História Uma noite de crime: A vingança - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Uma Noite de Crime (The Purge)
Personagens Personagens Originais
Tags Uma Noite De Crime
Exibições 12
Palavras 1.019
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Estupro, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Falei que iria sair hoje não falei? Saiu, dessa vez explicando o porque tudo aconteceu!

Capítulo 2 - 2


---- John, vá verificar o que foi esse barulho. - Tirou a faca do pescoço de Elisa e apontou para a janela - 

---- Droga chefe! Explodiram um dos nossos carros, parece que é aquela outra gangue.  

---- Vamos ter que cuidar disso. - Com uma cara de decepcionado ele se veste novamente e corta o pescoço de Elisa - 

A mulher logo atrás é jogada no chão feito uma boneca, engatinhou até a moça com a garganta cortada, e tentou salvar sua vida estancando o sangue. Infelizmente, a mulher, estava muito ferida em decorrência do que tinha passado e desmaiou por cima de Elisa.  

O policial começa a se mexer, felizmente, já que estava com colete a prova de balas, também disponibilizado pelo governo, com fortes dores no corpo olha ao redor sem entender nada do que estava vendo, colocou sua mão sobre as costas de sua namorada, numa tentativa de fazer carinho, sem saber que ela já estava morta, e tenta se lembrar do porque que tudo tinha acontecido. 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 

Voltando no Tempo 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 

---- Atenção soldados, temos uma denúncia de que está acontecendo um tiroteio na cidade de Palhoça, aparentemente é uma disputa por drogas, quero que seja uma operação sem mortes, então cuidado com onde atiram e se protejam. Vão! 

---- Sim senhor!! - Todos os soldados responderam juntos, antes de entrarem nos carros da policia - 

Os carros foram todos divididos em duplas para que pudessem circular por maiores áreas. Dois amigos, Guilherme e Joni, ficaram no mesmo veículo, e durante todo o caminho ficaram conversando, após meia hora eles chegam ao seu local. Param o carro em frente ao supermercado, segundo a denúncia os tiros estavam vindo do bar em frente. Ambos saem do veículo e vão em direção à loja para saber se alguém de dentro estava ferido ou algo do tipo. 

---- É a policia! - Guilherme falou batendo na porta – Precisamos verificar se tem alguém ferido! 

---- Vão embora ou todos que estão aqui dentro irão morrer – Uma voz vindo de dentro começou a gritar - 

---- Droga, não era uma disputa por drogas, era um assalto. - Joni falou puxando sua arma do cinto - 

---- Parece que sim... Mas e os tir... 

Uma voz pedindo por socorro veio do estacionamento interrompendo a fala de Guilherme. Então Joni foi verificar. Após andar um pouco encontrou um rastro de sangue indo para trás de um carro e, então, viu que era um segurança ferido. 

---- Ei ei ei, não se mexa e nem fale muito. Meu nome Joni, sou um soldado da polícia militar, preciso que me responda, quantos homens são?  

---- São tr... três pessoas, mas eu levei um tiro pel.... pelas costas, então --- Deu uma breve pausa para puxar um pouco de ar – eu acho que são 4.  - Respondeu com imensa dificuldade - 

---- Muito obrigado por sua ajuda, agora descanse vou chamar ajuda. 

'' Aqui é o soldado Joni do águia 1, temos novas informações não é um tiroteio é um assalto em um supermercado e temos um homem ferido. Repetindo temos um homem ferido" 

Em resposta: 

'' Atenção, aqui é o soldado Marcelo do águia 2, estamos juntos com o águia três e quatro, estamos entrando em conflito com traficantes da região. Assim que possível mandaremos ajudo. '' 

---- Parece que estamos sozinhos... – disse Joni – agora qual é o plano?  

---- Vou enrolar o cara aqui, verifique por trás, se tiver uma entrada me avise, pegue isso aqui – Guilherme tirou um silenciador do bolso – vai ser melhor se eles pensarem que sou só eu aqui. 

---- Pode deixar. - Começou a correr para os fundos - 

---- Aqui é a polícia, quero resolver tudo sem problemas, preciso saber se tem algum homem ferido. 

----  Tem um homem ferido sim, ele tomou um susto caiu e bateu a cabeça, mas já estamos cuidando disso.  

---- Que bom que estão cuidando. - Respirou fundo – São quantos refé... 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 

Visão de Joni 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 

Após dar uma volta o soldado encontrou uma entrada por onde recebiam os produtos. Com a arma na mão ficou andando pelos corredores até achar onde estavam os bandidos. 

Dois bandidos vigiavam os reféns enquanto, outro negociava com Guilherme e outro cuidado de um refém ferido.  

---- ''Gui, estou dentro e vejo todos os reféns...'' - Uma pausa aconteceu - 

---- ''Joni? Joni? Na escuta? Joni responda!'' - Guilherme um pouco furioso começa a se exaltar – Continuando, são quantos reféns? 

---- São 10 seu policia. Estamos dispostos a liberar as crianças. 

---- ''Gui, voltei, me assustei aqui, dois reféns, um homem e uma mulher, estavam escondidos e me encontraram. - Continuem enrolando ele, vou pegar um dos caras. '' Eu tenho um plano para pegar um dos bandidos - Começou a explicar para eles o plano - Vocês têm que chamar a atenção do bandido que está cuidando do refém ferido. - Mal terminou de falar e aquelas duas pessoas já estavam realizando o plano - 

Ambos andaram até a frente de um dos corredores e falaram: 

---- Estavamos escondidos e resolvemos nos entregar nos desculpe. 

O bandido caiu na mosca, foi andando na direção do casal quando chegou perto o homem deu um soco no bandido e eles saíram correndo. Com raiva, o assaltante, foi correndo atrás deles, o casal parou em frente a parede perto da saída, esperando o bandido. Quando ele menos esperava é surpreendido por Joni que começa a entrar em confronto com ele. Após alguns socos, o bandido caí no chão, o soldado bate com a parte de trás da arma na cabeça dele, fazendo-o desmaiar, arrastou ele para um canto e trocou de roupa.  

Agora já disfarçado ele, ele manda o casal sair pelo mesmo caminho pelo qual entrou, e foi em direção aos reféns. Chegou direto para aquele que estava ferido: 

---- Ei senhor. Você está ferido? 

---- Porque ta me perguntando isso seu bandido de merda? 

---- Eu sou um policial, acabei de prender aquele outro homem, fique quieto vou te levar aos outros. - E assim foi, levantou  velho e deixou junto com os outros.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, deixem seus comentários e até breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...