História Uma menina e seus sete milagres - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts
Exibições 18
Palavras 3.246
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ta aí, desculpa qualquer erro (preguiça de revisar dnv)

Capítulo 56 - Ano Novo pt. 1: Convidados


Daquela vez foi diferente, acordei antes do Taeh e não estava vestida. Mas tinha razão pra ser assim: a noite foi cansativa.
Levantei e me vesti, depois fui pra cozinha fazer meu café da manhã. Por sorte ou azar, não encontrei ninguém. Fiz meu lanche e sentei na diante a mesa de madeira velha que tinha ali.

Tentei ser a pessoa mais calma do mundo, mas quando meu pai chegou, foi difícil me controlar... É, foi bem difícil, comecei a tremer e fiquei totalmente vermelha.

Ele me olhou, sorrindo, era um sinal de que não tinha visto o Taehyung.

— Como foi a noite, filha? — Perguntou se servindo um pouco de café e sentando na minha frente.

— F-Foi boa.

— Estava tudo bem enquanto eu estava fora?

— Sim, tudo ótimo.

— Que bom, tive problemas pra voltar pra casa... Sua irmã passou mal e tive que leva-la ao hospital, cheguei mais ou menos umas cinco horas da madrugada.

Fiquei espantada.

— E você foi me contar isso agora? Pq não me ligou?

— Não queria que ficasse preocupada, não foi nada grave, ela só teve fraqueza. Você sabe, sua irmã é teimosa quando se trata de comida.

— E a Brenda? Ela não ficou brava?

— Ela não tem motivos pra ficar brava, ela ama a Clara como se fosse sua própria filha.

— É... Da pra perceber isso.

Ele sorriu e continuou tomando seu café e eu também. Acabei meu café logo depois, lavei minha caneca (que por sinal era bem fofa, era enfeitada com coisas de Natal) e saí da cozinha indo diretamente pro meu quarto.

Quando entrei vi Taeh ainda deitado, abraçado no meu travesseiro. Deitei do seu lado, sorrindo, fiquei o olhando até ele acordar e sorrir também.

— Bom dia, dorminhoco.

— Bom dia minha pequena Lu. — Falou esfregando os olhos.

— Não use isso de dia, por favor, nem em público.

— Foi o apelido que mais se encaixou em você, e sempre vai ser algo entre nós.

— Você usou o jeito que minha irmã me chama, isso é estranho. — Escorei minha cabeça na parte que ele não tinha abraçado do travesseiro.

— De agora em diante este apelido pode ser usado somente por mim.

— E pela Clara.

— Ah sua idiota. — Falou rindo. — Okay, deixo sua irmã usar só o "Lu", a parte do "pequena" é meu!

— Até pq ela não tem motivos pra me chamar de pequena... E você também não!

— Tenho sim, você bate nos meus ombros, até um pouco mais baixa.

— Ah é? Quer apostar?

— Depende do que vai ser apostado.

— Hm... Um café?

— Não, tenho uma ideia melhor: assumirmos nosso namoro aos fãs.

— Opa, isso já é exagero... É uma aposta muito boba pra um preço tão grande!

— Não, não é. Se eu ganhar, vamos oficializar nosso namoro, se você ganhar, podemos deixar esse assunto só entre nós.

Pensei um pouco na aposta.

— Okay...

Primeiro ele colocou uma bermuda e depois fomos em frente ao espelho. Tive a sensação de ser uma criancinha perto dele, eu realmente era muito mais baixa do que ele, só nunca tinha percebido.

E, olhar pra nós, lado a lado no espelho, juntos novamente, melhorou meu dia.

— Viu? Eu disse. Tenho motivos pra te chamar de pequena. — Falou sorrindo, pegando minha mão e me olhando pelo espelho. — E como eu ganhei, vamos oficializar nosso namoro.

— Mas quando? E... Como?

— Simples, eu e os meninos estamos em uma votação, e se ganharmos vamos a um programa, lá vamos poder agradecer as nossas fãs e pessoas próximas. Estou sentindo que vamos ganhar.

