História Uma história de Gravity Falls - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Personagens Originais
Tags Gravity Falls
Visualizações 83
Palavras 2.157
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, bem, aviso, se o final não tiver ficado legal, peço desculpas, quando estava escrevendo ele, rolo uns bagulho comigo e fiquei meio mal.

Capítulo 3 - Um sonho, um presságio


P.O.V Dipper

Depois de termos tomado sorvete, Pacífica insistiu que queria ir comigo até o parque, ela disse que nunca tinha ido antes por conta de seus pais não deixarem ela se misturar com, da forma que ele diz, os "abaixo da alta classe", mas ela disse que seus pais tinham acabo de viajar, então fugiu de casa para ver a cidade, bom, não tinha nada para fazer então aceitei. O parque parecia até grande, muitos brinquedos e atrações, muitas lanchonetes e carrinhos de doce, o primeiro lugar que ela quis ir foi, lógico, a Montanha-Russa, então fomos. Depois da montanha, ela quis ir na Casa Mal-Assombrada, quando estávamos, mais ou menos, no meio do brinquedo, ela tomou um susto maior do que dos outros de antes e agarrou meu braço, encostou a cabeça em mim e ficou de olhos fechados até o fim do trajeto, nem preciso dizer que fiquei meio corado, mas acho que ela não viu. Quando descemos do carrinho, ela queria tentar o Tiro ao Alvo, quando chegamos ela quis começar e assim foi, o primeiro tiro ela errou, o segundo acertou um cara que tava passando lá atrás e o terceiro ela acertou na prateleira, quando foi minha vez, perguntei a ela se era aquele prêmio que ela queria mesmo, ela afirmou com a cabeça e me voltei ao prêmio, eu o alinhei a mira e atirei, percebi que a mira estava desalinhada alguns centímetros para a diagonal inferior esquerda, então ajustei minha posição e atirei, passou raspando, me ajustei novamente e atirei pela última vez, ela caiu direto, sem nem ameaçar em não cair, um belo de um tiro certeiro, quando olhei para ela, pude ver sua felicidade se esbanjando, o cara da barriquinha me da o prêmio e entrego para a Pacífica, ela pega e me da um abraça, seguido de um beijo, então coro mais uma vez, e acho que ela percebeu, mas ela também tinha corado um pouco.

Magia de quebra de tempo

Estava tarde, então resolvemos ir para casa, levei ela até sua casa, ela me deu uma abraça e me agradeceu pelo dia, disse que foi o mais divertido até hoje, agradeci e fui para a Cabana, quando me afastei um pouco da casa da Pacífica escutei um barulho vindo de uma moita um pouco atrás de mim, me virei de vagar e então pude ver a Mabel, se abaixando para tentar se esconder na moita, fui até ela.

Dipper-Mabel, o que você está fazendo?

Mabel-Te seguindo-ela diz um pouco envergonhada

Dipper-Por que? A gente mora junto, se quiser saber como foi meu dia era só perguntar hora que chegasse em casa.

Mabel-Eu sei, é que...- nesse momento eu tapei sua boca e olhei em volta.

Dipper-*Suspiro* Esse plano de me seguir foi coisa sua ou foi delas?-falo baixo para somente ela ouvir.

Mabel-Em partes, minha, mas eu apenas provoquei, elas que resolveram vir.

Dipper-OK então, vem, vamos para casa, está tarde.-Estendo minha mão para ajudar ela a levantar

Durante o caminho até a Cabana, pergunto a ela o quanto ela me seguiu e o quanto ela viu de mim e a Pacífica.

Mabel-Bem, começamos a te seguir assim que você saiu da sorveteria, e o que eu vi foi tudo, menos a parte da Casa Mal-Assombrada, não tinha como, mas então, o que rolou lá dentro????-Ela pergunta com uma cara maliciosa

Dipper-Nada de mais, ela apenas se assustou assustou no meio do brinquedo e me agarrou.

Mabel-NOSSA ENTÃO A PACÍFICA...Tapei a boca dela antes de terminar a frase, mas acho que à machuquei sem querer

Dipper-Peço que não faça mais isso, eu não tenho nada com a Pacífica, e eu sei que você está fazendo isso porque quer botar ciumes na Candy, percebi isso desde de que chegamos, mas não estregue minha amizade com ela, ok?!

Mabel-D-Desculpa

Dipper-Tudo bem.

Outra magia de quebra de tempo

Antes de eu me deitar para dormir, recebi uma mensagem da Pacífica.

Conversa entre Dipper e Pacífica

Dipper, de novo, vlw por hoje, tinha séculos que eu não me divertia assim, mas fiquei com um negócio na cabeça.

O que foi?

Não sei se você chegou a perceber, mas parecia que tinha alguém nos seguindo no parque, as vezes olhava pra trás mas não via ninguém, mas sentia como se estivesse sendo observada

Era a Mabel, ela colocou lenha na fogueira das amigas dela e começaram a me seguir, para saber o que eu ia fazer com você.

