História Uma nova e diferente vida - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Debrah, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Castiel, Drama, Hentai, Romance
Exibições 14
Palavras 1.034
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Intensidade é importante

Capítulo 8 - Questões da intensidade


Fanfic / Fanfiction Uma nova e diferente vida - Capítulo 8 - Questões da intensidade

Paramos o beijo por conta da falta de ar, ficamos nos encarando, eu não sabia o que fazer, ele ainda estava muito perto de mim. Fiquei olhando para ele, dos olhos a boca, da boca aos olhos, com a minha boca ainda entreaberta por eu estar tentando regular minha respiração.

Ele me encarava sorrindo de canto de boca, passou a mão pelo meu rosto e foi deslizando pelas laterais do meu corpo até chegar em minha cintura, segurou e me levantou, me colocou sentada na mesa, se posicionou entre as minhas pernas. Eu arregalei meus olhos, abri a boca e puxei o ar como se fosse falar alguma coisa, ele colocou o dedo em meus lábios, para que eu ficasse quieta.

- Shiiiu, calma, baby. Sabe, eu gosto desses negócios que você usa no pescoço, é sexy e parece uma coleirinha. - Disse, sorrindo pervertido enquanto mexia nas fitas do laço do meu chocker, as mãos deslizaram e foram parar nas minhas coxas - Você tem pernas muito bonitas também, baby, macias. Sua pele é macia. Me faz pensar tantas coisas... Ah se você soubesse...

Eu continuava sem conseguir falar nada, estava inclusive me concentrando em não morrer ali mesmo. Ainda respirava ofegante, e ele percorria as mãos pelo meu corpo e parecia analisar cada expressão minha. Foi escorregando a mão direta pela minha coxa, indo para baixo da minha saia, devagar, e pela primeira vez naquele momento ele parou de me encarar e olhou pra baixo, para a mão dele, enquanto subia cada vez mais a minha saia, a mão se aproximou da lateral da minha calcinha, foi só então que eu consegui falar e fazer alguma coisa.

- Não... Por favor, Castiel... Não f-faz... Eu... Não... - Segurei a mão dele e vi ele me encarar novamente, mas dessa vez com uma expressão diferente, e eu não conseguia saber o que ele poderia estar pensando. - Por favor, eu...

Antes que eu pudesse falar algo ele laçou o braço em volta da minha cintura, fazendo com que eu ficasse bem colada nele, com ele ali, entre as minhas pernas. Minha intimidade se chocou contra a dele, eu acabei soltando um gemido baixo, sem querer, e o vi franzir a testa e morder o lábio. Com um braço em volta da minha cintura, levou a outra mão até o meu rosto e me beijou novamente, mais intenso, mais forte, ele apertava minha cintura, e minha intimidade estava tão colada ali, eu podia sentir sua ereção através da calça, aquilo me excitou de uma maneira que eu não lembro ter acontecido antes. Logo ele me liberou do beijo.

- Baby, ah... Minha baby girl, como você consegue fazer isso comigo? Eu não sei mais o que pensar - Ele falava com uma mão ainda no meu rosto, a sua expressão... Ele ainda tinha a testa franzida, falava aquilo quase gemendo junto - Mas, calma. Não vou fazer nada com você, não agora... Só quero que você fique ciente de que eu quero você, acho que você já deve estar ciente, não é? - Riu e roçou sua ereção ali, em mim.

Gemi mais uma vez, aquilo era demais pra mim. Eu estava totalmente confusa sobre o que pensar dele, eu achava esse tempo todo que ele me odiava ou sei lá, me enchendo o saco e me fazendo querer dar um tiro na cara dele essas semanas. Mas agora ele está aqui, me beijando, me excitando, fazendo com cada parte do meu corpo queira ele. Minha intimidade pulsava, e eu sentia que estava cada vez mais molhada, mas eu não podia, não. Não podia.

- Castiel, eu... Eu preciso ir, por favor. - Coloquei uma mão no peito dele, tentando afastá-lo, mas dessa vez de maneira calma e delicada - Rosália está me esperando, ela vai estranhar, eu nem sei quanto tempo estamos aqui, e... Eu estou confusa, com isso, com tudo, por favor.

Ele me olhou por um momento, sorriu e se afastou de mim, ficou me observando, talvez para ver o que eu iria fazer. Eu estava ali sentada naquela mesa, as pernas ainda entreabertas, a respiração mais controlada, mas ainda um pouco ofegante, ficamos alguns segundos nos encarando desse jeito. Até que eu voltei a mim e fui descer da mesa, dei um pulinho e quando meus pés encostaram no chão eu senti uma fraqueza nas pernas, quase cai mas ele veio e me segurou rápido, riu de mim e me segurou de frente pra ele, selou os lábios rapidamente nos meus.

- Vai com calma, garotinha - Me soltou e colocou as mãos no bolso, tirou um cigarro e um isqueiro - Vou ficar por aqui, depois eu desço.

Não falei nada, apenas me virei fui em direção a porta, olhei para trás antes de sair, ele soprou a fumaça e me deu uma piscadela. Corei, e me virei novamente, precisava sair dali o mais rápido possível, não tenho ideia de quanto tempo passamos ali, tempo o bastante para me deixar toda desmontada.

Fui ao banheiro antes de voltar para a quadra, entrei em um box e me sentei, levei a minha mão até a minha intimidade, meus deuses, como eu estava molhada... E sensível, muito sensível. Eu ainda nem acreditava no que tinha acabado de acontecer, estava muito confusa, extremamente confusa. O que eu iria fazer? O que poderia acontecer? Tantas questões, af.

Assim que saí do box fui em direção ao meu armário para pegar o carregador que eu emprestaria para a Rosália, quando vi três meninas saírem de dentro do Grêmio. Uma loira com ar de arrogante, uma meio japonesa creio eu e uma dos cabelos castanhos.

- Olha só, se não é aquilo andando por aqui, sozinha... - A loira falou parando na minha frente com as mãos na cintura, as outras duas riram. - Quando você chegou não achei que seria um problema, sabia? Tão sem sal, estranha... Mas acho que me enganei, não é? Tenho reparado todos esses dias em você, e eu vi você se jogando pra cima do MEU boy. Parece que vou ter que explicar a você algumas regrinhas não é, coisinha? Espero que entenda tudo direitinho, ou terá muito problemas...


Notas Finais


Apareceu a vadia uhuh Tava demorando né? Tava demorando a pegação também né?! Eu sei, eu sei haha xB

Espero que tenham gostado, logo logo tem mais!

kissus galero!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...