História Uma história que deveria ser contada!! - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Esquadrão Suicida
Personagens Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina), Personagens Originais
Visualizações 25
Palavras 1.843
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí Fofis!! Perdão pela demora, estava sem idéia nenhuma de como descrever as coisas que estavam na minha cabeça! Tentem caprichar ao máximo nesse capítulo pra compensar vocês! Obrigada pela atenção, carinho, comentários e favoritos! Enfim obg por tudo!

♡♡♡♡♡BOA LEITURA♡♡♡♡♡

Capítulo 6 - Mande você ficar em casa!


Fanfic / Fanfiction Uma história que deveria ser contada!! - Capítulo 6 - Mande você ficar em casa!

♤♡♢♧ ARLEQUINA ♧♢♡♤

-Ele está vindo Harley! - nos olhos deles havia uma mistura de medo e raiva! - Ele está vindo atrás do chefe.

-Quem está vindo Emmert? - gritei para que ele dissesse logo quem era o maldito que estava vindo atrás do meu Pudinzinho.

-O Batman! - quando ele finalmente disse quem era meu sangue Ferveu.

- droga de novo!? Corram e distrai um ele o máximo que puderem vou pegar meu pudinzinho e tirá-lo daqui e logo em seguida quero todos vocês caiam fora bem depressa! - Emmert e Jeffrey assentiram e se foram!

Saquei minha arma e corri direto pro quarto onde o Coringa estava. Logo tomei um susto quando entrei quarto o vi tirando as agulhas, que estavam levando sangue e soro, e os fios que estavam o monitorando! 

-Pudinzinho o que você está fazendo? - o lugares onde as agulhas estavam o sangue escorria - Você acabou de levar uma facada lembra? 

- Harley querida está esquecendo quem eu sou? - me pergunto, enquanto vestia a roupa - Eu sei muito bem quando tem algo de errado acontecendo,  e além do mais, eu já estou ótimo não vai ser uma faça qualquer que vai me matar!

As roupas que ele vestia, estavam com uma enorme mancha de sangue, bem na altura onde ele tinha sido atingido pelo maldito morcego. Mais tarde com certeza o Coringa pensaria em algo grande e maravilhoso pra se vingar dele, e eu mal posso esperar por isso!

-Vamos logo sai daqui, antes que o nosso lindo morceguinho estrague tudo de novo. - Ele deu um beijo em minha testa e saímos do quarto. 

Fomos em direção à saída dos Fundos do hospital não queríamos dar de cara com o Batman ou qualquer outro que quisesse nos causar algum problemas. Fomos pelas escada onde sabíamos que dificilmente teria alguém ali. Dava pra ouvi os tiros que vinham do andar onde estávamos. Provavelmente os rapazes estavam se divertindo com o morceguinho e senti uma pontada de inveja, nem as pancadas que dei nele mais cedo seria suficiente pelo o que ele fez com o meu pudinzinho. Na parte de trás do hospital fica a garagem, então não seria difícil roubar um carro qualquer e sair dali.

Pegamos o primeiro carro que víamos. O Coringa sentou no banco do motorista e eu ao seu lado, como de costume! O Coringa deu partida no carro e acelerou o máximo que aquela merda podia! Era um saco está em um carro comum, eu já estava acostumado com a velocidade e adrenalina que a Lamborghini nos proporcionava. Olhei para o Coringa e vi o tédio estampado em seu rosto. Notei que estávamos indo em direção ao centro de Gotham, e não pra casa.

- Pudinzinho para onde estamos? Indo achei que estávamos indo para casa.- olhei pra ele confusa sem entender nada.

-Nos já vamos Docinho, mas antes vou pegar o meu carro não vou pra casa dentro dessa carroça imunda. E além do mais dentro dele tem um brinquedinho muito legal. - Ele olhou pra mim com o enorme sorriso, que eu tanto amo. -E ele vai fazer um maravilhoso "Cabum"!! E vai mandar aquele banco pro inferno. 

