História Uma Noite Inesquecivel - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Jean Kirschtein, Marco Bott
Tags Jeanxmarco
Exibições 63
Palavras 3.476
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OIII, olha isso aqui é yaoi, pra que não gosta desculpa, mas apenas de meia volta e volte a fazer qualquer coisa, ams não vai ficar me criticando, apenas por que amo yaoi. Obrigada, de nada.


PS: Gomen se não ficar bom é minha primeira fic com dois hentais. E também faz uns dois anos que não escrevo lemon



PS 2: Não me matem pelo final ok?



Mas...



BOM LEITURA MINNA^^

Capítulo 1 - Capitulo Único


Fanfic / Fanfiction Uma Noite Inesquecivel - Capítulo 1 - Capitulo Único

POV’S Jean on

Eu estava dormindo quando o Jeager me liga.

LIGAÇÃO ON

Jean – VIADO EU ESTAVA DORMINDO PRA QUE ME LIGAR.

Eren – Primeiro quem dorme até às quatro da tarde?

Jean – Eu com licença

Eren – Eu mereço – Ele bufou do outro lado - Segundo viado é você, não sou eu que estou apaixonado por um homem, terceiro eu estou namorando a Mikasa mais um motivo pra eu não ser viado e quarto hoje é aniversario dela e quero fazer uma festa surpresa para ela aqui em casa, topa vir aqui?

Jean – Não to muito afim.

Eren – O Marco já confirmou que vai estar aqui.

Jean – Que horas mesmo? Precisa levar presente pra ela?

Eren – Uhn...  Seis horas e traz se quiser.

Jean – Ok

LIGAÇÃO OFF

Depois de Eren desligar eu corri para o banheiro tomei um banho quente e demorado, era a minha chance de me declarar para o marco, quando sai olhei no relógio e vi que já eram cinco da tarde. Corri até meu guarda roupa vesti uma camisa branca com uma jaqueta marrom com fundo vermelho. Peguei as chaves da moto ao lado da cama, meu celular e fone e me direcionei a casa de Eren.

Mesmo eu não gostando de lugares cheios, nem barulhentos apenas por Marco estar lá eu vou, apenas para ficar perto do meu sardentinho, sim ele é meu e mais de ninguém. Sai desses pensamentos por perceber que eu já havia chegado à casa de Eren, quase tudo estava escuro, provavelmente por que ele queria fazer uma surpresa à Mikasa. Ignorei tocando a campainha. Alguns segundos depois Eren me atendeu, ele parecia feliz com alguma coisa, mas novamente eu ignorei.

Eu entrei na casa de Eren e fiquei esperando até dar a hora, ele disse que pediu Marco para distrair Mikasa para que ele pudesse arrumar as coisas então ele só chegaria quando Mikasa chegasse.

Depois de alguns minutos que para mim pareceram horas Eren nós avisou para nos escondermos, como eu amo me esconder, só que não eu simplesmente fui para trás do sofá quando ouvi a porta se abrindo lá estava ele, lindo como sempre. Todos pularam de seus esconderijos, mas eu apenas fiquei observando Marco. Meu Deus como uma pessoa pode ser tão linda assim?

Seus cabelos castanhos escuro estavam espetados enquanto ele usava um moletom com as mangas beges e o tronco vermelho com uma calça jeans escura (N//T imagem da capa) e um all-star branco com dourado. Simplesmente maravilhoso.

Eu iria ir até ele, mas uma garota chamada Ayla começou a dar em cima do meu Marco, eu via que ele estava incomodado com aquilo, então eu andei até ele ouvindo o que ela estava falando.

Ayla – Ei Marquinho, vamos ali, por favor.

Marco – Não... Ayla eu... – Marco olhou para mim – Eu tenho que resolver uma coisa com Jean certo?

Jean – Ah claro, eu já estava te procurando – Quando a gente já estava um pouco longe de Ayla Marco se pronunciou.

Marco – Obrigado de verdade Jean, você me salvou.

Jean – Por quê?

Marco – Bem… Eu. Quer saber, deixa.

Jean – Ei Marco eu queria te dizer uma coisa.

Marco – Pode dizer...

Jean – Não aqui – Eu puxei Marco até o jardim – Marco eu vou ser direto. EUTEAMO – Falei rapidamente e extremamente corado.

Marco – Jean eu não entendi...

Jean – Marco, talvez você ache isso estranho, mas eu te amo desde que a gente era criança e... – Fui interrompido sentindo os lábios de Marco pressionados sobre os meus.

