. Não podendo deixar de agradecer a todos que me adicionaram aos favoritos e comentaram minha nova jornada.

Muitos Kissus.

Capítulo 2 - O começo do fim?!


Sasuke .........

Eu o conheci no final do outono, há mais ou menos onze anos atrás. Ele era tão pequeno e estava todo machucado após um acidente de carro, que vitimou sua família. Ele agora iria morar na minha casa junto ao nosso jardineiro e seu padrinho o senhor Jiraya.

Eu tinha em torno de uns sete anos na época e algo dentro de mim reagiu como nunca antes tinha acontecido ao vê-lo chorar no jardim embaixo do velho carvalho Uchiha, depois desse dia em diante minha vida se ligou a ele de uma forma que não tinha explicação. Bastava vê-lo sorrindo para eu sorrir também, bastava vê-lo triste para eu ficar triste também.

Como Uchiha que sou sempre soube o que sentia por ele, eu o queria só para mim. Pois mesmo que não admitisse tinha medo dele me deixar, afinal ele era o único que me enxergava como o Sasuke e não apenas o irmão caçula do prodígio Uchiha Itachi. Com ele eu podia ser apenas um garoto normal, que esquecia completamente das cobranças diárias de ser um Uchiha.

Mas tudo isso mudou naquele dia e por mais que eu me arrependesse até hoje, não consegui ser forte o suficiente para desobedecer às ordens de meu pai. Naquele dia eu o perdi para sempre.

FLASHBACK ON:

Era uma manhã de sábado como mais um dia qualquer no final das férias escolares, naquele ano eu estava me formando no ensino médio e finalmente começaria a estagiar na empresa Uchiha com meu pai. Finalmente eu estava conseguindo faze-lo me notar, já que ele estava chateado com Itachi, pois, ele tinha desistido do curso de administração e começado a cursar medicina recentemente, mesmo depois da ameaça de ser deserdado.

- Sasuke já preparou as apresentações que te pedi? – perguntou meu pai, entrado na sala do antigo escritório do Itachi – Essa é uma apresentação muito importante para nossa empresa, com ela poderemos conseguir finalmente aquela parceria com os Harunos.

- Sim já envie para o senhor desde as 09h – informei indiferente, analisando uns documentos que teriam que ser apresentados também nessa reunião.

- Estou orgulho Sasuke, pelo visto você não me provocará nenhuma decepção como o seu irmão, não é mesmo? – disse se sentando a minha frente – Já analisou as propostas das faculdades? Você precisa iniciar o curso o quanto antes.

- Já falamos sobre isso outo-san, não vejo porque tenho que ir estudar fora. As faculdades do Japão são bem qualificadas, posso muito bem cursar o curso de administração aqui – argumentei mais uma vez.

- Não ouse me desobedecer – respondeu se exaltando – Pensa que eu não sei o motivo de não querer sair do Japão? Venho conversando com sua mãe em relação a isso há muito tempo, e chegamos à conclusão que já está mais do que na hora dessas suas amizades com o Naruto acabar.

- E posso saber o porquê disso? Que eu saiba o Naruto não é uma influência negativa em minha vida – disse tentando manter a calma.

- Mas claro que ele é – afirmou irritado – Onde já se viu um Uchiha, tendo como amigo o afilhado do jardineiro? Você Sasuke será o herdeiro das companhias Uchihas, já que seu irmão me apunhalou pelas costas dessa maneira. E como tal tem que ter amigos da alta sociedade e não um Zé ninguém que não tem aonde cair morto.

- Não vou discutir isso contigo agora papai – respondi segurando a vontade de mandar as empresas e o nome Uchiha à merda – Depois conversamos sobre isso.

- Não pense que vai escapar disso Sasuke, estou te dando à opção de escolher o melhor para esse garoto, porque se eu tiver que intervir com certeza você não vai gostar – alertou antes de sair da sala.

- Mas que droga – falei socando a mesa com força – Ah papai, o que você faria se soubesse que as coisas entre mim e o Naruto já não são simples sentimentos de amizade? – sussurrei tentando não surtar com a confusão que está minha mente – O que eu faço Kami-Sama? – perguntei a mim mesmo.

E com essa preocupação em mente, o restante do meu dia passou o mais lento possível. Quando cheguei em casa já era por volta das 21h da noite, já que tive que ficar até tarde para organizar os processos pendentes deixados pelo Itachi.

