História Uma Noite... - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Tao
Tags Kaisoo, Menção Chanbaek, Menção Jookyun
Visualizações 17
Palavras 1.395
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, tudo bom com vcs? Eu tô ótima! Ainda mais lançando esse capítulo ( tá meio parado mas, fazer o que? Eu gostei dele demais!) Que me deu muito trabalho de escrever, eu tive que rabiscar uma folha inteira por causa do roteiro paradão! É cá estou eu, reescrevida e cheia de animação.
Béjus, #NTigre
Ps.: por favor gente! Alguém conhece uma pessoa que pode fazer uma capa pra mim????

Capítulo 2 - Conquistado? Nunca!


                       Uma Noite...

●○● Capítulo 2 ○●○

A mulher estava em frente à enorme parede de vidro, recebendo sobre seu corpo escultural os raios solares, que davam destaque a beleza da cena que o platinado estava vendo.

A Ômega reconhecendo seu cheiro másculo e sentindo a aproximação do maior, esticou seu braço. Sua mão foi pega por ele, que com seu outro braço enlaçou a cintura delgada da morena, que estava completamente nua.

Sentiu seu cheiro da mão até o pescoço e beijou o local, sentindo a pele da menor de arrepiar.

_ Kai..._ gemeu a morena, respirando pesadamente_ nós temos muito tempo, seria muito bom passar no aeroporto para mostrá-lo aos meus pais, porque você sabe! Eles estão vindo pra me visitar, e..._ fora cortada pelo moreno.

_ Precisa ir embora_ disse simplista se afastando do corpo da menor, que estava chocada. Se virou e segurou o homem pelo paletó.

_ Não pode fazer isso comigo!_ respondeu-lhe raivosa. O maior rebateu com indiferença.

_ Cale a boca, e vá embora. O que temos é apenas casual, não queira que eu acabe com tudo isso por causa dos seus motivos fúteis, Jennie_ A Ômega estava de boca aberta. Seus sentimentos pelo Alfa foram pisados pelo mesmo ao dizer que o compromisso que queria consigo era apenas um capricho seu. Todos os sonhos, já tinha pensado no casamento, na lua de mel, nos filhotes que teriam, talvez fosse muito presunçoso da sua parte, mas não pode evitar! Quando viu seus braços fortes, as palavras insignificantes que ele lhe falava, mas que aos seus ouvidos pareciam palavras de amor, não resistiu ao que ele lhe propôs.

Virou a mão em direção ao rosto dele, mas fora parada antes que conseguisse estapeá-lo como tanto desejava naquele momento.

_ Eu não quero mais! Você só quer me usar para quando estiver entediado, não sou um brinquedo!_ e se pôs a catar suas vestes pela grande e luxuosa cobertura. Decorada em tons frios e cinza, com peças artesanais caras, umas com formas modernas e mais grosseiras, outras mais antigas e delicadas, estas que não foram poupadas ao ser lançadas pela mulher em direção ao mais velho, que logo se esquivou e viu o pequeno vaso se estilhaçar ao ir de encontro com o vidro blindado.

O furor do Alfa era muito evidente, caminhou em direção a Ômega e agarrou seu braço, lançando-a para fora de sua moradia.

Sentia a gota fria de suor descer pela sua testa, havia se controlado bastante para não para não bater na mulher.

Desceu para o subsolo pegando um de seus conversíveis e dirigiu em direção oposta a sua empresa.

Faria uma visitinha a empresa do seu amigo.

○●○●○●

LuHan era um amigo para todas as horas. Bom... pelo menos era isso que KyungSoo queria que seu amigo fosse naquele momento.

Fazia minutos que procurava a bendita gravata, mas não a achava, e o de cabelos róseos só lhe mostrava seus chupões recém-adquiridos e falava o quanto o tal do SeHun era quente.

_ Lu...

_ Hum...?

_ Vai pra puta que te pariu!_ disse o menor lançando uma de suas meias na direção do mais velho.

_ Me respeite, garoto! Tu tá achando que é quem pra ficar me batendo?

_ LuHan... cala a boca! Só quero encontrar a merda mesa da minha gravata, mas você não está me ajudando em nada!_ O mais velho colocou as mãos no peito e fez cara de indignação.

_ Você não merece, mas mesmo assim vou te dar uma dica: vai assim mesmo, querido. Você com essa gravata e paletó fica com um ar pinguenês! Desse jeito você fica mais bonito_ disse dobrando as mangas da blusa social branca que o menor usava, junto com a calça preta bem modelada em seu corpo, os sapatos sociais de couro envelhecido, cabelos num topete jogado para o lado, e o rosto limpo.

_ Será? Acho que não, Hyung! Estou muito informal, é melhor eu colocar ao menos o paletó e-

_ Cala a boca, Kyung!

