História Uma nova realidade, um novo amor - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Nórdica, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos, Saint Seiya
Personagens Afrodite, Apollo, Artemis, Atena, Cronos, Hades, Hera (Juno), Percy Jackson, Poseidon, Sally Jackson, Seiya de Pégaso, Zeus
Visualizações 42
Palavras 2.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Saint Seiya e Percy Jackson não me pertencem. Espero que aproveitem.

Capítulo 25 - Capítulo 25


Capítulo 25

Palácio Valhalla - Asgard

No salão do trono do palácio, Seiya estava na frente de Odin, ambos estavam trajando armaduras de combate e conversando com expressões sérias nos rostos. O rei dos deuses gregos tinha deixado Hera sob os cuidados de Eir, a deusa da cura e ele tinha colocado a sua filha para dormir em dos quartos do palácio. Victória estava muito instável por causa da mãe, fazendo os seus poderes saírem fora de controle. Ela possuía um poder vasto e mesmo com treinamento, ainda havia uma gama de poderes muito alta inexplorado dentro dela. Seiya estava controlando a preocupação dentro de si e preparava-se para a guerra contra os exércitos de Érebo, que ele sentia marchando lentamente. Ele não podia ser o marido ou o pai de família nesse momento, porque agora é necessário o guerreiro e o rei dos deuses gregos.

Odin: Seiya… - Sussurrou observando-o atentamente. Ele não imaginava que o filho tivesse descoberto tudo o que estava acontecendo e o que eles esconderam dele por anos. Afinal, o temor deles era ele ficar descontrolado e causar muita instabilidade nessa realidade, mas infelizmente não aconteceu e ele tinha agido nas sombras para deter Érebo, preparando-se para essa guerra

Seiya: Eles estão tentando invadir as barreiras que protegem esse reino - Falou apertando o seu machado Jarnbjorn, um machado médio-grande de cor cinza, com detalhes em dourado.

Odin: Não será fácil invadir Asgard diretamente e por eles estão atacando os aliados de Asgard - Falou sentindo os exércitos sob o comando de Surt - Hera e Victória estarão seguras no palácio, Seiya - Completou observando a reação do príncipe de Asgard.

Seiya: Sim, eu pretendia trazê-las para Asgard, mas não nessa situação - Falou liberando uma parte dos seus poderes - Eu farei Érebo para por isso - Completou causando um tremor no reino nórdico, somente aumentando mais um pouco a sua cosmo-energia.

Odin: Seiya… - Sussurrou tocando no ombro dele - Eu sei que não é momento, mas eu peço desculpas por ter escondido a verdade sobre Érebo - Completou encarando seriamente o filho, que sorriu levemente.

Seiya: Pai, eu entendi os seus motivos e sinceramente se eu não tivesse conhecido Hera, ou melhor, os meus sentimentos por ela, eu teria me descontrolado... - Revelou fechando e abrindo os olhos levemente. Ele estava apaixonado pela deusa do casamento, como nunca pensou imaginar e esse sentimento somente aumentava, a cada momento ao lado dela. Ela acalmou o seu coração que estava sofrendo por Atena e ele não permitiria que Érebo tirasse ela de sua vida, assim como fez com Atena.

Filho! - Exclamou uma mulher entrando no salão do trono, chamando a atenção dos dois homens.

Seiya: Mãe… - Disse observando a rainha de Asgard vindo na sua direção. Ela abraçou-o imediatamente, ato que foi correspondido imediatamente.

Odin: Frigga… - Sussurrou sorrindo levemente, aproveitando para abraçá-los nesse momento, porque eles não teriam muitos momentos a partir de instante.

Seiya: Mãe… Pai… - Sussurrou manifestando a sua cosmo-energia, envolvendo totalmente o salão do trono.

Casa do Lobo – Califórnia

Fenrir estava olhando para os céus por um breve momento e depois desviou o seu olhar para a frente. A casa do do Lobo estava completamente cercada, por vários lobisomens ferozes, que possuíam uma aparência similar aos lobos. Eles estavam sendo liderados por Lycaon, um gigantesco lobisomem, que possuía pelo negros e olhos vermelhos, usando uma espécie de coroa de ossos.

Lycaon: Então, os boatos são verdadeiros, a cadelinha agora tem um macho alfa e alguns filhotes - Falou olhando para Lupa, a deusa lobo, que estava atrás do Fenrir e com dois lobos protegendo-a. Eles possuíam uma aparência similar ao matador de deuses nórdico e olhos iguais aos de Lupa.

Fenrir: Lycaon - Falou com os brilhando perigosamente - Vocês todos cometeram um erro grave de vir aqui - Falou quase num rosnado. Ele manifestou a sua cosmo-energia levemente e a sua aparência começou a mudar, surpreendendo os presentes.

Lupa: Fenrir… - Sussurrou observando-o transformar-se. Ela nunca o tinha visto nessa forma, mas desconfiava que ele poderia assumir a forma humana, assim que desejasse.

Papai… - Sussurraram os dois lobos protegendo a deusa lobo.

