História Uma Rainha Sem Coroa - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Armin, Castiel, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais
Tags Amor Doce, Ecchi, Hentai, Horror
Exibições 26
Palavras 1.823
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Ecchi, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Meu Diabinho!


Fanfic / Fanfiction Uma Rainha Sem Coroa - Capítulo 13 - Meu Diabinho!

                        ​​Castiel On
Já tinha mandado a minha Sanidade pra Puta que pariu!  quando se trata da Nally, qualquer juízo que me resta simplesmente evapora, tentei ser calmo, demonstrar que ainda mantinha o controle, mas meu corpo e meus instintos pareciam cada vez mais atiçados a cada gemido da mais nova na minha orelha, Minhas mãos percorriam cada centímetro do corpo dela, apertando suas coxas e sua bunda, fui subindo lentamente minha Mão direita ao encontro de seu Seio ainda a beijando ferozmente, meu corpo estava quente, minha respiração por tão pouco já se encontrava falha, e eu estava adorando tudo! Massagiei o seio da mais nova ainda coberto pela camisola, mas já podia sentir seu bico rígido mostrando que a mesma já se encontrava excitada, me sentei em cima da cama e puxei delicadamente a mão da Nally para mim sem nos separarmos em nenhum momento, a Albina sentou no meu colo colocando suas mãos em meu pescoço,  acabei gemendo em sua orelha vendo os pêlos de sua nuca ficarem eriçados, talvez ela faça essas coisas apenas para me provocar mais ainda, não sei se foi por maldade, ou apenas para me matar do coração, mas a Nanica começou a rebolar devagar bem em cima do meu pau, me fazendo gemer sôfrego, fechei  olhos com força tentando manter a calma, quando na verdade o que eu queria era arrancar essa MALDITA camisola e fazer essa fedelha minha aqui e agora, podia sentir meu pau dolorido de tanta excitação, latejando cada vez que sentia o mesmo ir para a entrada úmida e quente da mas nova, tendo apenas um fino pedaço de pano impedindo o contato mais direto, ficamos uns minutos apenas roçando um no outro, então decidi irmos um pouco mais longe, com cuidado peguei nas Barras de sua camisola branca e fui subindo devagar até a altura de seus seios onde os olhei com uma vontade maior ainda de rasgar esse pano que tanto me atrapalha, olhei para a Nally e ela tinha os olhos na cor castanho escuro e me olhava decidida, então sem esperar a própria Nally retirou a peça e jogou em um canto qualquer do quarto, ela estava agora apenas de roupas íntimas e eu de calça de moletom, achei injusto e decidi colaborar, deitei a Nally novamente na cama ficando por cima dela e a beijei novamente, nossas línguas dançavam em perfeita sincronia, eu explorava cada centímetro da boca dela, Sempre que minhas mãos bobas entravam em ação, a Albina gemia me fazendo estremecer por completo, enquanto a beijava fui abaixando minha calça Juntamente com a box preta que usava, desci os beijos em direção ao seu pescoço alvo, a Mais nova gemeu alto, fincando suas unhas em meus ombros deixando um rastro fino de sangue como consequência, sorri sacana para a Garota que já tinha sua respiração falhando, com uma das mãos arranquei o sutiã preto da pirralha a fazendo arregalar os olhos por um segundo,abocanhei o seio Direito da Albina mordiscando e lambendo o mesmo,enquanto estimulava o esquerdo,  as mãos da Nally foram de encontro aos meus cabelos  e ela puxou-os com força enquanto gemia Alto
-A-aah, i-isso é... B-Bom,  mu-muito  bom. –A garota mantinha as mãos nos meus cabelos enquanto puxava com mais força
-Você não viu nada! –Pisquei para ela que me olhou sem entender,  desci até sua intimidade deixando um rastro de saliva em sua barriga vendo os pêlos da Nanica arrepiados 