○●○●○●

Os dois carros estacionaram ao mesmo tempo, ambos indo para lados opostos. Subiram em elevadores diferentes, andaram por caminhos diferente, e nem sequer pensaram na probabilidade de estarem tão perto um do outro sem saberem.

O moreno baixinho resolvia assuntos pendentes da empresa, enquanto o moreno platinado conversava fiado com ChanYeol, marcando de sair para beber ou, talvez, algo mais caseiro, mas logo o assunto foi trocado.

_ Seu ex-marido... vi ele na festa_ se é que aquilo dava pra se chamar de festa. O orelhudo ficou desconcertado, KyungSoo não era seu assunto preferido a se tratar, mas parecia que seu amigo queria saber mais sobem o pai de seu filho.

_ É... ele estava lá. Não me deu nem um oi!_ riram juntos. ChanYeol estava tentando descontrair, mas para a sua infelicidade o moreno não ia parar.

_ Vocês se amavam? Digo, quando eram casados?_ o maior coçou a cabeça.

_Olha... nunca o amei! Era mais carnal, sabe? Claro que você sabe, só anda no puteiro! Mas eu gostava da conversa dele, controlada mas com bom humor!_ respondeu o mais velho com um olhar nostálgico.

_ Mas como ele era?_ a curiosidade que tinha estava o sufocando, precisava saber mais como era o baixinho, queria saber o que fazer, para não cair no erro novamente.

_Acho que está querendo saber demais, senhor Kim JongIn _ as sobrancelhas do mais velho se levantaram com um olhar brincalhão, que logo se tornou um olhar acusador_ Você quer tentar levá-lo pra cama? HA! Você quer!_ o orelhudo riu do amigo, segurando com força a barriga, mas o Moreno não estava achando nada daquilo engraçado.

_ Não estou te entendendo, senhor Park ChanYeol! O que é tão engraçado?

_Você vai se apaixonar!_ o platinado ergueu a sobrancelha, pronto para gargalhar da infâmia que seu amigo disse, mas fora cortado_ Sério! Você acha mesmo que pode chegar nele e pá? Claro que o cabeça dura não vai deixar! Você teria que conquistá-lo, e nisso daria em romance. Primeiro, Porque você é orgulhoso, mas se fosse dispensado você já estaria em outra_ farejO o ar sentindo o cheiro de seu amigo mesclado com outro enjoativo_ Pelo visto isso você já fez, mas... foi nele em que você pensou, não é?!_ um sorriso maroto cresceu nos lábios do mais velho.

_ ChanYeol, vai se foder! Eu talvez queria mesmo transar com ele mas, me apaixonar? Como um cosplay de coruja conseguiria me enfeitiçar?_ ChanYeol riu do amigo.

No outro lado da porta, KyungSoo apertava seus papéis contra o peito, sufocando a vontade esmagadora de mandar seu chefe e o platinado pro inferno mas, se conteve, batendo na porta do escritório. Ouviu a voz grave do orelhudo.

_ Pode entrar!_ Sabia que era KyungSoo, pois ele era o único que podia lhe invadir ou bater na porta sem ser anunciando pela secretária, isso, claro, sem contar com BaekHyun.

_ Aqui está os papéis Sr. Park_ se sentiu secado por olhos que não continham pudor_ Ah! O... senhor por aqui?! É bom lhe ver, Sr. Kai_ disse sem emoção mas, na verdade queria tirar o sorrisinho presunçoso daquele moreno maldito.

_ Oh, não será só bom, quanto prazeroso lhe ver, Sr. Do !_ se insinuou para o mais velho. KyungSoo não se deu o trabalho de responder o Alfa, o ignorou e disse a ChanYeol:

_ Se o senhor precisar de mais alguma coisa me chame_ e se retirou do escritório. O orelhudo para zombar do amigo disse:

_ Eu preciso, ou melhor... O JongInnie precisa! _ e riu. Kai lhe socou o braço e sentou de volta em sua cadeira.

_ Você é otário, ou só se faz mesmo?_ o mais velho seu língua_ Vamos, me fale qual é a sala que o KyungSoo trabalha!

_ Não quero ninguém de safadeza com ninguém aqui na empresa. Lembre-se, aqui é um lugar de respeito!_ franziu o cenho tentando parecer sério mas, o mais novo sorriu sacana.

_ Como se você e o BaekHyun não fizessem nada aqui dentro desta sala.

_ Olha como fala comigo, rapaz. Exijo respeito!_ ChanYeol e JongIn logo riram.

_ Vamos, apenas me diga logo, porra!

O orelhudo negou lhe dizer aonde o pequeno trabalhava, então decidiu se retirar e passear pela empresa.

Seguiria o Ômega até sua casa e ia se impor.

   Bom mas, não deu muito certo...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...