De inicio eu fiquei surpreso, mas logo me entreguei ao beijo, Marco explorava a minha boca em um beijo feroz, mas logo tivemos que nós separar pela falta de ar.

Marco – Você não precisa dizer mais nada, eu te amo Jean.

Com aquelas simples palavras eu fiquei muito feliz. Puxei Marco o deixando novamente e logo depois ele me mandou um sorriso malicioso e eu recebi a mensagem respondendo sorrindo malicioso também.

Subimos em minha moto e corremos para minha casa.

POV’S Jean off

POV’S Autora on

Assim que Jean e Marco chegaram à casa do moreno o sardento o jogou no sofá dando chupões e em seu pescoço ouvindo Jean dando suspiros. Marco sorria a cada suspiro do amado. Jean empurrou um pouco Marco para retirar sua camisa. O garoto tirou tanto sua camisa quanto a do sardento e as jogou em algum canto da sala.

Marco sorriu vendo Jean se virar ficando por cima dele indo em direção à sua calça. O moreno rapidamente jogou a mesma longe vendo o membro de Marco já duro.

Jean – Já está assim Marco? – Perguntou malicioso indo em direção ao membro de Marco.

Sem nenhum aviso Jean praticamente engoliu o membro de Marco o fazendo arquear as costas de prazer, ele ia devagar para irritar o moreno, o que funcionou. Marco pegou os cabelos do castanho o fazendo engolir seu membro por completo, Jean fazia movimentos rápidos e o que ele não conseguia colocar em sua boca o mesmo usava suas mãos para fazer o serviço. O garoto para provocar mais ainda seu amado ele começou a lamber de leve ao redor do membro de Marco ouvindo seus altos gemidos roucos.

Marco – Porra, Jean. AHHH.

Jean se excitou mais ainda ouvindo Marco gemendo seu nome, seu membro já estava se espremendo dentro da calça, então o mesmo rapidamente a rasgou juntamente com sua cueca fazendo o moreno se surpreender. Jean sorriu malicioso e continuou chupando o membro de Marco até sentir sua boca ser preenchida pelo quente liquido do moreno. O mesmo engoliu tudo olhando para Marco sorrindo malicioso.

Jean – Acho que já está na hora certo Marco?

O moreno assentiu ainda sorrindo e se sentou no membro do castanho, Jean viu lagrimas nos olhos de Marco, o castanho o beijou apaixonadamente limpando suas lagrimas.

Depois de alguns segundos, Jean sentiu Marco começar a se mexer calmamente, ambos gemiam baixo, Marco começou a arranhar o peitoral de Jean, o mesmo não sentia dor, mas sim apenas se excitava mais. Não se contendo o castanho jogou o moreno no sofá o penetrando fortemente fazendo os dois gemerem alto. Jean penetrava Marco sem nenhuma piedade arrancando altos gemidos do mesmo. Marco arranhava o sofá inteiro enquanto Jean dava alguns chupões em seu pescoço.

Marco – Jean... Mais – Gemeu.

Jean – Com prazer – Falou malicioso se excitando por ouvir o moreno gemer o seu nome.

O castanho aumentou a velocidade e força das estocadas fazendo ambos gemerem alto. Jean percebendo que marco iria gozar apenas aumentou a força das estocadas, algumas estocadas depois ambos gozaram chamando o nome do outro.

Jean se jogou no sofá sentindo Marco deitar sobre si sorrindo. O motivo do sorriso? Ambos sabiam que se amavam.

POV’S Autora off

POV’S Marco on.

Eu acordei sentindo uma superfície meio musculosa, mas aconchegante em baixo de mim e braços fortes rodeando minha cintura, abri meus olhos vendo Jean dormir calmamente flashs da noite anterior passaram diante dos meus olhos me fazendo sorrir.

Então ele também me amava não é? Sim ele me ama. Eu sorri novamente e saí calmamente dos braços do meu castanho, mesmo estando confortável eu sabia que ele não cozinhava bem, então nada mais justo do que eu fazer um café da manhã para nós dois.

Eu estava terminando de fazer os waffles quando sinto dois fortes braços me rodeando e logo ouvi Jean sussurrando em meu ouvido.

Jean – Eu acordei assustado.

Marco – Por quê?

Jean – Eu pensei que tudo que a gente tinha feito ontem tinha sido mais um sonho meu e que você não me amava.

Marco – Jean – Eu o chamei colocando os pratos com waffles em cima da bancada e me virando pegando seu rosto delicadamente – Não duvide que tudo que aconteceu ontem foi um sonho. Aquele foi a noite mais especial da minha vida. Com certeza foi a nossa noite inesquecível.