Me animei com a idéia fazia tempo que eu não explodia nada. Ele continuou dirigindo e a pois alguns minutos, até que chegamos onde ele havia deixado a Lamborghini. Ele abriu o porta luvas e pegou o detonador, e estendendo a mão para me entregar o mesmo, com um sorriso perverso e um olhar eufórico.

-Gostaria de fazer as honras? 

-Adoraria! - peguei o detonador com um grande sorriso! E inexplicável o sentimento que me dominou! Eu adorava explodir as coisas, e ver o fogo destruindo tudo por onde passava era incrível.

Apertei o detonador e um grande estrondo ecoou pelo silêncio cidade! Com certeza dava pra ouvir a quilômetros de distância. Começamos a gargalhar vendo o resultado da exploração. Meu corpo se transformou em um espelho refletindo o fogo que estávamos assistindo. Pulei no colo do meu Pudinzinho e comecei a beija-lo intensamente, envolvi meus braços em seu pescoço, enquanto ele apertava minha cintura com força e retribuía com a mesma intensidade e voracidade.

De repente fomos interrompidos pelo barulho das sirenes, e começamos a gargalhar novamente ele me colocou no chão e entramos na Lamborghini e partimos em alto velocidade! Era incrível como algo tão simples como dirigir era divertido! A adrenalina de está em alta velocidade sem se importar com nada, além de  nos dois era maravilhoso.

Chegamos em casa e saímos do carro. Já era de madrugada, fazia muito frio e como de costume o céu parecia acompanhar o clima que pesado de Gotham. Quando entramos o acompanhei até o escritório dele! Era um lugar incrivelmente bem decorado, como todo resto da casa. O escritório dele era onde ele passava maior parte do tempo, e tinha estilo bem clássico e ao mesmo tempo rústico, paredes brancas com um grande lustre no teto, que iluminava completamente o lugar. Desde que chegamos ele estava muito quieto pensativo, e isso me fez ter medo de que eu tivesse feito algo de errado sem perceber.

-Pudinzinho, está tudo bem? Você ficou tão calado de repente. - levantei a mão para passar em seus cabelos mas ele me empurrou pra longe dele. 

-Você acha mesmo que minha vida se resume a você? Tenho coisas pra resolver que são muito mais importantes do que você. - quando ele disse isso , foi em direção ao um pequeno armário que ficava no canto do escritório, onde havia várias garrafas, pegou uma de whisky e começou a beber direto do no gargalo. Meu coração se partiu e fiquei sem chão, porque mesmo depois de tudo o que passamos ele ainda continuava sendo rude e grosseiro comigo sem nenhum motivo aparente! Sentei em uma cadeira e fiquei o observando. 

-Porque que ao invés de você ficar aí parada com uma inútil me olhando não vai chamar o Emmert? E depois disso, não precisa mas voltar já enjoei da sua cara hoje!- Ele sentou em sua cadeira e a girou ficando de costas pra mim. Meu olhos se encheram de lágrimas e me coração estava totalmente despedaçado. Sai correndo dali e fui fazer o que ele me pediu. Fui até os fundos da casa, lá havia uma sala onde os capangas do Coringa costumavam ficar nas horas livres. Estavam todos rindo e brincando, tentando descontrair toda a tensão que passaram durante o dia. Chamei o Emmert discretamente pois não queria que todos me vissem naquele estado.

-E aí Harley tudo bem? - abaixei a cabeça pois não era algo que eu estivesse a fim de falar - Nossa que cara é essa? Aconteceu alguma coisa? 

-Não Emmert, estar tudo bem. - tentei fingir um sorriso pra evitar mais perguntas - E só que o Coringa mandou eu vir te chamar, e se eu fosse você eu iria logo ele não está de muito bom humor. 

-Obrigado Harley! - assenti e me virei para ir pro quarto mas ele segurou gentilmente o meu braço - Ei Harley! Eu sei que alguma coisa aconteceu e que você não quer me contar, mas sabe que pode contar comigo, não é? 

-Obrigada Emmert! Você é um grande amigo! - sorri para ele, fui para o quarto e fechei a porta.

