História Uma ressaca de nove meses. - Capítulo 83


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Arthur Pendragon, Ban, Diane, Elaine, Elizabeth Liones, Escanor, Gilthunder, Gowther, Griamor, Guila, Hauser, Hawk, Helbram, Hendriksen, Jericho, King, Margaret, Meliodas, Merlin, Simon, Veronica, Zaratras
Visualizações 386
Palavras 1.327
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 83 - Eu vou ser tio?!


- E então... Onde está o Estarossa? - Meliodas questiona assim que se joga ao meu lado.

- Lá em cima - Zeldris responde - Deve estar dormindo ainda.

- O quê? - Comento surpresa depois de engolir o que estava mastigando - Já está tarde!

- Ele está assim há um tempo - Gelda responde - Já desisti de tentar tirá-lo daquele quarto.

Respiro fundo e deixo meu hashi dentro da caixinha antes de me levantar do sofá.

- Vou tirar aquele menino preguiçoso da cama - Afirmo e Meliodas ri.

- Ele tem a mesma idade que você baby.

Dou de ombros e subo as escadas em um ritmo constante rumo ao quarto de hóspedes.

- Estarossa! - Exclamo assim que abro as portas brancas e entro no quarto extremamente bagunçado.

Encontro-o no meio da cama de casal, embrulhado no meio de um cobertor azul escuro.

- Levante-se daí seu menino preguiçoso! - Exclamo abrindo as cortinas e ele grunhe.

- Para com isso Gelda, me deixe quieto.

Coloco as mãos na cintura e encaro o amontoado sobre a cama.

- É Elizabeth, não Gelda - Falo séria e ele senta depressa na cama.

- Elizabeth! 

Sorrio.

- Até que enfim levantou - Digo - Agora saia da cama.

- Eu não...

- Nós temos que conversar, Estarossa - Olho para ele - Eu, Meliodas e você.

Ele suspira audivelmente e esfrega as mãos no rosto.

- Eu não quero - Estarossa grunhe.

- Eu não te dei opção - Dou de ombros - Você tem cinco minutos para descer até a sala.

Saio do quarto ouvindo ele reclamar agindo como mãe.

Paro no início da escada e suspiro cansada sentindo algumas dores fracas.

Cólicas.

Devo me preocupar?

                        ★★★

Coloco minha mão esquerda em mimha barriga e respiro fundo voltando a descer as escadas, mas desta vez segurando no corrimão.

- Achei que vocês não iam mais voltar pra casa - Ouço Zeldris comentar com o irmão assim que me aproximo do arco da porta.

- Tínhamos assuntos pendentes - Meliodas responde em um tom desinteressado - E a Elizabeth queria passar mais um tempo fora de Liones.

- Poderia ter nos avisado - Gelda resmunga - Vocês nem sequer lembraram de nós.

- Uhm... Isso foi descuido meu - Afirmo assim que entro no cômodo - Desculpe.

Gelda vira a cabeça para me olhar e em seguida encolhe os ombros.

- Pelo menos se divertiram?

- Muito - Sorrio e sento no sofá novamente - Acredita que esse estúpido pulou de uma sacada para outra, estando no quinto andar?

Zeldris arregala os olhos.

- Tem sorte que ele não errou o salto.

- Verdade - Balanço a cabeça e Meliodas sorri.

- Conseguiu acordar o Estarossa? - Ele questiona e se inclina para beijar meu ombro nú, abro a boca para responder mas o grunhido irritado desvia minha atenção e Estarossa entra na sala esfregando os olhos.

- Olá bela adormecida - Meliodas provoca o irmão que ergue a mão fazendo um gesto obsceno e se senta na poltrona livre.

- Finalmente saiu daquele quarto - Zeldris comenta olhando para Estarossa.

- Cala a boca - Ele grunhe irritadiço - Minha cabeça dói.

Observo Estarossa se curvar para alcançar a garrafinha de suco que ainda estava lacrada.

O silêncio que se instala no cômodo não é nem um pouco agradável e aos poucos sinto como se a tensão estivesse acumulando-se em meus ombros me deixando extremamente desconfortável.

- Eu... 

- Desculpe.

Estarossa diz de repente fazendo-me calar e olhá-lo inexpressiva.

- Uhm... Desculpe-me - Ele prossegue - Mesmo bêbado eu não deveria ter te beijado, foi muito errado e eu me arrependo.

Fico em silêncio mesmo após o término do seu pequeno pedido de desculpas e encolho os ombros.

- Você estava bêbado - Digo séria - Não tinha noção do que estava fazendo.

- Mas por causa disso você foi embora...

Balanço a cabeça e sorrio.

