História Uma ressaca de nove meses. - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Arthur Pendragon, Ban, Diane, Elaine, Elizabeth Liones, Escanor, Gilthunder, Gowther, Griamor, Guila, Hauser, Hawk, Helbram, Hendriksen, Jericho, King, Margaret, Meliodas, Merlin, Simon, Veronica, Zaratras
Visualizações 628
Palavras 1.217
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 38 - Essa é a casa da minha família


- Bom dia - Bocejo sonolenta e apenas resmungo ao vê-lo tão animado.

- Você acordou cedo - Digo e Meliodas encolhe os ombros.

- Recebi uma ligação - Ele responde e me entrega uma xícara de café.

Que raro na maioria das vezes é chá.

- Uhn - Resmungo e ele se senta na minha frente.

- Vamos tirar uma semana de férias?

Olho  confusa para ele.

- Por que?

- Vai ser bom pra nós - Ele retruca e me olha com expectativas - E aí?

- Está bem - Digo - Pra onde vamos?

- É surpresa - Ele sorri.

Uhum, onde ele vai me levar?

                      ★★★

- O quê?! - Elaine pergunta surpresa - Como assim você vai sair por uma semana?

- Eu apenas vou sair e preciso que você e a Diane cuidem das coisas por aqui.

- Tá isso já entendi - Ela resmunga - Mas pra onde você vai?

- Não sei - Encolho os ombros e ela me olha séria.

- Elizabeth, você é idiota?

Olho com espanto para ela, quando Elaine se tornou tão preocupada comigo assim?

- Desculpe?

- Como assim você vai para um lugar que nem sabe onde?

- Eu não vou sozinha - Explico - Meliodas vai estar junto.

- Ah ótimo - Ela ri sarcástica - Estou bem menos despreocupada agora.

- Elaine, confia em mim, eu vou ficar bem.

- Uhm - Ela resmunga - Bom mesmo.

Sorrio para assegurá-la e me levanto da cadeira.

- Agora preciso ir - Digo e ela cruza os braços.

- Baltra sabe disso?

- Err - Sorrio culpada - Não.

- Elizabeth! - Elaine diz meu nome como se me desse um aviso e eu olho para baixo constrangida.

- Eu conto para meu pai depois.

- Eu vou cobrar você.

- Okay - Pego minha bolsa - Estou indo.

- Vá com cuidado sua desajustada! - Ela sorri e eu agradeço rindo.

Saio da minha sala e entro no elevador usando o espelho das paredes para arrumar meus cabelos e suspiro ao perceber que agora não tenho mais como esconder minha gravidez, porque minha barriga resolveu aparecer de uma vez para exibir as 16 semanas, segundo Gowther, 4 meses.

Saio do elevador e me despeço das meninas que arrumavam a loja e não me surpreendo em não encontrar Diane alí, já que é a hora do almoço, e provavelmente, ela deve estar com o King por aí. Sorrio ao imaginar como ela deve estar escapando das sugestões de King para que eles também tenham filhos. 

Paro de rir sozinha e coloco as mãos na cintura ao ver Meliodas abaixar o vidro do Veloster e ele pisca, atravesso a rua e entro no carro olhando séria para ele.

- Nós não estamos indo viajar agora né? 

- Tecnicamente sim - Ele volta a dirigir e eu fico emburrada.

- Tão rápido? 

- Vai demorar algumas horas para chegarmos onde vamos ficar.

- Okay - Retruco e solto o cinto de segurança para ter liberdade o suficiente para me movimentar e jogo minha bolsa no banco de trás e em seguida me curvo para afrouxar meus sapatos.

Meliodas abafa uma risada e eu olho de esguelha para ele, porém mesmo assim não paro de puxar os cadarços e irritada descalço meus coturnos.

- Pronto - Suspiro aliviada e ajusto o cinto novamente.

Interessada olho para o loiro quando ele entra na rodovia e eu tento olhar em algumas placas para ter uma ideia de onde iremos, mas a curiosidade fala alto demais para que eu fique quieta.