Me coloquei no meio de suas pernas segurando firmemente suas coxas, Nally me olhou incerta,  mas assim que dei um casto selinho na sua área mais sensível ela logo pareceu ter ido nas nuvens falado com os Anjinhos e voltado para aquele quarto, ali ainda tinha algo que me incomodava... Sua calcinha, em um movimento rápido arranquei a peça e a joguei em cima dos seus amados Livros,  agora sim eu teria um motivo para ler eles, a Garota não protestou em nenhum momento,  apenas fechou os olhos com força e esperava cada toque meu, em um movimento rápido adentrei sua intimidade com a língua,  comecei lambendo, e logo depois chupando sua região rósea,  Nally apenas gemia mais e mais Alto Arquiando as costas, Ela tirou as mãos do meu cabelo e segurou nos lençóis da cama que agora se encontravam meio Bagunçados, fiquei nisso por um tempo, apenas me deleitando com os gemidos prazerosos da mais nova, só que me pau só falta explodir de tesão, e eu prefiro que isso aconteça quando eu estiver dentro da Nally, sem ao menos avisar a penetrei com dois dedos fazendo a pirralha arquear as costas e dar um “gritinho”, senti ela ficar tensa, então comecei a lamber e mordiscar seu clitóris a fazendo relaxar mais, comecei com movimentos lentos de vai e vem a fazendo se acostumar com a sensação e ao mesmo tempo abrindo um pouco mais a passagem para o meu membro que logo estaria ali dentro, mas antes de enfiar um terceiro dedo, senti as paredes internas da Garota se contraindo,  não tinha dúvida,  ela teria seu primeiro orgasmo,  acelerei os movimentos,  brincando com o clitóris dela, Eeeh, bem, esse foi o ponto fraco da mais nova, assim que percebi a situação,  estava com a boca cheia do líquido da Nally, e porra! Era tão doce quanto ela, olhei pra cima e Vi que ela tremia um pouco e tinha a respiração descompensada,  via seus seios subindo e descendo rapidamente,  me levantei a dando um rápido selinho e procurando uma camisinha qualquer( é sempre bom estar precavido, não? Haha! ) retirei o resto da minhas roupas e joguei no chão,  abri o pacote de Preservativo e coloquei lentamente no meu membro que já estava dolorido a essa altura do campeonato,  a Albina levantou-se um pouco se Apoiando com os cotovelos e olhou para mim  insegura,  principalmente depois que ela viu o tamanho do meu pinto, hahaha!  Ela fez uma cara muito engraçada,  tive que me esforçar muito para não rir de sua reação, assim que terminei de colocar o Preservativo a dei um rápido selinho e me posicionei no meio das pernas dela, ela colocou os braços ao redor do meu pescoço e afundou o rosto no meu ombro, tive pena dela admito,  mas logo, logo ela vai estar pedindo por mais. 
-Não se preocupe,  não vai doer muito, prometo! – A dei um beijo na bochecha e coloquei a cabeça do meu pau na entrada da Nanica,  por sorte ela estava bem excitada,  o que vai facilitar bastante o processo aqui, a penetrei de leve e a pequena deu um gemido de dor baixinho –calma,Calma ...
-M-mas Castiel, Dói muito! –Disse manhosa 
-Vai passar... Eu prometi, lembra? –Segurei seu queixo a fazendo me encarar,  ela deu um breve aceno e olhou para baixo, a beijei novamente com vontade para evitar fazê-la gemer de novo, eu amo os gemidos dela, mas só quero gemidos de prazer,  não de dor. Se eu continuar lento desse jeito a dor não vai passar nem tão cedo. Decidi então fazer isso rápido, para evitar esse Incômodo para nós dois, então enfiei com rapidez boa parte do meu membro dentro dela, nos fazendo gemer ao mesmo tempo,  só que o meu Gemido era de prazer,  já o dela, era de dor,  senti uma lágrima teimosa na minha pele,  minha pequena tava chorando, deu um aperto forte no meu coração,  mas ela iria gostar depois, vai ver... Sequei suas lágrimas e esperei até Ela se acostumar com a sensação, tentando controlar ao máximo a minha vontade de dar estocadas fundas e rápidas, observei cada detalhe da Nally, peguei uma mecha de seu cabelo que estava grudado na testa dela graças ao suor e coloquei atrás de sua orelha, sorri carinhosamente para ela, a Nally em resposta rebolou no meu pau, me fazendo perder novamente o meu lado "romântico"( e Sã ) então comecei a dar estocadas fundas e lentas fazendo nós dois gemermos, dava sempre estocadas fundas nela, me retirava completamente de dentro dela e voltava com um pouco mais de força