- Não foi por causa do beijo - Afirmo - Foi por causa do retardado do seu irmão mais velho.

- Ei - Meliodas exclama indignado - Eu estou ouvindo o que está dizendo Elizabeth!

- Ela está certa - Zeldris comenta - Você foi um retardado naquele dia.

Meliodas cruza os braços sobre o peito com expressão emburrada e eu sorrio voltando a olhar  Estarossa que parece confuso.

- Mas... Eu achei que você tinha ido por minha causa.

- Não - Balanço a cabeça em negação - Não foi por sua causa, acho que vive se lembra das acusações que Meliodas fez.

- Ele estava quase desmaiado - Zeldris fala - Ele não viu aquilo.

- Aquilo o quê? - Estarossa olha para nós.

- Seu irmão me acusou de estar dormindo com você - Falo e ele olha para Meliodas como se tivesse surgido mais uma cabeça no loiro.

- Você é retardado?! - Estarossa questiona - Eu jamais iria transar com a Elizabeth! Ela é como uma irmã para mim.

Meliodas se afunda mais no estofado macio e faz um muxoxo baixo.

- Eu estava com ciúmes - Ele resmunga - Desde quando raciocinamos com crise de ciúmes?

- Você é idiota mesmo - Gelda se pronuncia e eu rio concordando.

Levanto-me do sofá e caminho até onde Estarossa está, apoiando o rosto nas mãos, escovo a franja dos seus cabelos para trás e ele arregala os olhos com o susto.

- Acho que eu também te devo desculpas - Falo - Por te deixar pensar que eu fui embora por aquilo.

Ele dá de ombros.

- Não tem problema - Ele resmunga.

Sorrio e me curvo beijando seus cabelos.

- Eu também te vejo como  um irmão - Afirmo e ele sorri.

- Tá tá, agora fica longe dele - Meliodas reclama e me puxa para sentar de novo.

Estarossa mostra a língua para o irmão e eu rio assim como Zeldris.

- Babaca - Meliodas olha ofendido com o xingamento de Estarossa.

- Ah eu estava sentindo falta disso! - Gelda exclama - Desse amor estranho de vocês.

- Na verdade eles são estranhos - Comento risonha e Gelda concorda.

Zeldris entra na discussão sem sentido com seus irmãos mas para assim que Gelda se levanta de supetão do sofá e corre até o banheiro mais próximo.

Confusa encaro os três homens na minha frente e tento me levantar do sofá para ver o que aconteceu com ela.

- Gelda está bem - Zeldris afirma - Ela só foi vomitar.

- Ela está doente? - Questiono preocupada.

O moreno sorri negando e se encosta nas almofadas.

- É enjôo devido a gravidez - Ele explica e eu arregalo os olhos a ponto de doer.

- Ela também está grávida?! - Exclamo junto de Meliodas e Estarossa.

- Sim - Gelda entra na sala arrumando os cabelos - Estou de 12 semanas.

- Oh meu Deus - Sussurro e meus olhos se enchem de lágrimas - Meus parabéns.

Levanto-me do sofá e abraço Gelda com força, ou o máximo que minha barriga deixa que eu me aproxime dela.

- Você vai ser uma ótima mãe.

- Obrigada - Gelda agradece também emocionada.

- Ugh, hormônios de gravidez em dose dupla - Estarossa resmunga esfregando seu rosto.

- Eu vou ser tio?! - Meliodas exclama contente - É gêmeos também?

- Não - Gelda responde - É só um bebê.

- Temos que pensar no enxoval - Olho para ela - Acha que vai ser menina ou menino?

Gelda sorri abertamente.

- Tenho certeza que é menina, mas o Zeldris acha que é menino.

- Intuição de mãe - Digo - É menina.

- É minha impressão ou elas vão trocar figurinhas sobre gravidez? - Meliodas questiona seus irmãos.

- Bem provável - Estarossa suspira.

- Quem tá a fim de ir beber? - Zeldris olha para seus irmãos que se levantam do sofá o mais rápido possível.

- Tragam pão de queijo e goiabada quando voltarem! - Exclamo quando o trio sai da sala - E frango frito também!

- Mas alguma coisa amor? - Meliodas aparece na porta enquanto anota as coisas que pedi em seu celular.

Sorrio olhando para ele.

- Um beijo antes de ir.

Meliodas ergue o olhar da tela do celular e se aproxima de mim sorrindo maliciosamente. Abaixo minha cabeça enquanto ele ergue a sua e me perco na sensação dos seus lábios pressionados contra os meus.

- Vamos logo Meliodas! - Zeldris exclama e o loiro se afasta de mim sorrindo.

- Já vou seu apressado!




Notas Finais


Oi 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...