Jean sorriu e eu dei um leve selinho no mesmo colocando nossos pratos na mesa, o café inteiro eu fiquei com meus dedos entrelaçados com os de Jean. Depois que ele me ajudou a arrumar tudo na cozinha eu fui dormir mais um pouco com ele, porque eu estava realmente muito cansado.

Quando eu acordei percebi que Jean não estava ali, eu achei que tudo era um sonho, mas eu ouvi a porta sendo aberta revelando meu castanho com alguma coisa escondida atrás das costas.

Jean – Tenho um presente pra você Marco e bem... – Ele foi interrompido por um pequeno miado – Tcharam – Falou mostrando um pequeno filhote de gato com os pelos branco e marrom e os olhos em um tom de verde bem escuro.

Marco – Jean isso é...

Jean – Eu sabia que seu animal preferido era gato, mas não sabia se havia mudado, mas eu vi esse gatinho tão lindo quanto você e resolvi lhe dar como presente juntamente com mais uma cosia... – Ele disse pegando uma caixinha de veludo preta – Marco Bott, você aceita namorar comigo?

Marco – Jean isso é serio? Eu... Eu... É claro que eu aceito – Eu disse me jogando nele e dando vários beijos em seu rosto.

Jean – Hahaha – Deu algumas risadas – Neh, como vai chamar o gatinho?

Marco – Ajacks!

Jean – Ué, por quê?

Marco – Quando eu tinha treze anos eu tinha um gato com esse nome, mas ele fugiu.

Jean – Entendi...

Marco – E ele era igual esse, mas ele já estava velhinho.

Jean – Então agora você tem o Ajacks segundo.

Nos demos uma risada e eu senti Ajacks me pedindo carinho, então eu o peguei o colocando em meu colo sorrindo.

POV’S Marco off

***QUEBRA DO TEMPO***

POV’S Jean on

Fazia mais ou menos quatro anos que eu e Marco namorávamos. Nos dois compramos uma casa juntos há uns três meses e bem... Eu estou pensando em pedi-lo em casamento, não, pensando não. Eu vou pedi-lo em casamento.

Nesse momento eu estou na joalheria procurando um anel tão único quanto Marco, a atendente não parava de me paquerar com frases tipo “Tão novo pense melhor sobre casamento gatinho” ou “Quando sua noiva não te fizer bem me chama ok?”. Aquilo estava me dando raiva e quando ela me veio com outra cantada eu apenas disse.

Jean – Garota eu não tenho noiva nem namorada! Eu namoro um garoto! Ok? Obrigado, de nada.

A atendente me olhou incrédula e foi atender outro pobre coitado. Eu não estava achando nada quando de repente me vejo na frente de um anel lindo, e ele era o único que havia ali que era daquele jeito. Ele era de ouro com um diamante azul encrustado e dentro do mesmo havia vários cristais coloridos. Eu sorri escolhendo aquele e me deparei com um colar onde podia se encrustar alguma mensagem e colocar três fotos dentro.

A mulher encrustou em um anel: Marco e no outro: Jean. Eu pedi o colar onde ela encrustou Jean e Marco e eu pus a foto de quando adotei Ajacks com o mesmo dormindo sobre Marco enquanto eu o abraçava.

Jean – Pronto... Agora só falta levar para o Marco e torcer para ele aceitar – Sussurrei subindo em minha moto indo em direção a minha casa.

Assim que entrei em casa eu percebi que Marco estava no nosso quarto e eu agradeci mentalmente por isso, peguei meu celular reservando o restaurante favorito do meu moreno e subi para nosso quarto o encontrando dormindo calmamente abraçado em Ajacks. Às vezes eu sinto ciúmes desse gato, pensei suspirando e entrando no closet para arrumar meu blazer, queria impressionar Marco naquele dia especial.

Quando saí preparei tudo percebendo que já estava escurecendo eu o acordei com alguns beijos em seu rosto, quando o meu moreno abriu os olhos ele sorriu.

Jean – Neh Marco se arrume vou te levar em um lugar especial hoje.

Marco – Uhn... Tudo bem né?

Ele entrou no banheiro enquanto eu arrumava a roupa dele. Quando terminei eu entrei no banheiro percebendo que Marco ainda tomava banho na banheira, não liguei apenas me despi e entrei na banheira com o mesmo. Meu moreno se surpreendeu, mas logo depois se acalmou percebendo que era eu. Nos dois demoramos um pouco no banho, pois ficamos trocando beijos e caricias.

