História Uma Nova Vida - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alteza, Amor, Atualidade, Coroa, Dinamarca, Estados Unidos, Família, Garota, Garoto, Love, Majestade, Nova York, Originais, Paixão, Princesa, Principe, Rainha, Realeza, Romance
Exibições 43
Palavras 1.535
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Helo Helo!!! Desculpem a demora :)
Playlist de hoje:

Taylor Swift - Bad Blood
Adele - Hello
Fifth Harmony - That´s My Girl
Little mix - Black Magic
Lorde - Royals
Gabrielle Aplin - The power of Love
Charlie XCX - Boom Clap

Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Uma Nova Vida - Capítulo 5 - Capítulo 5

Eu noto que o restaurante estava extremamente cheio, que as cadeiras eram muito detalhadas e com um tecido que parece veludo, as mesas tinham uma toalha que era mais bordada que o vestido da minha avó, para que eu estou notando isso? Ah, eu estou notando isso pois simplesmente vou me encontrar com uma pessoa muito importante, mas quem? A rainha da Dinamarca, rainha de um país que esta entre os melhore para estudar, rainha de um país inteiro e vai estar gastando seu tempo comigo, uma garota de Nova York que não tem nada.

Ajeito meus cabelos cor de mel enquanto o garçom que tem um bigode e parece aqueles de filmes me leva até uma mesa meio afastada de todo o restaurante, percebo de longe que nela senta uma mulher que parece ter uns 70 anos, claro, a rainha, mas também tem um homem de costas que não dá para ver seu rosto. Minha mente fica girando enquanto tento me equilibrar naqueles saltos que eram mais altos do que eu estava acostumada, a cada passo que eu dava parecia que eu estava dando um passo para a morte, que drama Kate! Sim , eu sou dramática até andando.

Você vai se encontrar com a rainha, a rainha!

Se equilibre, coluna reta, andar em linha reta, cabeça para cima, nariz empinado, mãos em frente. Ah não, eu tô parecendo um robô!

Ok... Pense em coisas boas. Pense em... CHOCOLATE!

Não, não, não. Daqui alguns passos eu vou estar em frente a rainha da Dinamarca. A rainha percebendo que eu estou chegando ergue a cabeça e fala uma ultima coisa para aquele homem achando que eu não iria ouvir

- Se comporte

Então ela segue para mim, que neste momento estou parada em sua frente parecendo uma múmia

- Minha querida, que prazer te-la aqui. Agradeço por ter aceitado o nosso convite para vir aqui - Espera aí e dá um replay, ela disse ´´nosso convite´´.

- Eu é que agradeço Vossa Majestade. Mas confesso que ainda não entendi o convite para um jantar - Falei do jeito mais formal que encontrei e com um sorriso delicado no rosto para não assusta-la com um sorriso de propaganda de colgate luminous white.

- Ah, minha querida, você já vai entender. Mas primeiro eu acho melhor sentar e apreciar o jantar que esta sendo preparado, depois começamos com o assunto

- Claro

- Então me acompanhe - Ela disse fazendo um sinal para que eu possa segui-la, claro que eu vou segui-la, afinal ela é a rainha da Dinamarca  

Seguindo ela até a mesa eu percebo que aquele homem que esta de costas parece nervoso, mas não nervoso no sentido de raiva, e sim nervoso no sentido de tímido? Não sei dizer direito. Mas quanto mais chegamos perto da mesa, mais eu reconheço ele, cabelos castanhos quase loiros, pele clara, e porte de cavalheiro, de costas ele é muito bonito, porque eu estou notando isso?

- Nicolas, levante e venha conhecer a menina Kate - Menina Kate, sério?

Assim que ele se levanta a primeira coisa que eu reparo são os olhos azuis da cor de piscina. Claro, o príncipe. O culpado pelo meu timpano ter quase estourado logo no primeiro dia de aula

- Prazer senhorita. Sou Nicolas - Claro que você é o Nicolas né. Tento manter a minha expressão o mais normal possível. Ele não pode perceber que dentro de mim eu quero gritar e falar que por causa dele meu timpano quase estourou, mas também não quero fazer cara de paisagem olhando para ele porque ele é absolutamente LINDO!

- O prazer é meu. Pode me chamar de Kate, só Kate mesmo

- Ok, Kate, Kate mesmo - Ele solta uma pequena risada e eu fico vermelha igual um pimentão 

- Kate, sente-se para jantar - A rainha fala lançando um olhar de Pablo Escobar para o neto

Me sento e a primeira coisa que faço é reparar que a rainha levanta a mão e uns cinco garçons já vem com pratos que provavelmente ela pediu para esta noite. Por sorte não é nada muito sofisticado como aquelas ostras que eu nem sei o nome, acho que é Scargot. O meu prato é um salmão e puré de batata, pelo menos é o que parece. Na primeira garfada percebo que é salmão mesmo, e o puré de batata é puré de batata mesmo. Termino de comer a pequena quantia que foi servida e tomo um gole de vinho

- Senhorita, podemos começar o assunto? - A rainha pergunta e eu assinto com a cabeça sem saber o que falar, afinal, o que eu posso falar? Claro, vamos começar a falar do assunto, sim, eu poderia falar isso mas a única coisa que a minha mente pensava era que ela me trouxe ali e me encheu de comida para depois me encher de doces e por fim me comer depois que me cozinhar em um caldeirão. João e Maria, que imaginação em...

