História Uma pista para nós dois - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Fdb, Naruto, Viado Bolicheiro
Visualizações 45
Palavras 1.496
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - A tarde


Fanfic / Fanfiction Uma pista para nós dois - Capítulo 1 - A tarde


Deve ter sido o destino na forma mortal que os uniu. Ele sabia desde o momento em que ele olhou para ele, que eles foram feitos um para o outro. A partir de então, Ryan foi por vezes carente e fechado, mas, de repente assustado e frio. Rosendo tentou o seu melhor para esconder sua dor, mas era evidente em seus olhos. Foi assim que foi até hoje.
 
Suas orelhas em pé ao som de passos familiares. Ele contraiu o rabo alegremente e olhou para cima antes de Rosendo até falou uma palavra. "Ryan", ele disse simplesmente com um sorriso radiante. Sua voz profunda e masculina falava o seu nome como se fossem um elogio, seu cabelo brilhante, manteve um ar de despojo, desmentindo seu coração incorrigível. Ele estava vestido com suas roupas todos os dias habituais. Ele tinha uma barba avelã generosamente curvilíneo. Um bigode escuro escovado contra o lábio. Um cavanhaque adornando seu queixo. Quando Ryan se aproximava, ele sentiu uma nota de cheiro familiar de Rosendo, de cerveja e cigarro. Então, Ryan Abriu as janelas para sua alma amolecida. É sempre o lembrou dos momentos que compartilhavam.
"Rosendo. Eu temia que você pode não vir", Ryan sussurrou.
Os olhos de Rosendo arregalaram. "Claro que eu vim!"
Ryan sacudiu a cabeça. "Todo mundo me abandonou."
"Isso é terrível", Rosendo murmurou. "Eu juro que não vou." Ele carinhosamente estendeu a mão para ele, e cuidadosamente ele passou os dedos na sua. Com isso, eles começaram a caminhar pela rua. À medida que prosseguiam com ternura a caminho da pista de boliche,  Ryan meditou sobre as dúvidas que o perseguiam, arrastando-o como uma sombra triste. Seus lábios suavemente se separaram das confissões que brotaram em sua garganta, apenas para ser engolido de volta em um desafio severo. Ryan lutou para manter a compostura em conjunto frágil.
"Eu estou ... feliz que eu fui capaz de vê-lo hoje", Ryan sussurrou, firmando sua voz trêmula. "Enquanto eu ainda tenho você aqui, isso que importa ..."
Um leve rubor tingiu as bochechas Rosendo; ele virou o rosto com uma risada nervosa.
"Heh, eu também, Ryan!" Rosendo não pegou a dica de mau agouro no tom de Ryan. "Uh ... então ... o que está em sua mente?"
Apesar do entusiasmo na resposta de Rosendo e seu sorriso, o coração de Ryan afundou como os pinos de boliche que pareciam cair em um buraco sem fundo. O que Rosendo pensar disso? Será que ele recua de desgosto? Com medo? Envergonhado?
Mas Rosendo era diferente do resto. Sob esse charmoso exterior, de saída, havia um coração verdadeiramente bom. Dor e dúvida atormentava Ryan, que antes Rosendo quase extinguiu-lo com seu otimismo contagiante.
Ryan sacudiu a cabeça inclinou-se ligeiramente com o pensamento. Ele estava mentindo para ele; Ryan não era digno de sua bondade. Ryan foi ... Sempre aquém. Ryan não merecia.
Antes, Ryan poderia notar e represar os sentimentos, alguns strikes depois e seus pés que estavam doendo muito pelos sapatos de boliche. Lágrimas rolavam por seu rosto em uma perpetuidade suave, como balas quentes. Depois vieram os soluços, sem fôlego e suave como a bile escura em seu coração começou a ferver e borbulhar sob a forma de silêncio, gemidos trêmulos.
"Hey! Hey agora", Rosendo murmurou, puxando Ryan perto de seu peito. "Qual é o problema?"
Ryan se afastou e olhou para os olhos profundos de Rosendo. A alegria afável, aqueles pensamentos profundos uma vez realizados, desde então deu lugar à apresentação de propostas de socorro.
"Não é nada. Por favor, não se incomode."
Ryan lançou seu semblante perturbado e lutou contra as lágrimas. Rosendo ia jogando a bola lentamente, rolou e suspirou com suas respirações trêmulas, e a cada segundo que passava era uma maior sobrecarga cantado seu lamento. A recém-descoberta determinação fixou-se nos olhos de Rosendo, e ele puxou Ryan perto.
"Isso é um absurdo", ele murmurou confortando, acariciando lentamente parte superior das costas de Ryan. "Você tem que me dizer o que está acontecendo."
"Eu ... eu nunca poderia fazer isso para você, Rosendo. Há algo sobre mim que você não sabe, e eu temo é ... é demais para suportar."
"Vamos lá. O que poderia ser tão ruim que você não me contou?" Rosendo tentou animar Ryan-se com um sorriso tranquilizador.
