História Uma história diferente - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sword Art Online
Personagens Kirigaya Kazuto, Klein, Lisbeth, Yuuki Asuna
Tags Asuna, Kirito, Romance, Sword Art Online
Exibições 271
Palavras 1.240
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Acabou saindo pequeno, mas vou compensar no último.
Só tenho a pedir desculpas pela demora desnecessária (bloqueio de criação e falta de tempo, dentre outras coisas ).
Boa leitura e espero que gostem ^^

Capítulo 32 - Capítulo 32


Capítulo 32: Capítulo Especial

Por Kirito

Acordo graças ao som do micro-ondas que é um pouco alto, então aos poucos vou abrindo os olhos e vejo que Asuna está terminando de fazer o café da manhã. Como ainda estou com sono apenas fechei os olhos de novo, não adiantou muito já que Asuna começou a beijar meu rosto.

-Vai levantar desse sofá? –Senti ela alisando meus cabelos e eu apenas virei para o outro lado.

-Que horas são?

-Oito e vinte e um.

-Você sabe que hoje é sábado né?

-Pelo que eu sei que a Yui jaja vai acordar e não quero que ela veja o pai dela deitado e pelado no sofá.

-Ela vai acordar lá pras dez horas, ou seja, eu tenho no mínimo uma hora ainda pra dormir.

-Deixa de ser preguiçoso. –Asuna me balançava.

-Ta... –Fui me sentando aos poucos, é melhor eu levantar logo já que ela não parar.

-Aqui.

-Ahn? –Ainda esfregava meus olhos.

-Sua bermuda e sua cueca.

-E a camisa?

-Não reparou que ta comigo?

-Mas você tem sua camisola. –Me levantei e comecei a me vestir. -Que ta bem aqui. –Apontei para o braço do sofá que é onde a camisola dela está.

-Mas eu gosto das suas roupas. –Percebi que ela tentou ser fofa pelo jeito que falou.

-Quer saber. –Peguei a camisola de Asuna e me vesti.

-O que? –Ela começou a rir.

-Qual é a graça? 

-S-s-sério? V-v-você quer saber o motivo? –Asuna gaguejava por que ainda estava rindo. Talvez eu esteja ridículo, mas estou usando essa camisola só para não ter que ficar sem camisa. -Tira logo, é melhor você ficar sem camisa.

-Ta bom, eu tiro. –Me aproximei e pus uma de minhas mãos sobre sua cintura em quanto acariciava o rosto dela com a outra. -Mas se eu tirar. –Olhei Asuna nos olhos e comecei a beijar o pescoço dela. -Você também tira.

 -A-a-a Yui pode acordar a qualquer momento. –Apesar de ter dito isso senti que ela começou a tirar a camisola de mim, comecei a fazer o mesmo com a camisa.

-Se você sabe que ela vai acordar daqui a pouco, também devia saber que não podemos perder tempo. –Me sentei no sofá com Asuna em cima do meu colo e de frente pra mim.

-Você sempre diz isso. –Ambos estamos apenas com as roupas de baixo.

-Sabe por quê?

-Não. –Ela sorriu, como se já soubesse a resposta.

-Não? –Me aproximei do ouvido dela. -Porque sempre funciona. –Assim que voltei a olhar para Asuna vi que a mesma sorriu e começou a me beijar.

Em quanto nos beijamos sinto a mão de Asuna por dentro da minha cueca, mas tivemos que nos afastar já que o telefone tocou.

-Quem liga á essa hora em um sábado? –Acho que estou um pouco irritado, já que interromperam algo que eu com certeza iria gostar.

-É o que vamos saber. –Ela se levantou e foi atender.

Em quanto Asuna estava no telefone fui me vestir e dei a camisola para ela, e subi para ir acordar Yui.

Por Asuna

Estou terminado de tomar o café da manhã e não acredito, vou ter que ir para uma reunião de negócios só porque um dos investidores vai poder ficar só até de noite na cidade. O pior não é isso, mas sim o fato de que hoje eu ia sair com Kirito e Yui, começo a pensar no porque disso acontecer logo hoje e de repente sinto a mão de Kirito sobre a minha.