Ata, agora eu entendi... (N/A: quem pego, pegou)

Mas relaxa, já me esclareci com ela.

Ok, boa noite para você.

Para você também

Fim da conversa

 

Quando fui dormir, posso dizer que tive um sonho estranho, e até assustador, nele eu estava em Gravity Falls mesmo, porém, tudo escureceu de repente e começou a pegar fogo, sem mais nem menos, então, ao longe, escuto uma voz.

???:Isso, isso mesmo, havia eras que não me divertia tanto, os gritos, o desespero, as mortes, tudo isso me faz bem e é tudo graças a você Pine Tree, você fez isso, agora, venha, deslumbre essa visão de dor e sofrimento comigo.

Não sei por que, eu não queria ir, mas eu fui, e então comecei a rir de tudo aquilo, sem nem um pingo de remorso, eu apenas ria de tudo aquilo, como se tudo não fosse nada para mim. Depois daquilo, acordei assustado e suando, olhei para o lado e vi Mabel dormindo só com uma das minhas blusas e uma calcinha, olho pra fora da janela do quarto e vejo a floresta para saber se está normal, e sim, foi tudo normal, foi apenas um sonho, me deitei novamente e fui ver as horas, 4:40, comecei a duvidar se voltava a dormir ou ficava acordado esperando dar umas 6:00 para descer, bem, logicamente resolvo voltar a dormir, quando deu, mais ou menos, 11:55, acordo com a Mabel em cima de mim me chacoalhando e gritando para me acordar, levo um susto e jogo-a no chão.

Dipper-MABEL!!!! O que você está fazendo???

Mabel-Te acordando seu animal, o almoço já está pronto e você ainda ta ai, morgando na cama, anda, vamos logo, estou com fome.

Dipper-Tá, ok, pode ir indo na frente, já desço.

Após me levantar, fazer o que tinha que fazer, e desço logo em seguida, quando chego ao pé da escada, vejo, na mesa, os tivôs Ford e Stan, Mabel, Candy e Grenda, porra, o que é que a Mabel vai fazer dessa vez.

Dipper-Bom dia.-Falo enquanto bocejo

Todos da mesa-Bom dia!

Dipper-Então tivô Ford depois de almoçarmos, posso conversar com você??

Ford-Claro. 

Então logo após o almoço, eu e o tivô descemos para o seu laboratório e comecei a falar sobre o sonho que tive.

Ford-Bom, Dipper, não sei o que dizer, isso é muito estranho, estranho mesmo, mas o único poderia ter feito isso, que sabemos, é...

Dipper-Será que ele voltou??!? Mas isso é impossível, nós o derrotamos, não derrotamos?

Ford-Dipper ,sim e não, olha, existe infinitas realidades e dimensões, em uma delas nós podemos ter perdido, e agora ele está pulando de realidade em realidade  conquistando e se tornando mais forte. Não posso afirmar que o derrotamos, apenas que o impedimos na nossa realidade.

Dipper-Ok

Ford-Dipper, quando sair do laboratório, lembre-se, tome mais cuidado, não sabemos quem ele é e o que irá fazer, você precisar estar alerta e um passo a frente, para qualquer coisa que acontecer de anormal.

Dipper-Certo, irei avisar a Mabel sobre isso, ele pode usá-la contra mim para conseguir o que quer.

Ford-Ótima ideia.

Quando saio do laboratório, chamo a Mabel, que estava no sofá vendo TV com as duas parceiras.

Mabel-Que foi Dipper? to perdendo o...-Tapo sua boca

Dipper-É o seguinte Mabel, temos um problema grave, muito grave.

Mabel-O que foi?-Ela pergunta retirando minha mão de sua boca

Dipper-É o Bill, ele pode ter voltado, mas nem eu nem o tivô Ford temos certeza disso. E parece que ele irá vir atrás de mim dessa vez.

Mabel-Mas nós o derrotamos antes, podemos fazer de novo.

Dipper-Não tenho certeza dessa vez, tive um sonho aonde ele tinha conseguido desta vez, e graças a mim.

Mabel-Não, você não faria isso, tenho certeza disso.

Dipper-Concordo com você, e é por isso que estou te contando, quero que tome cuidado redobrado nessas férias, ele pode te usar para me chantagear e me manipular.

Mabel-Ok, tomarei mais cuidado então, e você também devia. Mas acho que você está se esquecendo de algo.

Dipper-O que?

Mabel-Pacífica NorthWest.