— O legal é que não sei de nada do meu grupo.

— Seu grupo também está participando, vão estar lá com a gente com certeza. — Fiquei vermelha só de pensar nele falando sobre nosso namoro para as fãs... — Está nervosa?

— Como não vou ficar? E se não nos aceitarem?

— Já conversamos sobre isso, e mesmo não nos aceitando, nada vai me impedir de ficar com você.

Sorri mesmo ainda estando nervosa.

— E quando sai o resultado?

— Acho que quinta-feira.

Larguei sua mão e pedi ajuda pra arrumar as coisas, meu pai iria desconfiar se estivesse tudo bagunçado e não arrumado como eu sempre deixava.

Arrumamos as coisas e vi Taeh parado segurando o vestido (pelo jeito ele gostava bastante daquilo).

— Esse vestido é realmente lindo... — Falou andando até mim e colocando ele sobre meu corpo. — Você poderia usar ele hoje, não é?

— Pq? Não é nenhum dia especial hoje.

— É sim, hoje é Ano Novo, não lembra?

— Oh, é mesmo...

— E quem disse que pra usar esse vestido precisa ser um dia especial?

Peguei o vestido das mãos dele e o olhei.

— Eu, e uso isso sempre aquando for um dia como ontem.

Andei até o meu guarda-roupa e o guardei.

— Olha você não me provoque, viu?

— Só falei que uso o vestido só em dia como ontem.

— Entendi... Como o dia em que eu te...

— Shhhh, não complete a frase. — Interrompi colocando meu dedo sobre sua boca. — Não complete! Pq ontem quem estava no comando era eu, não você.

— Isso é novidade, confesso que não gostei da ideia, gosto de ficar no comando. — Falou rindo tirando meu dedo da sua boca.

— Bom, vai ter que começar a gostar, pq eu gostei.

Andei até a porta e a abri, olhando pros lados dos corredores pra ver se tinha alguém, olhei pra dentro do quarto novamente.

— É uma ótima hora pra você poder ir embora, pegue suas coisas.

— E quem disse que quero ir embora?

— Ah, Oppa, não dificulte as coisas. Por favor.

— Está usando essa palavra pra me converter de novo!

— E é isso mesmo que quero. — Olhei pro corredor novamente e lá estava vindo meu pai, rapidamente entrei no quarto correndo pra minha cama. — SE ESCONDE! PELO AMOR DE DEUS!

Sem entender nada ele se escondeu em baixo da minha cama, levando junto suas roupas. Logo meu pai entrou no quarto e eu estava sentada, sorrindo pra ele.

— Filha... Nós vamos fazer uma janta aqui em casa por causa do Ano Novo, okay?

— E o que eu tenho haver com isso? — Senti Taehyung pegar meu pé de baixo da cama. — QUERO DIZER... okay.

— Vim aqui te avisar pq vamos convidar seus amigos.

— S-Sério? Que bom! Já vou ligar pra eles, espere aí. — Peguei meu celular o mais rápido possível.

— Mas quanto ao Taehyung? Vai querer o convidar?

Olhei pra ele novamente, confusa.

— E pq eu não iria o convidar? Ele faz parte do meu grupo de amigos.

— Sei lá é que... Seja lá o que ele tenha feito, talvez tenha te machucado e não queira mais o ver.

— Pai, já disse que a culpa não foi dele.

— Sabe que não vou acreditar nisso, não sabe?

— Estou percebendo, mas se puder me dar licença, preciso ligar pros meninos.

Ele sorriu e saiu do meu quarto, balancei os pés e acabou batendo em algo. Taeh saiu de baixo da cama com as mãos na testa e com cara de dor. Comecei a rir ao perceber onde tinha batido com o pé.

— Eu não te fiz nada! — Falou rindo. — Isso doeu.

— Desculpa. — Continuei rindo da cara dele.

De repente ele pulou em cima de mim, prendendo meus braços com as pernas e começando a fazer cosquinhas em mim.

— P-PARE — e continuei rindo — POR FAVOR.

