História Uma Nova Vida - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Frisk, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Exibições 64
Palavras 1.096
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Seinen, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


DEMOREI MAS VOlTEI NESSE CARALH- Foi mal pela demora, minha criatividade resolveu fugir.
QUEM QUER FRANS? EU QUERO FRANS. VOCÊ QUER FRANS. NÓS QUEREMOS FRASN.

Capítulo 11 - Capítulo 11


P.O.V Frisk

 

Voltei pro internato, chocada com a revelação de Chara. Por um lado eu até entendo, Angelly me incomoda desde que cheguei aqui, mas ter coragem para matar... Isso é tão horrível.

Deitei na minha cama e dormi pensando em qual foi a reação das pessoas ao ver Chara matando os outros.

 Acordei com o sinal. Mais uma semana começa.

 Levanto suspirando, a cama de Chara está vazia, ela deve estar em sua casa.

 

 Acabei de pegar meus materiais do armário e quando estava indo em direção a sala, alguém esbarra em meu ombro com força e meus livros caem no chão.

-Desculpe.

 Um garoto de olhos e cabelos escuros se abaixou e começou a ajuntar. Ele vestia roupas também escuras e era muito lindo.

-Não precisa...- me abaixei para pegar os livros e no momento que pego um, nossas mão se encontram.

 O encaro corando um pouco, e percebo que estamos muito perto.

-Tá tudo bem aí, Frisk?

 Olho para o lado e vejo Sans parado encarando com uma expressão não muito feliz o outro garoto.

 Levanto rápido, meio sem jeito. O outro garoto levanta logo depois de mim com meus materiais.

-Sim! Sim, ele só estava me ajudando apegar meu material...

-É, eu percebi- Sans disse ainda encarando o outro.

 O garoto me devolve.

-Obrigada...?

-Danne. Preciso ir, até mais Frisk- ele me da um sorriso e sai.

 O sinal toca e vamos para a sala.

 

 

 Sans ficou quase a manhã inteira emburrado. Fiquei imaginando se não seria por causa do Danne. Será que ele está com ciúmes? Essa ideia me deixa contente, mas e se não for isso?

Na hora do almoço, estava eu Papyrus e o Sans, sentado na nossa mesa isolada de sempre. Sans se sentava ao meu lado e Papyrus na nossa frente.

 Vejo Danne ao longe procurando uma mesa para se sentar, até que nossos olhares se cruzam e eu aceno para ele se sentar com a gente.

 Ele vem sorrindo o caminho todo e percebo algumas garotas, principalmente a Angelly e a Naelly (sentadas uma ao lado da outra)  o observando, sem serem muito discretas.

Sinto Sans ficar tenso quando Danne se senta ao lado de Papyrus.

-Então, esse lugar é bacana até- Danne diz.

-Você é novo por aqui, é?-Sans pergunta tentando não mostrar seu desgosto.

-Sim, cheguei hoje.

-Oh, eu cheguei semana passada!- Digo um pouco animada de mais. Acho que Sans não gostou muito do meu tom.

 Ficamos conversando sobre o internato e ele nos contou a sua vida. Ele joga basquete e participou de vários campeonatos, toca bateria, guitarra e teclado e suas notas da escola são ótimas. Veio parar no internato porque seus pais viajam o ano inteiro e fica ruim cuidar dele, então o puseram aqui.

 O único que não estava interessado na conversa era o Sans, que tentava disfarçar sua irritação que aumentava a cada palavra que o rapaz dizia.

 Nossa conversa é interrompida por Marrie no meio do refeitório. Todos se calam enquanto ela pede silêncio.

-Pessoal- ela começa- está aberta as inscrições para rei e rainha do baile. Quem quiser participar, vai ter que vir a minha sala.

 Ela termina e sai, e as vozes começam a falar animadas novamente.

-Baile?-Danne pergunta.

-Sim, um baile do dia dos namorados. Vai acontecer daqui a algumas semanas.

-Você já tem par?

 Sinto um nervosismo em mim. Isso é apenas uma pergunta inocente e curiosa ou ele vai querer me levar? Não, eu não quero ir com ele, eu quero ir com o Sans! Preciso achar um meio de desviar o assunto. Rápido, uma distração.

 Sans se levanta e sai nervoso.

 Que alívio.

-Sans, espere!- digo e vou atrás dele.

 

 

P.O.V Sans

 

Eu saí de lá furioso. Esse cara tá afim da Frisk. E a Frisk parece não se incomodar e fica caindo. Já não aguentava mais ouvir ele falando, e quando ele perguntou aquilo eu entendi. Ele quer a Frisk. EU a Frisk. Eu só não tenho coragem pra dizer que gosto dela.

 Ouço ela me chamar, mas não paro, apenas vou andando para onde quer que seja, desde que eu saia de lá.

Entro em um corredor vazio e sinto a mão de alguém agarrar meu braço com força e me virar.

-Sans, o que deu em você?- Frisk parecia irritada e preocupada ao mesmo tempo.

-Não deu nada.

-Vamos, fale logo! Eu sei muito bem que deu alguma coisa!- Agora ela estava muito irritada e impaciente.

-Quer saber mesmo?- Respondo explodindo toda a raiva- Danne é meu problema. Danne e você!

 Sua expressão mudou de irritabilidade para uma feição chocada.

-Eu te amo, Frisk!- continuo com o tom de voz elevado e irritado- Amo desde o dia que eu te vi. E por um momento eu havia achado que você me amava! Mas então, ele chega, fica a fim de você, e você faz o que? Fica caidinha por ele!

 Frisk está visivelmente abalada.

-Sans...-Frisk diz, ela parece não acreditar no que ouviu.

 Acabo de perceber a merda que eu fiz. Agora quem está abalado sou eu.

Viro e começo a andar pelo corredor.

Novamente sinto uma mão virar meu ombro, mas dessa vez, quando eu viro, Frisk me da um beijo na boca.

 

 

P.O.V Frisk

 

Mal posso acreditar no que estou fazendo e no que ouvi. Ele me ama! Esse é o melhor dia da minha vida.

Paramos de nos beijar, e mantenho meu rosto próximo ao dele.

Meu coração está a mil e nós dois estamos muito corados.

-Eu te amo, Sans- digo baixinho para ele- Eu nunca quis mais ninguém além de você.

 Ele fica alguns segundos calados absorvendo tudo.

-Ele... ele tem muitos talentos, sabe fazer milhares de coisas e ainda é humano. Eu... eu não sou nada disso Frisk. Nem presto atenção na aula. Por que você iria me querer?

-Porque é você que eu amo.

 Ele abre um sorriso enorme no rosto.

-Frisk?

-Sim?

-Quer ir ao baile comigo?

Dou um sorriso.

-Sim.

 

Voltamos para o refeitório de mãos dadas. Agora nós estamos namorando. Enquanto andamos ao redor das mesas percebo algumas pessoas nos olharem. Por um lado fico incomodada em ser observada, mas por outro, quero que todos vejam que estamos juntos.

 Nos sentamos de volta á nossa mesa, e a cara de Danne não foi muito contente, mas ele tentou disfarçar. Papyrus ficou feliz em nos ver juntos.

Percebo que Naelly fica sorrindo para mim o tempo todo. Angelly olhava para o Danne com uma cara pensativa. Quando ela percebeu que eu estava olhando, ela me da um sorriso frio.


Notas Finais


Intaum... Foi isso.
Pois é.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...