História Uma história nem tão inexpressiva assim - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Historia Original, Menina, Opinião, Romance, Yuri
Exibições 16
Palavras 2.832
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oioi, desculpem pelo tempo sem postar, aconteceram muitas coisas que me deixaram mal emocionalmente e agora fisicamente pois estou doente, espero que gostem, odeio ficar sem postar capítulo para vocês, perdoem-me é que eu realmente não estava em condições, espero que gostem!

Capítulo 13 - Linhagem de exorcistas.


Fanfic / Fanfiction Uma história nem tão inexpressiva assim - Capítulo 13 - Linhagem de exorcistas.

Acordei meio sem saber o que houve, já que dormi se quer perceber, estava muito cansada por tudo o que houve até aqui, de olhos ainda fechado ouço incomuns. O que está acontecendo?

— Miki, por que está aqui? Não bastou me abandonar você tinha que roubar Hitome de mim?— É a voz de Akemi?

— C-calma Akemi, eu posso explicar— E a Miki? O que está acontecendo? Meio sonolenta como estou agora, tento entender o que se passa. Essa não Akemi está indo pra cima de Miki, por um impulso entro na frente e recebo o soco forte por sinal, (não esperava tanta força de um ser tão pequeno e fofo) e certeiro em meu estômago, que inicialmente acertaria Miki, incrivelmente esse soco foi forte a ponto de me causar uma hemorragia (hematêmese é como se chama esse tipo de hemorragia), já que cuspi sangue de imediato. 

— H-Hitome-Senpai, desculpe—  Porra, isso está doendo muito.

— S-sem problemas... apenas parem de brigar... Miki-chan foi quem me ajudou a te resgatar e nos trouxe para cá...ela quem salvou-a daqueles homens, então não brigue antes de ouvi-la Akemi-chan...—  Disse lentamente, por estar com muita dor e mal conseguir respirar, não posso deixar que as duas pessoas mais importantes briguem e acabem se matando.

— Você está bem?—  Pergunta Miki, em tom preocupado (EU TÔ ÓTIMA Ó, BEM DE MAIS, MELHOR QUE ISSO SÓ EM COMA), estou muito sonolenta, preciso dormir, ouço as vozes delas, bem baixo...

— Hitome-Senpai, resista.

— Não durma, fique com a gente—  Eu ouço baixo, não sei o que está acontecendo comig...

Tem algo gelado em minha cabeça, estou com dolorida, parece que eu desmaiei, que estranha essa sensação, por que sinto duas pessoas deitadas em mim? Aqui está chovendo? Ouço sons de chuva, deve ser a minha cabeça me fazendo ouvir coisas que eu gosto.

—Hitome-S-senpai? Desculpe, por favor— Ouço abrindo lentamente os olhos, quando percebo Akemi está chorando olhando para meu rosto, enquanto Miki a abraça.

—Está tudo bem, eu estou bem, se desculpe com Miki, não comigo, eu apenas a impedi.— Eu digo em voz serena, como de quem acaba de acordar (de um desmaio talvez), parece que elas estão bem, minha memória está voltando, agora sei o que houve.

—Miki, você contou tudo à Akemi?— Pergunto aflita, estou com medo delas acabarem brigando novamente por minha causa.

—Sim, expliquei tudo a ela.

—Desculpe, tirei conclusões precipitadas e acabei fazendo besteiras, desculpe— Disse Akemi chorando, esfregando seus olhos com suas mãos. Levantando-me devagar, e abracei-a.

— Está tudo bem, eu estou bem, nós três ficaremos bem. Miki e eu não quase morremos para ficar vendo você chorar, sorria, as duas, o sorriso de vocês é lindo.—Eu disse enxugando suas lágrimas com minhas mãos, trazendo Miki para o abraço. Só me dei conta que estou nua agora, Akemi também. 

— Preciso me trocar, a Dia-san disse que contaria-nos a história da aldeia quando anoitecesse.—  Mas, já havia anoitecido? Por quanto tempo eu apaguei? O soco foi tão forte assim? Ok, mas precisamos necessariamente ficarmos peladas?