- Bom, será difícil este assunto e admito que até um pouco estranho - Ela começa a falar

- Já estou acostumada a coisas difíceis - Falo tentando entrar um puco na conversa

- Vou começar a falar. Você sabe que você foi adotada - Adotada, oi? Eu adotada?

- Vossa Majestade, a senhora deve estar se confundindo, pois eu não fui adotada

- Ah, você não sabe ainda

- Claro que eu não sei. Eu não sei porque eu não fui adotada, sou filha de Martha Evans e Carlos Evans 

- Não minha querida, você é adotada - A rainha continua insistindo neste assunto e eu com educação falo

- Suponhamos que eu seja adotada, o que isso tem a ver?

- Deixe-me contar uma história. A muito tempo na Dinamarca existia ´´casas reais´´ nomeadas de primeira, segunda e terceira casa real. A primeira casa real era Casa Real Linffort, a segunda era Casa Real Morrighan, e a terceira era Casa Real Castellinno. Porém a Casa Real Castellinno foi excluída devido ás guerras. A Casa Real Morrighan, seu comandante, George Morrighan Campbell, com medo de sua família ser excluída como a Castellinno foi, resolveu fugir da Dinamarca com sua família. A casa de Morrighan era a mais importante e seu comandante era o  homem mais importante na Dinamarca, sendo o rei. Como ele fugiu em um ato heroico de salvar a família ele acabou indo para a América. Com tudo, depois de anos sua família retorna a Dinamarca e consequentemente sua neta herdeira Elizabeth Charlotte Morrighan Campbell se tornou rainha no dia 11\10\1960. Elizabeth se casou com o duque Louis Harrison de Linffort e teve três filhos, sendo eles Príncipe Philip Morrighan Campbell Linffort, Amélia Morrighan Campbell Linffort e Gabrielle Marie Morrighan Campbell Linffort, futura rainha da Dinamarca. Gabrielle cresceu e se apaixonou por Henry Edwards, juntos eles se casaram em uma bela cerimônia simples em 7\02\1992. Gabrielle e Henry foram coroados reis em 3\08\1993. Gabrielle ficou gravida, era a maior alegria do reino da Dinamarca naquela época, afinal, herdeiros do trono iriam nascer. No dia em que nasceram a Dinamarca entrou em festa, eles nasceram dia 21\05\1997. Sim, eles, no plural, eram gêmeos!  Príncipe Victor Morrighan Edwards Campbell Philip e Princesa Clarissa Eliza Morrighan Campbell Edwards, herdeira do trono da Dinamarca. Quando as crianças tinham apenas cinco meses de vida ouve um ataque rebelde contra a monarquia no palácio. O rei Henry foi morto na frente de Gabrielle, por sua vez Gabrielle consegui escapar e correr até o quarto de seus filhos, onde enrolou os dois em uma manta real e escreveu uma carta para cada, junto com um medalhão. Gabrielle conseguiu escapar do palácio com ajuda de suas criadas, correu o máximo que pode. Ela sabia que estava sendo perseguida. Entregou Príncipe Victor e Princesa Clarissa a uma das criadas que correu com os dois. A criada entrou em um carro junto com Gabrielle que estava em estado de choque. A criada cujo o nome se especula que era Alice levou Gabrielle e seus filhos até o Palácio onde vivia os Linffort. Gabrielle saiu do carro com Victor primeiro, na esperança de voltar e pegar sua filha Clarissa e deixa-la na porta junto com Victor. Logo que ela deixou Victor na porta ela foi correndo para o carro pegar sua herdeira e fazer o mesmo. Porém enquanto ela estava voltando, infelizmente levou um tiro nas costas de um rebelde que tinha seguido elas. Alice viu sua rainha sendo morta e não pensou duas vezes antes de tentar salvar a vida da pequena Clarissa. Acelerou o carro e fugiu da Dinamarca. Até onde se sabe, Victor foi salvo pela família Linffort, que como não tinha ninguém na época para governar o país e eles eram a segunda família mais importante, eu, Margharet Linffot assumi o trono. Príncipe Victor cresceu e não quis o trono quando assumiu a maioridade, ele se casou ano passado com uma indiana. Depois de anos conseguimos localizar a princesa Clarissa Eliza Morrighan Campbell Edwards, qual foi adotada e agora atende pelo nome de Kate Lopez Evans, você.

Primeiro pensamento: Que historia que daria um livro

Segundo pensamento: EU SOU UMA PRINCESA. 

Clarissa Eliza Morrighan Campbell Edwards

 

 


Notas Finais


Eita que historia grande essa da princesa. E ai, como a gente pode chama-la Clarissa, Eliza, Kate...?
Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...