História Uma nova geração(Star Trek)-Interativa - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Star Trek
Personagens Dr. Leonard "Magro" McCoy, Hikaru Sulu, James T. Kirk, Khan Noonien Singh, Montgomery Scott, Nyota Uhura, Pavel Chekov, Personagens Originais, Spock
Tags Interativa, Star Trek, Uma Nova Geração
Exibições 23
Palavras 2.829
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu prometi não prometi? Pois bem, aqui está o próximo capítulo, bem maior do que os outros! Fiquem com ele e espero que gostem!

^-^ <3

Capítulo 9 - A missão


Fanfic / Fanfiction Uma nova geração(Star Trek)-Interativa - Capítulo 9 - A missão

3 semanas depois

Ainda não acreditava que tinha saído da Terra e que agora estava a viver numa nave em quanto posso fazer as coisas que mais gosto, pesquisar, analisar e inventar. Mas agora tinha que tirar esses pensamentos da minha cabeça já que a Carol me deixou ir um dos novos planetas que estaríamos a visitar, quer dizer, não era bem ir, era mais poder operar o meu quadricoptero que lá estava enquanto eu estaria na Enterprise a controla-lo. E era isso mesmo que eu estaria fazendo se eu encontrasse a porcaria dos óculos que me deixam ver o que a porcaria do quadricoptero vê mas eu não os encontrava em lugar algum:

-Onde raios estão?!-pergunto-me até que os vejo debaixo da bancada- Aqui estão vocês!

Vou até lá e os pego mas quando vou para sair bato com a cabeça com toda a força na bancada antes de sair:

-дерьмо(merda em russo)

-Estás bem Scarlett?-ouve-se a Carol do outro lado da linha

-Sim, estou!

-Importas-te de ser mais rápida?

-Calma!-digo voltando para a minha cadeira e digitando um comando para ligar o quadricoptero- Pronto!

Ponho os óculos e os ativo. Espanto-me com a vista. Era uma zona rochosa, com penhascos, cascatas, uma densa floresta, lagos, plantas e alguns animais. Mas o mais interessante era que a gravidade naquele planeta não funcionava como a terra e existia água e penhascos voando:

-Wow!-foi a única coisa que consegui dizer

-Pode-se dizer que sim!-diz a Carol- Sabes o que fazer não sabes Scarlett?

-Sim, eu sei!-digo começando a tirar notas da composição do ar e da gravidade inusual daquele planeta

-Muito bem! Vamos ao trabalho!

Comecei a ouvir outras vozes se afastando e quando não se ouvia mais nada a não ser a respiração da Carol apercebi-me que ela estava sozinha e por isso perguntei:

-Onde os outros vão?

-Eu e tu ficamos a recolher amostras do planeta enquanto a Uhura e o Kirk vão fazer diplomacia diguemos assim.

-Hmm! Ok! Então eles ficam com a parte mais chata né?!

-Sim, pode-se dizer que sim!-diz ela enquanto entrava numa zona com pouca gravidade

-Para!-digo e ela para com o meu berro

-Que tal gritares menos ao meu ouvido?

-Desculpa! É que ias entrando numa zona com gravidade-nula. E não sabemos o que isso pode fazer aos nossos corpos!

-Já lhe deste um nome é?!

-Porque? Não gostas?-digo enquanto entro eu nessa área e ela se ri

Cautelosamente vou-me aproximando da bola de água flutuante e quando chego perto o meu quadricoptero é virado do avesso e eu fico tonta por causa do movimento da câmara, mas quando passa começo a apontar anotações. Passavam-se horas que eu estava a fazer o mesmo até que o Adon me prega um susto:

-Precisas de alguma coisa? Eu, a Miih e o Kai vamos almoçar queres vir conosco?

-Para além de me parares de me querer matar de ataque cardíaco, não, não quero nada e infelizmente não vou poder ir com vocês tenho que ficar aqui.- digo lhe sorrindo

-Ok então! Ruivinha!-diz ela bagunçando o meu cabelo e indo-se embora- Idiota.

-Quem era?-pergunta a Carol

-Era o Adon.-digo amanhando o cabelo e voltando para o quadricoptero

-Vocês dois andam a se aproximar muito!

-Somos apenas amigos! Mais nada e também isso seria estranho!-digo antes de se ouvir uma explosão- Carol estás bem?

-Sim! Consegues ver o que foi?

Não digo nada e levanto o quadricoptero e vejo fumaça a tiros por todo o lado e vindo na nossa direção:

-Stercore (merda em latim)!

-Scarlett! O que se passa?

-Só vejo fumaça e tiros, e eles vem na nossa direção!

-O que?! Consegue vê-los?