—  Akemi, vamos pegar as cobertas, está esfriando, espere-nos aqui.—  Está mesmo esfriando ou será por que estamos peladas? (pelo menos eu e Akemi). Elas já estão voltando com as cobertas e colchões para dormirmos, apesar de eu estar sem sono algum após esse desmaio.

— Olá meninas, vamos, juntem-se a nós, está na hora de contarmos a nossa história.— Disse a idosa, abrindo lentamente a porta, falando pausadamente, saindo assim que terminou de falar em curtos passos.

— Sim Dia-san—  Repetimos as três ao mesmo tempo, vestindo-nos com as roupas que estavam ali ao lado, Agora colocando o vestido bege, com desenhos tribais novamente e os sapatos artesanais marrons mais escuro nos pés estou pronta para sair, conhecer e descobrir os segredos desse povo tão bondoso de primeira impressão. As meninas também já estão prontas, e estão me puxando pelos braços, Akemi do lado esquerdo, Miki do direito, puxando-me para fora, estamos saindo do templo, indo em direção a uma grande fogueira com todos da tribo reunidos.

— Olá, boa noite—  Digo sorrindo.

— Boa noite Hitome-chan— Respondem eles educadamente e sorrindo, felizes por estar ali um com os outros.

— Sentem-se—  Diz Dia san, calmamente num tom meio assustador. Sentando-me no chão, logo a frente das menininhas que antes haviam penteado meus cabelos e que agora elas mexiam neles, sentamos, uma ao lado da outra, com Akemi do lado esquerdo e Miki do direito, logo a vovó começa a jogar um tipo de terra no fogo, o fazendo reagir, ficando maior

— Bem vindas, esse é o início do nosso povo. A muitos anos, muitos mesmo, haviam apenas os deuses, que ninguém sabe como nem porquê existem, eles criaram nosso mundo, todos os animais, mas eles sentiram que precisava de algo a mais, então criou nós, os humanos, que de inicio era para fazer com que esse novo mundo fosse unido, que só houvesse morte para sobrevivência, mas não foi isso o que os homens fizeram, eles se mataram e brigaram por coisas superficiais, coisas sem significado, e os deuses se entristeceram, então criaram os anjos, que de início foram criados para ajudar os homens a se unirem novamente, era esse o objetivo dos anjos, porém os anjos iniciais foram corrompidos pelo ódio humano, ficaram com raiva por ver os humanos agredindo o mundo, os animais, até a si mesmo, os anjos amavam os deuses e se recusavam a aceitar que alguém os ferissem, mesmo que esse alguém fosse quem eles deveriam proteger, amar e ajudar, então, amargurados pelos pecados do homem, os anjos transformaram-se em algo negro e sombrio, e se denominaram demônios, o líder deles, subiu aos céus, iniciando uma guerra com os deuses, mesmo amando muito eles e por amar tanto assim, eles iniciaram a guerra celestial e Lúcifer, a estrela da manhã, um dos anjos mais amados, líder da revolução dos demônios descobriu como os deuses fizeram para criar vida, usando seus fios de cabelo, então Lúcifer, com sua lâmina, cortou os fios de cabelo de cada um dos deuses, eram esses os deuses Kittomus, criador do mundo, da terra, de sua fauna, ama sua criação e suas plantas, Okkito criador dos mares e oceanos, protetor dos segredos presentes no fundo de suas criações e os animais marinhos, Kiaka criadora de todos os animais, protetora de todas as espécies, dona de toda vida animal, instintiva e sabia, e por último Aokioha deusa criadora de todo resto do sistema solar, e belezas do espaço longe da nossa terra, juntos esses mesmos deuses criaram algo que amaram muito, mas que se tornariam um problema para eles, os humanos. Lúcifer, cansado de ser obrigado a ver os humanos machucando seus tão amados deuses foi o primeiro anjo a se tornar um demônio, por absorver grande parte do ódio humano da época tornou-se o mais forte de todos, por ser o primeiro e sempre ter fonte de ódio, já que os deuses não conseguiram matar sua própria criação que amavam tanto. Os demônios eram criaturas asquerosas, tão poderosas quanto anjos, eram anjos poluídos pelo mal humano, criados dos sentimentos mais impuros do homem, eram criaturas negras que possuíam os humanos e os fazia cometer coisas terríveis,  depois os matavam e mandavam suas almas para um lugar chamado Inferno, todos os estupradores, assassinos em série, pedófilos, e pessoas tão tristes a ponto de definharem aos poucos eram pessoas que haviam sido possuídas por demônios após cometer tal ato ou chegar perto de cometer. 