"Eu mal posso colocar em palavras. Você me tratou tão bem, e eu nunca quero que isso mude."
"O que faz você acha que vai mudar?"
Embora reconfortante, a bondade em garantias de Rosendo única agravou o sofrimento de Ryan.
"Aja indiferente como quiser, então!" Ryan soluçou mais alto do que ele pretendia. "É horrível tudo a mesma coisa!"
"Bem, seja o que for, eu não me importo!" Rosendo gritou em desafio. "Nós vamos suportar isso juntos!"
A firmeza súbita, ainda gentileza na voz de Rosendo desenhou um leve suspiro dos lábios de Ryan. Rosendo verdadeiramente cuidados ... para uma pessoa como ele. Ele balançou a cabeça, outra onda de soluços era um desafio de superação.
Depois de alguns momentos, eles encontraram-se andando pela rua novamente. Ryan não conseguia parar de pensar sobre o seu manto de dor. que o atormentava sem parar - enquanto ele estava longe de Rosendo ele se sentia triste, e enquanto ele estava próximo. Ele ameaçava consumi-lo. Quando Ryan tinha deixado as dicas mais fracas escorregar nos momentos antes, ele já tinha ido muito contra muito de sua vontade.
Com preocupação, Rosendo voltou seus olhos ousados ​​em direção Ryan. "Ryan? Qual é o problema?"
"Rosendo ... é ..."
E naquele momento tudo veio junto, toda a magia e a dor que vinha crescendo naquele dia, e ele fechou as profundezas com seu e sussurrou: "Você pode me dizer."
Foi como uma explosão estrondosa, ou alguma barreira do medo tinha sido derrubada. Ryan sacudiu a cabeça e tudo saiu de uma só vez. "Eu não sei se eu posso colocar em palavras. I ... ultimamente ... ele pode até não ser apenas recentemente .... Não é nada. Não é nada! Eu só ... Eu não me sinto bem .... Eu não sei onde ele está, se ele habita em meu coração na minha cabeça. dói, Rosendo ... não há nada que ajude. Só que ... às vezes, eu me sinto um pouco melhor quando você está ao meu lado .... "
Rosendo ouviu silenciosamente e solenemente. Por fim, quando todas as palavras tinham deixado Ryan e ele estava em uma perda para palavras, Rosendo estendeu a mão para ele e respirou fundo para sussurrar de volta, "Eu sei, Ryan. Eu sei como ele se sente. Você vê, que tem sido minha vida  também. meu manto de dor .... Eu não disse a você, mas está me incomodando muito. mas ... não importa. " Rosendo colocou as mãos nos ombros de Ryan. "Eu estou aqui por você, Ryan.para tudo que você precisar de mim."
olhos de Ryan começou a queimar, e ele abruptamente puxou Rosendo em um abraço feroz. Ampliou no início, mas, em seguida, ele também se sentia oprimido pela emoção e sucumbiu ao calor do toque de Ryan.
"Você", Ryan sussurrou, sua respiração quente na orelha de Rosendo. "Enquanto você está aqui, eu ... eu posso fazer isso." Eles se abraçaram, enquanto as lágrimas escorriam pelo rosto e pingou sobre as mãos de Ryan que estavam fazendo ganchos perfeitos para introduzir em bolas de boliche. Com o tempo e abraços reconfortantes, sua dor se dissipou em uma névoa varrida pela brisa.
Eles se deleitou com a companhia tranquila do outro por alguns momentos.
"Olha ... é uma bola de boliche."
Ryan levantou a cabeça com as palavras de Rosendo contemplando o brilho flamejante de uma bola lustrosa e grande, ele disse
"É assim que se joga boliche Rosendinho?"
Depois de um momento de silêncio, Rosendo tomou as mãos de Ryan na sua e disse calmamente e sério ", Ryan, eu preciso dizer alguma coisa Sem você, eu seria o mar sem a lua -. A lua sem o sol - I .. . Quer dizer, o que eu quero dizer é ... "
"Rosendo", ele respirou em resposta. "Eu não sou tão especial."
"Você é", Rosendo insistiu, soando quase magoado. "Eu não estou mentindo."
"Eu não quero dizer que você está mentindo. Só que ... não importa. Rosendo ... você é ... precioso para mim também."
Rosendo trouxeram suas mãos unidas aos lábios. "Então ... tanto tempo como quiser, nós nunca vamos se separar."
Ryan suspirou de contentamento e trouxe Rosendo mais perto. Ele olhou para sua mão dentro de uma bola de boliche, pensando em tudo o que havia acontecido neste dia e tudo o que se passou entre eles.
"Eu te amo, Rosendo."
"Eu também te amo, Ryan."
Seus lábios se encontraram, e fios de cacau se encontraram com os manchados de tinta, chamas à luz morrendo. As crianças que jogavam boliche na pista do lado era seu público, e Rosendo, seu eternamente fiel amante. Ryan pensou que nada tinha sido tão perfeito para ele como aquele momento.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...