- Você não me disse para onde vamos. - Comento e ele fecha às vidros do carro parando o vento que bagunçava meus cabelos.

- Ainda não conseguiu adivinhar? - Meliodas questiona e aponta para a autoestrada - Onde esta estrada vai nos levar?

- Danafor ou Vaizel - Argumento - Só que ambos demoram horas para chegarmos.

Meliodas sorri concordando e eu resmungo a respeito que ele não ajudou em nada com sua resposta sobre para onde vamos e prendo a respiração quando ele acelera o carro e os outros ficam devagar comparado com o Veloster.


                        ~✓~

- Você está me irritando com sua inquietação - Meliodas grunhe quando tento achar uma posição confortável no banco do carro.

Uni os lábios irritada e fito a tela do meu celular notando que já estamos há uma hora na estrada.

- Eu estou desconfortável - Reclamo -  E estou com fome e quero fazer xixi.

- Tem um posto de conveniência um pouco mais pra frente. - Ele responde.

Concordo e como ele disse um pouco à frente Meliodas para para abastecer o carro e eu aproveito para usar o banheiro e ir comprar alguma coisa pra comer.

- Vamos? - Me aproximo abraçada a um saco tamanho família de salgadinho e uma garrafa de suco natural, apenas para não ficar com peso na consciência.

Meliodas abre a porta do carro para que eu entre e aproveita para roubar um pouco do meu salgadinho antes de ir para o lado do motorista e eu alegremente começo a comer para ocupar o vazio no meu estômago.

- Você quer? - Balanço o pacote em direção ao loiro que sorri.

- Querer eu quero, mas não posso ficar dirigindo com uma mão só.

- Que responsável - Digo irônica também referindo-me aos machucados que ele ganhou por causa da noite anterior.

Meliodas ri ao notar minha ironia e ameaça soltar uma das mãos do volante e eu ofego, alta velocidade não combina com desatenção.

- Nem pense em fazer isso - Chio.

- Então me dê logo um pouco desse salgadinho.

Fico em silêncio e apenas para provocá-lo pego um pouco e como fazendo questão de dizer o quão gostoso está.

- Ah, então é assim? - Ele arqueia as sobrancelhas e eu rio concordando.

- Abra a boca - Resmungo e ele obedece esperando que eu coloque alguns dos palitinhos em sua boca, o que eu faço para perceber só depois o quanto isso foi estranhamente íntimo.

Aos poucos vou sentindo meus olhos arderem de sono e eu guardo o pacote no porta-luvas e me encosto no banco decidida a dormir.

                        ~★~

- Elizabeth, acorde.

- Uhn? - Bocejo e ao movimentar minha cabeça sinto o terror de ter cochilado com a cabeça tombada - O que foi?

- Estamos chegando - Meliodas comenta e eu esfrego meus olhos para espantar o sono.

Olho para o parabrisa do carro e a enorme placa com o nome da cidade aparece e eu sorrio.

- Vaizel?

- Sim - ele concorda e entra em uma rua bem asfaltada da cidade - É uma ótima cidadezinha.

Aos poucos algumas casas vão surgindo e ele estaciona o carro em frente a uma casa bem parecida com a dele em Liones, a única diferença é que não há muitas casas na redondeza.

- Chegamos - Meliodas se vira para mim.

- Não sabia que você tem uma casa de campo - Falo e ele sorri.

- Essa é a casa da minha família.

- O quê? - Arregalo os olhos surpresa - Oh meu Deus.

- Relaxa - Ele se inclina e beija minha testa - Acho que você vai gostar deles.

- E se eles não gostarem de mim? - Pergunto receosa.

- É impossível não gostar de você, Elizabeth. - Meliodas me tranquiliza e eu me inclino beijando-o suavemente - Agora vamos entrar.

Mesmo nervosa por estar prestes a conhecer a família do Meliodas, não deixo de admirar a beleza das montanhas de Vaizel e saio dos meus devaneios quando o loiro segura minha mão me confortando e sorrio agradecida já que o nervosismo não parece querer me deixar.






Notas Finais


Ellie segura o forninho que a família do Meliodas não é fácil não 😂😂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...