Lúcifer era uma estrela, era conhecido por todas as partes, por nomes diferentes, alguns conheciam-o por Satanás, outros por Capeta, ou Rei do Inferno, muitos nomes para um ser só, essas almas eram punidas no inferno por seus pecados contra os deuses, lá elas eram torturadas e forçadas a repetir o processo de tortura e reviver todas as suas piores lembranças todos os dias. Os deuses, amando de mais os homens para deixa-los desamparados perto de forças tão poderosas, os deuses criaram uma forma, de matar, de espantar e evitar esses demônios, criaram orações e rezas, símbolos protetores e objetos que os espantariam, os deuses ficaram com medo de que um dia algo desse gênero acontecesse então se preveniram criando essas brechas, eles criaram uma oração específica para fazer uma água que queima como larva fervente e chamaram de água benta, enviaram um humano com o sangue dos deuses e os humanos, por não acreditarem em seus milagre e acharem que esse filho dos deuses era o pior dos filhos de Lúcifer, e o crucificaram, como os deuses imaginaram que aconteceria, logo criou-se um novo símbolo de proteção, a cruz, fazendo com que surgissem também outros milhares de objetos. Esses métodos de combate contra os demônios estavam escondidos nos oceanos de mares de Okkito, que revelou os segredos aos homens, que aprenderam a usar esses meios rapidamente, treinando e servindo aos deuses, houveram muitos homens bons, e eram esses homens bons que faziam os deuses se orgulharem por terem criado a humanidade, que era tão desumana e tão egoísta. Esses poucos homens, foram sumindo com o tempo e eram cada vez mais raros.

 Exorcistas era o nome dado à aqueles que expulsavam os demônios dos corpos das outras pessoas, eram esses que tentavam ajudar e eram bons uns com os outros, alguns outros descobriram a medicina, e usavam ervas e plantas para curar os enfermos, descobriram e ajudaram, compartilharam de todo seu conhecimento, e mesmo muitos desses desacreditando da existência de seres maiores, que os criaram, os deuses continuavam os amando por simplesmente cuidar dos outros e ajudar, serem bons e de coração puro, os deuses nos amaram muito apesar de tanta amargura, ódio e destruição que causamos a essa terra. Todos aqueles exorcizados ficavam marcados pelo resto de sua vida pelo que os demônios os causavam, mas esse exorcismo e mais outros procedimentos faziam com que as pessoas que haviam sido possuídas fossem purificadas, já que os demônios perderam o controle e agora possuíam qualquer humano que eles sentissem vontade, muitos dos demônios achavam graça, eles achavam divertido brincar com os corpos humanos, então perderam a noção e seus princípios. Os exorcistas usam até hoje esse exorcismo, que é feito em latim, a língua original, a língua que deu início a todas as outras.

