História Uma historia de superação(undertale) - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~lulukookietae

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne
Tags Chans, Charisk, Frans, Papytton, Sanrisk, Undertale
Exibições 22
Palavras 1.794
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Magia, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OI GENTE TUDO BEM ESSE CONTEÚDO DAS ALMAS TERÁ UMA TERCEIRA PARTE EM QUE O FOCO SERA REALMENTE SÓ DELAS(EU ACHO)

Capítulo 6 - As sete almas parte 2


Fanfic / Fanfiction Uma historia de superação(undertale) - Capítulo 6 - As sete almas parte 2

Pov Sans

Puta que pariu , Papyrus por que você santa criatura de duas não cala a boca.

-ei Papys, vamos buscar umas coisas para nos comer- ele simplesmente assentiu e fomos a cozinha, eu peguei ele e o levei para um canto qualquer.

-Papyrus, você sabe que eles não se lembram de nada ? –ele assentiu novamente, meio assustado com o irmão.

-CLARO SANS – eu mandei ele falar mais baixo, e disse:

-olha Papys, eu acho bom não contarmos o que aconteceu, se eles perderam a memoria do que aconteceu foi melhor para eles, você não acha? , do que aconteceu com Asriel? Você sabe que eles eram melhores amigos, e que talvez se eles não se lembrarem em detalhes o que aconteceu seria melhor para eles? – Papyrus  simplesmente ficou sem argumento e confirmou comigo, ainda bem que meu irmão e facilmente manipulado, mas eu tenho que arrumar alguma maneira de fazer com que Frisk e Chara não se lembrem de nada, mesmo que sejam lembranças de outra linha do tempo, eu preferiria que eles não soubessem de nada, pois pela que a Alphys disse, as vezes algumas palavras chaves podem fazer com que eles se lembrem do que aconteceu, e eu me recuso a viver aquele inferno de novo, então eu e ele voltamos e vimos um Frisk e uma Chara confusos.

-o que foi, e porque você disse isso Papys? – disse Frisk, meio indignado com o que Papyrus disse.

- BOM AQUILO, FOI SÓ UMA BRINCADEIRA DE MAL GOSTO, PERDÃO AMIGOS – eles assentiram, mesmo não tendo engolido aquilo, na verdade, a historia entre Monstros e humanos aqui nessa Linha do tempo e bem mais simples, e graças a deus o nome dos humanos vivos que foram usados para libertar os monstros não foi citado, parece que por intuição os monstros sabiam que se os nomes fossem ditos, preconceito seria feito pelos Humanos em relação a eles, nada de mais, comemos, nos divertimos, e soubemos um pouco da historia, fizemos uma maquete com monstros e humanos de mãos dadas, algo que não seria feito tão cedo, pois ainda haveria preconceito, ate que alguém bateu a porta, eu a abri tinha um homem de cabelos brancos, olhos negros pele pálida, usava uma blusa, ela estava aberta, e sua cor, preta, com alguns detalhes vermelhos, sua calça de couro marrom, e ele tinha um sorriso sádico, já previ que não vai ser algo bom.

-opa boa noite, Sans não é? Parece que você esta ocupado que tal vocês tirarem a criançada que agora é hora dos adultos conversarem não é mesmo? – eu tinha um pressentimento ruim, aquele cara era problema, com certeza era um problema, eu pedi para que tomo mundo fosse embora, e pedi para o Papys ir para a casa da Undyne, ele entrou e sentou no meu sofá, eu respirei fundo e deixei ele falar- então cadê as minhas almas, seu grande pedaço de merda ossudo? – ele dizia com o mesmo olhar sádico com um pouco de raiva.

-como assim? – ele estava mais estressado, mas com o mesmo sorriso, ele se levantou e me encarou – quem e você?

-bom pelo que eu saiba os únicos que perderam a memorias são os pivetes, por isso eu mandei eles irem embora, quer dizer, eu fiz você mandar eles embora – o que eu faço agora, eu estou em choque, ele sabe de coisas demais – espera ai, você não é mais o mesmo saco de merda ossudo é?, não você parece ser superior a ele, você e do AU 107 – ele conhece os universos paralelos, quem esse cara é?

-quem é você? – ele simplesmente deu um sorriso de canto.

-eu? Sou o maior perigo existente na Terra, mas pode me chamar de Rain – ele era o que exatamente?

-como assim?- ele voltou a sorrir para mim.

-como assim? Quem é você? As vezes não ter a resposta e melhor do que ter a mesma – eu não estou entendendo nada- agora eu acho que você deve falar com a Alphys para dar as almas para mim, entendeu? – eu estava meio assustado com o fato de que há alguém assim, você deve estar perguntando, por que eu acredito nele, eu não sei, eu só sei que algo me diz para acreditar  –então eu vou ter que arregaçar a cabeça de mais um dos seus para ver se você acorda? , quer saber eu lhe conto, eu ainda não sou o maior perigo da Terra, mas com essas almas eu serei, você acha que é o único com o conhecimento das AUS? – ele começou a ficar mais sorridente.

-não, mas eu achava que nesse universo eu era o único junto com a Alphys – ele só se sentou.

-eu tenho tecnologia avançada, e tenho um cientista superior a Alphys, eu com certeza sei- eu parei, e reparei uma coisa.

-se você  inda não é o ser mais forte por que eu não mato você? – ele começou a olhar com que simplesmente dizia, você realmente acha que me matar vai resolver tudo?

-por que se você matar ele, eu estarei no comando e será pior para você – disse um homem alto que apareceu do nada ele era um esqueleto com os olhos totalmente negros, e buracos em suas mãos.

