História Uma nova vida em Sweet Amoris - Capítulo 99


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Castiel, Charlotte, Iris, Kentin, Letícia, Li, Lysandre, Nathaniel, Rosalya, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor Doce, Drama, Romance Adolescente, Sobrenatural
Exibições 59
Palavras 1.110
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 99 - ...Novos amigos


Fanfic / Fanfiction Uma nova vida em Sweet Amoris - Capítulo 99 - ...Novos amigos

Por mais que Lefin insistisse para me acompanhar até a escola eu não poderia salvá-lo da manhã de tédio que o aguardava.

-Por que não ajuda Deran a treinar? Ou então auxilia meu pai com o treinamento dele? Tenho certeza de que ambos adorariam te ter por perto.

-Eles sim, mas e você? Quase não temos ficado juntos. –ele continuava reclamando.

-E desde quando você se importa? Esqueceu que lá no acampamento você vivia se embrenhando na floresta? –bati o pé no chão.

-Mas eu sinto a sua falta! –sua reclamação começou a virar um choramingo. –Sinto como se eu não fosse um Familiar à sua altura.

-Mas você pode ser, irmão! –intrometeu-se Deran chegando de mansinho. –Basta voltar a ser um caracal e vocês estarão da mesma altura.

Eu ainda tentei acertá-lo com um sapato, mas ele ainda conseguia ser rápido mesmo rechonchudo daquele jeito.

-Não ligue para ele. Você ainda é a coisa mais fofinha do mundo. –falei para Lefin bagunçando seu cabelo.

Deixá-lo em casa para aturar os chiliques constantes de Deran não era bem uma coisa agradável para mim, mas eu não podia levá-lo à escola comigo e pronto.

Mal cheguei à sala e as novidades já estavam a mil por hora.

-Você viu o novato? –perguntou a Íris animadamente.

-Hoje? Creio que não. –respondi sem muito interesse lembrando do rapaz do dia anterior.

-Ele é simplesmente brilhante, como uma obra de arte. –a Violette falou de um jeito que eu até me admirei.

Mas eu não me lembro do Armin ter brilhado como uma obra de arte em momento algum.

-Pois para mim ele mais parece uma árvore de Natal. –resmungou o Castiel passando por nós.

Segui as meninas para a sala e ficamos conversando até o sinal tocar e o professor Tuomas entrar seguido de dois rapazes. As meninas suspiraram e eu arfei. Armin estava acompanhado do rapaz de cabelos azuis que eu tinha visto a alguns dias no shopping. Caramba! Gêmeos! Isso é meio que uma moda nesta cidade.

-Pessoal é muito bom vê-los novamente fortes, saudáveis e... bom, é bom revê-los. Quero que deem as boas-vindas aos nossos novos colegas de caminhada. Estes são Armin e Alexandre.

-Mas eu prefiro que me chamem de Alexy. –falou o garoto de cabelos azuis interrompendo o professor.

-Que seja. –falou o professor sem muita animação. –Encontrem um lugar e sentem-se.

O Alexy correu e sentou-se logo atrás da Rosa deixando o irmão ainda na frente da turma em busca de uma cadeira vazia. Por acaso, neste semestre o Castiel recusou-se a sentar do meu lado e decidiu que faria as pazes com o Lysandre então, parece que o Armin seria meu novo parceiro de Literatura. Só espero que ele não seja rápido com a caneta como o Castiel, pensei ironicamente.

-Bom te ver! –ele cochichou e eu lhe sorri de volta. –Que bom que estamos na mesma turma.

Enquanto o professor escrevia na lousa o conteúdo programático do semestre, observei que todos abriam suas bolsas para pegar cadernos e canetas, exceto o Armin. Ele abriu a bolsa e pegou... o que era aquilo? Um PSP? Caramba! Pensei cedo demais! Aquele garoto corria o risco de ser ainda pior do que o Castiel? Não! Ninguém podia ser pior do que o Castiel.

Olhei na direção dele e acabei notando que o Lysandre me encarava curioso. Eu lhe acenei sorrindo e ele teve o charme de ficar vermelho. Não foi uma manhã tão ruim e quando percebi o Lysandre veio ao meu encontro deixando os passantes com a pulga atrás da orelha uma vez que a escola inteira ainda acreditava que eu estava com o Castiel.

-Senti sua falta, senhorita Bryhanny. –ele falou cortesmente.

-Onde você estava ontem? –perguntei interessada enquanto ele me levava para debaixo do velho salgueiro.

-Meu pai não estava muito bem de saúde então meu irmão e eu o acompanhamos até o hospital.

Enquanto conversava com o Lysandre, descobri que seus pais eram idosos e fiquei preocupada por eles ficarem sozinhos em um lugar tão afastado quanto era o sítio deles, mas ele me tranquilizou dizendo que ambos ainda eram bastante ativos e que os visitava com frequência.

-Uma vez eu lhe prometi que a levaria para conhecê-los. Saiba que minha promessa ainda está de pé.

-Mas você não está mais zangado comigo? –perguntei admirada.

-Eu contei a verdade a ele sobre nós. –interrompeu-nos o Castiel com sua usual carranca enquanto sentava-se ao nosso lado.

-É verdade. No começo confesso que me senti traído e com mais raiva dele do que da senhorita. –o Lysandre completou cabisbaixo. –Depois ele mesmo me disse que foi um plano assaz parvo para que eu me desiludisse.

-Ei, no momento você não disse que meu plano era parvo. Você usou a palavra maligno! –discordou Castiel fazendo-me sorrir.

-Por isso eu chamei os dois aqui. Para me desculpar e dizer que se quiserem oficializar vosso relacionamento, tem meu total apoio.

-O quê? –gritamos o Castiel e eu juntos.

-Eu nunca ia querer nada com essa garota. –reclamou o Castiel em voz alta. –Imagine! Eu com essa tábua!

-Tábua, eu? –rebati. –Você não se olha no espelho, não? Com essa cara de coruja lambida!

E pensar que ontem mesmo ele estava se declarando para mim. Que idiota!

O Lysandre não resistiu e começou a rir de nós.

-A parte do relacionamento era brincadeira. Só queria ver como reagiriam. Só é uma pena não ter podido fotografá-los em suas caras de ofendidos.

-Ora seu... –esbravejou o Castiel com o punho fechado.

-Certo, garotos! –tentei acalmá-los apesar de o Lysandre continuar rindo. –Agora chega de brincadeiras. Eu também tenho algo a dizer a vocês. –esperei para continuar quando já tivesse a atenção deles. –Não precisam se preocupar em oficializar relacionamento algum comigo e nem precisam brigar por isso. Eu pensei bastante e decidi que continuar me estressando com determinadas coisas não vale a pena, por isso resolvi que não vou me envolver com ninguém, pelo menos por enquanto.

Os dois garotos me encararam surpresos e eu vi o sorriso de ambos sumirem de seus rostos.

-Acho que desse modo eu posso aproveitar melhor a companhia de todos sem que este ou aquele fique com ciúmes. Sem falar que minha vida atualmente não me permite o luxo de ter um namorado. Espero que entendam.

Eles continuaram me encarando por mais um tempo como se esperassem que eu dissesse que estava brincando, mas eu não estava. Eu não podia me dar ao luxo de perder mais nenhum amigo por ter me envolvido emocionalmente com eles. Quem disse que eu precisava ter pressa para decidir? Eu podia gostar de todos por igual e pronto. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...