História Uma ruiva complicada! - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 154
Palavras 1.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Hentai, Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá! demorei....
mas aqui está um novo capítulo!!
Divirtam -se

Capítulo 17 - Capítulo 17 - Dorme comigo ?


Não estava pensando muito bem em relação a Clara e Sam. Aquelas duas iriam fazer um inferno na vida da outra, quer dizer a Sam ia, não sei a Clara. É muito azar o fato da Clara ter que trabalhar no mesmo hospital que a Sam. Seria obra do destino? Por mais bizarro que parece ontem mesmo Clara me ligou perguntando se eu sabia que a Sam fazia medicina e que trabalhava no hospital em que ela ia fazer meio período. E acabei respondendo ela com uma pergunta "Como ela descobriu sobre isso?" - O que foi meio errado já que ela ficou com raiva e desligou na minha cara. Suspiro cansada, sentando em uma cadeira e olhando as outras pessoas trabalharem colocando os quadros na parede para a exposição de mais tarde. 

-Ei! Tudo bem? - Lucca chega ao meu lado tocando de leve meu ombro, suspiro cansada e aceno que sim para ele que vai ajudar um homem a colocar um dos quadros. No qual me chama atenção. Um pôr do sol com várias pessoas de costas como se estivessem apreciando a própria pintura. Era bastante interessante a forma em que o pintor retratou esse quadro. Dou um sorriso voltando para o trabalho. A galeria em si era extremamente chique, as paredes eram de vidros, todos os cômodos estavam interligados como um labirinto elegante, as luzes um pouco amareladas dava um ar de calma e tranquilidade para o lugar. Muito elegante. A dona daquilo tudo se chamava Lena Allen. Uma mulher de pulso firme que tinha muito conhecimento sobre a arte e suas funções, sentimentos, segredos e essas coisas. Ser lançado na Allen é o sonho de qualquer pintor base, porém não era o meu sonho ser lançado aqui.  

-Lucy, já que não vamos participar da exposição. Que tal irmos comer num restaurante italiano? - Lucca me empurra para o lado quando tenta pegar um copo de suco em cima da mesa.  

-Não vai dá, tenho que resolver umas coisas. - digo pegando uma caixa de papelão cheia de papeis colocando em cima da mesa. - Que tal deixar para o final de semana? Assim todos nós vamos! - Lucca arqueias as sobrancelhas olhando para algo atrás de mim.  

-Ela é uma cópia mais velha sua, Lucy! - quando me viro para saber do que ele estava falando, não vejo mais nada atrás de mim. - Com certeza você vai ficar daquele jeito quando ficar mais velha! - volto a olhar pro Lucca que me encara assustado. Como não sei do que ele está falando dou de ombros saindo para  deixar um documento para o senhor Nathan que era o coordenador geral da galeria. Caminho em direção a sua sala, porém paro nas portas de vidro quando vejo outra pessoa na sua sala sentada na cadeira. Na verdade estava de costas e a única coisa que vejo são seus cabelos escuros. Como não queria interromper vou até Megan que é sua assistente pessoal e entrego o documento, entretanto volto a passar pela sala observando novamente a mulher na sala de Nathan.  

-Essa mulher ai é a dona da galeria. - viro lentamente para a dona da voz, quando olho para ela a vejo arqueando as sobrancelhas pra mim. - Lena Allen ela que é a dona da galeria. Que... - pisco algumas vezes observando Megan fazer a mesma coisa que eu.- Puta merda!! Você é idêntica a ela. - volto a olhar para a mulher de costa na sala de Nathan. Bem a cor de cabalo pode ser a mesma, mas não é nada de mais.  

-Bem, eu preciso ir ajudar lá em baixo qualquer coisa, avisa! - digo tentando ver o rosto dessa cópia minha, mas sem sucesso. Escuto Megan tentando falar mais alguma coisa mais ela desiste assim que saio do seu campo de visão. 