-Gasther quantas vezes eu tenho que dizer para não se intrometer nas minhas conversas? – desde quando ele estava lá?

-perdão mestre- ele disse se curvando perante ele.

-olha é simples só me conta quem você é? – ele bufou.

-garoto quer que eu lhe conte mesmo? – ele não deixou eu responder – então ai vai.

1 MÊS ATRAS

Eu estava sentado em um banco, em meio a varias pessoas, ate que gasther me liga.

-mestre venha rápido, os monstros já estão vindo com suas almas – eu estava sorridente como sempre indo ao meu destino, peguei meu carro, e fui para o monte ebott, olha parece que eles já abriram o portal, eu vi um de meus homens abrir a porta, eu apenas o agradeci, e mandei todos ficarem em posições, ate que vimos alguns monstros indo em nossa direção.

-OLHA PARECE QUE JÁ ESTAVAM A NOSSA ESPERA, OLA A TODOS EU SOU O GR-antes que ele terminasse de falar  pegamos eles e colocamos todos ajoelhados a minha frente, havia alguns monsros, três cabras, dois humanos, dois esqueletos, um peixe, um dinossauro e um robô, era um show de horrores.

-olha o que temos aqui, parece que o show de horrores veio mais cedo – eu vi uma garota vinda em cima de mim, ela tinha coragem eu admiro isso, ela veio me esfaquear? Serio isso, quando ela veio me atacar apenas segurando a faca e a imobilizando- levem ela agora – meus homens a colocaram em uma van, agora eu tinha um novo soldado para minha guerra –olha eu quero ser legal sabiam? – eu vi todos me olhando com nojo, isso seria um problema – olha eu não gosto desses olhares, se quiserem fazer parte da revolução a primeira coisa que terão que fazer é parar de me olhar desse jeito – eles continuaram.

- que revolução? – a pequeno bode disse para mim.

-parece que temos um interessado, eu vou pegar todas as almas humanas que não estiverem ao meu favor e simplesmente usarei todas elas para governar, mas para isso eu preciso de algumas almas iniciais, e parece que vocês tem o que eu quero, então que tal me darem elas e nos ficamos na nossa e eu e meu grupo aceitamos vocês, que vocês vão entrar senão haverá um preço, e nos ficamos como membros da maior organização existente, que comandara tudo – eu vi um esqueleto apontado algo para mim era um raio em forma de algum animal de boca aberta, que estava se materializando.

-e se nos não entrarmos e não dermos as almas – tudo bem então se eles querem assim, eu mandei alguns de meus soldados injetarem nossos “tranquilizadores” em cada um dos monstros – o que você fez comigo?

-nossos “Tranquilizadores”  digamos que neutralizam por um tempo suas habilidades, por enquanto eu acho que vocês não precisam usar eles – eu disse com meu olhar que todos tremem, mas aquele bode não se amedrontou – agora eu acho que vou ensinar uma lição a vocês, vocês não devem fazer o que o saco de merda ossudo, mas como toda ação tem uma reação eu vou acabar com um de vocês na porrada – agora sim eu vi eles com medo mas o bode não esta demonstrando respeito – gasther pode me ver a Elize-ele me jogou um martelo um  maior do que os tradicionais com gravuras de uma tempestade – agora é hora do show, como vocês devem aprender eu quero respeito e para isso, eu vou pegar aquele que ate agora menos demonstrou respeito e irei esmagar a cabeça dele por completo, ate não sobrar nada, e o escolhido foi você seu pequeno bodinho de merda, eu vi todos chorando, simplesmente abalados, era o resumo da situação.

-por favor não faça isso, ele é nosso filho – dizia a cabra em meio a  prantos, era esse, parece que minha intuição nunca falha.

-ele é meu melhor amigo não faz isso – isso, chorem, gritem, berrem agora é a hora da diversão, peguei a Elize e bati em sua cabeça com força, eu só vi o garoto no chão – não aguentou nem um golpe, isso me da raiva, mas ok – continuei batendo, e sujou todo minha rouba com sangue, me estressei um pouco mais e bati mais e mais, para eles aprender que se mexer comigo vai morrer –olha parece que ele tinha as almas, seus desgraçados, parece que eu não vou precisar perguntar aonde elas estão – elas estavam ali prontas para ser pegar ate que entraram no corpo do garoto, junto com uma alma branca logo em seguida – olha, parece que elas simplesmente são meio envergonhadas tudo bem, eu vou pegar o moleque e ai vocês vão para casa.

-não espera nos..... nos iremos nos unir a você – disse o humano que estava com as almas, tudo bem então vamos ver no que dá – ok só espero que vocês não estejam me sacaneando, porque essas almas são de grande valor – eu sem que percebessem fiz Gasther injetar algo nele que ia afetar as almas, ele não poderia usar o poder delas, e eu poderia saber onde estão.

Presente

RAIN POV

- tudo bem, eu pego as almas para você – eu sabia que ele não vacilar comigo.

-tudo bem, agora vamos ao outro assunto para qual a minha presença ser necessária aqui, quando os seus amigos humanos intrusos vão morrer?

- por que você quer matar eles? – seu olho estava azul, interessante.

-Brincadeirinha, só queria saber sua reação, agora eu falo serio, você tem três dias para me dar as almas, senão a Elize vai ter mais trabalho para fazer 


Notas Finais


PARA QUEM NÃO CONHECE W.D GASTHER VEJAM ESSE VIDÊO E VCS VÃO VER QUEM ELE É S2
https://www.youtube.com/watch?v=YbJvRKWXv3k


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...