 -Você parece um pouco chateada. –Me deixa bem melhor quando ele simplesmente sabe como eu me sinto. -Pode me dizer o que aconteceu? –E só de ver como Kirito tenta me ajudar já significa muito pra mim.

-É que vou ter ir para uma reunião agora de tarde e acho que não vai dar pra sair com vocês hoje. –Olhei para Yui que ficou um pouco abatida depois que eu terminar de falar.

-Como deve ser importante. –Ele respirou fundo, acho que foi para pensar em algo a dizer pra tentar animar Yui, e começou a falar. -Vou levar Yui até a casa dos seus pais para poder pegar o Teo e depois vou passar na casa da minha mãe já que Sugu quer ver a Yui.

-Desculpa por ter que ir nessa reunião. –Tentei consolar Yui.

-Eu sei que o trabalho da mama é importanti. –É muito ruim ver ela com essa expressão de tristeza.

-Importante! –Kirito corrigiu Yui. -E vou com a Yui te buscar assim que a reunião acabar. –E no final não é que ele conseguiu achar um jeito de sairmos nós três? E ainda fez Yui se animar.

-Obrigada. –Dei um beijo no rosto dele.

-Não fiz nada de mais. –Nem imagina o que acabou de fazer. -Yui já que acabamos de comer quer que o papai termine de ler aquele livro?

-Sim.

-Quer saber... –Kirito olhou para mim. -É melhor a mamãe ler pra você em quanto eu arrumo tudo por aqui.

-Ta, vou esperar a mama no meu quarto. –Ela levantou e saiu correndo.

-Cuidado pra não cair. –Falei ao mesmo tempo em que Kirito.

-Vai lá passar um tempo com ela. –Ele se levantou e começou a levar as louças para a pia.

-Você é um ótimo pai sabia? –O abracei por trás.

-Você também é uma ótima mãe.

-E como hoje você foi simplesmente incrível. –Comecei a beijar o pescoço dele. -A oferta de ontem vale hoje também.

-Eu vou acabar acostumando. –Ele se virou pra mim. -Só de pensar já me da vontade de te levar pra cama. –Kirito começou a me beijar e deu pra sentir que ele queria muito mais do que só o beijo, só nos afastamos porque escutamos Yui me chamando.

-Percebi. –Senti que o membro dele ficou ereto. -Mas isso é só pra mais tarde.

-Ta...

-Qual livro você ta lendo pra ela?

-É um dos melhores que eu já li.

-Qual é a história?

-É sobre varias pessoas que ficam presas dentro de um jogo no qual elas não podem morrer se não morrem na vida real também, mas é focada em um cara conhecido como espadachim negro.

-Você ta lendo isso pra uma criança?

-Mas a história no geral é boa e se você amenizar certas coisas não vai ter problema, é meu livro favorito.

-Acho que já li.

-E se não leu é bom ler é o melhor, e tenta não chorar no final.

-Por quê?

-O casal principal... Eu não vou te contar o final.

-Só por isso eu vou começar a ler.

-Melhor ir logo então. –Kirito me deu um selinho e foi lavar a louça, em quanto eu fui para o quarto de Yui.

Por Kirito

Acabei de sair da casa dos Yukki e estou carregando Teo em um braço enquanto seguro a mão de Yui com a mão que estava livre, estamos indo para casa da minha mãe e vamos ficar até que a reunião de negócios de Asuna acabe.

Estou deitado na cama de Sugu, ela disse que queria falar comigo, deixei Yui no quintal junto com Teo e minha mãe está fazendo o almoço. Parece que Sugu está procurando algo importante nas gavetas do guarda-roupa.

-Quer ajuda pra procurar? –Me sentei.

-Não, eu tenho certeza que... Achei. –Sugu se sentou ao meu lado e meu entregou um envelope.

-O que é? –Falei enquanto abria o envelope.

-Meu ultrassom.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até a próxima ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...