Regna terrae, cantate deo, psállite dómino, tribuite virtutem deo Exorcizamus te, omnis immundus spiritus, omnis satanica potestas, omnis incursio infernalis adversarii, omnis legio, omnis congregatio et secta diabolica, in nomine et virtute Domini Nostri Jesu  Christi, eradicare et effugare a Dei Ecclesia, ab animabus ad imaginem Dei conditis ac pretioso divini Agni sanguine redemptis  . Non ultra audeas, serpens callidissime, decipere humanum genus, Dei Ecclesiam persequi, ac Dei electos excutere et cribrare sicut triticum  . Imperat tibi Deus altissimus  , cui in magna tua superbia te similem haberi adhuc præsumis; qui omnes homines vult salvos fieri et ad agnitionem veritaris venire. Imperat tibi Deus Pater ; imperat tibi Deus Filius  ; imperat tibi Deus Spiritus Sanctus . Imperat tibi majestas Christi, æternum Dei Verbum, caro factum  , qui pro salute generis nostri tua invidia perditi, humiliavit semetipsum facfus hobediens usque ad mortem; qui Ecclesiam suam ædificavit supra firmam petram, et portas inferi adversus eam nunquam esse prævalituras edixit, cum ea ipse permansurus omnibus die° bus usque ad consummationem sæculi. Imperat tibi sacramentum Crucis  , omniumque christianæ fidei Mysteriorum virtus . Imperat tibi excelsa Dei Genitrix Virgo Maria  , quæ superbissimum caput tuum a primo instanti immaculatæ suæ conceptionis in sua humilitate contrivit. Imperat tibi fides sanctorum Apostolorum Petri et Pauli, et ceterorum Apostolorum  . Imperat tibi Martyrum sanguis, ac pia Sanctorum et Sanctarum omnium intercessio .

Ergo, draco maledicte et omnis legio diabolica, adjuremus te per Deum  vivum, per Deum verum, per Deum  sanctum, per Deum qui sic dilexit mundum, ut Filium suum unigenitum daret, ut omnes qui credit in eum non pereat, sed habeat vitam æternam: cessa decipere humanas creaturas, eisque æternæ perditionìs venenum propinare: desine Ecclesiæ nocere, et ejus libertati laqueos injicere. Vade, satana, inventor et magister omnis fallaciæ, hostis humanæ salutis. Da locum Christo, in quo nihil invenisti de operibus tuis; da locum Ecclesiæ uni, sanctæ, catholicæ, et apostolicæ, quam Christus ipse acquisivit sanguine suo. Humiliare sub potenti manu Dei; contremisce et effuge, invocato a nobis sancto et terribili nomine Jesu, quem inferi tremunt, cui Virtutes cælorum et Potestates et Dominationes subjectæ sunt; quem Cherubim et Seraphim indefessis vocibus laudant, dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus Dominus Deus Sabaoth.

V. Domine, exaudi orationem meam.

R. Et clamor meus ad te veniat.

[si fuerit saltem diaconus subjungat V. Dominus vobiscum.

R. Et cum spiritu tuo.

Oremus.

Deus caeli, Deus terræ, Deus Angelorum, Deus Archangelorum, Deus Patriarcharum, Deus Prophetarum, Deus Apostolorum, Deus Martyrum, Deus Confessorum, Deus Virginum, Deus qui potestatem habes donare vitam post mortem, requiem post laborem; quia non est Deus præter te, nec esse potest nisi tu creator omnium visibilium et invisibilium, cujus regni non erit finis: humiIiter majestati gloriæ tuæ supplicamus, ut ab omni infernalium spirituum potestate, laqueo, deceptione et nequitia nos potenter liberare, et incolumes custodire digneris. Per Christum Dominum nostrum. Amen.

Ab insidiis diaboli, libera nos, Domine.

Ut Ecclesiam tuam secura tibi facias libertate servire, te rogamus, audi nos.

Ut inimicos sanctæ Ecclesiæ humiliare digneris, te rogamus audi nos.

Et aspergatur locus aqua benedicta. Sempre mostrando ao exorcizado a cruz santa, jogando água benta.

