História Uma palavra, um destino - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Finn, Fionna, Jake, Marceline, Marshall Lee, Princesa Caroço, Princesa De Fogo, Princesa Jujuba, Principe Chiclete, Príncipe de Fogo, Rainha Gelada, Rei Gelado
Tags Fiolee, Rivalidade, Romance
Exibições 114
Palavras 746
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Esporte, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


De 5x2, quando as luzes se apagam ganhou e tá aí o destino que levou
(Particularmente, eu prefiro esse caminho...)

Capítulo 11 - Capítulo 11 - ...


Fanfic / Fanfiction Uma palavra, um destino - Capítulo 11 - Capítulo 11 - ...

                     Anteriormente...

-F: eu escolho... Quando as luzes se apagam

           (P.O.V Marsh)

-M: tá com medo da freira?? - disse procurando comida na capa da guitarra e na minha mala.

-F: Não! Eu já assisti, por isso que eu quero quando as luzes se apagam... Mas enfim, achou alguma coisa?

-M: hãn... Aqui!!! - disse puxando dois sacos enormes de fandagos de presunto e dois de Doritos.

-F: Porra... Veio preparado né?!

-M: eu sempre venho... Já posso colocar o filme??

-F: eu vou tomar um banho primeiro me espera!

Ela pega uma toalha e a roupa dela e entra no banheiro.

Enquanto ela toma banho eu vou trocar de roupa - que porra de narração monótona é essa? - enfim... Coloco só uma calça, acredito eu que é de algum pijama, vou logo ajeitar as coisas, pra ela não ficar gritando depois, eu amo ela, mas enfim, puta que me pariu, ela se estressa por tudo... Coloquei o computador - Glória a Glob que a diretora vai deixar eu colocar uma TV aqui, se eu não assistir minha FOX e meu ID, eu vou ficar doido - juntei as duas camas, coloquei o computador em cima, peguei as "comidas" e me deitei esperando ela.
Finalmente ela saiu do banheiro e... Com a minha blusa??? Oi??? Como é a história ai??
-M: oh Fionna... Porque você está com a minha blusa?

-F: essa blusa não é sua...

-M: a não ser que você tenha uma blusa xadrez masculina, que por acaso fica um pouco grande em você, essa blusa é minha!

-F: eu vou te provar como essa blusa é minha, eu só trouxe uma, eu vou te mostrar - ela pega a mala dela, abre e começa a mexer nas roupas e acha uma blusa xadrez.

-M: opah... Acho que alguém está com a minha blusa!

-F: como... Como foi que... Como tua blusa se misturou com as minhas coisas??? Agora tô pura a tu! - não teve como eu começar a rir e cair na cama - tá, vou tirar a blusa...

-M: não não, pode ficar. Ah eu sou cheiroso! Mas enfim bora logo assistir... - disse dando espaço para ela se deitar.

O filme começou, já começou com o menino peste burro, convenhamos, todo filme de terror tem uns menino peste burro é impressionante!!!
Primeiro susto, nada da Fi se mexer, segundo, nada. Até que tem o susto da meninazinha no quarto dela (aquele que ela tá no quarto e a Maria Betânia tá arranhando o chão). PUTA. QUE. PARIU. Eu dei um pulo tão grande, a Fi deu um grito e escondeu o rosto na cama. Vai chover, a Fionna ta com medo de alguma coisa.

-M: hey! Tá bem?! Haha - coloquei o braço ao redor dela, ela estava tremendo - ei? Ta tudo bem! A chupa cabra aí é só mais uma putaria que inventaram...

Ela levanta a cabeça e olha pra mim, da pra ver o pavor no olhar dela, aí que pena dela, virei líquido - (p.o.v autora: referência ao livro o lado feio do amor) -. A partir desse olhar, não sou mais sólido, não tenho controle de mim, ela me tem na palma da mão, Fionna você me controla
Fionna você é minha rainha.
Eu vivo para você Fionna.
Fionna, Fionna, Fionna...

Eu olho para sua boca e não sei o que aconteceu com meu raciocínio lógico, eu a beijo.
Eu beijo a Fionna.
Eu a tenho para mim.
Fionna você é minha.
Fionna eu te amo.

Assim que encosto meu lábio no dela, meu chão some, estou flutuando, pela minha surpresa ela retribui. Fecho o computador e o jogo no chão, subo em cima de Fionna com o maior cuidado possível, ela é minha flor que tenho que cuidar, ela é como uma pétala delicada, minha pétala delicada... Começo a beijar ela ferozmente, se eu pudesse passaria dias e dias aqui, dessa forma, com esse clima, com esse sons, este se tornou o meu dia preferido, 12/10. O dia que eu, não era eu. Eu e Fionna nos tornamos um. Eu contarei esse dia aos meus filhos. Aos nossos filhos. Aos nossos netos.

Fionna abre os olhos, olho nos seus olhos, ela me empurra levemente.

-F: não deveríamos ter feito isso...

Ela balança a cabeça, sai de baixo de mim e entra no banheiro com a mão sobre a boca e o nariz...

Fionna você vai ser minha.
Fionna eu te amo.
Fionna. Fionna. Fionna...
 


Notas Finais


Acabei finalmente, Deus é bom, Deus é Pai.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...