— Continue rindo, vai!

E ele não parou até minha barriga começar a doer. Quando parou ele se sentou por cima de mim e ficou parado.

— Você não ia ligar pros meninos?

— Ah, é mesmo.

Peguei meu celular e liguei pra eles enquanto Taehyung continuava em cima de mim, agora brincando com os meus cabelos.

~ligação on~

Kook: Luana?

Eu: Oi, Kook! Tenho algo a falar.
Kook: É sobre ontem? O plano deu certo?
(Taeh provavelmente ouviu, pq sorriu de um jeito irônico).
Eu: É, deu. Mas o que eu queria falar era sobre um jantar que vai ter aqui em casa hoje pra comemorar o Ano Novo, meu pai quer que vocês venham comemorar junto!
Kook: Wow, isso é ótimo, não tínhamos planejado nada mesmo, vamos aí mais pelo fim da tarde, prometo. Jungkookie desligando.

~ligação off~

Aquele Ano Novo seria o melhor da minha vida, tendo o Taehyung junto comigo novamente e com meus amigos por volta, não tinha coisa melhor.

Taeh continuava a brincar com o meu cabelo quando desliguei.

— Então quer dizer que você planejou tudo o que aconteceu ontem?

— Tirando a parte... Quente, sim, planejei.

— Isso quer dizer que realmente me ama?

— Você ainda tem dúvidas?

— Ahm... Não. — Ele sorriu. — Só gostei de saber que se importou com a minha felicidade.

Ele deixou cair uma mecha de cabelo cair no meu rosto, e mesmo não tendo graça, começou a rir até tirar a mecha e continuar a brincar com meu cabelo.

— Estou com uma dúvida dos infernos.

— E que dúvida é essa?

— Você acha que começamos nosso namoro muito rápido?

— É... Sim, mas isso acontece, raramente, mas acontece. O que importa é que estamos juntos agora e isso é bom... Mas pq essa dúvida?

— Não sei... As vezes fico pensando se foi mesmo muito cedo, e foi. Na maioria das vezes namoros que começam muito cedo nunca duram, mas somos diferentes. Apesar de todas as pausas que demos. Falando nisso... Está de acordo em nunca mais darmos pausas?

— Estou. — Falei sem hesitação.

Sorrimos e ele saiu de cima de mim, indo em direção pra porta, olhou pros dois lados do corredor e se escorou na parede rapidamente.

— O que foi?

— Acho que a Clara me viu!

— Ah meu Deus...

Ouvimos passos vindo do corredor.

— TAE? — Ela gritou que nem louca vindo correndo pro meu quarto, e antes que ela chegasse, Taeh se escondeu atrás de uma cadeira que estava CHEIA de roupas (é, eu não era tão organizada), onde era impossível de o ver. Quando ela chegou, se esticou pra ver dentro do quarto. — Cadê ele?

— Ele quem? — Perguntei me fazendo de inocente e sentando na ponta da cama.

— O Taehyung! Ele estava aqui, eu o vi.

— Você está louca, não tem ninguém aqui além de mim.

— N-Não, juro que eu vi ele!

— É só olhar, não tem ninguém.

Me levantei indo em direção onde Taehyung estava, me virando de costas pra ele pra tentar o esconder enquanto Clara olhava pelo quarto.

— Sua ideia de virar a bunda pra mim não é legal! — Ele cochichou atrás de mim.

— Ssh, cale a boca, pare de olhar. — Cochichei de volta.

— Isso é impossível.

Ela rodou o quarto inteiro, olhou em tudo quanto é canto e foi logo pra porta, virando pra mim.

— É... Acho que não era ninguém...

Seu rosto ficou vermelho e logo se retirou. Saí da frente do Taeh soltando todo o ar que eu estava trancando dentro de mim por causa do nervosismo. Ele saiu de onde estava e se jogou na minha cama.

— Essa foi por pouco... É melhor você fechar a porta.

Fui em direção a porta e a fechei.

— E se eu disser que você veio mais cedo? Aí não precisamos nos esconder.