Escaneio a área á procura de ADN humano e os encontro, correndo e parecia que um deles estava ferido já que os seus sinais vivos não estavam bem:

-Carol, um deles está ferido, estão a 30 metros de ti e a serem perseguidos! Vai já para a nave e prepara-te para voltar para a Enterprise!

-Certo!

Ela entra na nave e a inicia, ponho o quadricoptero para ficar a pairar e começo a digitar comandos e códigos para conseguir ouvir o ambiente e a comunicação entre eles e finalmente consigo, felizmente quando eles estão mesmo perto de mim. Ligo os fones e os ponho nos ouvidos:

-Carol!-grita o capitão

-Sim capitão?

-Ajuda-me aqui!-diz ele entrando na nave e eu os sigo

Ao entrar vejo o capitão a por a Uhura num dos bancos. Ela está fraca e ferida, começo a escancá-la. As informações começam a aparecer: Batimento cardíaco acelerado demais para ser apenas adrenalina, muita perda e sangue, substancias estranhas no sangue delas entre outras coisas. A nave decola após e a Carol fica a fazer o máximo possível para a manter viva enquanto o capitão pilota a nave. Enquanto analiso as informações que aparecem sobre ela vejo a Carol dar um injeção para a por a dormir, o que não me incomodou até encontrar Irico-12 uma substância que nos mata num milésimo de segundo se estivermos a dormir:

-NÃO!!!-grito e a Carol deixa o que tinha na mão cair

-Porcaria mulher! Para de gritar no meu ouvido! Ela vai morrer se eu não lhe enjeitar isto!

-Com quem está a falar doutora Carol?!-pergunta o capitão sem tirar os olhos dos comandos

-Uma colega!-responde-lhe ela

-Não a podes por a dormir se não ela morre ainda mais rápido! Ela tem Irico-12 no sangue!-digo baixando a minha voz

-Tudo bem! Mas pelo menos avisa a enfermaria! E rápido!-diz ela antes de ser interrompida por uma explosão

-Tudo bem Carol?-perguntei mas apenas ouvi estática- Scheiße (merda em alemão)!

Procuro o meu intercomunicador mas não o encontro em lado nenhum e decido ir eu mesma. Tiro os óculos e começo a correr em toda a velocidade atropelando alguns tripulantes e dizendo „desculpa“ baixinho. Quando chego lá estou ofegante. Procuro alguém e encontro a Elizabeth, quer dizer ela é que me econtrou já que eu quase ia desmaiando de tanto correr:

-Mulher o que foi?-pergunta ela

-A missão...deu errado!-digo enquanto tento desacelerar a minha respiração- A Uhura ficou ferida!

-A Uhura? O que aconteceu?!-pergunta alguém atrás de mim

-A missão, deu alguma coisa errada! Foram atacados e ela ficou ferida! Entre a informação que estava recolhendo dela quando a escaneava para perceber o que se passava percebi que o seu coração estava demasiado acelerado para ser adrenalina, ela tinha perdido muito sangue, estava com componentes estranhos não conhecidos ainda, entre outros conhecidos mas o que mais me alertou foi ela ter Irico-12 no no sangue!-digo recuperando e me virando para a pessoa e dou de caras com o pai da Liz:

-Isso é impossível esse componente foi expulso  de todos os planetas e é completamente ilegal incluindo na medicina!

-Por isso é que isso me alertou!-digo já recuperada

Ele aperta os seus lábios um contra o outro com a minha resposta e depois começa a dar ordens:

-Quero uma maca pronta, Liz, prepara o soro! Quero uma ala toda preparada imediatamente!

Saio dali, mais propriamente, eu sou expulsa dali. Mas fico á porta pois sei que terei de dar muitas explicações á Carol. Após um bocado eles aparecem. Ela parecia inconsciente mas a minha visão foi interrompida pela Carol:

-Obrigado!

-Porque?-pergunto surpreendida

-Se não fosses tu ela provavelmente estaria morta.

-Ah! Não foi nada. Literalmente já que eu só tive de gritar ao teu ouvido.

Ela se ri do meu comentário e diz:

-Idiota!

-Doutora Marcus! Têm a certeza de que não quer fazer um rastreio para ver se passa-se alguma coisa?-diz uma das enfermeiras

-Já é a quinta vez que me perguntam isso e eu aposto de que só quando eu disser que sim é que param por isso pode ser.-diz ela seguindo a enfermeira

Após ela se ir fiquei ainda mais bocado á espera dela. Após um tempo duas criaturas apareceram mais preocupadas do que nunca o que é raro e difícil visto que eram ambos vulcanos. Ambos entraram na ala da enfermaria e enquanto a rapariga que não sabia ainda o nome mas que sabia que era minha vizinha de quarto foi para ao pé da única pessoa que parecia se preocupar e o outro foi até ao pai da Liz:

-Doutor diga-me que ela está bem!