Nesse momento, meu coração começou a bater de forma desesperada, como eu esqueci, eu estava com ela desde o momento que eu cheguei, e se ele já estiver aqui, ele nos viu juntos. Quando Mabel terminou de falar, comecei a correr em direção a sua casa, não conseguia pensar em mais nada a não ser que ela pode e já estaria em perigo, por minha causa, se ela se machucar, nunca me perdoarei, enquanto corria, tentei ligar para ela várias vezes, mas não atendia, era sempre caixa postal, então desisti de ligar e acelerei o passo, quando cheguei na porta de sua casa, toquei a campainha umas três ou quatro vezes até alguém atender.

Interfone-Sim, quem é?

Dipper-Dipper Pines, preciso falar com a Pacífica, por gentileza.

Interfone-Dipper?!? Espera ai, já vou descer.

Quando ela abriu o portão, MEU DEUS, ela estava só com uma bermuda que ia só até a metade da coxa e um blusão, sacudi a cabeça para tentar ignorar aquilo e falei.

Dipper-Pacífica, talvez tenhamos um problema sério.-Ela se assustou após eu dizer aquilo

Pacífica-O-Oque v-você quer d-dizer com isso?

Dipper-Você se lembra do Bill?

Pacífica-O triângulo de cartola e gravata borboleta?

Dipper-Sim, esse mesmo, e é esse o problema.

Pacífica-O que você quer dizer? Nós já o derrotamos e o banimos.

Dipper-Sim, mas na nossa realidade, porém existe infinitas outras, e parece que, na realidade em que ele ganhou, ele ficou mais forte e agora está invadindo outras realidades conquistando e ficando cada vez mais forte.

Pacífica-E-Então o que faremos?

Dipper-Preciso que faça uma mala e coloque o que é mais importante para você nela.

Pacífica-Por que?

Dipper-Eu não vou conseguir estar sempre ao seu lado para te proteger, então preciso que fique na cabana, onde é seguro.

Pacífica-Mas e meus pais, minha casa

Dipper-Pacífica, estou dando uma escolha, não irei lhe obrigar a nada, mas posso dizer que lá é mais seguro.

Pacífica-Mas... minha... meus... ok, pode me esperar aqui? Serei rápida.

Dipper-Ok, vai lá.

Então ela fecha o portão e escuto seus passos correndo e a porta batendo, dez minutos depois ela desce com uma mala.

Dipper-Aqui, me dá a mala, eu levo.

Pacífica-Obrigada

Durante o caminho explico tudo para ela, desde o sonho até a conversa com o Ford. Chegando na Cabana, vejo Mabel, Candy e Grenda sentadas no sofá que tem do lado de fora da casa, ao lado da porta.

Dipper-CANDY, GRENDA-Falo gritando-PRECISO DE UM FAVOR DAS DUAS.

As duas se olham e vem até mim para saberem o que é.

Dipper-Preciso que você vão para suas casas, peguem uma, ou duas ou até mesmo três malas, se for preciso,e coloquem tudo aquilo que vocês acham que são importante para vocês e venham de imediato para cá, entenderam?

Candy/Grenda-P-Por que?

Dipper-FAÇAM ISSO, depois explico- Elas se assustam, mas afirmam com a cabeça e saem correndo

Uma hora depois, mais ou menos, vejo as duas voltarem com uma mala cada. Levo elas e as malas para o meu quarto e o da Mabel, e lá eu explico o porque daquilo, digo para ficarem por aqui até conseguir evitar essa catástrofe, digo para elas dormirem no quarto enquanto eu fico no sofá, então, irá ficar Mabel, Pacífica, Candy e Grenda no quarto, preciso pensar em uma maneira de sela-lo, depois procuro pelo Ford.

Mágica da quebra de tempo

Depois de conversar com o Ford e conseguir selar o quarto, isso por volta de 22:30 23:00 horas, falo para se deitarem e elas vão. Resolvo ficar na parte de baixo da casa de vigia, preciso manter todos seguros, ele quer a mim, não posso deixar ele machucar os outros. Mas que plano falho, as 00:00 eu já tava dormindo, bom o que vale é a intensão, mas então começo a ouvir passos, me levanto rapidamente, pego minha lanterna e miro na direção de onde ouvi, e...

Dipper-Candy?!

Candy-O-Oi Dipper, hehe.

Dipper-Aconteceu algo lá em cima?

Candy-N-Não exatamente, mas é que, depois que você disse aquilo, do Bill ter voltado e Gravity Falls em chamas, acabei ficando assustada e não consegui dormir, posso dormir aqui, com você?

Dipper-C-Claro, vem.

Então eu me ajeito no sofá, meio que sentado, de maneira que ela se deita sobre meu peito.

Candy-Seu coração é bem forte Dipper, parece até música.

Dipper-O-Obrigado.

Mano, eu devo te ficado igualzinho a um pimentão depois desse comentário, então ela se "aconchegou" em mim, me abraçando, e logo estava dormindo, ela é tão linda

CONTINUA


Notas Finais


AAAAEEEEEE, liberei capítulo mais cedo pra vcs (Ninguém liga), espero que tenham gostado e flw.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...