— Seu pai não vai desconfiar?

— Acho que não. Não custa nada tentar. Vista sua camiseta primeiro, se não ele vai desconfiar mesmo.

Esperei ele se vestir e então saímos a procura do meu pai, o encontramos sem muito esforço pois sempre estava na sala ou na cozinha lendo jornal (ele amava aquilo). Chegamos quase em silêncio se Taehyung não tivesse tropeçado em um dos brinquedos da Clara e feito barulho.

Fomos mais perto do meu pai, nós dois com sorrisos sem graça, ele nos olhou sem entender muito o que estava acontecendo.

— Ué, só ele veio?

— N-Não, ele só chegou mais cedo.

— Posso saber o motivo? — Perguntou olhando pro Taehyung, que parecia estar viajando no mundo da lua. — Jovem?

— Hm?

— Posso saber pq veio mais cedo?

— Ah... É que eu estava andando aqui por perto e tive a ideia de vim mais cedo. Estou atrapalhando?

— A mim não, pergunte a minha filha.

Balancei a cabeça negativamente e Taeh sorriu.

— Bom, acho que não estou incomodando ninguém. — Ele pegou minha mão e meu pai ficou surpreso. — Vamos logo.

Nos retiramos dali, ainda vermelhos. Fomos pro meu quarto na velocidade da luz e fechamos a porta, encostando na mesma.

— Isso pode ter sido rápido, mas foi bem tenso. — Falou botando as mãos na cabeça.

— Concordo.

— Não sabia que seu pai me odiava tanto!

— E ele não odeia... Eu acho, já disse, só está tentando me proteger.

— Será que ele se incomodou pela minha roupa?

Olhei pra ele de cima pra baixo, usava camiseta simples e uma calça jeans, completado por um tênis. Aquilo era horrível pra um Ano Novo, mas eu gostava.

— Eu gosto, está ótimo. Acho que ele não se importa com roupas.

— Se você gosta, provavelmente ele deve gostar também.

— Meu pai não é tão igual a mim, só concordamos em algumas coisas, como no quão filho da puta minha mãe é.

Taeh se abaixou até se sentar no chão, ainda escorado na porta. Fiz o mesmo e nos olhamos.

— Falando nela, você nunca mais a viu?

— Não. Nem ela nem o Max, mas isso é bom.

— Não sei se penso da mesma forma, agora que você está ficando famosa, é fácil saber onde está. Tome cuidado.

— Vou tomar, se eu a ver algum dia é só eu sair correndo que nem uma louca. — Balancei as mãos no alto fingindo correr que nem louca, fazendo-o rir.

— Vou correr com você.

— Seria um belo casal de loucos correndo.

— Você me lembrou que vamos ter que oficializar nosso namoro.

— Porra... Espero que esqueça isso até o dia.

— Agora que falou eu não vou esquecer.

Revirei os olhos.

— O que foi? Não é tão ruim assim.

— É que você consegue me convencer muito rápido. Pare! Por favor.

Ele riu alto colocando a mão na barriga.

— Acho que agora é só esperar os meninos, né?

— Provavelmente. Vai querer fazer algo durante esse tempo?

Ele apontou pra cama e então deitamos, peguei meu celular pra ver as redes sociais e tive a ideia de ver se estavam falando bem de nós. Entrei em um site que falava de grupos que debutaram recentemente e lá estava o meu e dos meninos, juntos.

Entrei no artigo e pude ver falarem muito bem dos dois grupos, fiquei feliz em saber que gostaram dos dois. Cutuquei Taeh pra ele poder ver também.

— Olhe, estão falando muito bem de nós.

— Eu sei, fico vendo esse site o tempo todo. Aliás, role um pouco mais pra baixo da página.

Deslizei o dedo pelo celular fazendo a página subir e lá falava sobre shipps.

— Mas já estão shippando? Que rápido...

— Pois é, é só olhar.