Assim que saímos nós vestimos as roupas que eu havia separado, deixei meu cabelo natural, pois sabia que ele gostava assim e passei o seu perfume favorito. Quando terminei eu desci para verificar os presentes de Marco com a desculpa que iria tirar a moto. Liguei para o restaurante e as joias estavam guardadas e se eles se lembravam de quando era para levá-la na mesa. Após confirmarem tudo eu peguei minha moto esperando Marco. Assim que o mesmo saiu de casa eu percebi o qual sortudo eu sou. Ele estava com um blazer vermelho, uma blusa social preta, calça jeans escura e all-star branco. Enquanto eu estava com um blazer branco, blusa social marrom, jeans escura e all-star preto.

Eu sorri e ele subiu na moto passando seus braços por minha cintura enquanto eu ligava a mesma. Depois de meia hora nós chegamos ao restaurante, eu vi a boca de Marco formar um perfeito “O”.

Marco – Jean... Isso é... Fazia tempos que eu não vinha aqui.

Jean – E não é só isso – Eu disse entrando no restaurante com Marco.

Eu havia reservado o restaurante por uma noite, agradeci aos céus por o mesmo ser do meu tio. Assim que entramos estava totalmente vazio apenas com os garçons e uma única mesa com um forro vermelho e duas cadeiras de madeira com a almofada branca. Ou seja, estava tudo perfeito.

Eu e Marco nos sentamos e o garçom veio nos atender, eu não estava nem aí para a comida, apenas esperava a sobremesa. Rapidamente nós dois terminamos de comer e veio um garçom com a sobremesa, assim que ele abriu eu peguei a caixinha de veludo e me ajoelhei na frente de Marco que colocou uma mão em frente a sua boca.

Jean – Marco, esses anos que passei com você foram os melhores da minha vida, eu te amo então queria te fazer um pedido muito importante – Suspirei abrindo a caixinha – Marco Bott, eu posso não ser o cara mais perfeito do mundo, o mais bonito, o mais inteligente ou até mesmo o mais romântico, mas você... Você quer transformar esse homem atrapalhado no homem mais feliz do mundo? Marco, você quer se casar comigo?

Marco – Jean eu... É claro que eu aceito!

Eu apenas me senti o cara mais feliz do mundo, eu abracei Marco o beijando apaixonadamente. Rapidamente paguei a conta e fomos para casa, chegando lá nos fomos direto para o nosso quarto onde rapidamente eu o joguei na cama dando fortes chupões em seu pescoço.

POV’S Jean off

POV’S Autora on

Jean dava fortes chupões no pescoço de Marco deixando marcas instantaneamente. O castanho apenas ouvia os baixos gemidos que o moreno deixava escapar, em um movimento rápido Jean arrancou o blazer e a blusa do sardento atacando seus lábios. Eles se separaram ofegantes.

Marco rapidamente inverteu as posições arrancando as roupas de Jean fazendo o mesmo com suas calças. Ambos já estavam com seus membros duros. O sardento fez uma trilha de beijos e chupões, indo da boca do castanho passando pelo pescoço indo para o peitoral e parando no membro de Jean. O mesmo sem mais delongas o enfiou em sua boca o que ele não conseguia aguentar na boca ele usava suas mãos para fazer o serviço.

Jean pegou os cabelos de Marco o fazendo aumentar a velocidade dos movimentos o fazendo praticamente engolir seu membro. Marco sentiu o membro de Jean aumentar em sua boca e logo sentiu o liquido quente do castanho preencher a sua boca. Jean fez Marco se sentar em sem membro e começar a cavalgar no mesmo. O moreno arranhava o peito de Jean enquanto ambos gemiam.

Marco – Jean... Uhn... Mais!

Jean – Se é assim.

Jean rapidamente jogou Marco na cama o penetrando fortemente fazendo o mesmo apertar fortemente o lençol. O moreno gemia o nome do castanho cada vez mais alto, Jean achava aquilo musica.

Marco – Mais...

Jean – Você está muito safado hoje Marco – Falou malicioso.

O garoto segurou na cabeceira da cama para ter mais impulso e aumentou a força das estocadas indo mais fundo e rápido, seus corpos estavam totalmente suados. Tudo o que era ouvido ali eram os gemidos dos dois e o barulho da cama batendo contra a parede.

Jean – Porra Marco... Eu vou...

O castanho nem terminou de falar e gozou juntamente com Marco caindo na cama o abraçando.