-Sim ela está bem, não é nada para te preocupares Spock. Ela só precisa de descansar mas temo que ela possa ter algum efeito secundário ou que lhe tenham sobrado algumas daquelas substâncias por isso ela ficará de baixa por algum tempo, mas podes vir visita-la claro. Agora com licença preciso de ir fazer outras coisas.

-Obrigado doutor.-diz ele virando a atenção para a maca onde a mulher estava e sussurra algo para a rapariga que está ao lado da maca e se vão embora

-Então o que se passa?-pergunta-me a Carol vendo que ainda estou ali

-Nada.-digo antes da minha barriga roncar de fome

-Vai comer. Não te preocupes ok?

Aceno coma cabeça e vou em direção ao refeitório onde pego uma sopa de cenoura, púre de batata, um bife e água e vou me sentar ao pé dos outros onde sou logo recebida pela Miih:

-Parabéns!

-Pelo que?-pergunto surpreendida pela noticia correr assim tão rápido

-Por salvares uma vida sua idiota!

-Não foi nada, por amor de deus não faças um escândalo.-digo começando a comer

-Não faço um escândalo?

-Não!

-Sabes ela têm razão Scar.-diz o Kai defendendo a Miih- Tu acabaste de salvar um vida!

-Deixem-se disso! Eu não fiz nada, literalmente, eu apenas precisei de gritar para a Carol largar o ejetor.

-Os outros ficara espantados quando souberam, por isso não acho que não seja altura de não exagerar!

-Por falar nos outros, onde é que eles estão?

-Ah, eles precisaram de ir logo para os seus postos e por falar nisso nós também temos que ir! Vamos Kai!

Ele acenou com a cabeça e os dois se levantaram me deixando sozinha a almoçar. Após algum tempo fui surpreendida novamente pelo Adon:

-Olá ruivinha!

-Credo! Homem, tu só deves querer me matar! E por amor de deus para de me chamar ruivinha!

-Ouvi dizer que hoje salvaste um vida!-diz ele levantando o meu queixo com a sua mão

-A noticia corre rápido pelos vistos!-digo corando

-Bem, eu vou andando para o laboratório. Vai para lá quando acabares de comer!-diz ele me largando e se afastando

Pov. Mirah

7 horas depois

Já que a Scar salvou uma vida, nós decidimos fazer uma festa surpresa no quarto dela, e como,não sei como, o Jake trouxe vinho e me deixou pegar uma garrafa para comemorarmos. O meu turno já tinha acabado como o de todos os outros menos o da Scar o que nos deixou algum tempo para nos prepararmos. Fui até ao quarto do Jake e comecei a remexer mas não encontrei nada de vinho ou algo do tipo mas fui surpreendida pelo Adon a entrar no quarto e por isso me escondi. Ele começou a se despir e depois foi a casa de banho o que me deu a sensação de não estar no quarto certo, então comecei a engendrar um plano para sair dali mas os meus pensamentos foram interrompidos pelas palavras do Adon que saia da casa de banho:

-Ela nem faz ideia! Até dá pena e assim não tem nem um pouco de graça! E apesar de ela ser uma boa lider e me irá ajudar a conquistar as outras garotas e de ser inteligente nem dá conta! Pobre ruivinha!

Pera! Ele está a falar da Scar! Ele só lhe chama assim! Só pode ser dela! Pera! Conquistar as outras garotas? Que raios quer ele dizer com isso?-penso mas sem querer deixo algo cair e ele repara na minha presença:

-Que raios fazes aqui?-pergunta-me ele nitidamente irritado

-Ah...- é a única coisa que me sai da boca

Porcaria Miih! Fala algo!-grito dentro do meu pensamento:

-Que raios queres dizer com conquistar as outras garotas? O que raios está a fazer com a Scar?- pergunto e na sua cara fica com uma expressão de raiva

-A quanto tempo estás aqui?

-O suficiente!-digo-lhe

-Ouve muito bem! Tu não vais abrir essa tu boca entendido?!-diz ele me agarrando o  braço e o apertando com força fazendo com que eu faça uma careta

-Querido, fica na tua fica!-digo quase lhe cuspindo na cara

-Eu juro que te mato se disseres alguma coisa!-diz ele apertando ainda mais o meu braço me fazendo largar um gritinho

Ele ameaçou-me! De verdade! Meu santo deus! Sai logo dai Miih!-penso desesperada:

-Tudo bem! Tudo bem! Eu não falo nada! Agora me larga!-digo ainda mais desesperada do que pensava estar

