História Uma historia qualquer - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Escolar, Romance
Exibições 12
Palavras 1.086
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Refazendo.. Eu havia escrito mais de 800 fucking palavras e apagou tudo :,(
Tentei fazer ficar parecido mas eu me esforcei bastante no outro pra ficar melhor.

Capítulo 10 - Chuva de coisas ruins


Fanfic / Fanfiction Uma historia qualquer - Capítulo 10 - Chuva de coisas ruins


Me recuperei muito bem, com cuidados da minha mãe e de Tony. Ele é um fofo. Assim que recebi alta, tentei convencer minha mãe de várias formas para ela me liberar pra ir a escola. Eu ja estava muito bem, mas ela não gosta muito de arriscar quando o assunto é saude. Só pude ir pra aula quinta feira, que ja havia completado 3 dias em casa de repouso. Eu nunca pensei dizer isso mas eu, senti falta da Lara me enchendo.

O dia estava chuvoso mas não estava frio, coloquei um vestido, relutante mas pela Lara! desci pro café, notando meu atraso e me desesperando. Assim que sai de casa comecei a correr, logo vi o ônibus passando e me deixando pra trás. Foi como a cena de um filme, a garota deixada pra trás cabisbaixa e começa a chover. Olhei pra minha bolsa ja rezando pra ter levado o guarda-chuva ja que sai com pressa. Mas não ele não estava lá. Sentei no ponto de ônibus que era coberto e retirei todo o meu material pra procurar melhor o guarda-chuva. Nada. Oque eu faria agora? Voltar embora? Ah não, eu estava com saudade da escola, da Lara, de Aspen eu não iria voltar por nada nesse momento. Arrumei toda a minha bolsa e resolvi ir na chuva mesmo. Andei até a escola, afinal eu não era uma completa azarada, pelo menos o meu vestido não é transparente. Não muito! Eu ainda mato a Lara. Avistei Aspen de longe, me envergonhei ao lembrar meu estado, mas eu não devo satisfação a ninguém. Ao chegar um pouco mais perto, notei que ele não estava andando e sim me encarando. Olhei para baixo para ter certeza de que o vestido não estava transparente e o vi dando um risinho. Do que ele estava rindo? Tem alguma coisa na minha cara? Ou será que é só minha feição de desespero e vergonha? 

Ele estava bonito, com o uniforme meio úmido ja que a chuva estava meio que vindo de lado, eu podia ver seu abdomem se reparasse demais mais eu não sou dessas que pira com isso (bia). Ao chegar do seu lado, eu não o encaro só continuo a andar, percebo que fui coberta por uma sombra e olho pra cima. Aspen era um fofo, ele havia dividido seu guarda-chuva comigo, mas fofo ainda era ver a Lara se preocupando comigo quando entrei no colégio. Mas eu respondi a ela que eu tinha roupas reservas e remédios em meu armário do ginásio. 

-QUEBRA DE TEMPO-

-Então ele dividiu com você????? - Lara perguntava curiosa enquanto eu me trocava no banheiro.

-É amiga eu ja contei, ele ficou com dó, foi só isso.

-Sei. - Ela dizia um pouco desconfiada.

-Acho que seu plano não deu muito certo! - Eu disse desfilando com meu jeans velho e o uniforme, parando pra dar uma reboladinha, especialmente pra irritar a Lara, que cruzou os braços.

-Só dessa vez amiga! Vai ter volta. -Rimos e voltamos pra aula.

A aula estava diferente! A professora Juliana estava feliz, pela primeira vez ela parou de falar de sua vida e deu aula, explicando muito bem tudo. E o mesmo se repitiu como professor Carlos. Foi estranho mas um estranho bom! Deu o sinal para o intervalo e eu e Lara fomos comer.

Acabei não comendo quase nada. Fiquei pensando no que o Aspen fez, uma hora ele era chato, outra ele era fofo.. Qual é a dele? Mas mesmo assim eu preciso agradece-lo.

-Pensando no Aspen é? - Lara me tira dos pensamentos me fazendo corar um pouco.

-O aluno novo? - Luan diz, olhando pra comida.

-A Lara esta blefando! -ARGHH..- Não é amiga?

-Vai falar que você não viu ela dividindo o guarda chuva com ele, Luan? - Lara dizia beliscando sua salada, vontade de faze-la inalar a salada pelo nariz.

-Bom, preciso falar com os professores, das faltas.. Adoraria continuar aqui negando até a morte, mas o dever me chama Lara Linguaruda Donkson. - Eu disse me levantando e mandando um beijinho no ar pra minha amiga.

-Okay, Alison Fujona Pieterse.

Sai, joguei quase toda a comida do prato no lixo, pensei que era um desperdício mas eu não estava com fome, não comeria pra depois vomitar tudo. Me retirei até a sala dos professores onde vi uma coisa que eu queria desver na mesma hora.. A professora Juliana está aos beijos com Carlos, meu deus eles faltavam se engolir. Bati na porta que estava aberta pegando os dois de surpresa.

-Oque deseja? - O professor Carlos dizia limpando restos de batom em sua boca.

-E-eu vim entregar meu atestado de repouso...

-Ahhh o-okay, pode deixa-lo encima da mesa.

Deixei o atestado lá mesmo e sai correndo e rindo, quero só ver a cara da Lara ao saber disso.

-QUEBRA DE TEMPO-

-SÉRIOOO? -A Lara dizia se segurando pra não rir no inicio da aula. 

O professor Carlos chegou na sala segundos depois, e a vontade de rir estava me sufocando. Lembrei então de Aspen que ainda me encarava do fundo da sala e pensei em escrever um bilhete ao próprio,  e assim fiz, fiquei escrevendo a aula toda e quando terminei me senti orgulhosa. 

Ao toque do sinal, recolhi meus pertences e me direcionei a carteira de Aspen.

-Aspitolo-

Talvez ter ajudado Alison foi a melhor coisa que fiz desde que cheguei ao Brasil, ver a cara dela envergonhada toda vez que nossos olhos se cruzam é hilário e fofo. 

Quando toca o sinal. Percebo que a encarei demais e arrumo minhas coisas rapidamente, meu avô Roney disse que tem compromisso hoje e me pediu pra chegar no horário. Grande coisa. Eu sempre chego.

Assim que termino noto um ser com cabelos avoaçados em minha frente, e olho pra baixo. Ela estava com a mão estendida e um papel. Assim que toco no papel ela o solta, saindo com sua amiga Lara que parecia empolgada.

Vejo que é um bilhete, quero muito abrir. Mas vou esperar pra chegar em casa. Pego o ônibus normalmente, mas reparo na falta de Alison, e ne seu banco estável, que nunca é usado por ninguém a não ser ela.

Chego em casa e me deparo com Roney, em frente de casa, pronto para sair. Para um velho ele não está tão acabado assim, sempre quis saber pra onde ele vai. Entro em casa e está uma completa bagunça, é assim que vai ficar, porque não estou com vontade de arrumar nada. Deito na minha cama e abro o bilhete da Alison.

Olá Aspen.
Não conheço seus motivos para me ajudar. Mas aprendi que devo agradecer, Obrigada! Estou te devendo 2 agora!
Ali

Notas Finais


Estou em nervos! Maldito seja spirit fanfic! Mentira ti amo seu lindo.
Perdi meu capituloooo :,(
Mas vcs valem a pena. Fiz outro, espero que tenham gostado ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...