Sentei na beira da cama e comecei a chorar descontroladamente! Sempre que o Coringa me tratava assim ou me batia a única coisa que eu pedia fazer era chorar! Eu de for alguma conseguia revidar ou fazer ele sofre como ele faz comigo, isso era de mais pra mim e eu me odiava por isso! Quando se ama alguém tanto quanto eu o amo, não a nada que se possamos fazer, pois nunca vamos nos importar com o quão mal e perversa pessoa seja, sempre vamos perdoar independente de qualquer coisa. Levantei da cama e fui para o banheiro que tinha no quarto. Abri as torneiras para que a água quente pudessem encher a banheira. Fiquei descalça deixando que meus pés tocassem o chão frio de mármore, um leve tremor percorreu o meu corpo. Quando a banheira encheu desliguei as torneiras e coloquei sabão para fazer bastante espuma, tirei a roupa e entei. O efeito da água quente no meu corpo foi algo muito relaxante. Fechei os olhos e em minha cabeça fui repassando todas as coisas que tinha acontecido  hoje. O roubo ao banho de Gotham, que deu completamente errado graças ao desgraçado daquele morcego, a facada que ele deu no Coringa, no desespero e no medo que tive de perde-lo pra sempre, os tiros no hospital, na nossa fulga de lá e no quanto ele me tratou mal sem eu ter feito nada! Tudo estava dando errado por causa do maldito Batman. Ele parecia estar um passo a nossa frente, o que nunca havia acontecido antes!

Fiquei por um bom tempo na banheira de olhos fechados mergulhada em meus pensamentos, até que tomei um susto quando de repente ouvi um barulho na porta do banheiro e por um segundo senti meu coração parar quando vi que era o meu pudinzinho. Ele estava de braços cruzados, encostado na seleta da porta me olhando com um rosto inexpressivo. O encarei com medo de que ele tivesse vindo brigar comigo de novo ou até mesmo me bater!

Me encolhi quando ele vi que ele estava se aproximando, ele se abaixou e alisou minha bochecha enquanto afastava uma mecha de cabelo perto do meu olho. Ele meu beijou no alto da testa se afastou, e começou a tirar suas roupas. Nunca cansei de admirar o quão lindo ele era, suas tatuagens pareciam realçar ainda mais a sua beleza. Eu não esperava que ele fosse fazer isso, ele entrou na banheira fazendo com que minha pernas ficassem por cima das dele, envolvendo sua cintura! Arfei quando ele passou as mãos quentes dele pelas minhas costas me puxaram pra mais perto do seu peitoral, que parecia ter sido esculpido pelos deuses do Olimpo! 

-Você está bem? - Ele me olhou bem no fundo dos meus olhos. De imediato não consegui responder porque o azul dos olhos dele pareciam me hipnotizar fazendo com que um esquecesse o quandto eu estava brava com ele.

-Não muito, mais vou ficar! - desviei os meus olhos dos dele. Eu ainda estava muito magoada pela forma que ele me tratou, lógico que uma hora eu ia perdoa-lo mais não queria que fosse agora, e estar perto dele nua com ele me encarando com esse olhos azuis que eu tanto amava não estava ajudando! Voltei a olhar pra ele, e seu rosto havia se transformado completamente. Ele me encarava com um olhar maldoso e sedutor. E só de ele me olhar assim eu já sabia no que ia dar.

-E será que não há nada que eu possa fazer pra mudar isso?- sussurrou bem pertinho do meu ouvido com uma voz grossa e sedutora que fez com que meu corpo inteiro se arrepiasse. 

-Não sei. Mas talvez você possa tentar! - falei fazendo biquinho com uma voz manhosa. 

-Então se preparei que esse vai ser um longo banho! 

..........................


Notas Finais


Eeeeita que tá vindo um hot caprichado em!! ❤❤😈😈😈
Galera espero que tenham gostado! ! Essa história também é de vocês sempre que tiverem idéia ficarei muito feliz! Beijos Fofis até o próximo capítulo! 😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...