Lycaon: Então, não vai lutar como um lobo e sim na sua forma humana? - Indagou sorrindo, mostrando as suas presas. Ele estava observando um homem por volta dos vinte e cinco anos, pele clara bronzeada, cabelos cinzas e olhos azuis, totalmente nu na sua frente.

Fenrir: Sim, algum problema? - Rebateu sorrindo levemente, enquanto observava os lobisomens. - 'Eles não serão um problema, mas quem está observando será!’ - Completou mentalmente.

Lycaon: Nenhum problema… - Falou com quatro lobisomens avançando contra o adversário.

Fenrir: Eu vou cuidar disso rapidamente, Lupa - Falou usando o seu cosmo para repelir os quatro oponentes e movendo-se rapidamente na direção de Lycaon. Mas de repente uma armadura começou a envolvê-lo.

Lycaon: O que é isso!? -  Indagou observando uma armadura cinza cobrir o corpo do adversário e nas suas mãos surgiram duas espadas de cor prata.

Fenrir: A visão da sua morte… - Falou friamente, movendo as duas lâminas no ar e disparando uma poderosa onda de energia contra os lobisomens. Ele estava usando os seus poderes no máximo, não iria descuidar-se e atacaria com força máxima, porque atrás dele estava a sua família e nada iria prejudicá-los.

Lupa: Incrível… Em um único golpe…. - Sussurrou observando o poder do matador de deuses nórdicos, juntamente com os seus filhos.

Fenrir: Você realmente é o rei dos lobisomens… - Sussurrou observando uma sombra na fumaça, que logo ganhou forma. Lycaon estava com vários ferimentos pelo corpo e cambaleava para ficar em pé.

Lycaon: M-Miserável… C-Como você… Argh! - Falou cuspindo sangue pela boca. O rei dos lobisomens não podia acreditar no poder do adversário, mesmo com os seus poderes atuais reforçados por Érebo. Ele estava com danos sérios por levar somente um ataque do oponente, que nem mesmo conseguiu enxergar completamente. Fenrir: Lycaon, você não é um adversário para alguém como eu… - Pronunciou desaparecendo e reapacerando na frente do adversário - Acabou, vá para o Tártaro… - Completou decepando a cabeça do lobisomem com a sua lâmina.

O seu poder é realmente assustador, Fenrir - Falou uma voz masculina, que bateu palmas levemente.

Fenrir: Então, você está realmente desperto, como suspeitávamos - Falou encarando o recém-chegado, que estava materializando-se na sua frente.

Lupa: Não pode ser… Essa energia… Cronos!? - Exclamou levemente, observando o rei dos Titãs. Ele estava usando uma armadura negra, somente podendo ver os seus olhos dourados brilhando perigosamente e a sua foice na sua mão direita.

Cronos: Eu gostaria de estar em outro lugar, mas tenho que cumprir essa ordem! Eu vou ceifar a sua vida, Fenrir! - Exclamou girando a sua foice no ar. Ele queria estar atacando o Olimpo, ceifando a vida dos seus filhos e assim recuperando o seu trono. Mas, no momento ele precisava seguir ordens, porque Érebo era um adversário perigoso demais e ele não era um tolo de enfrentá-lo diretamente, por isso necessitava de uma oportunidade perfeita e usaria essa guerra para isso. Enquanto, ele seria o fiel “servo” do deus primordial e lutaria no nome dele.

Fenrir: Ceifar a minha vida? Isso nunca acontecerá, Cronos! Eu sou o assassino de deuses e a sua vida será minha, rei dos titãs! - Exclamou liberando a sua cosmo-energia intensamente. - 'Lupa, você não deve interferir nesse combate’ - Completou telepaticamente para a companheira, que estava tensa atrás dele

Cronos: Isso nós veremos… - Sussurrou avançando numa grande velocidade.

Fenrir: Vamos começar… - Disse também avançando rapidamente, com as suas armas chocando-se e criando uma imensa onda de choque. Enquanto isso, o acampamento Júpiter estava sob ataque das forças de Érebo.

Acampamento Júpiter - San Francisco

Uma legião de monstros mitológicos estava atacando o lar dos semideuses romanos, que estavam defendendo-se rapidamente. Eles possuíam várias defesas e as cinco cortes reuniram-se rapidamente sob o comando dos centuriões e “Júpiter”, que estava ao lado de Sally. Os monstros estavam com uma energia peculiar em volta deles, mas não estava sendo uma luta intensa e  isso deixava o rei dos deuses romanos preocupado. De repente a terra começou a tremer, atraindo  atenção de todos para um possível ataque subterrâneo, mas nada aconteceu.

Aiolos: Não precisam preocupar-se, porque esses tremores são um choque de um combate, não muito longe do acampamento - Falou usando a sua cosmo-energia para os presentes, que entreolharam-se levemente. Eles tinham que manter as defesas do acampamento e por isso voltaram às suas atenções para os invasores.

Sally: Aiolos, você está bem? - Indagou notando o marido levemente tenso e não era com o ataque, porque ele olhava-a rapidamente e depois desviava o olhar.