POV’S Autora off

***QUEBRA DO TEMPO***SEIS ANOS***

POV’S Marco on

Havia passado cinco anos que eu casei com Jean e por incrível que pareça nos tivemos dois filhos, um garoto chamado: Ryu. E uma garota chamada: Yui.

Eu estava observando Jean brincando com os dois enquanto eu terminava de fazer o nosso lanche. Assim que cheguei ao quintal vi duas pequenas miniaturas minha e de Jean pulando em mim. Ryu era idêntico a Jean, mas Yui era minha copia perfeita, porem garota.

Deixei nossos lanches na mesa que havia ali perto e fui brincar com meus filhos. Tudo estava calmo, eu via as crianças brincarem de guerra de balão d’agua quando de repente um homem mascarado apareceu no portão que dava para dentro do quintal.

Jean – Crianças vão para dentro.

- Sim papai – Disseram correndo para dentro enquanto nos dois ficamos lá fora.

O homem conseguiu arrombar o portão e tirou uma arma do coldre apontando para a gente.

- Ta bom, suas bichinhas, eu to ligado que vocês dois são donos de empresas ricas pra cacete, então coloquei tudo que tem de valor dessa casa nesse saco – Disse apontando a arma para mim – Ei você castanho, vai logo antes que eu estore a cabeça do moreno aqui. Ah e se ligar pra policia eu mato é ele e os pirralhos também.

POV’S Marco off

POV’S Jean on

Eu corria pela casa a procura de algo de valor para poder livrar Marco daquele cara, mas sem sucesso, eu peguei meu celular em um momento que já estava afastado do mascarado e liguei para a policia explicando tudo em um tom baixo. Eles disseram que as viaturas chegariam logo, então eu simplesmente peguei uma quantidade considerável de dinheiro levando para o andar de baixo.

Quando eu cheguei eu vi que a policia ainda não tinha chegado, então apenas dei o dinheiro para ele, mas a sirene do furgão da policia foi ouvindo fazendo o bandido dizer:

- Ta de brincadeira cara? – Perguntou atirando varias vezes contra Marco e fugindo.

Nesse momento meu mundo caiu, acabei de ver a pessoa que eu amo ser baleada e provavelmente correr risco de vida. Marco me chamou com a mão eu o abracei e ele disse:

Marco – Jean eu já estou indo... Provavelmente... Não aguentarei mais e... Então cuide de... Nossos filhos.

Dito isso senti o corpo de Marco ficar mais pesado, ele estava de olhos abertos, mas não respirava e nem tinha pulso. Ele havia morrido...

Dois dias haviam se passado e era o funeral de Marco, nossos amigos e seus filhos estavam lá. Eu tentava segurar as lagrimas, mas elas insistiam em descer. Eu estava em um canto lembrando meus momentos com meu sardento quando sinto minha calça ser puxada, era Hikari e Ame filhos de Mikasa e Eren. Ame copia de Eren com cabelos escuros e Hikari uma Mikasa de cabelos castanhos. Ame tinha 10 anos (Mikasa já estava gravida no dia de seu aniversario apenas não sabia) e Hikari tinha seis anos e eu era padrinho de ambos.

Hikari – Tio Jean, o tio Marco não gostaria de te ver assim, ele não gostava de te ver triste.

Ame – É tio, ele te amava.

Jean – Eu sei... Estou assim, pois também o amava, não, pois eu o amo.

Senti meus afilhados me abraçarem e assim terminou o funeral do meu sardento.

***QUEBRA DO TEMPO***

Passou-se tantos anos, meus filhos já namoravam e eu não me esqueci de Marco, meu primeiro e único amor. Desde que ele morreu eu me tornei mais serio, mas mesmo assim ainda tinha tempo para meus filhos, sempre que eu olhava para a Yui eu me lembrava dele, mas mesmo assim nunca fraquejei perto deles.

Eu estava na varanda de meu quarto olhando para o céu quando eu me pego falando o que falo há tantos anos:

Jean – Eu sinto tanto a sua falta Marco... – Porem dessa vez ouve resposta, um vento mais forte bateu em mim – Sim, eu sei que deveria tentar seguir em frente, mas sem você não consigo – O vento bateu fortemente contra meu corpo – Para com isso, você sabe que eu te amo, e isso nunca vai mudar – Eu olhei em direção ao portão vendo meu filho com sua namorada e minha filha com seu namorado – Bem... Nossos filhos cresceram e agora amam alguém, então tenho que ir recebê-los... – Senti uma fraca brisa – Tchau e... Eu te amo e sempre vou amar...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...