História Uma menina e seus sete milagres - Capítulo 58


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys, Bts
Exibições 48
Palavras 1.895
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 58 - Medos


Ainda na mesma madrugada de Ano Novo, todos nós saímos pra ir em um morro que tinha ali perto. Luana disse que ia lá sempre quando era pequena, que gostava pq era calmo e nunca tinha ninguém.

— Eu gostava de imaginar histórias super impolgantes comigo e com meu futuro namorado, pensava que teríamos muitas aventuras e no final sempre ficávamos felizes, juntos. — Falou enquanto subíamos o morro. — Também sempre brincava com o Castiel... As vezes eu o trazia junto comigo, e quando era assim, ele era meu "futuro namorado". Confesso que era legal. Meu pai o adorava. Quando meu pai ia junto com nós, ele contava histórias enquanto ouvíamos e olhavamos pras estrelas... Minha infância foi muito boa, sinto falta dela.

Ao final da frase ela sorriu.

— Gostei de saber da sua infância e que a aproveitou.

— Bom, aproveitei até mais ou menos meus sete anos, aí surgiram problemas, como separação dos meus pais e surtos da minha mãe.

— Surtos da sua mãe?

— Pois é, nunca contei isso a ninguém, mas ela tinha muitos surtos quando eu era pequena, foi um dos motivos para meu pai não querer mais ficar junto a ela, ele sempre dizia para mim ficar longe daquela louca, mas eu a amava demais pra poder fazer algo assim. Aí confiei nela e agora estou aqui, neste morro novamente.

— Você acha algo ruim estar aqui de novo? — Jungkook perguntou.

— Não mas... Depois de tudo que passei, é estranho.

Finalmente chegamos ao topo do grande morro e sentamos abaixo de uma árvore. Ficamos iluminados pela luz de lua e aquilo foi aconchegante. Preferi deitar ao invés de sentar, coloquei meus braços por trás da minha cabeça e a escorei, olhando pro céu, sento atrapalhado por algumas folhas, mas que no fim deixavam a paisagem mais bonita.

Luana também deitou, mas por cima de mim. Levei uma das minhas mãos à sua cabeça e fiz cafuné, sabia o quanto ela adorava aquilo.

Vi os outros meninos deitarem também, uns por cima dos outros.

— Vamos fazer um jogo? — Perguntou Yoongi.

— Que tipo de jogo?

— Já que passamos por tantas coisas e nunca nos abrimos pros outros, podemos contar nossos medos ou inseguranças, seria bom pra nos conhecermos melhores.

— E quem começa?



— Quem estiver disposto.

Um silêncio constrangedor tomou conta do local. Eu sabia que era difícil pra todos, apesar de morarmos juntos e nos conhecermos a tanto tempo (eu e os meninos), nunca compartilhamos nossos medos, muito menos inseguranças, só coisas pequenas, como dúvidas e incertezas. Por exemplo, "o que devo fazer se tal coisa acontecer?". Nada nunca relevante que mostrasse muito sobre nós.

Vi Namjoon levantar a mão primeiro e falei para ele começar.

— Hm... Não sei como começar, é difícil falar.

— Se não quiser, pode guardar para si.

Ficamos quietos por um minuto, até ele começar.

— Desde antes do debut, tenho medo do que as pessoas possam pensar sobre mim quando eu assumir que sou gay e que namoro o Jin.

— Saiba que vou te apoiar, não importa o que aconteça. — Jin falou.

— Eu sei mas... Tenho medo de não gostarem mais de mim. Muitas pessoas são preconceituosas com essas coisas... Me importo bastante com isso, seria horrível ver comentários maldosos sobre mim.

— Sempre vão ter pessoas que fazem comentários maldosos sobre nós, Namjoon, temos que nos acostumar e nos esforçar mais para alegrar a quem realmente nos ama. — Falei o olhando.

— Obrigado...

Esperamos o próximo, até que Yoongi levantou a mão. Fiquei um pouco surpreso, confesso.