 

Cada um dos deuses criou uma linhagem, e dentro de todas as três linhagens, criou-se uma quarta, que eram aqueles escolhidos que se comunicavam com os deuses e nos traziam informações sobre os desejos e angustias dos mesmos e nós fazemos parte dessa linhagem, eramos muitos, mas aos poucos, as outras linhagens, corrompidas pelo ódio, amargura, doenças e guerras, muitos passavam fome, e a morte circundava por toda parte, e nossa linhagem que era a única que continuou exorcizando e ajudando os enfermos, e por crer com tanta fé nos deuses fomos aniquilados aos poucos pelos demônios que possuíam as pessoas que mesmo que raramente não eram tão ruins assim, logo fomos extintos e precisamos nos esconder, eu era pequena mas lembro-me de nosso povo fugindo, correndo com medo do anjo negro que se aproximava, toda vez que tentávamos expulsar os demônios, já estávamos sem esperança e com medo, mas nos mantivemos firme, meu pai guiava-nos sempre lembrando as coisas boas que os deuses já fizeram para nós, sempre nos deram tudo o que precisávamos ter, então mantínhamos a nossa fé, mesmo sabendo dos riscos que era ter fé em tempos tão cheios de ódio e desesperança, fomos morrendo, aos poucos, então precisamos nos esconder, de tudo e todos, e pedimos aos deuses um lugar onde ficaríamos acolhidos, protegidos e escondidos de tudo e todos que tentassem fazer-nos mal, outras pessoas de nossa linhagem, corajosas decidiram sair e continuar exorcizando e espalhando seus conhecimentos pelo mundo, mesmo que o mundo não aceitasse, mas felizmente houveram pessoas que procuraram nosso povo para fazer exorcismos, e curar enfermidades que as outras pessoas não tinham a resposta, e se algum de vocês aqui cometeram algum pecado, seja pequeno ou enorme, se os deuses permitiram sua entrada aqui no nosso povo é porque foi da vontade deles que vocês fizessem tal ato, os deuses se agradam com quem ama, com quem ajuda e faz de tudo por amor, não pregue ódio. 

E se os deuses quiserem todos ficarão bem, não precisam acreditar neles, não precisa idolatra-los ou louva-los, eles sabem o seu valor, mas você sabe o seu? Basta amar, e cuidar um do outro que os deuses estarão felizes e ao seu lado, se você agir com o coração puro, preenchido apenas por amor, você conseguirá um lugar ao lado dos deuses, já está tarde, as crianças precisam dormir, quem sabe numa outra história continuemos esse assunto, agora recolham-se em seus respectivos quartos, e agasalhem-se, fará frio mais tarde, os deuses disseram-me.— Disse a senhora, que parecia ser boa contando histórias, e relembrando seus tempos de juventude (o que realmente já faz muito tempo).

Alguém apague essa fogueira e logo se recolha, boa noite minhas crianças—Dia-san está voltando conosco para o templo, estamos já subindo as escadarias, esperando-a e ajudando, já que ela é bem velhinha. Será que esses deuses realmente existem? É o que eu estou me perguntando até agora, e percebi que já estamos na porta do templo

—Hitome, ao entrar, toque na estatueta que achar mais linda, a que lhe chamar mais atenção, apenas encoste a mão sobre ela. Faça isso sozinha.— Disse a senhora, tomando direção oposta a nossa, as meninas entram, correndo e bagunçando, deixando-me só, o que devo fazer? Vou fazer o que Dia-san mandou, afinal o que pode acontecer, caminhando para dentro do templo, uma das estátuas de ouro parece brilhar mais que as outras, era uma mulher, não consigo ver direito por conta do brilho, então vou toca-la, aproximando minha mão até que toco a estátua e sinto minha mão queimar

—Aokioha. — Ouvi num sussurro baixo, assustei-me e fui para trás, entrando correndo no quarto, já que estava sozinha, quando deparo-me com Akemi e Miki se beijando e me encho de raiva, por quê? Não poderiam apenas me esperar? Eu te esperei Akemi.


Notas Finais


Lembrando que minha intenção não é, não foi e jamais vai ser ofender qualquer religião ou crença, obrigada por ler, se gostar comente! Desculpem novamente, beijos da empadex! É nóx
E sim o exorcismo que está aqui é real e é o usado por exorcistas do vaticano ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...