História Uma Razão Para Viver - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~Princesa--Luna

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Suga, V
Exibições 5
Palavras 882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oioi, boa leitura
até as notas finais^^

Capítulo 12 - Natália...?


  Luna On:

O Tae estava muito triste, muito mesmo... eu não sabia o que fazer, só o abraçava para ver se aquilo melhorava... de certa forma, melhorava. Fomos no enterro de sua mãe, ele estava com uma carinha triste e olheiras fundas, não estava bem, como eu gostaria que ele estivesse bem... Seus parentes foram. Não eram muitos, mas dava para perceber que a maioria que estava presente não se importava com a mãe do Tae e nem com ele. Até se a pessoa mais "burra" conseguiria perceber, porém, isso não vem ao caso.

Depois de 1 mês do acontecido com a sua mãe, o Tae estava aparentemente bem, pois, eu não sabia o que se passava dentro dele, com certeza eram saudades.

Levarei o Tae para um parque hoje, para distrai-lo um pouco.

- Taeeee! Já está pronto, amor?

- Espere um pouco... Pronto! Estou descendo.

O normal seria eu demorar para me arrumar não é? Mas, o Tae que demora e não é pouco.

- Vamos? - Tae acente e vamos embora.

~ Quebra de tempo ~ 

- AAAAAA AQUI É LINDO - Tae sai correndo - Obrigado! Obrigado mesmo! - Diz me dando um selinho. 

Pego em sua mão indo em direção à uma roda gigante.

- Vamos nela? - Digo fazendo um biquinho - Por favorzinho...

- Okay, vamos.

Fomos para a fila esperar a nossa vez. Não demorou tanto e já entramos em uma das cabines, eu senti um arrepio na espinha por um pequeno tempo ao me sentir sendo observada. Deixei de lado, deve ser só uma coisa da minha cabeça.

- Daqui de cima é bem bonito não é?

- Sim, é sim. - Digo sorrindo encarando o meu namorado. - Mas, nada é mais bonito que você.

- Luna... Eu não sou isso tudo não. Calma.

- Tae, você sempre tem essa auto-estima "baixa"? Você é lindo do jeito que é, eu sei que você se importa com o que os outros falam de você, pode parecer que não, mas você se importa. Você é lindo sim, uma pessoa boa, engraçada, inteligente,...por essas coisas e outras que eu te amo - Levo minha mão até uma de suas bochechas acariciando-a com o meu polegar - Não seja assim viu? Se não, vou ser obrigada a te agredir, mesmo que eu não seja muito dessas coisas... - Digo fazendo um biquinho

- Desfaz esse bico.

- Não! Vem desfazer você - Corei. Por que eu falei isso? Meu deus... saio dos meus pensamentos ao sentir os doces lábios do Tae que eu tanto amava. A falta de ar se faz presente e encerramos o beijo com uns selinhos.

Acabamos por ficar admirando a bela vista ao nosso lado, olhei para Tae e o mesmo estava admirado com a vista. Ele sempre foi assim e eu sempre amei isso nele.

Depois de um tempo ali, logo descemos e fomos à outro brinquedo. Não vou entrar em detalhes, só digo que fomos ao trem fantasma e Taehyung quase pulou do brinquedo por culpa de seus medos. Não vou mentir, foi engraçado.

Agora, cá estamos nós em um banquinho no parque, "descansando"

- Tae... eu sei que fui eu que te trouxe aqui e que eu deveria buscar comida para você e essas coisas, mas... Pode pegar um salgado para mim?

- Ousada. Eu vou - Depositou um beijo em minha testa e foi buscar o salgado.

Logo a sensação de estar sendo observada voltou, dei de ombros e fiquei olhando as pessoas naquele parque. Estavam felizes, crianças correndo e puxando seus pais para todos os lados, até mesmo idosos se encontravam presentes naquele lugar. Virei minha cabeça para a direção anterior novamente (frente), tinha uma mulher sentada em um banco à minha frente. Ela me encarava de um jeito estranho, como se eu fosse culpada de alguma coisa. Ela se levantou e veio em minha direção, fiquei confusa, mas logo pigarriei quando a mesma se aproximou.

- Olá, te conheço? - A moça nada respondeu. Senti minha bochecha arder, ela tinha me dado um tapa?! - Por que me bateu? Está louca ou o que?

- Você roubou o MEU Taehyung! Agora vai pagar por isso.

A vagabunda -tinha que chamar assim- veio para cima de mim me batendo e eu tentei bate - lá o máximo possível, porém, ela era muito forte. Senti uma dor imensa na minha cabeça, consegui ver as pessoas olhando para nós, a esse ponto eu já estava no chão. Me levantei e bati nela. Quem ela pensa que é para me bater?! Umas pessoas seguraram ela e o Tae me segurou.

- Me solta! - Disse a Filha da mãe se debatendo contra o homem que lhe segurava - Ela merece apanhar! Ela roubou o meu Taehyung!

- Levem ela daqui! - Disse um senhor. Logo a mulher desapareceu, mas antes gritou um "EU VOU VOLTAR! E ELE SERÁ MEU NOVAMENTE!" 

- Luna, está bem?

- Estou sim, Tae. Só quero ir embora...

- Sim, sim. Vamos.

Fomos embora sem trocar nenhuma palavra. Chegamos em casa em um completo silêncio, logo o quebrei.

- Você conhece essa mulher? Ela estava dizendo que você era dela. Kim Taehyung, o que está acontecendo?

- Natália... É a Natália...

"Mas que merda é 'Natália'?" 

     Continua...


Notas Finais


BUUUU
desculpa pela demora, mas eu estou cheia de trabalho. Vida de estudante não é fácil </3
Queridos leitores, só um aviso... Essa treta foi pequena, mas se preparem... Vai chegar uma pior :)
OPA
Votem no Bangtan ein! As votações estão chegando ao fim.
Beijos, até o próximo capítulo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...