— Não sei se as nossas fãs gostam do que faço e de quem sou, sempre pareço quieto e emburrado nas gravações, mas é pq nunca tenho assunto. Quero fazer tudo perfeito, eu seria capaz de gravar uma cena duzentas e cinqüenta vezes ou mais para fazer mesmo perfeito. Mas acho que não está dando certo.

— Yoongi... Eu vi hoje, ou ontem, tanto faz, um site que falou sobre nosso grupo e, tem muitos comentários bons sobre você. Eles te amam, não tenha dúvidas disso. — Luana falou.

— Sério?

— Sim... Comentários que até fiquei com inveja.

— Nossa... Bom... Mesmo assim, tenho um pouco de medo.

E mais uma vez, silêncio total, até Jin levantar a mão.

— Tenho o mesmo medo do Nam, mas também tenho medo de não poder mostrar como realmente canto. Meu cargo é ser Vocalista de Apoio, mas me sinto mal com isso.

— Senhor Kim Seokjin, saiba que sem você nas músicas, iria fazer falta. Eu sinto isso. Você tem um grande trabalho, deve se orgulhar dele. — Nam falou, que estava por cima de Jin.

Luana levantou a mão logo depois. Eu estava disposto a ouvir tudo o que ela tinha para falar.

— No meu grupo tem gente que não me dou tão bem, na verdade, ultimamente não ando me dando bem com ninguém, mas desde o começo nunca falei normalmente com a Thata com com a Marta, e sei que elas são as favoritas do nosso grupo. Vi isso no site. Não quero ser esquecida no grupo e só ser uma integrante qualquer, quero deixar minha marca e depois de alguns anos me verem e perguntarem "Você não era integrante de tal grupo bem conhecido?". Me sentiria orgulhosa por lembrarem de mim.

Ela suspirou no fim de seu discurso. Não sabia que ela se importava tanto com algo que poderia acontecer com qualquer um de nós, me senti mal por isso.

E Hope deu sua primeira fala.

— Luana... Você pode até não ser lembrada por outras pessoas, mas você deixou a sua marca nas nossas vidas e sempre lembraremos de você, seja lá o que aconteça.

— Você tem algum medo, Hoseok?

— Por enquanto, não. Estou satisfeito com meu trabalho.

— Você tem, Oppa?

Engoli em seco, pensando no que diria.

— Tenho, na verdade eu tinha. Por enquanto está tudo bem.

Pois é, eu menti. Eu tinha medo sim, de me forçarem a fazer algo que não queria, ser alguém que não fosse eu mesmo, não poder demonstrar meus verdadeiros desejos e decepcionar minhas fãs.

A única coisa que eu não queria era me abrir, poderia muito bem guardar tudo aquilo para mim mesmo.

— Hm... Okay... E você, Jungkook?

— Tenho medo de não poder fazer nada para que vocês não tenham medo. Eu não tenho medo de nada, não tenho problemas sobre mim mesmo, meu único problema é ver vocês tristes e cheios de medos e inseguranças.

— Jeon Jungkook, não precisa se importar tanto com a gente. — Falei dando uma pequena risada.

— Mas eu me importo, e é a única coisa que me machuca.

— Se beijam logo pelo amor de Deus. — Luana falou, estragando completamente o clima triste que tinha.

Kook ficou confuso.

— O-O que?

— Essa menininha aqui disse que sempre shippou a gente.

Falei apontando pra Luana e ela cobriu o rosto enquanto ria. Jungkook começou a rir também.

— Isso não faz sentido, eu namoro e ele também, e com você! Como pode?

— Eu sei lá, só sei que shippo muito vocês dois.

Todos começaram a rir, era incrível como ela podia me shippar com o meu AMIGO e ainda eu sendo namorado DELA!!

— Confesso que sempre shippei!

Olhei pro Hope, que sorriu ao ver a forma que eu o olhei.

— Pensei que eu era o único. — Jimin disse.

Meu Deus...

— Dá pra vocês pararem? Eu sou hétero, Luana é minha... Sei lá, não contei meu número de namoradas.