Aiolos: Hum… Sally, eu… - Parou de falar, respirando levemente - Você deveria ficar no nosso templo, com nossos filhos, por favor, eu não quero que nada aconteça com você - Completou apertando o punho fortemente. Ele estava preocupado que algo ocorresse com ela, após ele ver o tinha ocorrido com Hera no Olimpo.

Sally: Aiolos, eu não vou fazer isso e você sabe disso! - Exclamou levemente - Além do mais, o lugar mais seguro aqui é o seu lado - Completou segurando a mão do marido. Ela nunca deixaria-o sozinho, apesar de querer estar ao lado dos filhos. Sally tinha passado anos sob o treinamento do marido e ela tinha um poder vasto, sendo a aliada mais poderosa do esposo.

Aiolos: Então, vamos acabar com esse ataque de uma vez - Falou manifestando a sua cosmo-energia intensamente e a armadura divina de Sagitário envolve-o.

Sally: Sim, vamos! - Exclamou levemente, usando os seus poderes e uma armadura feita ouro celestial cobriu o seu corpo.

Aiolos: Você fica linda assim… - Sussurrou sorrindo levemente. A armadura possuía uma aura celestial e moldava com perfeição o corpo da esposa.

Sally: Obrigada… - Sussurrou com as bochechas rosadas. Ela estava parecendo uma adolescente apaixonada, mas ele sempre deixava-a assim e não importava quanto tempo passasse. Os dois avançaram rapidamente na direção da horda de monstros, como raios dourados. Entretanto eles foram interceptados por onda de energia dourada, como o próprio brilho do Sol.

Eu sou o Titã, Hyperion e aqui será o túmulo de vocês! - Exclamou o homem por volta dos trinta anos, pele morena, cabelos escuros e olhos dourados, trajando uma armadura dourada e espada na sua mão direita. Ele estava emitindo uma poderosa energia, que começou a expandir-se rapidamente.

Aiolos: Sally… - Falou olhando levemente para a esposa, enquanto os dois começaram o ataque contra o Titã, que moveu a sua espada no ar.

Sally: 'Ele não será um adversário comum’ - Pensou sentindo a imensa energia do adversário, enquanto uma batalha descomunal iniciava-se na frente do acampamento Júpiter.

Acampamento meio-sangue

O acampamento dos semideuses grego também estava sofrendo ataque e as forças de ataque estavam lideradas pelos Titãs Créos e Céos, que estavam sendo enfrentados diretamente pelo deus da guerra, Ares.

Créos: Nada mal, deus da guerra - Falou sorrindo levemente. Ele estava com uma aparência de um homem de uns trinta e cinco anos, pele branca, cabelos e olhos azul-branco, usando uma armadura escura e um único diamante ardendo no peitoral.

Céos: Ele está sendo um oponente interessante - Pronunciou com os olhos brilhando intensamente. Ele tinha uma aparência muito similar ao outro Titã, exceto pela dor dos olhos, que era azul-escuro e a sua armadura não possuía um diamante no peito e sua armadura tinha estrelas em volta dela.

Ares: Eu digo o mesmo - Falou movendo a sua lança, disparando vários golpes de velocidade incrível - 'Eles estão mantendo suas formas no tamanho humano, mas claramente que os seus poderes aumentaram’ - Completou em pensamento. Ele nunca tinha lutado contra os Titãs, mas havia registros dos poderes dos principais na biblioteca do Olimpo e os poderes de Créos e Kois estavam maiores que os descritos. Os titãs provavelmente sofreram a mesma mudança que ele, ou seja, agora possuem o controle sobre a cosmo-energia. Contudo ele não permitiria que eles avançassem no acampamento meio-sangue, que tinham a liderança de Calypso e Quíron na linha de frente.

Créos: Onde estão os outros deuses, Ares!? - Exclamou girando a sua espada, disparando vários golpes laterais de esgrima.

Céos: Eles verão você morrer pelas nossas mãos!? - Exclamou provando o oponente, que somente sorriu levemente.

Ares: Morrer? Eu? Vocês estão sonhando! - Rebateu liberando a sua cosmo-energia intensamente - Eu vou lhes mostrar o poder do deus da guerra! - Completou expandindo o seu cosmo na forma de uma pilar de luz.

Créos: Eu acho que está na hora de liberar os nossos poderes também… - Falou sorrindo levemente, olhando de soslaio para o seu irmão, que assentiu positivo.

Céos: Sim… - Sussurrou juntamente com o seu irmão, iniciando o real combate contra o deus da guerra.

Continua  >


Notas Finais


Espero que tenham aproveitando o desenrolar e a ação acontecendo. Mas, isso é somente o início de tudo. O que será que acontecerá? Ah, os nomes dos titãs eu deixei igual aos que são mencionados em Saint Seiya, porque em Percy Jackson tem uma variação do nome. E o Seiya agora lutará com a sua “armadura” e a sua arma nórdica, mas onde será que está o Thor e o Loki? XD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...