Assim que cheguei subi para o meu quarto, tomei um banho e cai na cama morto de cansado.

- Sasuke? Sasuke? – ouvi alguém sussurrar – Anda abre logo essa porta teme – disse Naruto na varanda do meu quarto.

- Já te disse para não ficar subindo o velho carvalho dobe – afirmei zangado, abrindo a porta de vidro que dava acesso ao meu quarto.

- E eu já te disse que isso não é nada demais, o velho Carvalho aguenta meu peso muito bem, se quer saber – disse de forma convencida – E a culpa é sua, já que nem foi me procurar quando chegou. Hoje você simplesmente me ignorou. Como um namorado pode fazer isso com quem ele ama? – perguntou com drama.

- As coisas irão mudar daqui para frente Naruto – alertei – Não terei muito tempo para você nesses dias, tenho que ajudar meu pai com os assuntos da empresa.

- Não sei por que você o ajuda, ele nunca precisou da sua ajuda antes – resmungou se sentando na minha cama – Agora você não tem tempo mais para nada.

- As coisas são complicadas Naruto, você não entenderia – justifiquei me deitando próximo a ele.

- Quem não entende nada é você, teme – respondeu olhando em meus olhos – Ele está apenas te usando como o substituto do Itachi, será que não percebe?

- Isso não é da sua conta Naruto – falei me zangando – Você não sabe de nada, essa é grande oportunidade de provar ao meu pai que eu tenho o meu valor, e sinceramente eu farei o que for preciso para ele ficar feliz comigo.

- Ok, se você quer ser um cachorrinho o problema é seu.

- VAI EMBORA NARUTO – gritei perdendo a paciência, vendo-o se assustar com minha explosão – QUEM É VOCÊ? PARA SABER O QUE SE PASSA COMIGO, EM?

- Desculpe, eu pensei ser alguém – disse se levantando com lágrimas nos olhos – Mas pelo visto eu me enganei.

- É pelo visto se enganou mesmo – respondi na hora da raiva, vendo-o sair do meu quarto rapidamente.

- Droga hoje não é meu dia – sussurrei me jogando na cama, sentindo um principio de enxaqueca se iniciando.

No dia seguinte, mesmo sendo domingo meu pai me fez acompanha-lo em uma reunião com seus amigos empresários em um clube de golfe, alegando que eu precisava começar a me enturmar com o meio social para obter sucesso. E por causa disso não consegui ver o Naruto para me desculpar por ontem a noite, pelo visto nossa situação está se complicando cada vez mais.

Já que mal tenho tempo de passar um momento agradável com ele, e atualmente quando nós encontramos apenas brigamos. Há um mês mais ou menos, eu finalmente tive coragem para assumir meus sentimentos por ele, que para a minha surpresa também eram correspondidos. Enfim eu podia dizer que ele era meu, depois de tê-lo em meus braços pela primeira vez quando fizemos amor, mas, infelizmente com a proximidade da relação entre mim e meu pai, Naruto se afasta a cada dia mais de mim.

- Sasuke? Onde você está com a cabeça garoto? – perguntou meu pai sorrindo com os amigos, depois de me ver distraído e não iniciar minha jogada na partida de golfe.

- Ah Fuguko deixe o garoto. Com certeza ele deve estar pensando na namoradinha – brincou um senhor careca com uma barriga proeminente – O garoto está na época de se enrabichar por rabos de saia.

- Meu filho tem preocupações maiores no momento, já que daqui a pouco estará cursando Administração fora do país – respondeu meu pai, cheio de orgulho. Fazendo-me ficar constrangido com a empolgação que demonstrava.

- Oh que boa noticia Fuguko, você deve estar muito orgulhoso não é?

- Com certeza, o Sasuke irá me substituir e não é porque é meu filho, mas, esse garoto elevará o nome Uchiha ainda mais, tenho plena certeza – disse se gabando me fazendo sentir um calor no peito com sua demonstração de carinho.

- Temos certeza que sim – concordaram seus amigos com entusiasmo – Afinal ele é um Uchiha.

Depois disso minha empolgação para a partida de golfe se intensificou e no final eu e meu pai ganhamos com uma excelente vantagem dos outros jogadores. Mas, com isso mais uma vez quando cheguei em casa já era bem tarde, pois, depois da partida ainda fomos jantar em um famoso restaurante daqui de Osaka.