O resto do dia foi bastante corrido para a exposição e todas as vezes em que tentava ver o rosto da dona da galeria ela simplesmente virava de costa ou alguém ficava na sua frente, então desisti de tentar ver seu rosto. Fomos liberados faltando meia hora para a exposição, porém no dia seguinte a limpeza ficaria por nossa conta. Lucca comentava uma vez ou outra sobre a Lena Allen ser parecida comigo e eu todas as vezes o ignorava. 

-Como é o rosto dela Lucca? - pergunto vendo Lucca sair do meu carro, fechando a porta e se escorando. 

-Ela tem seu rosto, seus olhos, seu nariz... enfim ela é toda você. - ele passa a mão pelos cabelos os bagunçando. - Sabe. Na verdade a cópia aqui é você, pelo fato da senhorita Allen ser mais velha. O que?  

-Nada. - digo ligando o carro. - Bem, até amanhã. - saio vendo Lucca dá um leve aceno com as mãos. Agora precisava resolver o problema com a Clara sobre a Sam. Provavelmente a esse horário ela ainda estaria no trabalhando. Abaixo o vidro do carro, desligando o ar e sentindo a brisa da noite beijar de leve meu rosto. A calmaria da noite dava uma certo alivio. Dirijo até o hospital Healthcare estacionando um pouco longe, esperando uma ruiva conhecida aparecer. O que não demora muito. Dou partida no carro indo lentamente em direção a ela que está ligando para alguém.  

-Oi! - falo um pouco alto fazendo Clara se assustar dando um leve grito. -Tudo bem?  

-Ficou maluca? - arqueio as sobrancelhas saindo do carro e chegando mais perto dela. - Não deveria está em casa?  Andar por ai a essa hora é perigoso sabia!  

-Digo o mesmo. - mesmo não nevando o tempo insistia em fica gelado e frio demais para meu gosto, mesmo a primavera dando seus lentos passo para mostrar suas lindas e belas flores. - Queria falar com você. - Clara tenta se cobri do frio que se tornava um pouco insuportável. - O que foi?  

-Eu posso te perguntar uma coisa? - Clara se aproxima lentamente me fazendo encosta no carro. -Quero que seja sincera. - aceno com a cabeça observando a forma com ela se aproximava de mim. - Você sabia sobre a Sam? - sinto seu perfume invadindo meus sentidos e alguns fios de seus cabelo tocavam levemente meu rosto.  

-Sim. - sussurro sem desviar de seus olhos. Deus! Ela estava tão linda com as bochechas vermelhas. - Desculpa.- sinto uma pontada de culpa por não ter contado a ela sobre isso. Clara coloca suas mãos nos bolsos da sua jaqueta e fica observando a rua vazia. 

-Certo... - não digo nada, só fico observando seu olhar perdido na rua. - Hoje meu dia não foi um dos melhores. Sua "querida amiga" trabalha no mesmo setor que o meu. - ela volta a me observar com raiva. - E ela não perdeu tempo em ficar enchendo o saco! Você sabe o que é isso Lucy? - aceno quando aponta um dedo para mim. - Estou com uma enorme dor de cabeça graças a ela. - ótimo. Sam já começou a fazer o inferno na vida da Clara.  

-Bem... posso te levar pra casa? Ou você tem algum outro lugar pra ir? - digo abrindo a porta do carro para ela entrar. Ela só olha, arqueando as lindas sobrancelhas ruivas que fica visível sua dúvida de entrar no carro, entretanto ela entra sem dizer nenhuma palavra. O resto do caminho foi calmo demais, Clara em nenhum momento deu uma palavra, ficava olhando pela janela do carro a paisagem passar diante dos seus olhos, ela nem mesmo se importou de a janela está aberta e muito menos do vento gelado que mexia em seus cabelos a todo momento. 

-Bem é isso... Eu te vejo amanhã? - digo com um pouco de receio, estacionando o carro em frente ao seu apartamento, mas seu próximo movimento me deixa sem palavra. 

-Dorme comigo?  


Notas Finais


Certo...
deixem seus comentário se estão gostando
da historia!!
Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...