— Segunda? — Perguntou Luana, debochando.

— N-Não! Eu já tive mais.

— Só se foi aqueles namoricos de colegial.

— Já tive outros namoros sérios! Só não duraram tanto, como o da Thata. E você? Só teve o Max e depois eu.

— Uh... É pq eu tinha medo.

— O Jungkook até poderia ser gay, nunca teve um namoro sério na vida, só com a Ana.

— Ei! Você sabe, já gostei de outras garotas. — Protestou.

— Não tenho tanta certeza. E aquele cara, super amigo seu, da quinta série?

Jungkook gaguejou um pouco.

— E-Ele era s-só um amigo.

— Se gaguejou tá mentindo! — Yoongi acusou.

Acho que Kook preferiu ficar quieto, pois não retrucou mais.

Fiquei mexendo meus dedos pelos cabelos lisos da Luana. Ela se virou pra mim, sorrindo e logo perguntando.

— Gostou de ficar aqui?

Fiz que sim com a cabeça.

— Deveríamos vir aqui mais vezes.

— Que tal um dia só nós dois?

— Aceito.

Ela fechou os olhos, deixando cair sua mão que estava por cima da minha barriga. Parecia um bebê. Bom, algumas vezes não.

Virei o rosto pro Jin, que estava com os olhos fechados e cochichei.

— Acha seguro ficarmos aqui?

Ele abriu os olhos e olhou para mim.

— Acho que sim, não trouxemos nada mas seria uma boa ideia passar a noite.

— Okay.

Seria uma noite fria, eu já estava arrepiado pelo leve vento que tocava minha pele.

Segurei a cabeça de Luana e me sentei, a pegando no colo e me arrastando até chegar ao tronco da árvore. Me escorei lá, colocando ela por cima de mim com delicadeza, botando sua cabeça em meu peito e a olhando.

— Oppa... — Gemeu baixinho.

Ela com certeza não deveria ter feito isso.

— O que foi?

— Estou com frio.

Sua voz saía baixinho e aguda. Olhei pro Yoongi, que usava um casaco de couro, chamei sua atenção e pedi o casaco. Ele jogou o casaco e eu o peguei, colocando sobre Luana. Ela se aconchegou mais em mim.

Coloquei minhas mãos por cima do seu corpo, a puxando mais pra cima e apoiei meu queixo em sua cabeça. Ela envolveu suas pernas e braços por volta do meu corpo, me apertando forte.

Era incrível sentir seu aperto. Em todos os sentidos.

Mexi mais em seus cabelos, puxando uma mecha roxa e colocando sobre a luz só para poder apreciar mesmo. Eu amava mexer em seu cabelo, era tão, tão lindo.

 Olhei pro lado, vendo Jimin sobre Yoongi, nos olhando. E cochichando, perguntei.

— Jimin, você não falou nada sobre seus medos até agora, aconteceu algo?

— Não... É pq não tenho medos.

— Confesse, todos tem, até mesmo Hope.

Ele suspirou alto até falar.

— Tenho muito medo de não poder deixar minhas fãs satisfeitas. Também olhei o site e pelo o que vi a maioria só reparou na minha barriga. Confesso que gostei de mostrar que tenho um bom corpo mas... Não era isso que eu esperava. Quero mostrar mais,  mostrar que posso cantar bem.

Me senti mal por saber daquela informação.

— Você canta bem e eu sei que tem fãs que não repararam só na sua barriga, mas principalmente na sua voz. Sua voz é linda, ninguém seria capaz de não dar atenção a ela, quantas pessoas já te elogiaram apenas por cantar?

— Muitas...

— Então, acalme-se, é apenas o começo, você vai conseguir o que quer.

Fizemos uma pausa, Jimin parecia absorver minhas palavras.

— Acho que tem razão... Obrigado.

Sorri ao ver que tinha o convencido, não queria que ele continuasse preocupado com aquilo.

Acabei caindo no sono, escorado no tronco da árvore, com minha mão sobre a cabeça de Luana.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...