-M-Mais rápido C-Cassy! -ela disse com a voz embargada de luxúria,  e isso sim era a visão do paraíso, minha Nanica suada, nua, com os seios vermelhos, com marcas de puxões no pescoço alvo, pedindo para EU foder ela, APENAS EU... A Nally é apertada,  do jeito que eu gosto, aliás, tudo nela é do jeito que eu gosto!

nossos gemidos eram o único som que conseguíamos escutar além dos batimentos dos nossos corações, comecei com uma sequência de estocadas fundas e rápidas, a força era tanta que até a cama começou a se mexer para nos acompanhar, se ela quebrar não tem problema, vamos para o meu quarto e terminamos o que começamos lá.
E agora sentia que não podia parar por nada mesmo, o mundo poderia estar desmoronando lá fora, eu poderia morrer agora mesmo, pois morreria feliz, feliz por ter sido o primeiro a Tocá-la,  Feliz por ter sido o primeiro a fazê-la gemer como uma Vadia, feliz por saber que ela estava ali, tão entregue aos meus beijos, as minhas carícias, saber que amanhã ela Estaria marcada por mim, saber que ela sempre Estará marcada por mim, estou parecendo um retardado, mas não cansaria nunca de dizer o quanto estou feliz por ter feito a minha Anjinha ir para o céu sentindo o prazer de cometer um pecado
-Então Anjinha...vamos para o céu juntos? –Disse sorrindo malicioso para ela que sorriu doce em retribuição, Puta que pariu! Esse sorriso! segurei sua mão delicada entrelaçando seus dedos finos nos meus, e apertei com força quando senti meu ápice chegando, trinquei os dentes com força e olhei para a Albina em baixo de mim que fechou os olhos com força E Arquiou o corpo logo em seguida
-A-aah! C-Cassy!... –Não achei que fosse possível me sentir mais excitado, mas estava enganado, assim que a baixinha gemeu, chamando meu nome, Senti que podia ter um segundo orgasmo naquele momento mesmo, me retirei de dentro dela e tirei a camisinha com cuidado dando um nó, jogando no lixo do banheiro logo em seguida, depois me deitei novamente virando a Nally de lado e a abraçando com delicadeza, não pude deixar de perceber uma mancha de sangue nos lençóis da cama, ela era virgem, a minha pequena era virgem, respirei fundo tentando fazer meus batimentos voltarem ao normal, e pude sentir o aroma que esse Quarto tem agora, um aroma pôs-sexo e ao mesmo tempo o perfume adocicado da Nally, e pensar que a poucos dias atrás esse era o quarto que eu só trazia as vadias do Colégio para me satisfazerem, Mas agora não quero nenhuma delas, apenas acho que a Ambre não vai encarar isso muito bem hehe, mas sabe como é né, prefiro muito mais a minha Anjinha Nanica do que essa Patricinha mimada. Agora terei bons motivos para vir para esse Quarto, depois disso tudo, nem percebi quando acabei adormecendo.


Notas Finais


Hehe aiiiii o tão sonhado Hentai!! \O/ comecei esse Hentai de 19:00 hrs e tô acabando agora!! ;-; meu Kami-sama! mas tá aí! :v dever cumprido com sucesso :') Agr será que mereço comentários?? Hehe 😏 leitores fantasmas 👻 apareçam que eu não mordo não!!e adivinha quem vai pro show dos Bts em São Paulo?? 😏 isso mesmo!! Não será eu ;-; pq não moro em São Paulo e tô pobre d marré de si, mas é aí?? Cês vão??! s forem...me levem! ;3; sou baixinha, caibo na mala :') s2 hehe brincadeira :'v mas s vocês quiserem né 😂😂 vaiki...
E Até o próximo Capítulo e Kissus com gosto dos bjs dos Bts ò.ó


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...