Ele me leva pelo braço até ao corredor e depois me larga lá. Eu saio dali correndo, sem saber o que fazer, por isso simplesmente esqueço a porcaria do vinho e vou até ao quarto da Scar tendo a intenção de lhe contar tudo. Mas depois, a meio do caminho me lembro da porcaria da ameaça e que ele irá estar nessa festa. E se ele for mesmo capaz de o fazer? Merda! -penso- Mesmo assim, eu preciso de lhe contar! Deixo os meus pensamentos de lado e entro quarto dela e rodos já lá estão á minha espera. Disfarço a minha cara de terror e fico com uma feição de felicidade e os mando esconder. Esperamos até ela aparecer e depois saltamos em cima dela quando ela entrou:

-Surpresa!-gritamos

-Meu santo coração!-grita ela

-Era para eu trazer vinho mas esqueci-me!-digo

Pov. Scarlett

-Era para eu trazer vinho mas esqueci-me !–diz a Miih

-Ainda bem!-digo me rindo- Para que é que é isto tudo?

-Uma surpresa por causa de hoje!-diz Adon se aproximando de trás de mim- Ruivinha!

-Não é preciso! A sério! Não era mesmo! Aliás eu preciso é de dormir, não de uma festa!

-Porra mulher! A sério?-diz a Miih fazendo uma cara de deboche

-Sim.-digo- Desculpem malta! Mas eu realmente estou cansada.

-Sem problema!- diz a Angel

-Ia, não faz mal! A gente também está a gente quer é ir dormir! Sem ofensa é claro!-diz a Liz

-É, ela têm razão! Eu e a Liz tivemos um trabalho imenso lá na enfermaria!-diz o James

-Bolas! Vocês não têm energia nenhuma!-diz a Miih antes de soltar um longo bocejo- E eu estou com voçes! Mas não te safas rapariga! No teu dia de anos vamos fazer uma festa! Maior do que esta nave!

-Está bem então!- digo enquanto eles se iam embora

O Adon ficou para último:

-Adeus ruivinha!-diz ele me beijando a bochecha o que me deixou um pouco surpreendida

-Adeus!-digo envergonhada

Estava muito cansada e mal quase tinha forças para me vestir mas fiz um esforço e vesti o meu pijama e me deitei na minha cama, me ajeitando e aconchegando e logo acabei por adormecer.

Sonho ON

-Devolva-a!-sussurrou a  minha mãe roucamente- Devolva a rapariga que corria pelos telhados para imaginar o que o vento sentia...Que acreditava em magia e em monstros...que me ensinou que ensinou que a inteligência nem sempre é uma educação. Dê-me o seu sorriso inocente, antes que ela soubesse de todas as coisas horríveis que tu fazes.-continua ela respirando profundamente, deliberadamente

-Por que é que eu deveria te devolver algo que nunca foi seu?-diz o meu pai, esbarrando a vista que a minha mãe tinha até mim

-Por favor Khan! Dê-me a minha filha!-diz ela já a lacrimejar

-Ela também é minha filha! Ou já te esqueceste?-diz ele quase a gritar- Ela também é minha filha Vivian! Mas tu não me a deixaste ver!

A minha mãe fica em silêncio olhando o meu pai, como se tentasse decifra-lo até que finalmente diz:

-Sabes que a culpa não foi minha...Não fui eu que te proibi de vê-la...

-Para de mentir Vivian!-diz ele a interrompendo e em seguida dando uma longa golfada de ar- A culpa é tua, sabes perfeitamente disso!

-Eu nã...-tenta dizer ela antes de ser interrompida por um estrondo vindo de trás dela

Foi a porta. A porta tinha sido brutalmente aberta. Vários homens entram e começam a disparar contra ele. Então eu oiço um bater nas lajes. Era o meu pai. Ele estava abatido no chão. Então a minha mãe começou a ser tirada daquela sala enquanto gritava o meu nome e o do meu pai. Então, me deixei cair ao lado do meu pai o olhando á espera que ele se mexesse mas ele não o fez, então eu senti o meu chão a desabar debaixo de mim. Ficando tudo escuro e frio.

Sonho Off

Acordo. Desesperada á espera de sentir a cama que estava debaixo de mim. Até que a sinto. Á muito tempo que não sonhava aquilo. Antigamente era frequente quando eu tinha uns 4 ou 7 anos mas foi diminuindo até que a minha mãe morreu mas depois voltaram a diminuir e eu já não tinha nenhum assim há exatamente 4 anos e 6 meses. Já não conseguia dormir. Por isso fiquei escrevendo no meu caderno de jornada para ver se me acalmava.


Notas Finais


Para quem não sabe deliberadamente é de prepósito. Espero que tenham gostado de mais um capítulos. Podem deixar sugestões e a temporada de Shippes já começou! E espero ter representado bem os vossos personagens e já teve treta! O que será que irá acontecer em seguida?! Ninguém sabe! Esperem pelo próximo! E já agora obrigado pelo apoio!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...