Ele apontou pra alguns nomes de shipps, tinha dentro do grupo deles e do meu, e entre os dois. Tinha gente shippando o Jimin com Yoongi, com Jungkook ou com o Taeh. Gente shippando Namjoon com o Jin ou Kook (achei que tinha mais sentido shippar com o Jin... Até mesmo eu shippava), gente shippando o Hoseok com o Taeh, Yoongi e... É, nada mais com ele, mas tinha muitos shipps no grupo deles.

No meu grupo era gente ME shippando com a MARTA (POIS É, FOCA NESSA MARTA AÍ) e com a Ana (já que eu não interagia quase nunca com a Thata pelo fato dela conversar só com outras meninas de outros grupos).

E, misturando os dois grupos, tinha bastante shipps. E era o mais certo, nossos grupos interagiam bastante pelo fato de sempre estarmos nos mesmos programas. E os fãs sempre reparam em tudo. Bom, os shipps eram: Jimin com Thata (óbvio) ou com a Ana; Jungkook com a Ana (principal shipp entre todos envolvendo os dois) ou com a Marta, Yoongi era shippado comigo (foi o único shipp hétero que envolveu ele naquele site, o que era bem estranho) e por fim, me shippavam bastante com o Taehyung e com o Yoongi, e vi que parte das pessoas me shippavam com o Hoseok (também achei isso estranho).

— As pessoas enxergam nosso amor, não sei como.

— Sabe que isso são só shipps, não sabe?

— Sei, mas a maioria shippa certo.

— Vendo isso, acho que agora concordo com a ideia de assumirmos nosso namoro.

— Oh, sério? — Ele apoiou a cabeça sobre seu braço, me olhando surpreso.

— Sim.

Ele olhou pro meu celular a ponto de falar algo, mas pareceu prestar mais atenção no celular.

— Ué, tem gente me shippando com a Ana e com a Marta, isso é estranho.

— Até que não é tão estranho, vocês andam conversando bastante.

— Como sabe se quase nunca está com a gente?

— Sabendo. E tem mais, confesso que shippo muito você e o Kook.

Ele deu uma risada irônica.

— Como pode? Eu sou seu namorado, e ele namora a Ana.

— Sei lá... Só sei que shippo muito vocês dois.

— Só você mesmo...

— O que foi? Vai dizer que nunca shippou a pessoa que você gostava com outra?

— É... Sim. Já shippei bastante você com o Kook também.

— Viu? Não sou a única retardada. — Falei rindo.

— E pra piorar e me deixar mais retardado ainda, eu te shippava muito com a Ana.

— SÉRIO? — Comecei a praticamente gritar de tanto rir. — MEU DEUS! VOCÊ É PIOR DO QUE EU.

— Não exagere, tinha meus motivos pra isso.

— Pois é, você tinha, falou certo.

— O que está acontecendo entre você e a Ana? Na nossa última apresentação você a ignorou completamente.

— Não sei... As vezes tento falar com ela, mas sinto algo estranho, como se algo impedisse nós de nos falarmos normalmente. É estranho.

— Não parece que ela sente sua falta.

— Acho que é exatamente isso que me impede de falar com ela. Mas, vamos trocar de assunto, por favor.

Ele jogou a cabeça no travasseiro, começando a brincar com meu cabelo de novo, olhando pro teto.

— Vamos fazer um novo MV.

— Nossa, que legal, quando?

— Mais ou menos daqui um mês, na verdade não está nada confirmado, só estou sentindo.

— Legal...

— Bom, acho que vou pra casa pra não ficar com essa roupa, quero vim mais descente. — Falou largando meu cabelo e se levantando da cama.

— Tem certeza disso?

— Tenho. Eu volto com os meninos, prometo.

— Okay... Tchau.

Ele sorriu e saiu do quarto. Fiquei deitada ainda olhando os comentários sobre nossos grupos. Esperei os meninos por algumas horas enquanto eu só ficava mexendo no celular e nada mais, nem mesmo levantar pra ir ao banheiro ou algo do tipo.


Notas Finais


Tive que cortar o cap no meio pq ficou MUITO GRANDE... Desculpa :c


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...