- Sasuke? – chamou meu pai, antes que subisse ao meu quarto – Passamos uma tarde muito divertida, não é mesmo?

- Verdade – concordei sorrindo.

- Antes de você ir dormir Sasuke, quero que me acompanhe até o meu escritório pode ser? – pediu acendendo um charuto.

- Claro.

- Bom Sasuke, você está fazendo um trabalho excelente ao me ajudar na empresa. Então como forma de demonstrar minha confiança em você, quero que fique responsável pela contratação dos novos funcionários da mansão Uchiha, será que pode fazer isso?

- Sim, claro que eu posso – respondi contente com a confiança que ele estava depositando em mim.

- Excelente – proferiu empolgado – Tome, aqui está a relação e os dados dos funcionários que devem ser contratados e os que devem ser demitidos. Tem certeza que pode realizar essa atividade, Sasuke?

- Sim eu posso – afirmei foleando a relação que ele me entregou, até que um nome chamou minha atenção – Porque o senhor Jiraya está nessa relação outo-san? – indaguei nervoso com a situação.

- Sua mãe está no meu pé Sasuke, você sabe como o jardim dela é importante – afirmou se sentando – Jiraya já está velho, o cuidado com o jardim já não é o mesmo.

- Mas outo-san, ele depende desse emprego – aleguei nervoso – Ele nem possui outro lugar para morar.

- Eu sei, e é exatamente por isso que o valor da rescisão dele está bem elevado. Por consideração aos anos de serviços prestados e também por sua amizade com o afilhado dele.

- Outo-san eu não posso demiti-lo – tentei justificar.

- Mas é claro que pode Sasuke, essa será uma das funções que terá que fazer quando assumir nossas empresas. Um empresário de verdade não pode permitir que as emoções interfiram em seu julgamento Sasuke – informou me encarando seriamente – Você meu filho tem que se preparar o quanto antes para isso. Agora me responda Sasuke, você é ou não é capaz de fazer essa simples tarefa?

Naquele momento eu deveria ser como o Itachi, assumir as rédeas da minha vida e dizer que não concordava com aquela atitude, que aquilo era errado e que não compactuaria com tamanha falta de compaixão, mas, eu simplesmente não tive coragem para negar seu pedido.

- Eu ..... eu faço – respondi sentindo um nó se formar em minha garganta, apenas em imaginar em qual seria a reação do Naruto ao saber o que eu estava preste a fazer.

- Muito bem, então, amanhã conto com você nessa pequena tarefa.

- Ok – respondi saindo do escritório com as pernas bambas tamanho meu nervosismo.

Naquela noite Naruto não apareceu em meu quarto, e sinceramente não sei se isso foi algo bom ou ruim, porque tenho certeza que se visse seus olhos antes de informar seu padrinho da demissão, não teria tido coragem de seguir em frente com esse pedido de meu pai.

FLASHBACK OFF

- Ah Sasuke-kun não acredito que você ainda não está pronto – disse minha noiva Sakura me tirando dos meus pensamentos no passado – Assim vamos chegar atrasados.

- Não é como se eu tivesse realmente interesse em comparecer a essa palhaçada Sakura – informei bebericando meu copo com uísque, admirando a noite de Tóquio da varanda do meu apartamento.

- Nem vem Sasuke-kun, você melhor que ninguém sabe como é importante fazermos essa social. E a Ino me mata se eu não aparecer nessa exposição do Sai – disse me abraçando – E trate de comprar o quadro mais caro, pois, temos que impressionar a todos.

- Apenas a minha presença já impressiona – afirmei me desvinculando de seu abraço – Não acha mais que suficiente, eu estar presente? 

- É claro que sim meu amor, mas, eu quero que todos fiquem com inveja de mim. Simplesmente por que eu sou a mulher mais sortuda do mundo por te ter ao meu lado – alegou convencida.

- Não acha bem fútil esse pensamento Sakura?

- Ah Sasuke-kun o que eu posso fazer se até quando eu sou simples, todos me invejam?

- Quer saber deixa quieto – informei perdendo a paciência – Daqui a 20 minutos saímos – disse indo em direção ao meu quarto, com o pensamento que esse tipo de situação jamais ocorreria com o Naruto.

 

Continua ............


Notas Finais


E AI? QUERO MUITOS RETORNOS, OK?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...